Nosso Sistema Solar pode ter hospedado outra vida inteligente

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.

Teria o nosso sistema solar já sido o lar de uma civilização avançada diferente da nossa – talvez uma que antecedeu a humanidade em centenas de milhões de anos antes de ser exterminada por um impacto de asteroide ou algum outro cataclismo?

Monólito encontrado na lua Fobos, de Marte: somente um de inúmeros exemplos de possíveis restos de uma civilização alienígena no nosso sistema solar.

Alguns pesquisadores acreditam que é necessário procurar vestígios da presença antiga de criaturas altamente desenvolvidas aqui, dentro do nosso sistema solar, incluindo a Terra, a Lua e Marte.

Existe a possibilidade de que hipotéticos alienígenas inteligentes possam ter estado no sistema solar milhões de anos antes do aparecimento dos primeiros humanos.

Estes, de acordo com alguns cientistas, se desenvolveram ativamente aqui, deixando para trás assinaturas tecnológicas que podem se esconder nas profundezas da superfície ou “vagar” no espaço sideral.

Em janeiro de 2018, o astrofísico John Wright publicou um estudo interessante no International Journal of Astrobiology, dedicando-o à questão de encontrar vestígios de espécies exóticas no sistema solar.

Wright afirma que “irmãos em mente” poderiam visitar a Terra, a Lua, Marte e até Vênus (antes desse se transformar em um inferno de ácido).

É improvável que Vênus, dadas as condições extremamente inóspitas de sua superfície, pudesse ter preservado vestígios da presença de alguém. Da mesma forma, é improvável que vestígios de atividade alienígena possam sobreviver na Terra, onde a atividade tectônica e vulcânica ressurge e “formata” o interior do planeta em um ritmo incrível.

Que tipos de rastros Wright tem em mente? Ele não está dizendo que podemos desenterrar ossos fossilizados de alienígenas. Em vez disso, ele está falando sobre “assinaturas tecnológicas”.

O termo abrange uma gama de possíveis artefatos, incluindo ruínas arqueológicas e antigas operações de mineração, bem como produtos químicos sintéticos ou isótopos nucleares que poderiam ter sido criados apenas por processos tecnológicos.

Wright chegou à conclusão de que vestígios da atividade de alienígenas altamente desenvolvidos devem ser procurados na Lua, em Marte e, provavelmente, deve-se prestar atenção a corpos cósmicos estranhos (dentro do sistema solar), que podem ser fragmentos de sondas antigas.

Wright disse:

“Se seres progressistas já visitaram o sistema solar e permaneceram aqui por muito tempo, então há uma grande probabilidade de encontrar vestígios de suas atividades passadas. Acredito que, ao focarmos na Lua e em Marte, definitivamente encontraremos alguns artefatos.”

No entanto, se quaisquer assinaturas tecnológicas foram deixadas em Marte, Wright acredita que elas ainda possam existir. Mas, dada a poeira espessa do planeta vermelho, ele escreve:

“É improvável que os artefatos possam ser óbvios nas imagens do espaço, ou mesmo no tipo de sondagem rasa realizada pelos vários jipes-sonda marcianos.”

Em outras palavras, só porque os orbitadores e jipes-sonda que enviamos para Marte não encontraram nenhuma assinatura tecnológica, isso não significa que elas não estejam lá. Elas podem simplesmente estar nas profundezas da superfície.

Outros lugares para procurar assinaturas tecnológicas incluem nossa lua (novamente, provavelmente sob a superfície) e as luas rochosas e asteroides do sistema solar externo. E como Wright disse à NBC News MACH em um e-mail pode até haver “grandes estruturas flutuando livremente no espaço” – algum tipo de estação espacial que sobrou dessa civilização hipotética.

Outros cientistas não são tão otimistas quanto John Wright, porque a humanidade, desenvolvendo a arqueologia, ainda não encontrou “armas de raio” alienígenas ou “transmissores misteriosos” próximos a esqueletos de dinossauros.

O professor de astronomia Avi Loeb acredita que, no passado distante, os alienígenas poderiam ter visitado o sistema solar, mas as buscas por “fantasmas hipotéticos da antiguidade” não são tão eficazes quanto as tentativas de identificar assinaturas tecnológicas no espaço profundo.

(Fonte)


Penso que esta questão poderia ter sido facilmente resolvida se a NASA, ao invés de enviar sua sondas até regiões de Marte que não possuem nenhuma característica possível de restos de uma civilização, as enviasse para locais naquele planeta como, por exemplo, Cydonia.

E se você não está convencido que Cydonia pode ter sido o local de uma civilização marciana, então veja esses outros exemplos, entre inúmeros outros, que podem ser encontrados em Marte: 1, 2, 3, 4, 5, 6, etc. Iso sem contar o que já foi descoberta na nossa Lua.

Contudo, infelizmente, a NASA sempre envia suas sondas para longe desses locais.

n3m3

…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Danilo Tercariol ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


civilização alienígenaLuaruínas alienígenassistema solar
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.