O campo magnético da Terra está mudando e as consequências vão afetar sua vida

Tempo de leitura: 4 min.

Um dia, em 1905, o geofísico francês Bernard Brunhes trouxe de volta para seu laboratório algumas rochas que tinha desenterrado de uma estrada recém-aberta perto da aldeia de Pont Farin.

Quando ele analisou suas propriedades magnéticas, ele estava espantado com o que elas mostraram: Milhões de anos atrás, os pólos magnéticos da Terra estava em lados opostos do planeta. O Norte era o Sul e o Sul era o Norte.

A descoberta indicava uma anarquia planetária. Os cientistas não tinham como explicar isso.

Quando os pólos mudarem de lugar novamente, as consequências para as infra-estruturas elétricas e eletrônicas da nossa civilização serão terríveis. A questão é quando isso vai acontecer.

Hoje, sabemos que os pólos mudaram de lugar centenas de vezes, mais recentemente 780.000 anos atrás.

(Às vezes, os pólos tentar reverter posições, mas, em seguida, pulam de volta no lugar, no que é chamado uma excursão. A última vez foi cerca de 40.000 anos atrás.)

Na últimas décadas, geofísicos têm tentado responder a essa pergunta através de imagens de satélite e de matemática.

Eles descobriram como olhar nas profundezas da Terra, até a borda do núcleo derretido, metálico, onde o campo magnético está continuamente sendo gerado. Acontece que o dipolo – o campo magnético de dois pólos para o qual nossas bússolas reagem – está sob ataque vindo de dentro.

Os últimos dados de satélite, a partir do trio Swarm da Agência Espacial Europeia, que começaram a enviar dados em 2014, mostram que uma batalha está sendo travada na borda do núcleo. Como facções planejando um golpe, aglomerados de ferro fundido e de níquel estão ganhando força e drenando a energia do dipolo.

O pólo norte magnético está na corrida, um sinal de turbulência reforçada e imprevisibilidade. O grupo no Hemisfério Sul já ganhou vantagem sobre cerca de um quinto da superfície da Terra. Uma revolução está se moldando.

Se esses blocos magnéticos ganharem força suficiente e enfraquecerem o dipolo ainda mais, eles vão forçar os pólos norte e sul de trocarem de lugar.

Os cientistas não podem dizer com certeza se está acontecendo agora – o dipolo poderia combater os intrusos. Mas eles podem dizer que o fenômeno está se intensificando e que não se pode descartar a possibilidade de que uma reversão está começando.

É hora de acordar para os perigos e começar a preparação.

Esta animação mostra o movimento do pólo norte magnético em intervalos de 10 anos de 1970 a 2020. As linhas vermelhas e azuis indicam “declinação”, a diferença entre o norte magnético e o norte verdadeiro, dependendo de onde se está de pé; na linha verde, uma bússola apontaria para o norte verdadeiro. – NOAA National Centers for Environmental Information

O campo magnético da Terra protege o nosso planeta dos raios solares e cósmicos perigosos, como um escudo gigante. Quando os pólos trocam de lugar (ou tentam), esse escudo é enfraquecido; os cientistas estimam que ele poderia perder no mínimo um décimo de sua força habitual.

O escudo pode ficar comprometida por séculos, enquanto os pólos se movem, permitindo que a radiação maléfica chegue mais perto da superfície do planeta durante aquele período.

Mudanças dentro da Terra já enfraqueceram o campo sobre o Atlântico Sul, tanto que satélites expostos à radiação resultante tiveram falhas de memória.

Essa radiação não está atingindo a superfície ainda. Mas em algum ponto, quando o campo magnético diminuiu o suficiente, poderá ser uma história diferente.

Daniel Baker, diretor do Laboratório para Física Atmosférica e Espacial da Universidade do Colorado, em Boulder, um dos maiores especialistas do mundo sobre como a radiação cósmica afeta a Terra, teme que partes do planeta vão se tornar inabitáveis durante uma reversão.

Os perigos: fluxos devastadores de partículas do Sol, raios cósmicos galácticos, e os raios ultravioleta B aprimorados a partir de uma camada de ozônio danificada por radiação, para citar apenas algumas das forças invisíveis que poderiam ferir ou matar seres vivos.

