Teria um “OVNI” militar dos EUA ido para a guerra no Iraque?

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Tempo de leitura: 5 min.

Durante décadas, surgiram rumores sobre os Estados Unidos operarem secretamente naves pretas e triangulares altamente secretas, conhecidas como TR-3A e TR-3B, com alguns chegando ao ponto de afirmar que essas plataformas foram projetadas usando tecnologia alienígena de engenharia reversa. Na verdade, no início dos anos 90, foi até relatado que essas naves secretas voaram ao lado do F-117 durante as operações de combate sobre o Iraque na Tempestade no Deserto.

Imagem ilustrativa de como a suposta nave poderia se parecer, seguida, à direita, por provável foto da mesma.


Neste artigo exploraremos a possibilidade dos Estados Unidos terem financiado secretamente o desenvolvimento de tal plataforma.

Poderiam esses triângulos negros terem sido aeronaves secretas estadunidenses?

Os Estados Unidos colocaram grande ênfase na tecnologia da aviação desde o início do voo tripulado, com o Exército dos EUA fazendo um pedido da primeira aeronave militar do mundo aos irmãos Wright em 1908. Hoje, a doutrina de guerra dos Estados Unidos depende fortemente da capacidade da nação assumir e manter o controle do espaço aéreo em qualquer campo de batalha em todo o mundo. É claro que manter essa capacidade diante de concorrentes internacionais cada vez mais capazes sempre exigiu um investimento significativo e um sigilo igualmente significativo.

Você pode encontrar uma lista de programas secretos de aeronaves que, uma vez divulgados, ainda pareciam terrivelmente estranhos. Não apenas aeronaves furtivas altamente classificadas, como o F-117, voaram durante anos antes do governo reconhecer sua existência, mas sabe-se agora que aeronaves secretas ainda mais exóticas rondam os céus do sudoeste dos Estados Unidos há anos.


O YF-118 Bird of Prey (Ave de Rapina) da Boeing, apenas um exemplo, iniciou seu processo de projeto em 1992 dentro dos limites secretos das instalações militares dos EUA em Groom Lake (conhecida pela maioria como Área 51) e conduziu um total de 40 voos de teste secretos sobre Nevada entre 1996 e 1999.

O Bird of Prey, com aparência muito alienígena, só foi divulgada ao público pela Boeing em 2002 porque a empresa financiou todo o programa de US$ 67 milhões sem um centavo de financiamento do contribuinte. Tem sido amplamente divulgado que outros demonstradores de tecnologia financiados pelo governo mais confidenciais nunca verão divulgação semelhante, com alguns até sendo enterrados nas areias da Área 51 para serem perdidos no tempo.

O Bird of Prey estava voando ativamente enquanto observadores de aviões e viciados em OVNIs coletavam relatórios de outras supostas aeronaves secretas, como o TR-3B e a plataforma de reconhecimento hipersônica, muitos chamada de Aurora. O Sandboxx News já cobriu sobre o Aurora em detalhes antes. Embora tenhamos quase certeza de que esse nome estava realmente ligado ao programa B-2 Spirit, há uma boa quantidade de evidências que sugerem que algo semelhante ao que as pessoas estavam relatando como o Aurora pode realmente ter estado em testes, alojado nos mesmos hangares secretos do Bird of Prey da Boeing e outras plataformas secretas já perdidas no tempo.

Embora as despesas com a defesa tenham registado reduções consistentes após a queda da União Soviética, vale a pena notar que, até ao final da década de 1990, os Estados Unidos ainda alocavam uma percentagem maior do PIB do país à defesa do que hoje. Na verdade, quando ajustado à inflação, o orçamento de defesa dos EUA em 1992, de 325,03 bilhões de dólares, equivale a mais de 718 bilhões de dólares hoje – o que significa que o Tio Sam certamente tinha dinheiro para financiar uma variedade de programas confidenciais. Além disso, em 1991, foi relatado que a Força Aérea dos EUA dedicou mais de US$ 60,3 bilhões à pesquisa, desenvolvimento e aquisições confidenciais nos cinco anos anteriores – isso equivale a quase US$ 137 bilhões hoje, ou o suficiente para comprar mais de 1.500 caças F- 35A no mercado atual.

Relatos do Triângulo Negro TR-3A dos EUA servindo na operação “Tempestade no Deserto”

Em 1991, o Triângulo Negro dos EUA foi aparentemente revelado ao mundo em uma série de artigos publicados pela Aviation Week e pela Popular Mechanics. De acordo com a Aviation Week, a aeronave furtiva foi projetada pela Northrop – a mesma empresa responsável pelo preto e triangular B-2 Spirit – em 1976, juntamente com os esforços Have Blue da Lockheed que acabariam por produzir o F-117. A Northrop chamou sua aeronave furtiva triangular de Tactical High Altitude Penetrator (THAP).

De acordo com a Aviation Week, a Força Aérea finalmente concedeu à Northrop um contrato de pesquisa e desenvolvimento e demonstração/validação de preço fixo perto do final de 1978 para construir um protótipo de aeronave de reconhecimento de alta altitude baseado em seu projeto THAP. Esse protótipo, afirmou a Aviation Week, fez seu primeiro voo de teste fora da Área 51 em 1981, e um contrato de produção foi posteriormente concedido em 1982.

