Cientistas descobrem estranhos sinais vindo do centro da Terra

Tempo de leitura: 2 min.

O campo magnético da Terra é o resultado de partículas carregadas que ficam presas em uma dança turbulenta de correntes de convecção nas profundezas da superfície.

Crédito da ilustração: depositphotos

Mas de acordo com um novo estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, pode haver um método para toda essa loucura.

Uma equipe liderada por Nicolas Gillet, da Universidade Grenoble Alpes, na França, descobriu que o campo magnético do planeta flutua como um relógio a cada sete anos, flutuando para o oeste a 1.400 km/h ao redor do equador – demonstrando que ainda há muito a se aprender sobre o funcionamento interno do nosso planeta.

Gillet à New Scientist:

“O que é importante saber é que o campo magnético no núcleo evolui em escalas de tempo muito longas. E o que testemunhamos são apenas pequenas mexidas em cima disso.”

Até agora, os cientistas previram que uma fina camada de rocha estratificada poderia estar causando mudanças no campo magnético entre o núcleo externo da Terra e seu manto. Mas a pesquisa de Gillet sugere que essas mudanças podem estar ocorrendo sem a camada de rocha.

Sua equipe analisou dados de campo geomagnético entre 1999 e 2021 obtidos por satélites e observatórios terrestres. E as descobertas, dizem eles, podem ter grandes implicações em como entendemos a formação do nosso planeta.

Gillet disse à Newsweek:

“Tentamos entender a física responsável pela evolução observada do campo magnético do nosso planeta. Ele evolui em todas as escalas de tempo, e os períodos mais longos mostram as mudanças mais fortes.

Essas mudanças interanuais permaneceram inexplicáveis ​​desde sua descoberta no final da década de 1970 em registros terrestres. Entendê-las abre uma porta no campo profundo no núcleo, que não podemos sondar diretamente com base apenas em observações.”

(Fonte)


A parte interna do nosso planeta, por ser de difícil acesso, sempre intrigou os cientistas e fez com que as imaginações divagassem até possibilidades consideradas incríveis. Mas será que aquilo considerado incrível é mesmo impossível? Há quem diga que não, como pode ser visto na artigo abaixo:

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

centro da TerrageologiaOVNI Hoje
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.