NASA fecha negócio multibilionário com Lockheed para missão à Lua

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...

A NASA destinou na segunda-feira quase US$ 3 bilhões à Lockheed Martin para construir três cápsulas Orion, a fim de permitir que os astronautas dos EUA retornem à Lua em 2024.

O negócio multibilionário exige uma primeira fase, incluindo três cápsulas por US$ 2,7 bilhões, para as missões Artemis III a V – para levar os astronautas de volta à Lua.

Cada cápsula pode transportar quatro astronautas.

A agência espacial planeja encomendar mais três cápsulas durante o ano fiscal de 2022 para as missões VI a VIII, no total de US$ 1,9 bilhão, disse um comunicado da NASA.

Seis outras cápsulas poderão ser encomendadas posteriormente.

Jim Bridenstine, administrador da NASA, disse:

Este contrato assegura a produção da Orion até a próxima década, demonstrando o compromisso da NASA em estabelecer uma presença sustentável na Lua para trazer de volta novos conhecimentos e se preparar para enviar astronautas para Marte.

A cápsula Orion deve ser capaz de levar astronautas até a Lua e de volta, e também deve ser capaz de viajar para Marte e além.

Bridenstine adicionou:

[A cápsula] Orion é uma espaçonave de última geração, altamente capaz, projetada especificamente para missões espaciais com astronautas e parte integrante da infraestrutura da NASA para missões Artemis e futura exploração do sistema solar.

A Nasa acredita que encomendar grupos de três cápsulas – até uma dúzia que agora estão previstas – deve ajudar a economizar dinheiro.

O módulo de serviço – a parte da nave que tem os principais elementos para manter os astronautas vivos durante o voo – é de responsabilidade da Agência Espacial Europeia.

As cápsulas Orion também devem ser reutilizáveis ​​pelo menos uma vez.

Além da cápsula que orbitará a Lua anexada a uma mini estação (a Gateway), a NASA pediu ao setor aeroespacial no final de julho que propusesse projetos detalhados de veículos para pousar dois astronautas na Lua até 2024, inclusive a primeira mulher.

Por enquanto, o programa Artemis está atrasado, principalmente devido aos atrasos na construção do foguete SLS pela NASA.

O voo da missão Artemis I – não tripulado – está programado para 2020.

O primeiro voo tripulado, Artemis II, está programado para 2022.

(Fonte)

Colaboração: NINGUEM


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar. Cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

As doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês!

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

ArtemisGatewayLockheed MartinLuamissão lunarNASA
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.