Pessoas acham que o Colisor do CERN está mudando a realidade

Tempo de leitura: 2 min.

O CERN reiniciou seu Grande Colisor de Hádrons pela primeira vez em três anos, descobrindo novas partículas fascinantes. Ao mesmo tempo, muitos teóricos da conspiração alegam que o dispositivo CERN está de alguma forma alterando ou danificando o próprio tecido da realidade.

As muitas conspirações em torno do colisor de partículas têm sido interessantes, a ponto de ser difícil dizer se algumas são paródias (um TikTok viral até alega que a instalação alterou de alguma forma a grafia dos amados ‘Double Stuf’ Oreos [biscoitos]). Agora, o site Vice está relatando que todas essas acusações bizarras estão levando os cientistas do CERN a tentar combater a desinformação.

Clara Nellist, física de partículas do CERN, disse em um vídeo de resposta:

“Olha, irmão, só porque você se lembra mal de algo não significa que o CERN está por aí trocando seus Oreos. Há colisões de partículas de energia muito mais altas acontecendo em nossa atmosfera o tempo todo. O que o CERN faz é minúsculo em comparação. Posso prometer que não vamos mudar os rótulos da sua comida.”

O Efeito Mandela

Como o Vice relata, muitos desses teóricos online têm uma fixação com o fenômeno de desmembramento cultural de massa conhecido como Efeito Mandela. Para crédito dos teóricos da conspiração do CERN, o Efeito Mandela é um fenômeno documentado, pelo menos no nível psicológico.

Existem alguns exemplos bastante impressionantes de falsa memória coletiva. Ainda assim, o Efeito Mandela é quase certamente causado por falácias na própria memória, não pelo Grande Colisor de Hádrons. E, nesse sentido, não há provas de que o dispositivo CERN esteja abrindo portais interdimensionais, muito menos literalmente desencadeando o inferno na Terra, como alguns teóricos da conspiração particularmente marginais afirmaram.

Mas apesar da controvérsia, Nellist parece estar no caminho certo.

Ela acrescentou:

“Acho que devemos [até certo ponto] nos sentir honrados e felizes por estarmos capturando a imaginação das pessoas porque estamos na vanguarda da ciência. As pessoas estão interessadas no que fazemos.”

Nellist disse que tenta combater equívocos sobre o CERN no TikTok e teve algum sucesso. Mas a desinformação se torna continuamente viral no TikTok e em outros lugares, enquanto os TikToks que desmentem a desinformação vinda dos próprios cientistas não necessariamente se tornam virais.

Nellist disse:

“Tenho que continuar me apresentando e validando minha experiência, e então sou insultada no TikTok porque as pessoas dizem que sou apenas uma pessoa de relações públicas. Mas eu sou uma física falando sobre nossa pesquisa.”

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

CERNGrande Colisor de Hádronsrealidade
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.