Explosão de asteroide “quase desencadeou uma guerra nuclear”

Tempo de leitura: 2 min.

Exatamente 19 anos atrás, um asteroide com um diâmetro de apenas 5-10m não foi detectado pelos satélites da Terra e poderia ter causado o fim do mundo.

Crédito da ilustração: depositphotos

Cerca de 60 km acima da superfície da Terra, a pequena rocha se chocou contra a atmosfera superior e se quebrou em milhares de fragmentos minúsculos, nenhum dos quais jamais foi encontrado.

A energia liberada na explosão foi estimada em 26 quilotoneladas de TNT, aproximadamente o tamanho da explosão de uma bomba nuclear.

Quando a bomba ‘Little Boy detonou sobre Hiroshima, causou uma reação de 12-18 quilotoneladas, enquanto a bomba de Nagasaki, ‘Fat Man’, liberou energia equivalente a 18-23 quilotoneladas.

O asteroide atingiu a atmosfera terrestre a cerca de 65 quilômetros acima do leste do Mediterrâneo, entre a Grécia e a Líbia.

Mas nos dias que se seguiram ao chamado Evento do Mediterrâneo Oriental, os líderes militares alertaram o quão perto poderíamos ter chegado da guerra nuclear caso a explosão tivesse ocorrido em uma zona de conflito sensível.

O general da Força Aérea dos Estados Unidos, Simon Worden, disse a uma audiência da NASA:

“Se você estivesse em um navio diretamente embaixo, o flash intensamente brilhante teria sido seguido por uma onda de choque que teria sacudido todo o navio e possivelmente causado danos menores.

Se tivesse ocorrido na mesma latitude, mas algumas horas antes, o resultado nos assuntos humanos poderia ter sido muito pior.”

Em junho de 2002, a Índia e o Paquistão estavam no meio de um impasse nuclear na fronteira com a Caxemira. Milhares de soldados de ambos os lados já haviam sido mortos nas escaladas.

Qualquer onda de choque desconhecida sobre qualquer um dos países teria soado o alarme para líderes militares e políticos de que uma guerra em grande escala havia começado.

Tanto a Índia quanto o Paquistão são potências nucleares e testaram suas armas no final da década de 1990, em um agravamento das relações entre os vizinhos asiáticos.

A Índia se tornou uma potência nuclear em 1974 e o Paquistão construiu suas primeiras armas nucleares em 1998.

O general Worden explicou que a ameaça de explosões de “objetos próximos à Terra”(de sigla em inglês, NEO), como o evento do Mediterrâneo Oriental, pode ter sérias implicações geopolíticas.

Ele acrescentou:

“Imagine que o flash brilhante acompanhado por uma onda de choque prejudicial ocorresse em Delhi, Índia ou Islamabad, Paquistão?

Nenhuma dessas nações tem os sensores sofisticados que temos que podem determinar a diferença entre um impacto NEO natural e uma detonação nuclear.

O pânico resultante nas forças armadas com armas nucleares e perigosas poderia ter sido a faísca que teria acendido o horror nuclear que evitamos por mais de meio século.

Esta situação por si só deve ser suficiente para fazer o mundo notar a ameaça do impacto de um asteroide.”

Mas esta não foi a primeira vez que uma explosão de asteroide bem acima da Terra colocou os especialistas em espaço no limite.

Em 1908, o evento quase catastrófico de Tunguska viu um enorme meteoroide de 45-70m de diâmetro explodir sobre a Sibéria, provocando uma explosão de 10 megatons de TNT.

A explosão no céu achatou cerca de 80 milhões de árvores. Testemunhas afirmaram que 3 pessoas morreram após o impacto.

Os céus noturnos na Ásia e na Europa ficaram brilhando nos dias seguintes à colisão e, segundo as informações, fotos à noite foram tiradas sem flash na Suécia e na Escócia.

Cem anos após o Evento de Tunguska, a primeira colisão de asteroide prevista com precisão no mundo ocorreu bem acima do Sudão.

O evento TC3 de 2008 espalhou milhares de fragmentos pelo deserto da Núbia na África, com 600 deles sendo encontrados por pesquisadores.

Relatórios dizem que o meteoro atingiu a atmosfera acima do norte do Sudão à uma velocidade de 12,8 km por segundo.

No entanto, nenhum relato de testemunha ocular da colisão foi publicado, uma vez que a colisão ocorreu em uma área tão remota.

(Fonte)


n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

asteroideguerra nuclearmeteororocha espacial
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.