A Terra foi atingida por um visitante interestelar – a vida pode ter vindo de fora

Tempo de leitura: 2 min.

Os cientistas revelaram que um meteoro de outro sistema estelar pode ter colidido com a Terra há 5 anos.

* Conteúdo da matéria com veracidade comprovada, de fontes originais fidedignas. (Em se tratando de tese ou opinião científica, só pode ser garantida a veracidade da declaração da pessoa envolvida, e não o fato por ela declarado.) (Missão do OVNI Hoje)

Houve muita empolgação na comunidade científica quando, em outubro de 2017, os astrônomos detectaram o primeiro objeto interestelar confirmado – uma rocha espacial conhecida como ‘Oumuamua.

Agora, um novo estudo de dois pesquisadores da Universidade de Harvard apresentou a intrigante noção de que um objeto similar pode ter colidido com a Terra em 2014.

Sendo muito menor que o ‘Oumuamua, acredita-se que ele tenha queimado sobre Papua Nova Guiné.

O primeiro autor do estudo, Amir Siraj, disse:

Em vez de olhar para o espaço, e dado o fato de que deveria haver uma abundância maior de objetos interestelares menores do que ‘Oumuamua, pensamos: “Por que não olhar localmente e encontrar esses objetos interestelares menores ao colidirem com a atmosfera da Terra?”

Com a ajuda do astrofísico Avi Loeb, de Harvard, Siraj descobriu um registro da bola de fogo de 2014, pesquisando através dos dados de impacto de meteoros mantidos pelo Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra da NASA.

Calculando sua trajetória orbital, ficou claro que – como ‘Oumuamua’ – deve ter se originado de fora do nosso sistema solar.

A descoberta é importante porque, se objetos de outros sistemas solares colidiram com a Terra no passado, existe a possibilidade de que a vida na Terra possa ter se originado em outro lugar fora do nosso sistema solar.

Os pesquisadores escreveram:

Futuro levantamentos de meteoros podem marcar objetos recebidos com excesso de velocidades heliocêntricas para acompanhamento de observações de pré-impacto.

A espectroscopia de detritos gasosos desses objetos, à medida que eles queimam na atmosfera da Terra, revelaria sua composição … Potencialmente, os meteoros interestelares poderiam libertar vida de outro sistema planetário e mediar a panspermia.

(Fonte)

Mais e mais cientistas começam a concordar que a vida se originou fora de nosso planeta, através da panspermia. E, se esse for realmente o caso, então é óbvio que todo o Universo deva estar fervilhando com vida.

astronomiainterestelarmeteoropanspermia
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (3)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Kaczmarczik

    O O O O O O O O O O O O O O Boa Tarde a Todos!!!!! O O O O O O O O O O O O O O O O
    ___________ A panspermia se assemelha à polinização das flores na Terra, onde os planetas são as flores e o pólen o material genético deixado por ExTras (alegoricamente os ExTras seriam como as abelhas), por meteoritos e por objetos misteriosos como o tal do Oumuamua. Isso mostra que a vida no Universo é regra e não exceção, e se desenvolveu de forma e tempos diversos, porém coincidências desenvolvimentais podem ocorrer!!!!!!!!!!!!
    O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O O

  • roberto junior

    A Terra favoreceu plenamente, para que surgisse a vida, tornando-se um laboratório básico das leis que regem a vida no universo, pois fazemos parte do universo, e´obvio. Meteoros com indicio de que existiu algum tipo de vida bacteriana, podem existir, mas não trouxe a vida para Terra, pois mesmo que alguma vida resistisse alguns milhares de anos vagando pelo espaço, não resistiriam a entrada fulminante na nossa atmosfera. Vamos supor que exista vida bacteriana em outros planetas, também teve que ter um inicio por la, então porque não aqui na Terra, que tudo favoreceu? Talvez seja aquele velho costume, que a comida do vizinho e´melhor?