Para usar a internet Starlink você deve reconhecer Marte como um planeta livre

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...
Ilustração de como Elon Musk visualiza Marte. Crédito: SpaceX

Outubro passado, a SpaceX lançou uma versão beta fechada de seu serviço de internet via satélite Starlink.

Ao pesquisar os termos de serviço da empresa, um usuário do Twitter com olhos de águia descobriu que os testadores beta estavam se inscrevendo para muito mais do que imaginavam.

Lê-se nos termos de serviço do Starlink:

Para serviços prestados em Marte, ou em trânsito para Marte via nave estelar ou outra espaçonave de colonização, as partes reconhecem Marte como um planeta livre e que nenhum governo baseado na Terra tem autoridade ou soberania sobre as atividades marcianas. Consequentemente, as disputas serão resolvidas por meio de princípios autônomos, estabelecidos de boa fé, no momento do acordo marciano.

A notícia chega uma semana depois que a presidente e COO da SpaceX, Gwynne Shotwell, revelou em uma entrevista da TIME que a empresa espacial está planejando trazer um serviço semelhante ao Starlink para o Planeta Vermelho também.

Shotwell disse à TIME:

Assim que levarmos as pessoas a Marte, elas precisarão de capacidade para se comunicar. Na verdade, acho que será ainda mais crítico ter uma constelação como Starlink ao redor de Marte.

Democracia marciana

O CEO da SpaceX, Elon Musk, tem alguns planos ousados: colonizar Marte e estabelecer uma cidade até 2050. Para fazer exatamente isso, a empresa está desenvolvendo uma enorme espaçonave chamada Starship para enviar cargas e, eventualmente, passageiros para Marte.

Musk já falou sobre as leis que governarão a colônia marciana de sua empresa espacial. Durante o SXSW 2018, Musk disse ao público:

Muito provavelmente, a forma de governo em Marte seria uma espécie de democracia direta … onde as pessoas votam diretamente nas questões em vez de passar por um governo representativo.

(Fonte)

Colaboração: Lênio


E lembre-se: se você vir luzes cruzando o céu noturno em fila logo após o por-do-sol, ou logo antes do amanhecer, não se trata de OVNIs, mas sim eos satélites Starlink se encaminhando para suas órbitas finais. Porém, se essas luzes mudarem de direção ou velocidade, pegue seu celular e filme imediatamente, pois satélites não têm este tipo de comportamento.

…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar. Cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

As doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês!

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

Elon MuskInternetSpaceXStarlink
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.