Astrônomos descobrem planeta que leva 27.000 anos para orbitar sua estrela

Tempo de leitura: 2 min.
Ilustração artística do planeta.

Exoplanetas recém-descobertos que apresentam certos padrões orbitais deixam os cientistas perplexos.

Enquanto a Terra leva apenas 365,25 dias para completar uma única órbita do Sol, Marte leva quase o dobro do tempo, enquanto os gigantes do gás levam entre 11,86 e 164,8 anos para fazerem uma única órbita. Mas, apesar de saber sobre essa incrível variedade neste nosso sistema solar, os cientistas ainda ficaram surpresos ao descobrirem talvez os padrões orbitais mais extremamente diversos já descobertos em um sistema solar em torno de uma estrela conhecida como CVSO 30.

A CVSO 30 está localizada a aproximadamente 1200 anos-luz do planeta Terra e tem sido uma fonte em particular de interesse para astrônomos, porque tem dois exoplanetas candidatos. Os planetas orbitando CVSO 30 são enormes em comparação com os planetas neste sistema solar e são descritos como tendo muitas vezes a massa de Júpiter, tornando-os super-Júpiters.

De acordo com Tobias Schmidt, da Universidade de Hamburgo, do Instituto Astrofísico e Observatório Universitário Jena e principal autor do artigo sobre a descoberta dos exoplanetas, é extremamente incomum encontrar dois candidatos exoplanetas com várias vezes a massa de Júpiter em órbita de uma estrela tão pequena quanto CVSO 30, que se acredita ser bastante jovem. Mas, ainda mais surpreendentemente, os cientistas descobriram que, apesar do fato de que os dois exoplanetas são bastante semelhantes em tamanho, um dos planetas tem um período orbital de menos de onze dias, enquanto o outro leva 27 mil anos para orbitar CVSO 30.

As diferenças bizarras no padrão orbital dos dois planetas levaram os cientistas a tentar investigar como essa grande disparidade poderia ter ocorrido. O professor Schmidt sugere que os dois planetas podem se formar de maneira típica em torno da estrela, mas devido à interação das forças gravitacionais e dos dois planetas gigantes, eles foram forçados a entrar em suas órbitas distanciadas atuais. No entanto, ele enfatiza que esta é meramente uma conjectura neste ponto e os cientistas que trabalham no projeto pretendem realizar mais investigações para descobrir se este realmente é o caso.

A descoberta dos planetas também é notável por uma razão diferente. Os planetas foram descobertos usando uma nova técnica em imagens de planeta. Até agora, a grande maioria dos 2000 exoplanetas descobertos foram encontrados usando métodos indiretos, incluindo o Método do Trânsito, que descobre os planetas, medindo os efeitos de escurecimento que eles têm na sua estrela principal e o Método de Velocidade Radial que mede a força gravitacional que os planetas exercerem na sua estrela. No entanto, esses dois planetas foram descobertos usando uma técnica chamada Imageamento Direto.

No passado, o Imageamento Direto não foi considerado uma maneira eficaz de detectar exoplanetas, porque os planetas geralmente são inundados pela luz da estrela principal e, portanto, são quase impossíveis de serem detectados. No entanto, ele é o processo preferível ao explorar as regiões remotas de uma estrela, pois é considerado mais eficaz e novos avanços na tecnologia permitiram que os cientistas explorassem mais profundamente do que nunca.

Uma vez que vários projetos começaram a identificar exoplanetas em todo o universo, os cientistas constantemente ficaram maravilhados com a diversidade dos sistemas solares. Muitas das descobertas sobre exoplanetas revolucionaram completamente os pressupostos sobre como os planetas se formam em torno de suas estrelas mãe, e acredita-se que essas descobertas ajudarão a informar um modelo novo e abrangente de formação de planetas com o passar do tempo.

(Fonte)

Colaboração: Eduardo_BC

E assim a astronomia avança, e irá avançar muito mais com o lançamento dos próximos super-telescópios.

