Desestabilizando a tecnologia OVNI e um “mundo vulnerável”

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 4 min.

Segundo o filósofo Nick Bostrom, uma nova descoberta tecnológica pode um dia devastar a civilização humana. Na teoria do “mundo vulnerável” de Bostrom, apenas intervenções extraordinárias – como a cooperação ou vigilância global sem precedentes – podem impedir que uma nova tecnologia suficientemente perigosa conduza ao colapso civilizacional.

Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/DALL-E

Com membros importantes do Congresso dos EUA suspeitando que aquele país já possui uma tecnologia tão desestabilizadora, a hipótese de Bostrom poderá em breve ser posta à prova.

A legislação proposta pelo líder da maioria no Senado, Chuck Schumer (DN.Y.) e um grupo bipartidário de cinco outros senadores alega que “programas legados” secretos do governo recuperaram e estão tentando fazer engenharia reversa de OVNIs de origem aparentemente “não humana”. Embora um membro influente da Câmara tenha “matado” com sucesso os elementos mais notáveis ​​da legislação no final do ano passado, Schumer e o seus homólogos republicanos não recuam.

Ao mesmo tempo, vários membros da Câmara declararam nas últimas semanas que consideram credíveis as alegações de David Grusch, um ex-oficial de inteligência que testemunhou sob juramento sobre a recuperação de OVNIs e programas de engenharia reversa.

Nesta conjuntura, deixar sem abordar as implicações globais plausíveis de uma tal revelação de mudança de paradigma é irresponsável e, como Bostrom poderia argumentar, perigoso.

Suponhamos, então, que os EUA possuam de fato tecnologia revolucionária de OVNIs.

Suponhamos também, como parecem acreditar os senadores Kirsten Gillibrand (DN.Y.) e Marco Rubio (R-Flórida), que um sigilo sem precedentes impediu até agora uma compreensão científica significativa das tecnologias “exóticas” recuperadas.

Uma suposição popular sustenta que qualquer divulgação oficial de que a humanidade não está sozinha unirá as nações do mundo. Mas isso não é de forma alguma garantido.

Pelo contrário, uma súbita revelação pública de que os EUA possuem tecnologia inconcebivelmente avançada poderia ser um acontecimento singularmente desestabilizador.

As forças armadas da China, por exemplo, dependem fortemente da espionagem e da emulação da tecnologia dos EUA. A indústria de defesa da Rússia está em ruínas, agravada pelas perdas surpreendentes na Ucrânia. Estes estados com armas nucleares temeriam naturalmente a súbita injeção de tecnologia OVNI altamente avançada numa base industrial americana comparativamente madura e sofisticada para análise técnica e exploração.

A Rússia ou a China seriam assim motivadas a empreender uma série de ações desestabilizadoras para se protegerem contra a obtenção de uma vantagem estratégica intransponível pelos EUA. Mais preocupante é que tais estados podem procurar impedir ativamente que os EUA desenvolvam capacidades militares de mudança de paradigma derivadas da tecnologia OVNI.

Neste ambiente geopolítico instável, vários cenários plausíveis poderiam evoluir rapidamente para um conflito global devastador.

Para complicar a situação, os principais senadores parecem suspeitar que alguns dos adversários dos Estados Unidos também recuperaram tecnologia OVNI altamente avançada. Três oficiais militares e de inteligência, incluindo Grusch, alegaram isso.

Se for verdade, a divulgação pública da tecnologia OVNI por um estado poderia desencadear uma corrida armamentista sem paralelo na história da humanidade.

Suponhamos, então, que um Estado aproveite com sucesso a tecnologia avançada de OVNIs, permitindo-lhe atacar globalmente com impunidade, ao mesmo tempo que torna ineficazes as capacidades militares dos seus adversários. Essa nação teria incentivos significativos para conduzir um ataque devastador de “nocaute” antes que os seus rivais conseguissem avanços semelhantes. Este, na tipologia de “vulnerabilidades civilizacionais” de Bostrom, é o cenário do “primeiro ataque seguro”.

Para enfrentar os profundos riscos associados ao surgimento de tecnologias altamente desestabilizadoras, Bostrom oferece duas soluções principais: “governança global” e “policiamento preventivo”.

