Nova tecnologia encontra explicação para o desaparecimento do voo MH370

Tempo de leitura: 3 min.

Por Paul Seaburn

Um dos grandes mistérios não resolvidos da década passada continua sendo o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines – um Boeing 777 com 239 pessoas a bordo que decolou em 8 de março de 2014, do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur em um voo para Pequim … um voo que terminou misteriosamente quando desapareceu do radar de rastreamento.

Pedaços foram encontrados, mas o corpo do avião com os restos mortais dos passageiros e o gravador de voo nunca foram recuperados. Muitas teorias sobre este desastre foram apresentadas e, embora algumas tenham sido investigadas, nenhuma o resolveu.

Um engenheiro aeroespacial que vem estudando o MH370 há anos tem uma nova teoria envolvendo um sistema de radar descrito como “um monte de arames de armadilha” que ele afirma revelar a verdadeira intenção do piloto. Este é o motor fumegante?

“WSPR é como um monte de arames de armadilha ou feixes de laser, mas eles funcionam em todas as direções ao longo do horizonte para o outro lado do globo.”

WSPR é uma nova tecnologia chamada Weak Signal Propagation (Propagação Fraca de Sinal) e o engenheiro aeroespacial Richard Godfrey a explica e como a usou para rastrear o último voo do MH370 em seu novo artigo, “Global Detection and Tracking of Aircraft as used in the Search for MH370” (“Detecção Global e Rastreamento de Aeronaves, como Usado na Procura pelo MH370”, em título de tradução livre).

Godrey tem um longo currículo em sistemas avionicos e foi o engenheiro chefe para a integração e teste do Spacelab da Agência Espacial Europeia com o ônibus espacial da NASA. Em 2014, Godfrey foi membro fundador do MH370 Independent Group e, desde então, busca o motivo de seu desaparecimento.

AirlineRatings, que entrevistou Godfrey, explica que o WSPR foi desenvolvido e lançado em 2008 pelo Prof. Joe Taylor, ganhador do Prêmio Nobel de Física. O artigo de Godfrey (leia aqui, em inglês) contém uma série de representações gráficas do WSPR mostrando o caminho do MH370.

“Neste artigo eu descrevo um sistema de Detecção Global e Rastreamento de qualquer Aeronave, em Qualquer Lugar e a Qualquer Hora (GDTAAA). O sistema pega dados do WSPRnet e os alimenta automaticamente em um sistema de rastreamento de voo.”

Godfrey disse à AirlineRatings que todos os aviões – comerciais, particulares ou militares – dispararão os fios de disparo do WSPR ao passarem por eles. Usando-os, ele mostra que o piloto no comando do MH370 deliberadamente fez uma série de curvas e mudanças de velocidade para evitar a detecção por outros sistemas de rastreamento e satélites, além de deixar “rastros falsos” em rotas não oficiais em torno do extremo oeste da Indonésia e do Índico Oceano.

“O piloto parece ter conhecimento do horário de operação dos radares Sabang e Lhokseumawe e que em uma noite de fim de semana, em tempos de pouca tensão internacional, os sistemas de radar não estariam funcionando.”

Sua análise aponta para um local do acidente a 34,5 graus ao sul, sudoeste da Austrália Ocidental, perto da linha imaginária conhecida como “sétimo arco”. Isso coloca a queda do avião no sul do Oceano Índico.

“A posição exata, velocidade de solo e trajetória do MH370 ao cruzar o 6º e 7º Arcos e qualquer posição WSPR anômala ou indicadores de progresso que revelem a trajetória de voo após o esgotamento do combustível e após os últimos dados do satélite Inmarsat serão um indicador útil para qualquer futura busca subaquática pelos destroços do MH370. ”

Embora a localização seja importante, a chave para a análise de Godfrey é que ela mostra que o piloto fez alterações deliberadas na trajetória de voo e altitude – alterações que mostraram que ele sabia mais do que o suficiente sobre a localização dos sistemas de rastreamento e rotas internacionais para fazer movimentos intencionais predeterminados para evitá-los … e eventualmente bater o avião.

Seria Isso suficiente para convencer o governo da Malásia a montar outra busca – depois de uma enorme caçada internacional estimada em cerca de $ 255 milhões de dólares sem nada para mostrar?

“O sistema GDTAAA é um sistema alternativo de detecção e rastreamento de aeronaves de baixo custo, que pode ajudar a identificar a localização do MH370 dentro de 18 milhas náuticas.”

Godfrey espera que eles façam isso e encontrem o MH370, porque isso ajudará a obter a aceitação do GDTAAA pelo setor de aviação.

As famílias dos passageiros também esperam isso, para que possam realmente descobrirem o final da tragédia.

(Fonte)


Muitas especulações fora feitas ao longo dos anos a respeito do desaparecimento do voo MH370, algumas delas até adentrando o lado paranormal. Porém, a explicação final para essa tragédia, embora seja muito misteriosa, deve ser mesmo mundana … ou não?

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

MH370mistériotecnologia
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.