Pentágono, onde está a atualização sobre OVNIs?

Tempo de leitura: 4 min.

Por Kevin Randle

Parece que me lembro, em junho, do lançamento do relatório sobre OVNIs que não nos dizia nada realmente, que haveria um acompanhamento em 90 dias. Isso significava que deveríamos ter ouvido algo por volta de 25 de setembro, mas não me lembro de ter visto nada sobre isso. A data parece ter ido e vindo sem qualquer tipo de seguimento.

O prazo expirou e nada foi reportado.

Em vez disso, somos informados de que o democrata do Arizona e veterano da Guerra do Iraque (oh, quem não é?), o deputado Ruben Gallego apresentou e empurrou uma legislação que exigiria um escritório permanente trabalhando sob o Secretário de Defesa para, quero dizer, “Investigar”, mas o que realmente foi sugerido foi o “relato oportuno e consistente” do que hoje chamamos de UAPs, mas que na verdade são discos voadores (OVNIs).

Isso parece implicar que o escritório para supervisionar esse relatório oportuno e consistente ficará no Pentágono e terá sua cadeia de comando começando com o Secretário de Defesa. Isso parece sugerir que a importância está sendo atribuída à atividade, mas observo aqui que a atualização de 90 dias não foi vista.

Tenente-general Nathan Twining

Também penso nisso, como já disse várias vezes, dando uma de Twining 2.0. Em 1947, depois de todo o alvoroço do verão e da solicitação para que o Comando do Material Aéreo revisse uma lista de avistamentos contendo informações específicas, houve uma ordem emitida … ou talvez algo mais na linha de uma diretiva emitida pelo Tenente General Nathan F. Twining, que, disse:

É recomendado que:

a. O quartel-general, as Forças Aéreas do Exército emitem uma diretiva atribuindo uma prioridade, classificação de segurança e nome de código para um estudo detalhado deste assunto para incluir a preparação de conjuntos completos de todos os dados disponíveis e pertinentes que estarão então disponíveis para o Exército, Marinha e Comissão de Energia Atômica, JRD3, Grupo de Aconselhamento Científico da Força Aérea, NACA, os projetos RAND e NEPA para comentários e recomendações com um relatório preliminar a ser encaminhado no prazo de 15 dias após o recebimento desses dados e um relatório destilado a cada 30 dias conforme a investigação se desenvolve. Deve ser efetuado um intercâmbio completo de dados.

Essa carta de Twining era datada de 23 de setembro de 1947 ou, em outras palavras, há mais de sete décadas. E aqui estamos nós, em 2021, fazendo a mesma coisa. Vamos montar um escritório para lidar seriamente com esses OVNIs.

E como essa ideia original funcionou … Bem, havia facções dentro do governo que trabalharam contra ela. Após a conclusão de uma análise de inteligência dos dados, conhecida como Estimativa da Situação, o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General Hoyt S. Vandenberg, decidiu que a informação não era de substância suficiente para chegar às conclusões a que chegou e quase todos envolvidos com ele foram demitidos ou enviados para outras tarefas. A ação deixou claro … o Chefe do Estado-Maior não acreditava em discos voadores, portanto, ninguém mais acreditaria também.

Em 1953, a CIA solicitou e obteve as melhores informações coletadas pelo projeto da Força Aérea, considerou-as inadequadas e recomendou que o projeto fosse destituído de seu status glorificado. O Painel Robertson, como foi chamado, sugeriu que uma campanha fosse criada para “educar” o público sobre os OVNIs e remover o mistério deles. Notarei aqui que não houve menção por Robertson, que os OVNIs exigiam uma investigação mais aprofundada. As conclusões eram óbvias.

No final dos anos 1960, a Força Aérea finalmente convenceu uma universidade a fazer um estudo “científico” dos OVNIs. Obviamente, a documentação de que hoje dispomos mostra que as conclusões deste estudo científico foram formuladas antes de qualquer investigação. Foi decidido, em 1969, que mais pesquisas não forneceriam nada de valor e que não haveria ameaça à segurança nacional. O Projeto Blue Book foi encerrado e a Força Aérea encerrou para sempre sua investigação sobre os OVNIs.

Então, estamos aqui hoje. Outro líder, desta vez um civil na Câmara dos Representantes, está pressionando por uma investigação séria sobre OVNIs. Gallego, disse que havia uma falta de foco nas comunidades de inteligência ou o que ele chamou de aparato de segurança nacional, e ele mais que ninguém, além de ‘curiosos’ que tinham interesse em OVNIs, estava fazendo algo.

Aparentemente, essa legislação foi aprovada como parte da Lei de Autorização de Defesa Nacional. Eles têm 180 dias para estabelecer o escritório e reunir todos os dados do Departamento de Defesa (DoD).

O Secretário da Força Aérea, Frank Kendall, disse que não achava que os OVNIs fossem uma ameaça séria o suficiente para exigir sua atenção … Ou, como Hoyt Vandenberg disse há sete décadas, “Parem de perder meu tempo …” Bem, ele não realmente disse isso. Ele apenas deixou claro para todos que não pensava nos discos voadores como uma ameaça séria, mesmo quando apresentado com um documento criado por membros de alto escalão da Força Aérea e seus colegas civis que sugeriam o contrário.

Por outro lado, a vice-secretária de Defesa, Kathleen Hicks, ordenou que vários ramos militares e várias organizações civis sob o DoD formalizassem uma missão e fornecessem um plano para reunir os dados … Formalizar um plano, que ideia burocrática maravilhosa.

Mas aqui está o ponto que eu não acho que tenha sido feito. Se o Secretário da Força Aérea não está tão interessado, e a diretriz vem de um Vice-Secretário de Defesa civil, ainda não estabelecemos um conflito? E, não vimos tudo isso no passado, várias vezes. Nós sabemos qual será o resultado, porque já vimos esse resultado no passado.

Aparentemente, Gallego não ficou impressionado com tudo isso. Ele disse que achava que o governo não estava compartilhando todas as informações que tinha sobre os OVNIs, quero dizer, os UAPs. Ele quer realizar audiências públicas, mas isso também já foi feito. Nada veio disso também.

O que estou dizendo aqui é que estamos percorrendo o mesmo caminho mais uma vez e esperaremos um resultado diferente. Não importa o que você diga sobre isso, como você afirma que temos pilotos militares envolvidos, temos instrumentos envolvidos, temos vários observadores … Já tivemos tudo isso antes e, no final, a resposta sempre foi que não há nada nisso. Não é uma ameaça à segurança nacional. Existem questões mais importantes do que algo não identificado e que pode ser um fenômeno natural ou uma identificação incorreta de algo verdadeiramente mundano. Vamos lidar com os desafios reais antes de entrarmos no reino do exótico.

Eu digo que precisamos de uma investigação boa e imparcial, mas não acho que isso vá acontecer. Foi tentado por mais de 70 anos e sempre há algo para impedir a verdade. Por que isso seria diferente agora?

(Fonte)


Infelizmente, devo concordar com militar reformado e escritor Kevin Randle. A estrada que estamos percorrendo hoje já foi percorrida anteriormente, mas as “forças” que temem a revelação da verdade trabalham dia e noite para ocultá-la do público em geral. O que pode haver de tão terrível para estas pessoas – ou tão bom para o resto de nós – na revelação da verdade que eles não querem que saibamos?

Só podemos imaginar.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

USE O CUPOM OVH10 E GANHE 10% DE DESCONTO!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
desacobertamento dos OVNIsOVNIsPentágonorelatório sobre OVNIsUAPsUFOs
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.