Uma pena não termos a tecnologia para irmos até esses sistemas solares.

n3m3

astronomiaCVSO 30exoplanetaórbitaplaneta
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (22)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • KOALA

    Nesse caso para se medir o tempo de vida de um individuo deve-se usar outro acontecimento astronômico periódico.

    • R357l355 M1nd

      “lá deve-se usar outro acontecimento astronômico periódico…”
      Bom dia KOALA, a respeito da sua colocação gostaria apenas de acrescentar algo .
      Acredito que os seres pensantes de planetas habitados de qualquer sistema estelar comece a contar o tempo da mesma forma que nós , pois quando falamos de universo temos de pensar em eventos universais , como a rotação e a translação do planeta em questão , pois como sabemos todo planeta gira em torno se si mesmo e de sua estrela.Além do mais a estrela de um sistema é o astro mais influente naquele planeta , não somente por seu brilho intenso , calor irradiado e periodicidade , mas devido ao seu forte campo gravitacional e a distância em relação ao planeta que desencadeia uma série de outros eventos tão periódicos quanto , tal como mudanças climáticas sincronizadas , que determinam o período de afloramento da vegetação local , bem como regulação de todos os sistemas biológicos presentes no planeta . Enfim acho que não é por acaso que elegemos a rotação e a translação da terra como forma de medirmos o tempo aqui na Terra.E deve ser assim também em outros sistemas que tenham estrelas e planetas habitados por seres pensantes .

      • KOALA

        Excelente.

  • Joaquim Grillo

    é o que eu digo fora do planeta não existe tempo e sim energia e o fim dela mais nada

    • Marcelão Meireles

      Explica direito aí migo

      • iDark

        O tempo é relativo

        • Apollo

          x2

      • Joaquim Grillo

        cara precisa? Dia noite horas só existem aqui na terra, no universo só existe um momento ele está em expansão está nascendo ainda, vivemos 70 anos em média uma mosca pode viver 3 dias para ela é o suficiente, lá nesse planeta pode existir seres que vivam mil anos não sei, assim como um arvore vive 500 anos aqui na terra tudo é questão do habitat mas fora somos todos matéria

        • aland_55

          É possível que nós fora da Terra,em algum outro planeta, fora desta influência também tivéssemos uma vida longa.

          • Joaquim Grillo

            pode ser sim pois lá vivemos aqui com as condiçoes que temos no nosso habitat la fora pode ser que tudo é diferente

      • 666Dark

        É, ele quis dizer que os caras de lá fazem aniversário a cada 27 mil anos e devem viver milhares de anos, hehehehee…

  • iDark

    O planeta lesma

  • cerberos

    Uia, uma orbita tão grande me lembrou aquele planeta que não se pode falar e que os cientistas disseram que não podia existir planeta com orbita tão grande.

  • Luiz J Apolo

    Isso é bizarro para nossos parâmetros mas para o Universo isso é comum. Os cientistas vai ficar de queixo caído quando observarem coisas bem bizarras que nunca passaram em suas mentes. O enigma universal é sempre bom.

  • Tmago

    É Nibiru. Ele dá cavalo de pau, invade nossa pista, chupa energia do nosso sol p abastecer sua pequena lua. Que viagem, dele e minha. rs
    Isso é bom p os cientistas aprenderem a quantidade de diferenças entre os cérebros humanos e a realidade universal.

  • Joao Paulo Jesus Flores

    nosso universo continua a nos surpreender

  • aland_55

    Dizem alguns que há uma outra galáxia interpenetrando a nossa. Isto poderia explicar também outros casos que estão influenciando nosso sistema.

  • Toinho

    “Uma vez que vários projetos começaram a identificar exoplanetas em todo o universo, os cientistas constantemente ficaram maravilhados com a diversidade dos sistemas solares”.
    E por que os cientistas não tentam se maravilhar também com os bilhões de diversidades de vida que com certeza deve haver no infinito universo.

  • dora petris

    Isto significa que nós somos apenas um sopro.

