Muitos sistemas estelares próximos já poderiam ter avistado a Terra

Tempo de leitura: 3 min.

Cientistas da Universidade Cornell e do Museu Americano de História Natural identificaram 2.034 sistemas estelares próximos – dentro da pequena distância cósmica de 326 anos-luz – que podem já ter encontrado a Terra apenas observando nosso ponto azul pálido cruzar nosso Sol.

Estrelas que entram e saem de uma posição onde podem ver a Terra como um planeta em trânsito ao redor de nosso Sol são iluminadas. Crédito: OpenSpace / American Museum of Natural History

São 1.715 sistemas estelares que poderiam ter avistado a Terra desde que a civilização humana floresceu há cerca de 5.000 anos, e mais 319 sistemas estelares que serão adicionados nos próximos 5.000 anos.

Lisa Kaltenegger, professora de astronomia e diretora do Instituto Carl Sagan de Cornell, na Faculdade de Artes e Ciências, disse:

“Do ponto de vista dos exoplanetas, nós somos os alienígenas. Queríamos saber quais estrelas têm o ponto de vista correto para ver a Terra, pois ela bloqueia a luz do Sol. E devido ao fato das estrelas se moverem em nosso cosmos dinâmico, esse ponto de vista é ganho e perdido.”

Kaltenegger e a astrofísica Jackie Faherty, cientista sênior do Museu Americano de História Natural e coautora de “Past, Present and Future Stars That Can See Earth As A Transiting Exoplanet,” (“Estrelas do Passado, Presente e Futuro que Podem Ver a Terra como um Exoplaneta em Trânsito”), usaram posições e movimentos do catálogo Gaia eDR3 da Agência Espacial Europeia para determinar quais estrelas entram e saem da Zona de Trânsito Terrestre – e por quanto tempo.

Faherty disse:

“Gaia nos forneceu um mapa preciso da galáxia Via Láctea, permitindo-nos olhar para trás e para frente no tempo e ver onde as estrelas estiveram localizadas e para onde estão indo.”

Dos 2.034 sistemas estelares que passam pela Zona de Trânsito da Terra ao longo do período dos 10.000 anos examinados, 117 objetos estão a cerca de 100 anos-luz do Sol e 75 desses objetos estão na Zona de Trânsito da Terra desde que as estações de rádio comerciais na Terra começaram a transmitir para o espaço há cerca de um século.

Faherty disse:

“Nossa vizinhança solar é um lugar dinâmico onde as estrelas entram e saem desse ponto de vista perfeito para ver a Terra transitar pelo Sol em um ritmo rápido.”

Incluídos no catálogo de 2.034 sistemas estelares estão sete conhecidos por hospedar exoplanetas. Cada um desses mundos teve ou terá a oportunidade de detectar a Terra, assim como os cientistas da Terra encontraram milhares de mundos orbitando outras estrelas através da técnica de trânsito.

Ao observar exoplanetas distantes transitarem – ou cruzarem – seu próprio sol, os astrônomos da Terra podem interpretar as atmosferas iluminadas por esse sol. Se os exoplanetas possuírem vida inteligente, eles podem observar a Terra iluminada pelo sol e ver as assinaturas químicas da vida em nossa atmosfera.

O sistema Ross 128, com uma estrela anã vermelha hospedeira localizada na constelação de Virgem, está a cerca de 11 anos-luz de distância e é o segundo sistema mais próximo com um exoplaneta do tamanho da Terra (cerca de 1,8 vezes o tamanho do nosso planeta). Qualquer habitante desse mundo poderia ter visto a Terra transitar por nosso próprio sol por 2.158 anos, começando há cerca de 3.057 anos; eles perderam seu ponto de vista há cerca de 900 anos.

O sistema Trappist-1, a 45 anos-luz da Terra, hospeda sete planetas do tamanho da Terra em trânsito – quatro deles na zona habitável temperada daquela estrela. Embora tenhamos descoberto os exoplanetas em torno do Trappist-1, eles não serão capazes de nos localizar até que seu movimento os leve para a Zona de Trânsito da Terra em 1.642 anos. Potenciais observadores do sistema Trappist-1 permanecerão nos assentos do estádio de trânsito da Terra cósmica por 2.371 anos.

Kaltenegger disse:

“Nossa análise mostra que mesmo as estrelas mais próximas geralmente passam mais de 1.000 anos em um ponto de vista onde podem ver o trânsito da Terra. Se presumirmos que o inverso é verdadeiro, isso fornece uma linha do tempo saudável para que as civilizações nominais identifiquem a Terra como um planeta interessante.”

O telescópio espacial James Webb – com lançamento previsto para este ano – está definido para dar uma olhada detalhada em vários mundos em trânsito a fim de caracterizar suas atmosferas e, finalmente, procurar por sinais de vida.

A iniciativa Breakthrough Starshot é um projeto ambicioso em andamento que visa lançar uma espaçonave de tamanho nano em direção ao exoplaneta mais próximo detectado ao redor do Proxima Centauri – 4,2 anos-luz de nós – e caracterizar completamente esse mundo.

Faherty ainda informou:

“Pode-se imaginar que mundos além da Terra, que já nos detectaram, estão fazendo os mesmos planos para nosso planeta e sistema solar. Este catálogo é um experimento de pensamento intrigante para o qual um de nossos vizinhos pode ser capaz de nos encontrar.”

(Fonte)

Colaboração: seukikonetwork, Edmondo Russo, Kaczmarczik 


Tenho a distinta impressão que não só esses vizinhos distantes já identificaram o nosso planeta, mas também já sabem muito a respeito da humanidade, talvez até mais do que nós mesmos. Mas…

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!
astronomiaexoplanetassistemas estelaresvida extraterrestre
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.