O quão ruim poderia ser? Os cientistas nunca estabeleceram uma ligação entre as reversões de pólo anteriores e catástrofes como extinções em massa. Mas o mundo de hoje não é o mundo de 780.000 anos atrás, quando os pólos inverteram pela última vez, ou até 40.000 anos atrás, quando eles tentaram.

Hoje, existem cerca de 7,6 bilhões de pessoas na Terra, o dobro do que em 1970. Nós mudamos drasticamente a química da atmosfera e do oceano com nossas atividades, prejudicando o sistema de suporte de vida do planeta.

Os seres humanos têm construído cidades enormes, indústrias e redes de estradas, cortando o acesso aos espaços mais seguros para muitas outras criaturas. Temos empurrado, talvez, um terço de todas as espécies conhecidas em direção à extinção e colocamos em perigo os habitats de muitas mais. Adicione a radiação cósmica e ultravioleta a esta mistura, e as consequências para a vida na Terra podem ser calamitosas.

E os perigos não são apenas biológicos. A grande casulo cyber-elétrico que tornou-se o sistema de processamento central da civilização moderna está em grave perigo. Partículas energéticas solares podem romper através dos minúsculos componentes eletrônicos sensíveis do crescente número de satélites que circundam a Terra, danificando-os.

Os sistemas de cronometragem por satélite que governam  as redes elétricas estariam susceptíveis à falha. Transformadores da rede podem ser incendiados em massa. Porque as redes são tão fortemente acoplados uns com os outros, a falha poderia ocorrer por todo o globo, causando um efeito dominó com uma série de apagões que podem durar décadas.

Nesta animação, as linhas azuis indicam um campo magnético mais fraco, as linhas vermelhas um mais forte, e a linha verde a fronteira entre eles, em intervalos de 10 anos de 1910 a 2020. O campo está enfraquecendo na América do Sul, e  a área vermelha sobre a América do Norte está perdendo força. – NOAA National Centers for Environmental Information

Sem luzes. Sem computadores. Sem telefones celulares. Até mesmo dar a descarga num banheiro ou encher o tanque do carro de gasolina seria impossível. E isso é só para começar.

Mas estes perigos raramente são considerados por aqueles cujo trabalho é proteger o pulso eletrônico da civilização.

Mais satélites estão sendo colocados em órbita com a eletrônica mais altamente miniaturizados (e, portanto, mais vulneráveis). A rede elétrica se torna mais interligada a cada dia, apesar dos maiores riscos de tempestades solares.

Uma das melhores maneiras de proteger satélites e redes de clima espacial é de prever com precisão onde a força mais prejudicial vai atingir. Operadores poderiam desligar temporariamente um satélite ou desconectar parte da rede.

Mas o progresso em aprender a controlar o clima espacial prejudicial não se manteve com o ritmo do aumento exponencial de tecnologias que podem ser danificadas por ele.

E operadores de satélite privados não catalogando e compartilhando informações sobre como seus aparelhos eletrônicos poderão suportar a radiação espacial, uma prática que poderia ajudar a todos para protegerem seus equipamentos.

Temos alegremente construído infra-estruturas críticas da nossa civilização durante um tempo quando o campo magnético do planeta era relativamente forte, não levando em consideração a tendência do campo magnético para a anarquia.

O campo magnético não é só turbulento e ingovernável, mas, neste momento, é imprevisível. Ela fará do seu modo, não importa o que fazemos. Nossa tarefa é descobrir como fazer doer o menos possível.

(Fonte das informações)

Colaboração: Lênio


As informações acima vêm de um artigo escrito por Alanna Mitchell. Alanna é uma premiada jornalista de ciências e escritora. 

Em relação à área mais fraca do campo magnético terrestre neste momento, vale notar que ela está situada exatamente sobre a região mais populosa do Brasil. Se os temores levantados no artigo se concretizarem, o Brasil será o primeiro país a ser atingido por altos níveis de radiação solar, e o celeiro do mundo poderá se tornar um grande deserto.