  • Delano Ss

    Por meio de técnicas de projetabilidade lúcida fora do corpo, é possível fazer exoprojeções e ir a qualquer planeta, galáxia ou parte do universo, além de outras dimensões onde as consciências atuam.
    Mas é necessário mudança de hábitos e temperamento, reforma do ego, boa intenção, vontade e um caminho de auto estudo, esforço e auto pesquisa de cada um; já que um fenômeno como esse é uma ferramenta evolutiva, e muda a forma de viver, e de se relacionar com o mundo, com os outros , outras consciências, e de ver a vida profundamente.
    O indivíduo passa a se preocupar e a dar a devida importância nessa vida, aos desafios da sua evolução consciencial.
    Para quem acha interessante o assunto, coloco um vídeo do psicanalista e professor, projetos lúcido e pesquisador das projeções conscientes fora do corpo, Moisés Esagui.
    Recomendo procurarem pelos livros e vídeos do médico Waldo Vieira – Projeciologia, Projeções da Consciência; Conscienciologia, Saulo Calderon, Nancy Trivellato. Por esses dá pra se aprofundar sobre o assunto, sobre técnicas e exercícios.

    https://m.youtube.com/watch?v=MorCHRkPiQA

  • R357l355 M1nd

    Tenho pena é da classe trabalhadora desse pobre planeta , que espera 9.855.000 dias para tirar férias . RSRSRSRS

  • R357l355 M1nd

    Agora falando sério . isto poderia ajudar a explicar o fato de alguns personagens históricos citados em alguns textos antigos , em diferentes culturas pelo mundo , terem “vivido” tantos anos .
    Acredito que o caso mais conhecido entre eles seja Metusalém ou Metusalah que teria vivido 969 anos segundo a Bíblia .Uma maneira de pensar nesta questão(estou apenas deixando minha mente vaguear solitária pelo terreno impalpável porém fértil da imaginação)seria :
    Imaginem que esse planeta , com o período orbital de 27.000 anos , seja habitado por uma raça
    de humanoides inteligentes . Fisicamente semelhantes a nós , porém avançados tecnológica e intelectualmente falando . Agora imaginem que de alguma forma , um deles(um que tenha vivido por lá durante o tempo em que seu planeta leve para completar uma volta em torno de sua estrela, em nosso caso a estrela CVSO 30) venha parar aqui na Terra e interaja com algum terraqueo . Hora sendo este ser avançado e com conhecimento sobre o nosso sistema solar (pois sua raça já teria nos estudado à distância, assim como nós fazemos com Marte,etc…) , ou seja sabendo que a Terra dá 27.000 voltas ao redor de nossa estrela no período que a deles dá uma , e sabendo por meio das interações conosco , que aqui contamos o tempo de vida de uma pessoa baseado no numero de voltas que o nosso planeta da em volta de nossa estrela , e que chamamos esse número de “ano” , quando algum terrestre lhe perguntasse a idade, ele diria que têm 27.000 anos pois ele saberia que teria de comunicar sua idade em uma escala conhecida por nós mesmo que esse valor nos soe estranho.Ou seja um ano(ou seja lá como eles o chamem )no planeta deles seria equivalente à 27.000 anos terrestres .
    Agora extrapolem estes valores para os diferentes planetas conhecidos e teremos muitos “ETezinhos” bem idosos por ai .Enfim gosto de fazer essas viagens imaginarias . Às vezes elas podem ser bastante reveladoras e surpreendentes . Espero ter lançado alguma luz sobre

    a questão ou inspirado algum colega leitor aqui do OH. Caso alguém , assim como eu já tenha se indagado a respeito desta Hiper-Longevidade (irei chamá-la assim) do gênero humano , suas possíveis explicações , gostaria muito de saber .
    Também quero deixar claro(pelo fato de eu ter citado a Bíblia) que para min não existe um abismo entre a Ciência e a Religião , pelo contrário acredito que ambas são complementares , e o que existe na verdades são “pontas soltas” no que é creditado a uma ou a outra , o que dificulta e muito o esclarecimento geral da humanidade sobre qualquer assunto que as envolva .
    “A CIÊNCIA SEM A RELIGIÃO É MANCA , A RELIGIÃO SEM A CIÊNCIA É CEGA” (Albert Einstein)