Uma estranha colisão no ar e queda de OVNI no México

Tempo de leitura: 4 min.

Dentro da casuística de OVNIs, há muitos casos que conseguiram se destacar, seja por causa das testemunhas, das circunstâncias ou simplesmente pela bizarridade de tudo isso.

Foto meramente ilustrativa.

O campo é salpicado de casos que conseguiram se destacar como particularmente estranhos e até se tornaram lendários. Entre eles, alguns dos mais conspícuos são os casos que envolvem suposta espaçonave alienígena colidindo com a Terra, e um caso muito estranho disso aparentemente aconteceu sobre os céus do México e do estado do Texas (EUA) em 1974.

Na noite de 26 de agosto de 1974, o radar de defesa aérea dos EUA pegou um objeto não identificado sobre o Golfo do México. O objeto desconhecido estava a uma altitude aproximada de 75.000 pés (22.000 metros) e viajando a cerca de 2.200 nós (4.000 km/h) em uma trajetória de voo, levando-o em direção ao espaço aéreo dos EUA a cerca de 65 quilômetros a sudoeste da cidade de Corpus Christi, Texas.

A princípio, pensava -se que era um meteoro, mas, enquanto os operadores de radar confusos olhavam, o objeto desacelerou de repente para 1700 nós (13.100 km/h) e começou uma descida lenta e controlada quando se voltou para 290 graus. A descida foi notável pela forma como ocorreu em uma série de etapas limpas e controladas, com cada nova altitude mantida por 5 minutos antes de abaixar novamente, o que significa que não era um meteoro. Sejá lá o que era, ele nivelou a 20.000 pés (6.000 m), depois passou pelo Texas e continuou por 800 quilômetros antes de desaparecer em uma área remota e inóspita do deserto, perto da cidade de Coyame, Chihuahua, México, perto da fronteira dos EUA. Era tudo muito estranho, mas ainda estava prestes a ficar ainda mais estranho.

Aconteceria que, enquanto tudo isso estava acontecendo, um pequeno avião havia decolado de El Paso, Texas, e estava indo para a Cidade do México, que também foi captado pelo radar, e que também desapareceu no mesmo local do objeto não identificado.

No começo, pensava -se que ambos haviam acabado de ficar abaixo do radar e que apareceriam novamente, mas nunca o fizeram, e as autoridades começaram a se preocupar com o fato de ter havido uma colisão real entre os dois. Isso só foi exacerbado apenas quando o tráfego de rádio civil indicou que uma aeronave civil realmente havia caído nessa área por razões que não foram especificadas. Verificou -se que o avião era originalmente do México, colocando -o fora da jurisdição dos EUA e, quando as autoridades dos EUA ofereceram assistência, foram recusadas por um militar mexicano que parecia estar muito ansioso para esquecer todo o incidente.

Entretanto, o caso ficaria ainda mais bizarro ainda.

Aconteceu que as autoridades mexicanas haviam quase imediatamente lançado uma busca completa da área onde o avião e o objeto desconhecido haviam caído, e logo encontraram os destroços da aeronave civil, mas também encontraram outra coisa. Alegadamente, além do avião, as autoridades mexicanas também encontraram os destroços de uma “segunda aeronave” que aparentemente era um objeto circular em forma de disco, diferente de qualquer aeronave que eles já viram, danificada, mas supostamente mais ou menos em uma peça.

Os EUA, que estavam escutando a coisa toda, se ofereceram para ajudar na operação de resgate, mas foram novamente recusados ​​e isso foi seguido pelo silêncio completo da rádio das autoridades mexicanas. Depois disso, o reconhecimento de satélite e avião de espionagem mostrou que os militares mexicanos haviam enviado um comboio de veículos para o local e haviam carregado o objeto em forma de disco em um caminhão, mas depois a vigilância aérea mostrou que o comboio mexicano havia repentinamente e inexplicavelmente parado de se mover .

