Os humanos estão prontos para aceitar a vida alienígena?

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Tempo de leitura: 4 min.

Estamos sozinhos no universo? Esta é uma das perguntas mais profundas que os humanos já fizeram, e a resposta pode estar mais próxima do que pensamos.

Graças aos avanços espetaculares da ciência e da tecnologia, sabemos agora que existem milhares de milhões de estrelas na nossa galáxia, e muitas delas têm planetas que as orbitam. Alguns desses planetas estão na zona habitável, onde a temperatura é ideal para a existência de água líquida na superfície. E a água é essencial para a vida como a conhecemos.

Também temos telescópios poderosos que podem observar estes planetas à distância e analisar a luz que refletem ou emitem. Ao fazermos isso, podemos inferir do que são feitas suas atmosferas e procurar sinais de vida.

Esses sinais são chamados de bioassinaturas e são características que só podem ser produzidas por organismos vivos. Por exemplo, na Terra, a vida transformou a atmosfera ao produzir oxigênio, ozônio e outros gases que de outra forma não estariam presentes.

Ao procurarmos bioassinaturas semelhantes em outros mundos, poderemos encontrar evidências de vida alienígena sem nunca visitá-los. Este é um feito incrível de engenhosidade e curiosidade humanas. Descobrimos como sondar atmosferas alienígenas distantes do nosso próprio planeta.

Descobertas recentes de planetas potencialmente habitáveis, sinais misteriosos vindos do espaço e até mesmo indícios de vida microbiana em Marte aumentaram a possibilidade de em breve encontrarmos inteligência extraterrestre (IET).

Mas como reagiríamos a um evento tão importante? Iríamos recebê-los de braços abertos ou temê-los como invasores? Seríamos capazes de nos comunicar e cooperar com eles, ou entraríamos em desespero e iniciaríamos um conflito? E como a nossa sociedade e cultura mudariam como resultado do contato com vida alienígena?

Essas são algumas das questões que os psicólogos têm explorado nos últimos anos, utilizando diversos métodos como pesquisas, experimentos e simulações. As suas descobertas sugerem que os humanos estão mais preparados do que nunca para aceitar a existência de vida alienígena, e que tal descoberta teria efeitos positivos na nossa visão do mundo, valores e comportamento.

Um dos principais fatores que influenciam a forma como os humanos responderiam à IET é o seu nível de semelhança ou diferença percebida conosco. De acordo com a hipótese de atração por similaridade, tendemos a gostar e confiar naqueles que são semelhantes a nós, e a não gostar e desconfiar daqueles que são diferentes.

Isso se aplica não apenas à aparência física, mas também à personalidade, crenças, valores e objetivos. Portanto, se encontrarmos vida alienígena que seja semelhante a nós em alguns aspectos, poderemos sentir mais afinidade e empatia por eles e estar mais dispostos a cooperar e aprender com eles.

Por outro lado, se encontrarmos vida alienígena muito diferente de nós, poderemos sentir mais medo e hostilidade em relação a eles, e teremos maior probabilidade de evitá-los ou atacá-los.

Um estudo realizado por Michael Varnum e seus colegas da Universidade Estadual do Arizona analisou a linguagem de artigos de notícias e respostas de pesquisas relacionadas a descobertas passadas e hipotéticas de vida alienígena.

Eles descobriram que as reações das pessoas eram geralmente mais positivas do que negativas e mais curiosas do que temerosas. Eles também descobriram que as pessoas aceitavam mais a vida microbiana do que a vida inteligente, e aceitavam mais a vida dentro do nosso sistema solar do que fora dele.

A similaridade não é o único fator que importa. Outro fator importante é o contexto e a natureza do contato. Se descobrirmos vida alienígena através da observação passiva, como a detecção dos seus sinais de rádio ou a descoberta dos seus artefatos, poderemos sentir mais curiosidade e empolgação do que medo ou ameaça.

Mas se encontrarmos vida alienígena através de interação ativa, como receber as suas mensagens ou encontrá-los cara a cara, poderemos sentir mais ansiedade e incerteza sobre as suas intenções e capacidades.

Além disso, se percebermos a vida alienígena como benevolente e cooperativa, oferecendo-nos ajuda ou partilhando o seu conhecimento, podemos sentir mais gratidão e admiração por eles. Mas se percebermos a vida alienígena como malévola e hostil, tal como nos prejudicar ou invadir o nosso planeta, poderemos sentir mais raiva e ressentimento em relação a eles.

Outro fator que afeta a forma como os humanos reagiriam à IET são as suas diferenças individuais de personalidade, atitudes e crenças. Algumas pessoas podem ter a mente mais aberta e ser mais tolerantes com a diversidade do que outras e, portanto, aceitar melhor a vida alienígena.

Outras pessoas podem ser mais religiosas e espirituais do que outras e, portanto, mais propensas a ver a vida alienígena como parte da criação ou do plano de Deus ou, pior, perceber os alienígenas como demônios criados por Satanás.

Um estudo realizado por Douglas Vakoch e seus colegas da METI International entrevistou pessoas de 24 países sobre suas atitudes em relação ao contato com alienígenas. Eles descobriram que a maioria das pessoas estava otimista e interessada em comunicar-se com extraterrestres, e que esperavam resultados positivos de tal encontro. Eles também descobriram que os valores culturais, as crenças religiosas e os traços de personalidade das pessoas influenciavam suas opiniões sobre o contato com alienígenas.

Estudos sugerem que os humanos estão prontos para aceitar a vida alienígena, desde que não seja hostil ou ameaçadora para nós. No entanto, isso não significa que não enfrentaríamos quaisquer desafios ou dificuldades ao lidarmos com tal descoberta.

Teríamos de lidar com as implicações de encontrar uma vida que seja radicalmente diferente da nossa, tais como a forma como evoluiu, de que é feita, como comunica e o que valoriza. Teríamos também de lidar com as questões éticas e morais da interação com a vida alienígena, tais como se deveríamos tentar contactá-la, estudá-la, protegê-la ou deixá-la em paz.

Além disso, teríamos de lidar com os efeitos sociais e psicológicos da descoberta de vida alienígena em nós próprios e na nossa sociedade, nomeadamente a forma como isso afetaria o nosso sentido de identidade, significado, propósito e pertença. Teríamos que confrontar os nossos próprios preconceitos e medos do desconhecido e do diferente.

Com base na investigação atual, parece que os humanos estão geralmente de mente aberta e curiosos sobre a possibilidade de IET, e que tal descoberta teria efeitos positivos na nossa visão do mundo, valores e comportamento.

No entanto, existem também muitos fatores que podem influenciar a forma como os humanos responderiam a cenários específicos de contacto com a IET, tais como o seu nível de semelhança ou diferença conosco, o contexto e a natureza do contacto, as suas diferenças individuais de personalidade e atitudes.

-Zoe Mitchell

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ||| Silas Raposo ||| Franklin Viana ||| Karin Gottert ||| Leopoldo Della Rocca

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta, portanto aja com responsabilidade.
  • O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com éticasempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
contato alienígenahumanidadeUniverso
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.