No contexto da nossa experiência mental focada nos OVNIs, elementos de ambos podem ser aplicados para, segundo Bostrom, “estabilizar um mundo vulnerável”.

Uma abordagem de “governança global” aos riscos únicos postulados aqui poderia ver toda a tecnologia OVNI colocada sob estrito controle multilateral.

O estudo científico e a análise seriam conduzidos por equipes multinacionais de especialistas. Essas equipes seriam compartimentadas e isoladas umas das outras para evitar que qualquer indivíduo ou equipe adquirisse conhecimento suficiente para utilizar a tecnologia para fins nefastos ou de interesse próprio.

Com base na solução de “policiamento preventivo” de Bostrom, os cientistas e especialistas envolvidos num tal estudo multinacional da tecnologia OVNI também estariam sujeitos a vigilância intrusiva, monitoramento e restrições de movimento. Isto serve para mitigar o risco de qualquer “trapaça” ou espionagem estatal.

Ao mesmo tempo, a vigilância contínua dos indivíduos com acesso à tecnologia OVNI pode dissuadir aqueles que Bostrom descreve como dispostos a “agir de forma a destruir a civilização, mesmo com um alto custo para eles próprios”.

Para garantias adicionais e medidas de criação de confiança, uma abordagem global e multilateral pode inspirar-se no Tratado de Céus Abertos. Os regimes de inspeção no local que emergiram do Tratado das Forças Nucleares de Alcance Intermédio e da Agência Internacional de Energia Atômica também poderiam ser instrutivos.

Por exemplo, se um estado suspeitar que outro está estudando ou explorando secretamente a tecnologia OVNI fora do quadro científico multilateral, um quadro de inspeções agressivo, acordado por todas as nações participantes e exigindo uma votação maioritária para ser aplicado, poderia dissuadir a “trapaça”.

Com o tempo, à medida que a confiança aumenta entre os Estados participantes, estas condições necessariamente duras e intrusivas podem ser relaxadas.

É certo que um nível tão sem precedentes de cooperação global enfrentaria barreiras significativas. Mas a ameaça civilizacional única representada pela presença de tecnologia avançada de OVNIs, caso de fato exista, pode servir como um incentivo robusto para prosseguir a “governança global” prevista por Bostrom.

Notavelmente, os OVNIs e a especulação sobre a vida alienígena também desempenharam um papel pequeno, mas fascinante, na promoção da cooperação global.

No final de 1985, no meio de tensões aparentemente intransponíveis entre os EUA e a União Soviética, o Presidente Ronald Reagan encontrou-se pela primeira vez com o seu novo homólogo soviético, Mikhail Gorbachev. Entre tensas reuniões consecutivas, Reagan fez em privado a Gorbachev uma pergunta sobre se um ataque “do espaço exterior” poderia unir as duas superpotências mundiais com armas nucleares. Gorbachev respondeu afirmativamente, provocando uma risada de quebra-gelo e uma amizade crescente entre os dois líderes.

Três anos e três reuniões de cúpula mais tarde, um radiante Reagan abraçou calorosamente Gorbachev na Praça Vermelha de Moscovo como uma aliança soviético-americana; as tensões diminuíram.

A estreita parceria de Reagan e Gorbachev acabou por proporcionar a Gorbachev a liberdade para promulgar as reformas abrangentes que deram início a um fim pacífico para a era mais perigosa da história da humanidade.

Reagan também invocou publicamente o potencial unificador da “inteligência não humana”. Falando perante as Nações Unidas em 1987, ele ponderou “com que rapidez as nossas diferenças em todo o mundo desapareceriam se enfrentássemos uma ameaça alienígena de fora deste mundo”.


Por Marik von Rennenkampff
Rennenkampff atuou como analista no Bureau de Segurança Internacional e Não-Proliferação do Departamento de Estado dos EUA, bem como foi nomeado pelo governo Obama no Departamento de Defesa dos EUA.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Franklin Viana ❤️Leopoldo Della Rocca ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


OpiniãoOVNIstecnologia alienígenaUAPUFOs
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.