Um novo centro de pesquisa do MIT quer fundir humanos com máquinas

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...

De acordo com a Amputee Coalition, aproximadamente 185.000 amputações ocorrem nos Estados Unidos a cada ano e 3,6 milhões de pessoas viverão com perda de membros em 2050. Esses são números que não podem ser ignorados e agora, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) está planejando fazer algo a respeito.

A solução deles vem direto de um filme de ficção científica com a proposta de fundir humanos com máquinas para lidar com amputações e outras deficiências físicas e neurológicas. O recém-formado centro de pesquisa do MIT é chamado K. Lisa Yang Center for Bionics e foi estabelecido graças a uma doação de US $ 24 milhões da filantropa Lisa Yang.

O presidente do MIT, L. Rafael Reif, disse em um comunicado:

“O K. Lisa Yang Center for Bionics fornecerá um centro dinâmico para cientistas, engenheiros e designers de todo o MIT trabalharem juntos em respostas revolucionárias para os desafios da deficiência.”

Reif acrescentou que, com esse presente visionário, Yang estava enviando um sinal ao mundo de que a vida das pessoas que vivenciam a deficiência é muito importante.

O centro será dirigido por ninguém menos que o professor do MIT Media Lab, Hugh Herr, que também é um amputado duplo e um pioneiro na área de próteses robóticas.

Herr ainda disse:

“O mundo precisa profundamente de alívio das deficiências impostas pelas tecnologias inexistentes ou quebradas de hoje.”

O cientista acrescentou que devemos trabalhar continuamente para um futuro onde a deficiência não seja mais uma experiência de vida comum.

Herr trabalhará ao lado de Ed Boyden, um Professor Y. Eva Tan de Neurotecnologia no MIT, professor de engenharia biológica, cérebro e ciências cognitivas, e artes e ciências da mídia, e investigador do McGovern Institute do MIT e do Howard Hughes Medical Institute, que é um renomado criador de ferramentas para analisar e controlar o cérebro.

Se tudo isso soa um pouco familiar, é porque as tentativas de fundir a mente com fatores externos se tornaram bastante comuns nos últimos anos. O Neuralink de Elon Musk está buscando fundir mentes com computadores e mais e mais colaborações entre humanos e máquinas estão surgindo. O futuro pode até ver essa fusão de máquinas com humanos ir além de meramente lidar com deficiências para nos tornar mais sobre-humanos, dando-nos força e inteligência superiores. Você está animado com o futuro?

(Fonte)

Colaboração: MaryH


Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!

amputadosciborgueshumanosMassachusetts Institute of TechnologyMIT
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.