Por que o Universo parece ajustado para a existência de vida?

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.
Ouça este artigo...

Por Don Lincoln
É realmente incrível que você esteja vivo. Não estou falando especificamente de você e de como, se sua mãe e seu pai não tivessem se conhecido, você nunca teria nascido. Estou pensando muito mais, ou seja, nas leis fundamentais da natureza que governam os comportamentos mais profundos e básicos da matéria e da energia. Por razões que não compreendemos, entre as muitas formas como o Universo poderia ser, ele parece estar afinado de uma forma que torna possível a existência de vida.

Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/DALL-E

Ajuste fino, dos átomos à gravidade

Vamos discutir alguns exemplos. Tudo é feito de átomos. Se os átomos não existissem, você certamente também não existiria. Assim, qualquer mudança nas leis da natureza que interfira nos átomos poderia ter uma enorme consequência para a composição do Universo. Suponha que a massa do elétron seja duas vezes maior do que é agora. Se isso fosse verdade, o principal processo de fusão na maioria das estrelas não funcionaria. Como as estrelas são os fornos nos quais os elementos pesados ​​são formados, alguns dos elementos familiares da tabela periódica nem existiriam.

Outro exemplo: os prótons e nêutrons no centro dos átomos são feitos de dois tipos de quarks, com os nomes “up” e “down”. (Os prótons têm dois quarks up e um quark down; os nêutrons têm dois quarks down e um quark up.) Esses quarks têm uma massa muito pequena – apenas uma pequena fração do próton ou nêutron – sendo o quark down um pouco mais pesado. A consequência disto é que os prótons vivem essencialmente para sempre, enquanto os nêutrons isolados decaem em cerca de 15 minutos. Se a massa dos quarks up e down fosse invertida, os nêutrons seriam estáveis ​​e os prótons decairiam. Como os nêutrons não têm carga elétrica, eles não atrairiam elétrons e, portanto, nenhum átomo se formaria. Nenhum átomo significa que não há nós.

Os cientistas conhecem dezenas de exemplos de pequenas mudanças que alterariam radicalmente o Universo. Uma pequena mudança nas leis da gravidade poderia ter causado o colapso do Universo em um buraco negro imediatamente após sua existência. Alternativamente, a gravidade poderia ter sido muito fraca para a formação de estrelas e galáxias. De qualquer forma, não existiríamos.

A maioria das respostas não é satisfatória

Dado que pequenas mudanças nas leis da natureza podem alterar completamente a aparência do Universo, muitas pessoas se perguntam porque essas leis são como são. Alguns invocam um criador que sabia o que estava fazendo e configura tudo “exatamente” para nos permitir existir. Tal explicação poderia ser considerada uma versão do que é frequentemente chamado de “design inteligente”. Mas tal explicação não é inteiramente satisfatória. Não é tão diferente de dizer “só porque”. Que outras explicações existem?

As explicações científicas também não são convincentes. Uma possibilidade é que seja simplesmente uma questão de sorte – que quando o Universo começou, as leis da natureza simplesmente eram o que são. Nessa forma de pensar, é só uma questão de sorte. Outros resultados eram possíveis, mas simplesmente não aconteceram.

Existe outra abordagem, que consiste em negar que possam ocorrer pequenas mudanças nas leis da natureza. Talvez a noção de que poderíamos alterar a massa do eletron sem alterar mais nada não seja realmente uma possibilidade, o que significa que existem um ou mais princípios orientadores desconhecidos que forçam as coisas a serem como são.

Para explorar como esta abordagem se enquadra no pensamento científico moderno, vejamos a nossa compreensão atual das leis da natureza. Duas grandes teorias representam o que conhecemos: a teoria da relatividade geral de Einstein, que governa o cosmos, e o modelo padrão da física de partículas, que governa o quantum. Embora essas teorias sejam muito bem-sucedidas, elas não respondem a todas as perguntas. Além disso, existem 20 parâmetros livres (por exemplo, a massa de certas partículas subatômicas ou a intensidade das forças conhecidas) que não podem ser previstos, mas devem ser medidos e inseridos manualmente na teoria.

Os investigadores consideram a nossa incapacidade de prever estes parâmetros uma situação insatisfatória e continuam a tentar desenvolver teorias melhores que mostrem as ligações entre eles. Talvez em uma teoria mais completa encontraremos relações entre esses parâmetros de modo que se você conhecer um deles, os outros estarão completamente determinados.

Se tais relações existirem, pode ser que a ideia de alterar um parâmetro sem causar uma cascata de outras alterações seja impossível. Seguindo esta cadeia de pensamento, pode ser que as leis da natureza como as vemos sejam o que são porque não há outra possibilidade. Embora esta ideia não possa ser descartada, não é bem vista na comunidade científica, em grande parte porque a mecânica quântica nos mostrou que o mundo subatômico é um mundo de probabilidade e não de certeza. Na mecânica quântica, muitas coisas são possíveis e o resultado só é determinado quando uma medição é realizada.

Outra explicação é que, antes do Big Bang, todos os universos possíveis existiam, e o Big Bang selecionou as leis que geraram o mundo que vemos ao nosso redor. Uma ideia ainda mais provocativa é que não existe um universo, mas múltiplos universos. Neste multiverso, cada universo tem um conjunto diferente de leis e somente naqueles que permitem a existência de algo como a vida pode haver organismos como nós que se perguntem sobre tudo isso.

É assim que é

A questão de porque o Universo é do jeito que é, é antiga, explorada em alguns dos primeiros escritos. E embora saibamos muito mais do que os nossos antepassados, ainda não sabemos a resposta. Este mistério que antes era domínio da teologia e depois da filosofia, é agora científico. A resposta continua a nos escapar; no entanto, continuaremos a persegui-la – e um dia, esperamos, saberemos.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


átomosUniversovida
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.