Tomara que os cientistas estejam enganados.

n3m3

Brasilcampo magnéticoextinção em massanorteplanetapolossulTerra
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (70)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • New

    O campo magnético é gerado no núcleo da Terra. Fato. Mas a ciência ainda não sabe explicar exatamente como ele é gerado, porque ainda não tem precisão sobre os dados do núcleo da Terra. Outros cientistas já localizaram uma pulsação no mesmo núcleo, como um coração. Se pulsa, é porque vibra, e se vibra, é porque é animado por outra espécie de energia além da própria gravidade. A energia da vibração, esta que pode interagir com núcleos de outras massas próximas, como o Sol, a Lua e… N… (Não Nibiru)…e modificar o padrão de vibração interna, afetando todo o resto por efeito, como o campo magnético. Se a reversão magnética é cíclica, isso se deve a outro fenômeno astronômico anterior cíclico. E se indícios de reversão magnética estão surgindo, sendo isso efeito, isso prova que outra vez aquela causa cíclica, de ordem astronômica exterior, está de volta. A Terra é tão somente o pano de fundo de um agente muito maior em ação. E a preocupação maior é com a cyber tecnologia da qual somos todos dependentes? Toda a vida está sob risco de extinção, mas tem gente muito mais preocupada realmente com o sinal de sua Internet…
    Ps: desde ontem, dia do eclipse lunar, vários feixes de terremotos começaram a disparar no mundo inteiro. Até agora, ontem mesmo, o mais importante aconteceu no Afeganistão, 6.2° R. A 14 dias do Eclipse solar, 15.02.

    • Seu Zé

      não seria o atrito entre componentes metálicos no núcleo da Terra?? Júpiter tem o campo magnético absurdo por conseguir estourar átomo de hidrogênio e por conseguir produzir hidrogênio metalizado por causa da gravidade absurda que tem

      • New

        Pode ser, mas a teoria mais aceita sobre a origem do magnetismo está no movimento de rotação. Venus, por exemplo, tem uma rotação muito baixa, cerca de 273 dias para girar uma vez ao redor do eixo, se não me engano, e o campo magnético lá é praticamente nulo. O movimento de rotação parece estar sim associado à geração do magnetismo no núcleo, e nisso podemos encaixar com folga a teoria de que a reversão magnética próxima pode estar associada a perturbações no movimento de rotação da Terra. estas advindas de objetos externos. Sabe, uma causa gerando um efeito, e este efeito se torna causa de outro, e de outro… numa sequência linear de causas e efeitos postos em movimento, encadeados.

        • Pazifico

          Já girasse o eixo de um motorzinho deste de carinho a pilha?
          Quando girado gera um campo magnético e este campo magnético é capturado pela bobina que gera energia, e para ser mais exato é CC (corrente contínua)!
          O princípio é o mesmo!
          Inté!

          • New

            Exatamente. Magnetismo e movimento. Afinal, tudo começa na eletricidade, que são fluxos de elétrons circulando como rios em condutores e sistemas? Acredito nessa teoria sim, na questão da geração do nosso campo magnético.
            Inté!

    • W3L LOGISTICA LTDA

      Falou tudo New. A unica coisa que se sabe sobre o núcleo é que ele é líquido e tem a mesma densidade da água, mas o que é ninguém sabe. Abaixo de nós temos três vezes mais água do que nos oceanos, também é bem mais salgada. A Lua influencia também essas águas movendo as placas, e sempre acontecem terremotos dias depois de um eclipse, Tony boy?

      • New

        Sim, concordo com estes pontos. Tony boy? Toninho Apocalipse?
        Anda sumido o guri rsrsrsrsss.

  • mario martin

    “Uma revolução está se moldando”
    Obrigado ao universo

  • aland_55

    Que sina a nossa. Nem no nosso mundo conseguimos viver em paz.

