Explosões estelares e alguns apocalipses. Que futuro tem o mundo?

Tempo de leitura: 4 min.

Um apocalipse zumbi de Nostradamus ou uma colisão de duas estrelas e um flash de explosão “nova vermelha”? Se você acredita nas previsões do fim do mundo, o futuro próximo promete ser brilhante.

Crédito: L G/Pixabay

A maioria das profecias parece irreal, mas algumas têm base científica. E se o irreparável acontecesse e não fôssemos mais espectadores de um filme de desastre apocalíptico, mas sim seus personagens?

O fim do mundo já começou

Antes de sua morte em 2016, o pastor americano Kenton Beshor previu que o fim do mundo começaria em 2021. De acordo com a previsão do pastor, em 2028 haverá uma segunda vinda, após sete anos de desastres.

O pastor afirmou ter encontrado o presságio nas páginas da Bíblia. Entre os indiscutíveis sinais do fim do mundo, ele chamou as duas guerras mundiais e a fundação de Israel.

Os seguidores de Beshor estão convencidos de que os primeiros sinais do fim inevitável do mundo de fato já apareceram. Segundo eles, começou um período de desastres de sete anos, que será caracterizado por eventos devastadores como a queda de asteroides, terremotos, erupções vulcânicas e tsunamis.

Alguns proponentes da teoria, inclusive outro pastor, Paul Begley, atribuem os eventos mundiais recentes, como a pandemia do coronavírus e as tensões no Oriente Médio, aos sinais do fim do mundo iminente.

O três cenários para o fim do mundo de Nostradamus.

O alquimista francês Michel de Nostradamus previu o futuro da humanidade em seus almanaques. Pelo menos, é o que pensa o exército de seus seguidores. As previsões de Nostradamus até sugeriram uma pandemia de coronavírus em 2020.

Nostradamus não escapou a atenção de seus seguidores em 2021.

Assim, de acordo com as supostas previsões do alquimista, em 2021 uma fome global começará. De acordo com Nostradamus, esta fome será a maior da história e acabará por terminar com uma mudança na hierarquia social, poder do Estado e fundações mundiais.

O alquimista escreveu:

“Fogo e um longo rastro de faíscas serão visíveis no céu”

Seguidores de Nostradamus acreditam que em 2021 a Terra será atingida por tempestades solares, bem como por uma ameaça de asteróide. O asteróide cairá na Terra ou passará muito perto de nosso planeta.

Também para 2021, segundo os almanaques de Nostradamus, está previsto um apocalipse zumbi.

Ele escreveu:

“Vários jovens semimortos serão o começo. Pais e mães que morreram de tristeza sem fim, mulheres de luto, um monstro venenoso: não haverá mais, o mundo inteiro acabará.”

Esta profecia claramente soa como um apocalipse zumbi que levará à destruição do mundo inteiro. Alguns seguidores de Nostradamus interpretam o texto como uma previsão de um surto de vírus ou ameaça de uma arma biológica.

Uma nova estrela no céu: outro sinal do fim do mundo

Astrônomos descobriram que em 15 de março de 2022, uma estrela imperceptível na constelação de Cygnus provavelmente se tornará um dos objetos mais brilhantes do céu. A estrela brilhará intensamente por seis meses e depois retornará ao estado anterior.

Este é o objeto KIC 9832227, que ainda permanece sendo duas estrelas. Uma das estrelas tem cerca de um terço do tamanho do nosso Sol e a outra é 40% maior. Eles giram tão perto que suas atmosferas se tocam fisicamente.

Observações recentes mostraram que as estrelas já começaram sua dança mortal, reduzindo a distância entre elas.

Quando as estrelas finalmente colidirem, uma chamada nova vermelha brilhante é formada – um objeto pouco estudado que brilha muito forte, mas é mais escuro do que uma supernova.

Os cientistas acreditam que a luz da nova estrela dobrará aproximadamente a cada 19 dias – até que ela libere suas camadas externas no espaço. Esse processo levará cerca de seis meses. (Porém, alguns astrônomos descartaram esta possibilidade.)

O rabino ultraortodoxo Joseph Berger acredita que uma nova estrela no céu anunciará ao mundo a vinda do messias. É importante notar que Berger é um rabino do Templo do Rei Davi no Monte Sião e dedicou sua vida à espera da segunda vinda.

Berger acredita que, em primeiro lugar, o Messias expulsará os muçulmanos do Monte do Templo e que a mesquita Cúpula da Rocha será demolida. Em seu lugar, sonha o Rabino Berger, será construído o Terceiro Templo. O rabino até preparou uma cópia da Torá, que ele iria entregar pessoalmente ao Filho de Deus.

