Similaridades impossíveis: 2 templos, 14.000 quilômetros os separando

Tempo de leitura: 3 min.

Dois templos antigos, construídos por duas civilizações da antiguidade separadas por mais de 14 mil quilômetros, possuem estranhas semelhanças que os estudiosos não conseguiram explicar. Eles compartilharam o mesmo projeto?

Você já se perguntou como é possível que muitas estruturas antigas em todo o mundo sejam tão semelhantes em construção, estilo e projeto?

Centenas de pirâmides e templos ao redor do globo exibem semelhanças intrigantes com seus homólogos localizados a milhares de quilômetros de distância.

Como esse fenômeno pode ser explicado?

Seria apenas uma coincidência? Ou, como muitos outros autores sugeriram, uma conexão inconsciente que liga antigas civilizações em todo o mundo?

Um dos templos antigos, mais incríveis e semelhantes que encontramos, está localizado em Siem Reap, no noroeste do Camboja, e seu homólogo está a mais de 14 mil quilômetros de distância, na Guatemala.

Baksei Chamkrong (Camboja)
Camboja.

Próximo das magníficas ruínas de Angkor Wat está um antigo templo em formato de pirâmide, conhecido como Baksei Chamkrong.

Embora seja uma estrutura construída com rochas e, portanto, não pode ser datada em carbono, os arqueólogos convencionais sugerem que o templo tenha sido construído no século X D.C.

Curiosamente, e para a surpresa de muitos, o nome Baksei Chamkrong significa ‘O pássaro que dá proteção sob suas asas’, e vem de uma antiga lenda. Nela, o rei tentou fugir de Angkor durante um cerco, e então um enorme pássaro pousou e o protegeu sob suas asas.

 

Templo do Grande Jaguar (Guatemala)

Localizadas na Bacia de Petén da Guatemala, estão as ruínas da antiga cidade maia de Tikal. Esta foi uma das mais importantes cidades antigas dos maias.

Tikal era a capital de um estado que se tornou um dos mais poderosos reinos maia da antiguidade.

Entre as estruturas há muito esquecidas em Tikal está o Templo do Grande Jaguar, que de acordo com especialistas remonta ao século VIII D.C.

Embora a pirâmide do Camboja seja menor do que a pirâmide na Guatemala, as semelhanças entre as características específicas de ambos projetos são incríveis.

Ambas as estruturas antigas têm um ângulo de inclinação invulgarmente íngreme que não vemos em muitas outras pirâmides ou templos. No entanto, e talvez mais importante, ambos possuem uma formação escalonada.

Há uma escadaria enorme indo para o meio de ambos os templos, e há uma área de cúpula localizada na parte superior. Uma vez lá, você pode ver que há uma pequena porta para o interior da pirâmide, e há outra estrutura interna que se parece a mesma.

Basicamente o que você tem aqui é uma civilização antiga no Camboja e outra na Mesoamérica. Apesar do fato de que os templos estão separados por mais de 14.000 quilômetros, eles apresentam semelhanças incríveis que ninguém foi capaz de explicar.

Há tantos paralelos entre estas duas estruturas, que chega a ser incrível.

É inacreditável que os estudiosos não reconheceram os paralelos entre estas duas estruturas até recentemente, e nem notaram que há mais estruturas em todo o mundo, que também são assustadoramente semelhantes em projeto.

Então, sabemos as semelhanças estão lá, mas como podem ser explicadas?

Seria possível que ambas as civilizações antigas estavam usando o mesmo projeto?

Mas se usaram o mesmo projeto, de onde ele veio?

Seria possível que ambos sítios, aparentemente não relacionados, separados por milhares de quilômetros compartilharam de um arquiteto em comum? Um construtor em comum? Um que, como muitos autores têm sugerido, não é da Terra, mas sim das estrelas?

 

O construtor – um deus das estrelas?

O folclore cambojano atribui a construção de Angkor a Preah Pisnokar, um ser considerada metade-humano, metade divino.

Preah Pisnokar era o filho da deusa da Lua e um homem mortal.