  • Seu Zé

    perder o campo magnético não afeta em nada, só olhar marte que perdeu a água e parte da atmosfera…

  • Jacqueline de Carvalho Gomes d

    Sim, o eixo da terra não é o mesmo, inúmeros fatores podem causar isso, é uma influência, etc, etc,…mas Nibiru NÃO, NIBIRU não, Nibiru pelos calculos não poderia estar aqui, etc, etc,…Nibiru não existe… quanto mais negam, mais acho que tem fundamento…achismo?…Sim, mas não acabaram de dizer que a 4D influencia a 3D????Nibiru É um planeta sutil, e foi confundido com outros de massa densa, ….quem viver, verá…

    • New

      Este Nibiru infelizmente foi construído mais em cima do imaginário popular inflamado pelas teorias de Z.Sitchin do que por realidade astronômica. Temos que saber separar o N da questão aqui. rsrsrsrs…

      • Jacqueline de Carvalho Gomes d

        Sei que não é uma “realidade astronômica”, bom, cada um acredita no que quiser, mas ele é cíclico também, eu li muito sobre os sumérios, e gostei também de A Profecia de Osíris, …

        • New

          Não quis dizer que não exista. O Monstro de Nostradamus existe, mas ele não é bem como Sitchin disse que era. Mas sei sim da sua existência.

          • Jacqueline de Carvalho Gomes d

            Sim, muita coisa fica em discordância, verdade.

        • KAM

          Passando só para desejar uma Boa Tarde.

  • KOALA

    Só afetaria se diminuísse ou acabasse.

  • Hannah_Cat

    Nossa! É “massa coronal que pode afetar todos os sistemas de comunicação e energia elétrica da Terra”; Eclipse lunar incomum que anuncia (pela enésima vez) o Apocalipse, são diversos asteroides que ameaçam “acertar a Terra” em cheio; vulcões em erupção que podem acabar com tudo o que já foi feito; agora é o campo magnético do planeta, que pode “afetar nossas vidas”…

    É muita “macumbagem” pra cima da gente, que continua aqui firme forte!… Já sobrevivemos a todos os fins de mundo anunciados desde o final do século XX e início do XXI.

    Talvez sejamos imortais (inclusive este blog) e ainda não nos demos conta. 😛

  • aland_55

    Segundo Al Bielek, suposto viajante do tempo, a Terra deve passar por mudanças geográficas até 2025 e também os polos magnéticos mudarão, mas será criada uma estrutura de polo artificial para evitar o colapso da Terra.

  • SinopMT

    Esses “perigos” sempre estiveram presentes, a diferença é que atualmente o ser humano está sim, mais vulnerável a tais eventos. Mas pq? Pelos simples fatos elencados pela escritora do artigo acima transcrito, mas principalmente, por estar lidando com forças da natureza, que até então, fogem do poder de controle do homem. Na sede de querer ter sempre mais, o homem esqueceu de quão pequeno é, perto do universo… O ser humano está preso à matéria, e ao invés de buscar a evolução, deixar um pouco de lado o “ter”, está ocorrendo justamente o contrário… Não é de hoje que pressinto que algo muito grande, e infelizmente ruim irá atingir a humanidade… Aguardemos os próximos capítulos!!

  • Derek Soares

    Isso sim é preocupante, igual a uma bala perdida no Rio.

    • SENAM

      Coisa tão comum que não preocupa KKKKKKKKKKKKK
      Abç

  • Claudete da Silva Pinto

    Céus! Parece que nós nascemos para viver em perigo constante!

    • Müller

      Parece um teste de sobrevivência constante com pequenas alterações nos detalhes ao longo das épocas.

      Mas não devemos antecipar desgraças nem sofrer antecipadamente, isso é muito nocivo a saúde e à vida… devemos pensar no amanhã no sentido de preservá-lo, ser sustentável, subsistente…

      Já dizia os ditados: “O homem precavido vale por dois” e “Tudo de mais é muito!

      • Claudete da Silva Pinto

        Você está certo, mas quando estamos tentando nos recuperar de algo logo acontece outro, e assim vai. Acho que vou construir um bunker!kkkk

  • KOALA

    Dizem que quando o campo magnético da Terra enfraquece o churrasco fica mais macio.

    • W3L LOGISTICA LTDA

      Teoria sem sentido. Especialistas provaram que é o corte e o assador os responsáveis.