Não querendo aceitar o não por uma resposta e convencido de que algo muito estranho do que apenas dois aviões colididos estava acontecendo, o governo dos EUA montou uma equipe secreta de recuperação em Fort Bliss que planejava entrar no México e ver o que estava acontecendo. A equipe de 15 homens, então, supostamente entrou secretamente no espaço aéreo mexicano a bordo de quatro helicópteros não marcados. Quando a equipe chegou ao local do acidente, eles conseguiram encontrar os destroços do pequeno avião civil, um Cessna 180, bem como a visão assustadora de um jipe ​​militar mexicano com quatro soldados mexicanos mortos. Pensando que isso era um pouco ameaçador, a equipe continuou no comboio paralisado, onde as coisas dariam uma guinada para o sinistro.

Quando a equipe chegou, descobriu que todos os membros da equipe de recuperação mexicana estavam mortos de causas desconhecidas e que o grande objeto em forma de disco ainda estava em cima do caminhão, descrito como tendo dezesseis metros em diâmetro e sem portas ou janelas visíveis e sem sistema de propulsão discernível.

Temendo que possa haver algum contaminante ou radiação envolvida que matou todos os homens, mais pessoal equipado com processos de proteção foram trazidos, além de mais helicópteros, e começaram a mover o objeto estranho para outro lugar.

Segundo testemunhas, helicópteros não marcados cor de areia desceram no local e levaram o objeto misterioso para um local desconhecido, e algumas versões da história até dizem que os militares dos EUA se certificaram de destruir o local do acidente, os destroços, o comboio, E qualquer evidência de tudo o que tudo aconteceu lá.

É exatamente aí que a história do que passou a ser conhecida como o “incidente de OVNI Coyame” termina, e provocou debate na comunidade OVNI sobre sua veracidade e se isso aconteceu ou não.

Parece que a história do incidente chamou a atenção dos ovniólogos em 1992, quando um misterioso documento anônimo intitulado “Research Findings on the Chihuahua Disk Crash” (“Resultados da Pesquisa sobre o Acidente do Disk em Chihuahua”) foi enviado anonimamente a vários pesquisadores de OVNIs nos Estados Unidos e na Europa, e endereçado “Para todos os membros da equipe Deneb, da JS”.

Provavelmente o pesquisador de OVNI mais famoso a mencionar o incidente é Leonard Stringfield, que o mencionou em sua publicação de 1994, “UFO Crash Retrievals: Search for Proof in a Hall of Mirrors (Status Report VII) (“Recuperação de Acidentes de OVNIs: Procura por Prova em um Salão de Espelhos), e ficou muito impressionado com o documento e convencido de que era autêntico, uma vez dizendo que foi “escrito com autoridade, usando a terminologia militar correta e, digno de nota e, diferentemente de uma farsa, desenha uma linha entre as chamadas evidências concretas e o que é especulativo“.

Não se sabe de onde o documento se originou ou quem o escreveu, tornando impossível verificá-lo como real ou uma farsa.

Foram feitos esforços para rastrear mais informações sobre o incidente, e parece que algumas testemunhas oculares idosas na área de Coyame se lembraram de ter visto os helicópteros ou até visto a colisão real em si, mas não há evidências físicas restantes. A única evidência corroboradora é que os pesquisadores conseguiram rastrear moradores idosos da área que se lembram de ver a atividade militar ou mesmo a colisão real, mas isso está longe de ser prova de uma espaçonave alienígena e serve apenas para tornar tudo mais enigmático.

O caso foi ainda mais impulsionado à consciência pública com o lançamento de um episódio da série de televisão a cabo UFO Files, que fez um segmento chamado ‘Roswell do México‘.

O que aconteceu com o deserto desolado naquele dia fatídico? Este é um caso real de uma coilisão de OVNI e aeronaves ou é apenas mais uma história assustadora? Não parece que saberemos em breve.

Brent Swancer

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

acidente de OVNIEUAMéxicoovniOVNI Hojeufo
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.