Um dia, a deusa decidiu levar Pisnokar para o céu, onde ele conheceu a grande alto deus Indra, que determinou que uma educação especial deveria ser dada ao jovem.

Uma vez no céu,  foi dado a Pisnokar o conhecimento sobre matemática, engenharia, arquitetura e várias outras disciplinas científicas.

Se dermos uma olhada na teoria dos astronautas da antiguidade, vemos que há paralelos interessantes entre a civilizações maia e cambojana e suas histórias.

Se dermos uma olhada nos manuscritos maias, o deus Kukulkan é responsável pela arquitetura e projeto de suas pirâmides e templos.

Ele também foi o Deus que deu conhecimento sobre matemática, engenharia e outras disciplinas científicas diferentes à humanidade, basicamente as instruções idênticas atribuídos a Pisnokar.

Foi dito que Kukulkan desceu de uma estrela.

Na mitologia maia, Kukulkan é retratado como uma serpente emplumada, mas ele também era visto como um grande ser que usava um capacete; mas não apenas qualquer capacete, um com raios sobre ele, e ele foi retratado sentado em uma ‘nave’ em formato de ovo, meio aberta.

Segundo a mitologia da América Central, ele era um professor; ele era o ‘portador do conhecimento.’

Em outras palavras, de acordo com a teoria dos astronautas da antiguidade, ele era um extraterrestre de carne e osso.

Mas seria possível que estes dois arquitetos do outro mundo eram de fato o mesmo ente?

E se assim for, seria possível haver mais evidências de um mesmo ‘mestre de obras’ em outras partes do planeta também?

(Fonte)

Tudo aquilo relatado pelas civilizações da antiguidade que saia até mesmo um pouco da normalidade imposta a nós é automaticamente taxado pelos arqueólogos convencionais como lenda ou mito. Será mesmo que esses povos da antiguidade só sabiam escrever baboseiras e maluquices, ou os malucos somos nós em desconsiderarmos as informações que inúmeras civilizações ao redor do mundo deixaram para nós?

n3m3

AngkorCambojaGuatemalaKukulkanMaiamistérioPisnokartemplosTikal
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (31)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Brazz de Lima

    acredito que seja coincidência!! não são tão semelhantes assim!

    • Beeros Sama

      Se analisar pelo modo de construção e “datas” são bem parecidas.
      Sem contar que existiram inúmeros seres antes de nós e sim a teoria de Darwin que os dogmaticos/preguiçosos seguem está totalmente errada.
      ;-}

      • Toinho

        Isso, semelhante não quer dizer igual.

  • Amapola

    Belos tempos. Belos templos.
    Todo o conhecimento se disseminava equitativo a todos os seres.
    Época de Ouro, uma Era em que os homens conviviam com os Deuses de igual para igual.
    A arquitetura era usada como representação do trabalho de Ascenção que todos deviam realizar. Em cada detalhe havia uma chave, um portal, uma abertura consciencial. As pedras “falavam”…
    Bela sabedoria que se perdeu na noite dos tempos. Infelizmente hoje olhamos para as pedras enigmaticamente erigidas… e nada mais compreendemos.
    Por que nperdemos nossas antigas capacidadesos tornamos assim?

    • KOALA

      Porquê? Porquê? Porqueeeê? Ó mundo cruel!!!

      • Amapola

        Muito crueeeel….

  • JPV

    Só de terem forma piramidal já é bastante intrigante. Assim como o fato de praticamente todas as civilizações antigas, mesmo estando em continentes distintos terem construído pirâmides. Será que tiveram o mesmo arquiteto? Ou era apenas o tipo de construção que estava na moda.

    • SERLON

      O problema das pessoas aceitar presunção como verdade absoluta.
      Piramides=túmulos.
      Construções com escadarias que leva a seu topo =templos.
      E por ai vai…

      • Toinho

        Exatamente isso, incutiram isso em nossas mentes e isso virou uma verdade.

  • KOALA

    Naquela época a preferência por construções piramidais era uma fixação no mundo todo. “Alguém” espalhou essa moda.

  • Tmago

    Estudaram na mesma faculdade de arquitetura, sendo q um foi mais ousado e caprichoso, mas ambos prestaram atenção nas aulas e aprenderam o conceito. Predador versus Aliens.

