A verdade sobre os OVNIs está sendo ocultada?

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 4 min.
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/DALL-E

“O governo dos EUA contratou secretamente centenas de empresas privadas durante as décadas de 1940 e 1950 para processar enormes volumes de material de armas nucleares, deixando um legado de trabalhadores envenenados e comunidades contaminadas que perdura até hoje. Desde oficinas mecânicas familiares a grandes empresas químicas, instalações de produção privadas em todo o país foram silenciosamente convertidas para o negócio arriscado de manusear toneladas de urânio, tório, polônio, berílio e outras substâncias radioativas e tóxicas. Poucos dos empreiteiros estavam preparados para os perigos das suas missões patrocinadas pelo governo. Milhares de trabalhadores foram expostos a níveis perigosos de radiação, muitas vezes centenas de vezes mais fortes do que os limites da época. Dezenas de comunidades foram contaminadas, o ar, o solo e a água contaminados por resíduos tóxicos e radioativos. Os riscos foram mantidos ocultos. Em alguns casos, eles permaneceram assim.”

Assim começou uma longa exposição revelando um grande segredo governamental que envolveu milhares de indivíduos. Isso foi publicado no jornal USA Today em 6 de setembro de 2000. A verdade foi mantida em segredo com sucesso por 50 anos. Se a realidade do fenômeno OVNI fosse conhecida dentro de um ou mais programas de acesso especial profundamente ocultos, por que também não poderia ser mantido em segredo do público?

Esta questão foi colocada a um ex-oficial de inteligência, bem colocado e altamente educado, que em vários momentos de sua longa carreira em uma das agências foi informado e solicitado a ajudar na avaliação de certo material sobre OVNIs. Obtive sua resposta através de um intermediário:

“A elite envolvida nos programas ocultos está entre as pessoas mais inteligentes do planeta, mas mesmo assim permanece profundamente intrigada com muito do que aprenderam. Eles tendem a considerar o público com desdém, como crianças desobedientes e indisciplinadas, incapazes de lidar com informações de extraordinária complexidade.

Embora apoie oficialmente a democracia, a elite do programa, na realidade, defende uma espécie de ditadura benevolente ou de oligarquia esclarecida por aqueles, como eles próprios, que conquistaram o direito de saber e de tomar decisões no melhor interesse da civilização, para o qual a pessoa comum, sendo preguiçosa e facilmente distraída, não está motivada ou qualificada para contribuir de qualquer maneira. O americano médio se preocupa mais com o Super Bowl do que com a vida em outras partes do Universo.

Os mentores intelectuais daqueles com influência e poder são Platão e Maquiavel , não Aristóteles e Jefferson. Nos últimos 50 anos, os tribunais superiores aceitaram e defenderam a precedência da segurança nacional sobre a Primeira e a Quarta Emendas. Portanto, mesmo que o público quisesse saber, isso não constituiria uma necessidade legal ou um direito de saber. A elite está cumprindo o seu dever patriótico ao tentar controlar a situação dentro das regras estabelecidas de segurança nacional.”

A minha impressão é que, se o que foi dito acima for verdade, pode haver mais coisas envolvidas do que simplesmente o conhecimento de que existem seres inteligentes em outros planetas, e que alguns são capazes de vir aqui para nos observar. Penso que neste ponto do nosso desenvolvimento, a maioria das culturas do mundo poderia aceitar tal informação sem consequências sociais catastróficas. Presumo que o que está em jogo tem a ver com a possibilidade da realidade ser muito mais complexa do que as nossas noções científicas modernas de espaço, tempo e matéria.

Os místicos podem ficar bastante satisfeitos com outros níveis de realidade, mas para uma civilização construída em torno do comércio e da tecnologia inteiramente fundamentada na realidade física, notícias de outros reinos que inteligências além da nossa podem ser adeptas da manipulação podem ser bastante perturbadoras. Um choque demasiado grande para a nossa realidade coletiva poderia levar ao caos, e este medo justificável poderia ser uma razão para o sigilo de décadas.

Por outro lado, os fatos, sejam eles quais forem, terão que ser revelados mais cedo ou mais tarde, e os problemas globais que a humanidade enfrenta e a ecologia do nosso planeta defendem – na minha opinião – o acesso a qualquer novo conhecimento que possa existir para usarmos. Talvez o “desacobertamento” tenha representado um risco inaceitável, mas há boas razões para pensar que o oposto é verdadeiro hoje. Além disso, a atual administração parece oferecer um ambiente especialmente amigável para qualquer desacobertamento vindo das agências militares e/ou de inteligência.

Embora alguns dos indivíduos que participam de programas profundamente ocultos possam estar entre os mais inteligentes do planeta, o mesmo acontece com muitos cientistas. (Tenho aqui um certo preconceito.) Se existem enigmas profundos, porque é que as vastas capacidades e talentos da comunidade científica dominante não são aplicados sobre eles?

O problema, creio eu, é que a visão da realidade da ciência moderna é extraordinariamente limitada. Em meu mandato de 12 anos como editor do Journal of Scientific Exploration, muitas vezes fiquei consternado com a relutância, às vezes surpreendentemente hostil, dos principais cientistas em considerar o que me pareciam observações credíveis do funcionamento psíquico, ou a capacidade da mente de controlar matéria sob certas circunstâncias, ou evidência de que somos seres de consciência transcendente encarnando em corpos físicos, e não apenas produtos de vida curta da bioquímica.

Tenho a impressão de que podemos estar confrontando consciências inteligentes com capacidades muito mais desenvolvidas para controlar e moldar a realidade física. A ciência moderna pintou-se num canto tão materialista e reducionista que não conseguiu, neste momento, lidar com isso. Tendo-se colocado em tal oposição ao que rotula depreciativamente de “o sobrenatural“, teria muita dificuldade em enfrentar uma realidade em que o natural e o sobrenatural são apenas os extremos vermelho e violeta de um espectro vastamente rico de criatividade potencial para uso da consciência.

Para concluir, porém, devo acrescentar a ressalva de que talvez eu esteja extrapolando demais as coisas que ouvi ou que me parecem plausíveis. Estou relatando com precisão o que sei, mas não posso garantir que não tenha sido enganado – acidental ou deliberadamente – ou talvez que tenha me enganado.

Bernard Haisch
Palo Alto, California – EUA

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Danilo Tercariol ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


desacobertamento dos OVNIsDr. Bernard HaischOVNIsUAPUFOs
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.