Trabalho de pesquisa sobre OVNIs estimula revisões mistas

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.
Ouça este artigo...

Como ir direto ao ponto em relação aos Fenômenos Aéreos Não Identificados – agora ligados, para o bem ou para o mal, a Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs)?

Crédito da imagem: Galileo Project/Avi Loeb

Isso está no centro de um artigo recente de autoria de Avi Loeb, da Universidade de Harvard, conduzido em parceria com o seu Projeto Galileo e o recém-criado All-domain Anomaly Resolution Office – AARO (Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios) do Departamento de Defesa.

O artigo, publicado no status “Draft Under Review” (Rascunho em Revisão) em um site de Harvard, observa:

“Nós derivamos restrições físicas em interpretações de fenômenos aéreos não identificados ‘altamente manobráveis’ com base na física padrão e formas conhecidas de matéria e radiação.”

Interpretações de dados

De acordo com Loeb, as reivindicações de objetos que excedem a faixa transônica a supersônica devem ser avaliadas contra a física conhecida de ionização, refletividade do radar, temperatura, estrondos sônicos e bolas de fogo.

O artigo concluiu:

“Tudo isso pode limitar a velocidade de maneira mais eficaz e precisa e, portanto, conduzir o cálculo do alcance. Isso, por sua vez, quando combinado com as especificidades do sensor, permitirá melhores estimativas do tamanho, forma e massa do objeto em questão.”

O rascunho do trabalho de pesquisa, datado de 7 de março de 2023, implica um “limite útil nas observações do UAP (OVNI) que limita as explicações hipotéticas e pode apoiar limitações nas interpretações dos dados”.

O que é distinto é que o artigo é de autoria do astrofísico Loeb e Sean Kirkpatrick, diretor do Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios.

Comentários e críticas

O artigo de Loeb/Kirkpatrick “Physical Constraints on Unidentified Aerial Phenomena” (Restrições Físicas sobre Fenômenos Aéreos Não Identificados) gerou uma variedade de comentários e críticas.

Respondendo aos golpes, Loeb disse ao Inside Outer Space:

“Não estou tentando ser popular, apenas falo a verdade sobre a realidade que até agora segue a física conhecida com precisão requintada.”

Diz Mick West, um conhecido desmistificador, cético, escritor, investigador de OVNIs e ex-programador de videogame disse:

“Loeb e Kirkpatrick correm o risco de alienar a comunidade OVNI mais ampla ao excluir a possibilidade de que um OVNI possa empregar princípios da física que ainda são desconhecidos. aos humanos.”

Ele ainda disse ao Inside Outer Space:

“Insistir que as espaçonaves visitantes devem ser compreensíveis efetivamente desmascara vários avistamentos famosos de OVNIs relatados como envolvendo velocidades muito altas e, em particular, os encontros do Nimitz. Também parece excluir as naves “transmídia” de alta velocidade que supostamente fazem a transição do ar para a água sem desacelerar.”

West disse que, embora Loeb e Kirkpatrick provavelmente estejam corretos, seu artigo não foi bem recebido em certos círculos de OVNIs.

Intrusos interestelares

Robert Powell, membro do conselho executivo da Coalizão Científica para Estudos UAP (SCU), leu o rascunho do artigo ainda a ser revisado por pares, observando que os autores investigam esses intrusos interestelares: o meteoro IM2 e aquele excêntrico cósmico chamado ‘Oumuamua.

O artigo afirma uma possível hipótese:

“No entanto, as coincidências entre alguns parâmetros orbitais do ‘Oumuamua e IM2 nos inspiram a considerar a possibilidade de que um objeto interestelar artificial possa ser uma nave-mãe que libera muitas pequenas sondas durante sua passagem próxima à Terra, uma construção operacional não muito diferente das missões da NASA.”

Powell disse que em sua visão pessoal, e não necessariamente da SCU, não há nada de errado com uma hipótese, pois é simplesmente uma explicação possível para algo que é observado:

“No entanto, esta é uma hipótese que certamente amplia a imaginação. Um cientista pode considerar tal hipótese e abandoná-la rapidamente quando as informações que se tornam disponíveis mudam. Mas a mídia e o público têm dificuldade com esse conceito e o que começa como uma hipótese logo se expressa como um fato ou um fato provável.”

Ponto de virada importante

Powell disse que tal declaração no rascunho de um trabalho acadêmico pode resultar em artigos de mídia como este atraente publicado recentemente no site Tell Me Best:

“Funcionários do governo dizem que uma nave-mãe alienígena está perto da Terra”

Powell acrescenta:

“O estudo dos OVNIs está em um importante ponto de virada. O estigma relacionado ao assunto foi reduzido. Mais e mais cientistas estão se envolvendo na investigação do assunto. Mas, ao investigar os OVNIs, hipóteses desnecessárias e provocativas devem ser evitadas sempre que possível.”

Para visualizar o rascunho (em inglês) – “Physical Constraints on Unidentified Aerial Phenomena” – acesse:

https://lweb.cfa.harvard.edu/~loeb/LK1.pdf

(Fonte)


ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Apoie o OVNI Hoje: Cada Doação é Essencial!

Agradecimentos aos colaboradores do mês: ❤️Eneias Vieira ❤️Silas Raposo ❤️Leopoldo Della Rocca ❤️Cristina Vilas Boas

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

Avi LoebOVNIspesquisaSean KirkpatrickUFOs
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.