Soldado que filmou OVNI em campo de batalha na Ucrânia reporta o que viu

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 4 min.
Ouça este artigo...

Um objeto em forma de disco, maior que a altura do Empire State Building, emergiu do horizonte da província de Donetsk, na Ucrânia, no mês passado (como já foi reportado aqui no OH), pairando assustadoramente ainda a um quilômetro e meio do chão.

Captura de tela de vídeo mostrando o OVNI que foi filmado na Ucrânia em campo de batalha.

Esse soldado, um operador de drone, guiou cautelosamente seu quadricoptero infravermelho para uma missão de reconhecimento, lutando contra ventos fortes, quando de repente avistou o OVNI plano de 390 metros de comprimento, que permaneceu imóvel apesar dos ventos.

Numa entrevista na zona de guerra, o soldado, que faz parte do 406º Batalhão do exército ucraniano, disse que ele e os seus colegas militares “nunca tinham visto coisas assim antes”.

Ele acrescentou:

‘Inicialmente, pensei que fosse algo novo inventado pelos russos, mas depois compreendi… Não! Pode ser [um] OVNI.”

A ‘nave’ estava 20 a 30 graus Centígrados mais quente do que qualquer outro objeto que este 406º piloto de drone diz ter rastreado na zona de guerra – descartando fenômenos atmosféricos, balões e aeronaves inimigas conhecidas, afirmou ele.

Ficamos surpresos, muito surpresos”, lembrou o soldado, cujo primeiro nome é Vadym.

Mas Vadym disse ao DailyMail.com que esta ‘surpresa‘ não foi bem medo, porque ele e seus colegas soldados tiveram que aprender a suprimir essas emoções em meio ao seu esforço para defender a Ucrânia de uma invasão russa que já dura dois anos.

Vadym disse:

“Ficamos assustados no dia 24 de fevereiro de 2022. Depois disso, não temos medo de nada.”

O piloto do drone do 406º disse que havia colocado sua nave cerca de “alguns quilômetros” em missão de reconhecimento antes de avistar o OVNI.

Ele disse:

“Eu olhei para a direita e vi isso.

Depois de 30 segundos, decidimos filmar. Todas as emoções que tivemos naquele momento estão no vídeo… Você pode ouvir.”

Enquanto Vadym e seus colegas membros da 406ª unidade lutavam para entender o objeto aparente, sua confusão é palpável no vídeo de 17 segundos, compartilhado exclusivamente com o DailyMail.com esta semana.

Entre os palavrões (‘Puta merda’) e a excitação (‘Que merda é essa?’), um membro do batalhão pergunta:

“Por que não está se movendo?”

Outro se pergunta:

“Por que ele não pode disparar mísseis contra nós? O que é isso?”

Além da assinatura de calor incomum do objeto, ele parecia resistir mais facilmente ao vento forte, mas Vadym disse ao DailyMail.com que nenhum outro clima extremo poderia ajudar a explicar o avistamento incomum.

Vadym disse:

“Havia um vento muito forte. O vento estava fluindo basicamente na mesma direção em que estávamos voando.

Mas [o OVNI] simplesmente permaneceu no mesmo lugar – e o céu estava limpo, Portanto, sem nuvens, nada.

Eu uso esse filtro [infravermelho, visão de calor] com muita frequência, e acabei de adquirir experiência para poder diferenciar o quão brilhante um objeto deve ser de acordo com a temperatura.”

Com base nessa experiência, Vadym afirmou que o OVNI “estava muito quente. Suponho que 20 a 30 graus [Celsius] mais quente do que outros objetos.

Vadym estimou que o OVNI de aproximadamente 390 metros de comprimento também tinha cerca de 100 metros de altura.

O aparente objeto, nave ou fenômeno, foi capturado pela câmera de um drone comercial de imagem térmica Mavic 3T da marca DJI em 23 de fevereiro de 2024.

O OVNI, avistado por volta das 21h02, horário local, parecia estar a aproximadamente 50 a 65 quilômetros de distância dos soldados, disse ele, na direção do Oblast de Donetsk, a província do sudeste da Ucrânia que tem sido mais dominada pelas forças russas.

Vadym solicitou que seu sobrenome e outros detalhes importantes do encontro não fossem divulgados por razões de segurança operacional em meio aos esforços das Forças Armadas Ucranianas para repelir a invasão russa.

Mas ele observou que, embora “seja difícil contar” quantas vezes ele voou pessoalmente no Mavic 3T de sua unidade, provavelmente foram “mais de 10.000 vezes”.

Ele acrescentou:

“Vimos coisas diferentes [nos céus]. Nunca vimos coisas assim antes.”

Uma explicação potencial para o OVNI foi o conhecido fenômeno de ilusão de ótica chamado ‘Fata Morgana‘, uma miragem atmosférica semelhante a um espelho produzida por uma ‘inversão de temperatura’ do ar quente na atmosfera superior.

Mas Vadym está convencido de que o que viu foi real.

Vadym disse:

“Não foi uma miragem, porque na visão térmica você não pode ver uma miragem. Você só pode ver a olho nu.”

Ele continuou a explicar que o objeto não ondulava, tremeluzia ou alterava de outra forma sua forma, o que teria sido um sinal revelador de uma miragem como Fata Morgana.

Como observa o guia de segurança de voo SKYbrary:

“Muitas vezes, uma Fata Morgana muda rapidamente. A miragem compreende várias imagens invertidas (de cabeça para baixo) e eretas (lado direito para cima) empilhadas umas sobre as outras.”

Mas de acordo com Vadym, o objeto estava em uma forma estável. Não estava se movendo.

Dito isto, o OVNI, seja lá o que for, não perdeu tempo em deixar seu poleiro acima de Donetsk.

Vadym disse:

“Em outra posição, tínhamos outro drone e o colocamos em cerca de três minutos, [mas] eles não viram [o OVNI] naquele momento.

Quando voltamos à mesma posição mais tarde, não havia nada lá.”

Soldado Vadym posando com seu drone.

Na última terça-feira, um porta-voz do fabricante do Mavic, DJI, disse ao DailyMail.com que, embora não pudesse ajudar a explicar o que está presente nas imagens do OVNI do 406º, um erro de equipamento poderia ter desempenhado um papel.

Mas Vadym observou que estava confiante de que os sistemas do Mavic 3T estavam funcionando normalmente no momento do encontro.

A barra vermelha de “aviso” ou “erro” visível na parte superior esquerda da tela do drone, disse ele, está relacionada à navegação GPS do drone para consumo.

Vadym disse:

“É um aviso de que estávamos voando sem satélites com controles 100% manuais.”

Vadym observou que problemas semelhantes específicos de combate impediram o batalhão de armazenar uma gravação de imagens térmicas de OVNIs diretamente no próprio drone Mavic.

Ele disse:

“Removemos os cartões de memória dos drones quando realizamos voos sobre territórios inimigos.

Existe o risco de que, se perdermos um drone por causa de contramedidas eletrônicas inimigas, eles possam pegar o drone, pegar o cartão e ler o que está lá.”

Num mundo melhor, disse Vadym, a invasão russa de fevereiro de 2022 “nunca aconteceu” e “apenas usamos drones civis para filmar casamentos”.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


avistamento de OVNIcampo de batalhaovniUAPUcrâniaufo
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.