      • KOALA

        Dizem também que a cerveja fica mais espumante.

        • W3L LOGISTICA LTDA

          Mais do que dois dedos é absurdo.

  • Ninjun Jun

    Além de não estarmo reparados, e termos umas das infraestruturas mais pobres do planeta, conheceremos o apocalipse antes de todos.

    • W3L LOGISTICA LTDA

      Essa imagem também não entendi.

      • dora petris

        Thánatos, deus da morte.

    • Oni maru

      Thanatos

  • FRANK

    Quando o campo magnético é estável fisicamente, as linhas de
    força são bem definidas. Com o movimento de rotação da Terra, as linhas de
    força vão se embaralhando de tal forma até se anularem, provocando então a
    inversão dos pólos. O enfraquecimento do campo magnético provoca não só o
    aumento da radiação, mas também há vazamento de calor do núcleo terrestre, com
    grandes conseqüências. O texto abaixo fala do confinamento magnético usado nos
    testes de fusão.
    ” Usando o tokamak, o tipo de dispositivo de
    confinamento magnético de fusão discutido no documento Nature Physics, já
    podemos alcançar as condições necessárias para a fusão nuclear. Esta
    configuração está bem testada e seu desempenho bem compreendido e é a base para a maioria dos programas de fusão ao redor do mundo.”

    Reações de fusão ocorrem a temperaturas de centenas de milhões de graus Celsius. Os produtos de uma reação de fusão são de dezenas de bilhões de graus Celsius. A temperatura, portanto, desempenha dois papéis importantes na fusão.”

    O vasamento de calor do núcleo provoca o aquecimento do manto terrestre.
    O manto aquecido por sua vez provoca terremotos, mantomotos, vulcões, sinkholes, bolhas de água quente nos oceanos do tipo el ninho, mortandade de peixes nos oceanos por falta de elimentos, derretimento da camada de gelo como descoberto recentemente na Groenlândia e mais um monte de coisas. https://uploads.disquscdn.com/images/de6670f51cabef215cd9f5012e34e354017de8373be0596913838038a08d5f4a.png

  • KAM

    É minha gente, as mudanças estão aí, alguma coisa no nosso sistema solar esta fazendo grandes efeitos no nosso planeta, eu queria saber se nosso planeta vistos de outro planeta, não está aumentando seu brilho, porque os outros já estão,

  • Kaczmarczik

    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ Boa Madrugada a Todos!!! ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ___________________ Não sei se as mudanças bruscas no tempo podem ter a ver com essa despolaziração magnética. Há uns 30 anos atrás o calor do Sol às 7 da manhã era ameno com um friozinho típico da manhã, hoje ao menos em minha região esse horário está com sensação térmica de 9 da manhã, sem o friozinho típico, e à tarde 16:00 hrs ainda possui a sensação térmica de 14:00 hrs e quando chove é uma precipitação forte, concentrada. Em algumas outras regiões do nosso país chovem sem parar, mas não como antes, estão agora mais violentas com ventos muito fortes que balançam edifícios e arrancam telhados…Se isso são mesmo sinais de que algo está mudando radicalmente na Terra, então seria apenas o começo….
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    • Sergio Piccoli

      Depois da neve no Saara, estou esperando qualquer coisa. Vale observar aqui no Brasil mesmo tantos fenômenos meteorológicos! No Rio, quase não vemos mais o sol, em pleno verão. No sul, um calor insuportável. Nevascas e geadas um pouco mais acima, mas ainda na região sul… E por aí vai.

      • Kaczmarczik

        em outras palavras, deu a louca no tempo global…..

        • SENAM

          E os chemtrails continuam acelerados, mas com qual objetivo e autorizado por quem (ou quems), eu não autorizei, alguém aí autorizou??
          Abç

      • Francisco Antônio Muniz Gomez

        E no sertão cearense caindo granizo deixando a paisagem branca.

