Um “mundo” oculto sob a Grande Esfinge do Egito

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.

Ao contrário da crença popular de que a Esfinge é sólida, os pesquisadores da Universidade de Waseda encontraram seções ocas no solo ao sul da Esfinge, com cavidades de 2 a 3 metros no interior. Eles também identificaram um sulco no corpo da Esfinge, estendendo-se por baixo dela. Mas há ainda mais.

Haveriam câmaras ocultada abaixo da Grande Esfinge do Egito? Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/DALL-E

Existe um mundo oculto sob a Grande Esfinge do Egito? Existem realmente câmaras sob esta estátua antiga?

“Arqueologia Proibida” é um termo que ganhou popularidade, especialmente entre os teóricos da conspiração. Eles afirmam que os arqueólogos escondem certas descobertas do público. Enquanto alguns descartam isso como um absurdo, uma série de descobertas secretas sugerem a possível verdade nessa afirmação. Mais especificamente, neste artigo, analisamos as alegações de que existem certas cavidades, túneis e até câmaras sob a lendária estátua antiga da Grande Esfinge.

Um “mundo” oculto sob a esfinge?

Vários autores apontaram que, quando se trata de desenterrar sítios e monumentos antigos, nem todas as descobertas veem a luz do dia. Isso é particularmente perceptível quando falamos da Grande Esfinge de Gizé, ou melhor, de todo o planalto de Gizé. Uma série de estudos de várias instituições e arqueólogos revela muitos segredos escondidos sob o planalto.

Câmaras enigmáticas sob as pirâmides

Debaixo das icônicas pirâmides do Egito e da Esfinge existem inúmeras câmaras e cavidades, envoltas em mistério por anos. Alguns sugerem que essas câmaras contêm pistas para entender a sofisticação e o desenvolvimento de civilizações antigas. Embora isso provavelmente seja verdade e existam certos túneis e cavidades sob as areias, o conteúdo de seu interior provavelmente não é um tesouro histórico.

A Esfinge: Monumento dos Mistérios

A Grande Esfinge de Gizé é intrigante por vários motivos. É a maior estátua de monólito do planeta e uma das estátuas antigas mais enigmáticas já descobertas. Estamos principalmente no escuro sobre porque, quem e como foi construída e seu verdadeiro propósito. Assim como as pirâmides de Gizé, não temos absolutamente nenhuma ideia de qual era seu propósito ou quem a encomendou. Muitas suposições estão envolvidas ao escreverem sobre esta estátua misteriosa.

Túneis e cavidades abaixo de Gizé

Em 1987, uma pesquisa de sondagem eletromagnética da Pirâmide de Khufu e da Esfinge por cientistas da Universidade de Waseda, em Tóquio, dirigida por Sakuji Yoshimura, revelou vários túneis e cavidades abaixo de Gizé. No entanto, para onde eles levam, o que eles contêm, quem os construiu e seu propósito permanece um enigma, com muitas informações sobre a Esfinge veladas em mistério.

Dentro da Esfinge: não é tão sólido quanto parece

Ao contrário da crença popular de que a Esfinge é sólida, os pesquisadores da Universidade de Waseda encontraram seções ocas no solo ao sul da Esfinge, com cavidades de 2 a 3 metros no interior. Eles também identificaram um sulco no corpo da Esfinge, estendendo-se por baixo dela. Os pesquisadores revelaram seções ocas antes das patas da Esfinge e a possibilidade de um túnel conectando as cavidades sul e norte.

Uma ilustração mostrando câmaras abaixo da Esfinge.

O Santuário Inexplorado da Esfinge

A equipe da Universidade de Waseda concluiu que o santuário da Esfinge abriga mais cavidades subterrâneas do que se sabia anteriormente. Se essas câmaras e túneis realmente existem, por que não foram completamente explorados? Por que os estudiosos parecem ignorar essas descobertas? E por que não vimos mais estudos feitos nos últimos anos?

Em 1991, Thomas Dobecki e John Anthony West realizaram outra pesquisa na Esfinge. Eles validaram as descobertas de 1987, identificando cavidades subterrâneas na região. Imagens antigas também apoiam esses dados científicos, mostrando claramente entradas e túneis que levam a câmaras inexploradas sob a Esfinge.

Barreiras à Descoberta

O livro Message of the Sphinx, de Graham Hancock e Robert Bauval, afirma que o governo egípcio e os arqueólogos americanos impediram as investigações ao redor ou abaixo da Esfinge, impedindo qualquer um de descobrir o que está escondido lá. Existe até uma teoria sugerindo a existência de uma segunda Esfinge em Gizé.

Dadas as evidências científicas e as imagens corroborantes, por que não houve uma exploração mais aprofundada dessas regiões? É mesmo um caso de “arqueologia proibida” ou pode ser falta de interesse?

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Franklin Viana ❤️Leopoldo Della Rocca ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


arqueologia proibidaEgitoGrande Esfinge
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.