De acordo com fontes não identificadas da Aviation Week, essas aeronaves “podem ter” sido implantadas no Alasca, Grã-Bretanha, Panamá e Okinawa, bem como voar em conjunto com o F-117 Nighthawk durante operações de combate no Iraque para fornecer designação a laser de alvos sobre Bagdá.

Essa afirmação, embora não oficialmente fundamentada, pode explicar porque os documentos fornecidos aos pilotos iraquianos de MiG para identificar o F-117 no ar também mostravam a silhueta do B-2. A confusão sobre o que estava sendo visto nos céus do Iraque pode ter os levado a incluir a única outra aeronave triangular preta que os EUA pilotava. No entanto, o B-2 não estava em serviço na época, o que levantaria a questão do que eles realmente viram. Embora, reconhecidamente, essa linha de raciocínio possa ser um pouco exagerada.

A Popular Mechanics discutiu o Northrop TR-3A ao lado de outras aeronaves não reveladas, mas supostamente avistadas em sua cobertura, incluindo outra plataforma em forma de bumerangue considerada completamente silenciosa e ostentando uma enorme envergadura que se estendia entre 180 e 240 metros – ou três a quatro vezes o tamanho do B-52 Stratofortress.

Assim como a Aviation Week, a Popular Mechanics também relatou que o TR-3A é significativamente mais silencioso do que outras aeronaves, mas não silencioso, como é frequentemente relatado sobre o TR-3B.

Mas a evidência da existência do TR-3A não é tão forte quanto parece

Ma e aqueles artigos da Aviation Week que transmitiram com tanta autoridade a história do desenvolvimento do TR-3A? Bem, ambos foram escritos por ou com o apoio de William Scott – um jornalista que agora é conhecido por às vezes ficar um pouco entusiasmado com os tópicos incomuns que cobria, resultando em uma distorção intensa, embora provavelmente não intencional, da verdade.

Em 1990, por exemplo, ele relatou que os Estados Unidos tinham um bombardeiro hipersônico secreto que poderia lançar armas nucleares a partir de tubos de lançamento verticais. Essa aeronave, é claro, também nunca se manifestou. A designação TR-3, muitos acreditam agora, foi o resultado de Scott simplesmente ter ouvido histórias sobre o Tier 3, que era um programa que seguiu o Tier 2 (um esforço que resultou no drone Global Hawk). O Tier 3 deveria ser um sucessor não tripulado do SR-71, também conhecido como “Quartz”, mas que no final das contas não passou do estágio de projeto. Elementos do programa Tier 3, conhecido como Tier 3 Minus, resultaram na construção do Darkstar pela Lockheed e pela Boeing em 1996 – não, não o hipersônico que Maverick voou, mas sim um drone muito mais lento destinado a tarefas ISR.

Na verdade, quando você salva a imagem do Darkstar do Wikimedia Commons, o nome do arquivo inclui Darkstar e “Tier 3”.

E quando você ler a cobertura da Popular Mechanics publicada em 1991, descobrirá que ela se baseia principalmente na reportagem de Scott na Aviation Week.

Muitos ficaram impressionados com os detalhes da história da Aviation Week porque é um meio de comunicação muito respeitado e com histórico de informações privilegiadas. Mas o veículo também tem um histórico bem registrado de publicação de alguns relatos nada factuais de programas de aeronaves negras ao longo dos anos; histórias com poucas fontes divulgadas que fizeram afirmações grandiosas sobre um futuro de curto prazo que nunca se manifestou.

Em 2006, o historiador espacial e analista político Dwayne Day resumiu como os acadêmicos agora percebem a cobertura de Scott sobre o TR-3A em 1990:

“A história do Manta demonstra um padrão que Scott repete em todas as suas histórias de aviões pretos. Geralmente há um pouco de informação real sobre um projeto de aeronave confidencial. Scott então conecta supostos avistamentos de uma aeronave incomum em voo a essa informação. Em seguida, o artigo é preenchido com uma grande quantidade de especulações, geralmente envolvendo diversos estudos e projetos de pesquisa conduzidos por diversos empreiteiros. No entanto, as características são sempre as mesmas: ele nunca cita o nome de ninguém que tenha qualquer ligação direta com o alegado programa, e nunca inclui citações anônimas de alguém que supostamente conheça o panorama geral do alegado programa.”

Mas este não é o fim da história desses avistamentos incomuns de triângulos pretos…

(Fonte)


Então, se esses triângulos negros não pertencem aos militares dos Estados Unidos, a quem eles pertencem? Mas, antes de chegar à uma conclusão, lembre-se: OVNIs têm sido avistados, reportados e documentados por toda a nossa história, muito antes mesmo dos EUA existirem. E este é o grande mistério que pode ser simplesmente ignorado pelos céticos, ou abraçado com todo o fervor por aqueles que acreditam que há uma estranheza muito grande por detrás deste fenômeno.

n3m3

…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ||| Silas Raposo ||| Franklin Viana ||| Karin Gottert ||| Leopoldo Della Rocca

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta, portanto aja com responsabilidade.
  • O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com éticasempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
EUAOVNIsprojetos secretosUAPsUFOs
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.