    • Pazifico

      Talvez empreiteira trabalhando para o governo, nunca sai 100% !

    • SERLON

      Bom dia meu nobre…
      O problema todo está na mentirado toda que nos foi contada por aqueles que se dizem historiadores donos da verdade e da ultima palavra…
      Sabem nada inocentes !
      Um fraterno abraço.

  • new.ufology

    Convenhamos, há centenas de outras similaridades entre culturas afastadas, não só arquitetônicas, mas linguísticas, por exemplo, o que traz a dedução de um idioma original, que teria se dividido no episódio da Torre de Babel. E o que a Torre de Babel significava? Uma espécie de construção que checasse o céu e visse onde os deuses habitavam… nas dimensões superiores. Bem, aqui temos um gancho interessante entre a Torre, os templos, pirâmides e suas funções secretas e, talvez, o MODUS OPERANDI destes templos, que é a Palavra, o Idioma secreto, o modo de “falar” dos Anjos, que entra em ressonância com as forças da natureza e as dimensões secretas, ciência pura dos antigos… porque se a chave não estivesse na Palavra perdida de acesso aos portais e dimensões através dos templos ressonantes em sua geometria especial… porque Deus se importaria em confundir todos os idiomas, fazendo aquele Idioma original ser esquecido na mente de todos os homens, para impedí-los de subir ao céu pela Torre e conhecer a morada dos deuses?

    • sanduul

      concordo new…

    • aland_55

      Concordo. Houve sim, este conhecimento superior na antiguidade e apesar de nos ter sido tomado , sobraram vestígios no nosso DNA e este é compartilhado em uma espécie de internet cósmica entre aqueles que conseguem a metodologia adequada.

      • new.ufology

        Exato, e concordo, pra mim, a principal prova da humanidade original e única é a assinatura do DNA e seus segredos ainda não decifrados. Determinadas estruturas que estão dormentes em nossas células mas que, se despertas, farão com que a gente reassuma a memória de todo esse conhecimento bem como o pode que lhe é inerente, de uma super raça do passado que já fomos, em contato com os seres cósmicos por igual condição!

    • Antonio Olivieri

      Me desculpe a ignorância , mas a torre de Babel original não seria a de Nabucodonosor na Babilônia ? Como diria Datena …me ajuda aí a entender …

      • new.ufology

        A primeira referência a Torre de Babel acontece no Gênesis 11, entre os primeiros descendentes de Noé… nem havia ainda a civilização da Babilônia. Na Babilônia, o que o rei fez foi erigir uma imensa estátua para que o povo o cultuasse como deus. Está no Gênesis 11 a história toda, e o termo Babel, ali, não se refere a Babilônia, mas ao sentido de CONFUSÃO das línguas, sendo o significado deste nome.

        • Antonio Olivieri

          Ta certo … obrigado pela explicação

  • samir Miguel

    Teoria dos campos morfogeneticos, memória morfogeneticos. Rupert Sheldrake

  • Pazifico

    Pode ser que os ARQUITETOS sejam os mesmos, mas construídos por empreiteiras diferentes.

    • new.ufology

      EGITO LTDA, MAIA S.A., Inca’s Corporation, etc…

      • WJunior

        Tinha a Tupiniquim Empreendimentos mas a verba sumiu…
        e nada das pirâmides

        • new.ufology

          kkkkkk…. terceirizados pelas empresas Tabajara!

  • Pazifico

    Por que pedras, e tão grandes?
    Porque as pedras são (quase) eternas!

  • Marcelão Meireles

    Acredito que tudo isso ai sao padroes nas mentes das pessoas, arquetipos que existem desde sempre

  • Leo Ferreira

    Elas foram construídas uma ao lado da outra, porém devido a pangeia separaram-se ! kkkkk
    Ou… espiões russos roubaram o projeto e venderam no mercado negro.. só não se sabe de quem foi a obra original.

  • 666Dark

    Não esquecendo do programador e que nada disso tem passado !

  • Joao Paulo Jesus Flores

    Si não me entes estes pontos são anti-podais neh ?