Isaac Newton e as epístolas da Bíblia

O físico, matemático e astrônomo inglês Isaac Newton passou muito tempo procurando mensagens ocultas na Bíblia. Com base em sua pesquisa, o cientista concluiu que o apocalipse e a Segunda Vinda ocorrerão em 2060.

O astrônomo e escritor austríaco Florian Fristetter escreveu:

“Newton estava convencido de que todos os eventos futuros já foram determinados por Deus. Para ele, 2060 foi um novo começo: pode ser acompanhado por guerra e catástrofe, mas eventualmente, será o início de uma nova era divina.”

Em documentos publicados pela primeira vez em 2007, Newton escreveu:

“Tudo pode acabar mais tarde, mas não vejo razão para acabar mais cedo.”

Newton fez previsões ousadas em artigos publicados sob o pseudônimo de Jeová Sanctus Unus, que se traduz do latim como “um deus verdadeiro”.

Apesar do fato de que o trabalho de Newton sobre a alquimia e a busca pela data de criação do mundo não se enquadra nas fronteiras científicas, a contribuição de Newton para a ciência e, em particular, para a matemática permanece sem precedentes.


Erupção do supervulcão

A Geological Society of London descobriu que em 1 milhão de anos na Terra, é provável que haja uma erupção de supervulcão, que pode ser comparada com a erupção do vulcão Tob, que ocorreu há 75 mil anos. De acordo com os cientistas, 3.200 km3 de magma podem ser liberados durante uma erupção futura.

Embora os cientistas não saibam nada sobre possível tal erupção, eles podem descrever com precisão os efeitos da erupção do supervulcão Toba.

A erupção do Toba causou um inverno vulcânico global que durou de 6 a 7 anos. Alguns cientistas acreditam que o resfriamento durou mil anos.

O geólogo Michael Rampino e o vulcanologista Stephen Self afirmam que a temperatura média da superfície caiu 3-5 graus Celsius.

Outro cientista, Alan Robok, diz que 6 bilhões de toneladas de dióxido de enxofre foram liberados na atmosfera da Terra e as temperaturas mínimas caíram 15 graus durante os primeiros três anos após a erupção. Essas temperaturas persistiram há décadas, destruindo a vida no planeta.

O clima da Terra se recuperou do poderoso golpe em poucas décadas, de acordo com Robok, negando a teoria de um período de mil anos.

O impacto de um asteroide gigante

Stephen Nelson, professor de ciências da Terra na Universidade de Tulane, estima que um asteroide com cerca de 10-15 km de diâmetro cai na Terra a cada 100 milhões de anos. O mesmo asteroide há 66 milhões de anos teria causado a extinção dos dinossauros no planeta.

Acredita-se que objetos maiores que 1 km tenham consequências catastróficas, pois o impacto de tal asteroide causa efeitos globais. Objetos de 1 km de tamanho colidem com a Terra cerca de uma vez a cada milhão de anos, e objetos de 10 km – cerca de uma vez a cada 100 milhões de anos.

Em 2014, Nelson calculou a probabilidade de a Terra colidir com grandes asteroides. Ele estimou as chances de morrermos de um asteroide ou cometa em 1 em 1.600.000. Por exemplo, as chances de morrermos em um acidente são de 1 a 90, em um incêndio de 1 a 250 e de um raio – de 1 em 135.000.

O cientista também estima que o risco de morrermos devido ao impacto de um grande asteroide ou cometa é de 1 em 75.000. O risco parece surpreendentemente alto porque objetos massivos causam extinções em massa. A maioria dos organismos vivos não morre por impacto direto, mas por efeitos colaterais.

Aconteça o que acontecer, não se esqueça: não existem problemas insolúveis. A humanidade pode lidar com qualquer coisa – até mesmo o despertar de Cthulhu. Ele prefere destruir a si mesmo do que deixar outra pessoa fazer isso.

(Fonte)


Todos os dias o mundo acaba para alguns e ninguém realmente sabe quando acabará para todos de um vez só. Enquanto isto, quem está vivo deve fazer o melhor que pode para si e para todos. Simples assim.

Mas cá entre nós, o artigo acima faltou mencionar o fim da humanidade através de uma invasão alienígena, para a qual eu calculo as chances de 1 em 1.000.000.000.000.000. Se eu estiver errado e eles chegarem para nos matar, me avise.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

USE O CUPOM OVH10 E GANHE 10% DE DESCONTO!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
asteroidefim do mundoIsaac NewtonNostradamusvulcãozumbis
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.