        • Kaczmarczik

          não entendo porque perto do Ceará está fazendo um calor de torrar miolos…Para cima de 36º a sensação térmica constante, ou até mais intensa do que isso…

        • SENAM

          Li na semana passada que a recomposição da camada de gelo esta acelerada, ocorrendo em determinados locais da america do norte a chegada à praia de tubarões mortos congelados de tal forma que impede a autópsia e de iguanas caindo de árvores mortas por congelamento.
          Abç

    • FRANK

      O mais importante gas de efeito estufa não é o CO2 mas é o VAPOR D’ÁGUA, responsável por pouco mais de 70% do efeito estufa. Havendo aquecimento do manto devido à falhas no campo magnético, há transmissão de calor para os oceanos. Águas mais quentes evaporam mais. Mais vapor d’água na atmosfera provoca, além de tufões e ciclones, grandes tempestades, muitas inundações. Aumenta o efeito estufa e provoca os fenômenos citados por você. Isto vai frontalmente contra o que prega a NOM (aquecimento por CO2). Nenhum cientista defende essa teoria porque é perda de emprego na certa, arriscando-se ainda a ser suicidado…

      • aland_55

        Qualquer alteração importante no clima causaria quebra de safra agrícola. Povo com fome é incontrolável.

        • FRANK

          Sem dúvida. Não é atoa que a Rússia já tem estoque de grãos para 5 anos, para toda a população.

        • Francisco Antônio Muniz Gomez

          Disse tudo. Mostrou o caminho do caos.

      • Kaczmarczik

        ou seja, o sistema quer que todos acreditem ser aquecimento por CO2 e não ver que é por vapor de água? Isso não é novidade, pois assim é o sistema mesmo, contribuindo para o caos da humanidade e se alimentando dele….

        • FRANK

          Sendo vapor de água não tem interferência humana e portanto, não há como cobrar imposto para o governo mundial. Já o CO2 seria fortemente taxado.

          • Kaczmarczik

            então o Al Gore deveria devolver o Oscar

        • SENAM

          Sem contar que, maior nivel de CO2 melhor pras plantas que se alimentam dele e isto levaria fatalmente a maior abundância de alimentos, desde deixem a natureza agir, o que não esta acontecendo.
          Abç

          • Kaczmarczik

            estão impedindo até a Natureza de fazer sua parte em ajudar as plantas a produzir alimentos???? Isso é muito estranho!!!!

  • Spock

    Concordo com Sitchin em muitas coisas… mas deixemos a teoria planetóide de Nibiru e pensemos num objeto do espaço sideral chamado MAGNETAR vagando e se aproximando do sistema solar!!!
    Não tem montanhas, colinas, naves… nada, nada, nada!!!!!!!
    \//_

    • W3L LOGISTICA LTDA

      Houve um tempo em que eu tinha muita fé nessas coisas, acreditava realmente que existiam. Mas essas teorias não mais me impressionam, essas animações criativas do que seria o universo lá fora. Existe um consenso de que a partir de120 Km de altura não tem atmosfera, já é espaço. A luz não se propaga no vácuo e sem atmosfera não é possível ver as estrelas. E quando a nasa diz que tem satélites geo-estacionario à 35 mil Km acima de nós(goes-16) tirando fotos eu me pergunto, como assim? São trevas absolutas.

  • A.C.G CID

    Então aquela idéia maia não estava totalmente errada.Iniciaria a partir de 2012 não era mesmo? Me lembro que falava sobre a inversão dos polos terrestres.

  • Francisco Antônio Muniz Gomez

    Lascou o Brasil de vez. por isso falam que há um verdadeiro buraco em cima do Brasil, vamos ser atingidos primeiro. O campo magnético em cima do Brasil é o mais fraco de todos os tempos.

    • Kaczmarczik

      vamos ser atingidos primeiro, mas em que ponto do Brasil será a questão….

      • Francisco Antônio Muniz Gomez

        Que tal quase igual o tamanho de nosso território!

        • Kaczmarczik

          é muito, realmente um perigo!!!!!

  • Itacyr Salles Da Silva da Silv

    O problema é o SOl.
    De lá que vem os problemas que temos na Terra.
    Não há o que fazer.
    Amenizar apenas.
    O núcleo terrestre sofre influências solares.
    E têm a ver com terremotos solares a história de nosso campo magnético mudar
    de posição.