Espaço do Leitor: Arqueologia Proibida – os artefatos fora de lugar

Tempo de leitura: 14 min.

A Era Mesozóica

Ao voltar-mos no tempo, entramos num período da Era Mesozóica que começou com o surgimento dos primeiros dinossauros na terra, e terminando com o desenvolvimento das plantas com flores. Os humanos não apareceriam por pelo menos outros 136 milhões de anos. No entanto, as descobertas científicas apresentadas abaixo sugerem que civilizações estavam visitando o passado da Terra e caminhando numa época em que os dinossauros andavam pelo planeta.

Tubo Metálico em Saint-Jean de Livet, França, superior a 65 milhões de anos de idade.

Descobertas do período Cretáceo

Y. Druet e H. Salfati anunciaram em 1968 a descoberta de tubos metálicos semi-ovóides, de formatos idênticos, mas tamanhos diferentes, no calcário Cretáceo. O leito calcário, exposto numa escavação em Saint-Jean de Livet, na França, é avaliado como tendo pelo menos 65 milhões de anos de idade. Tendo considerado e eliminado várias hipóteses, Druet e Salfati concluíram que seres inteligentes viveram 65 milhões de anos atrás. Quem trouxe e deixou estes tubos metálicos na França mais de 65 milhões de anos antes do aparecimento do primeiro ser humano?

Sola de Sapato de Nevada, datada em 213 – 248 milhões de anos atrás.

Descobertas do período Triássico

Em 8 de outubro de 1922, o caderno American Weekly do jornal New York Sunday American publicou um artigo de destaque intitulado “Mistério da ‘sola de sapato’ petrificada”, pelo Dr. W. H. Ballou. Ballou escreveu: Algum tempo atrás, enquanto explorava fósseis em Nevada, John T. Reid, destacado engenheiro de minas e geólogo, parou de repente e olhou para baixo em total perplexidade e espanto para uma rocha perto de seus pés. Pois ali, numa parte da própria rocha, estava o que parecia ser uma pegada humana! Uma inspeção mais rigorosa mostrou que aquela não era a marca de um pé nu, mas que era, aparentemente, uma sola de sapato que se transformara em pedra. A parte dianteira estava faltando. Mas havia o delineamento de pelo menos dois terços dela, e em volta deste delineamento passava um fio costurado e bem definido que tinha, segundo parecia, colado o debrum à sola. A seguir havia outra linha de costura e, no centro, onde teria pousado o pé se o objeto tivesse sido mesmo uma sola de sapato, havia uma reentrância, exatamente como teria sido feita pelo osso do calcanhar esfregando e desgastando o material com que a sola havia sido feita. Reid entrou em contato com um microfotógrafo e um químico analítico do Instituto Rockefeller, que tirou fotos e fez análises do espécime. As análises eliminaram quaisquer dúvidas quanto ao fato da sola de sapato ter estado sujeita à fossilização Triássico.

As ampliações microfotográficas são vinte vezes maiores do que o próprio espécime, mostrando os mais diminutos detalhes da torção e urdidura do fio, e provando, de forma conclusiva, que a sola de sapato não é uma semelhança, mas estritamente o trabalho manual do homem. Mesmo a olho nu, podem ser vistos distintamente os fios e os delineamentos de perfeita simetria da sola de sapato. Dentro desta borda e em sentido paralelo a ela, está uma linha que parece ser regularmente perfurada como que por pontos. A rocha Triássica portadora da sola de sapato fóssil é hoje reconhecida como sendo datada em 213 a 248 milhões de anos de idade. Um sapato obviamente moderno, completo com costura, e gravado no tempo numa rocha Triássica antiga. Que visitante moderno estava caminhando em nosso passado distante mais de 210 milhões de anos atrás antes da época dos dinossauros?

A Era Paleozóica

Ao aprofundar-mos no tempo, entramos num período da Era Paleozóica em que a vida estava evoluindo de formas primitivas, flutuadores errantes multicelulares no oceano, para grupos avançados em terra. As formas mais avançadas no final deste período eram anfíbios, insetos, florestas de pteridófitas, e pequenos répteis. Os humanos não surgiriam por aproximadamente outros 300 milhões de anos. No entanto, as descobertas científicas abaixo sugerem novamente de forma mais acentuada que humanos modernos com tecnologia avançada estavam visitando o passado da Terra e andando numa época em que as primeiras formas de vida começavam a aparecer no nosso planeta.

Descobertas do período Carbonífero

Cordão de Ouro na Inglaterra, entre 320 – 360 milhões de anos de idade.

Em 22 de junho de 1844, esta curiosa notícia foi publicada no London Times: “Poucos dias atrás, enquanto alguns operários trabalhavam para extrair uma rocha próxima ao Tweed, cerca de 400 metros abaixo do moinho de Rutherford, foi descoberto um cordão de ouro incrustado na pedra a uma profundidade de 2,4 metros.” O Dr. A. W. Medd, do Instituto Britânico de Pesquisas Geológicas, escreveu em 1985 que esta pedra é da era do Carbonífero Primitivo, com idade entre 320 e 360 milhões de anos. Quem deixou cair este cordão de ouro nas antigas florestas pteridófitas, num passado distante quando as formas mais avançadas de vida no planeta eram anfíbios e insetos?

Corrente de Ouro de Morrisonville, Illinois, 260 – 320 milhões de anos de idade.

Em 11 de junho de 1891, o The Morrisonville Times noticiou: “Uma curiosa descoberta foi trazida à luz na última terça-feira de manhã pela Sra. S. W. Culp. Enquanto quebrava um pedaço de carvão para colocá-lo num balde, ela descobriu, ao despedaçar o carvão, uma pequena corrente de ouro, incrustada em forma circular, com cerca de 25 centímetros de comprimento, de artesanato antigo e singular. A princípio, a Sra. Culp pensou que a corrente tinha caído por acaso no carvão, mas, ao tentar erguê-la, a idéia dela ter caído ali recentemente se tornou de imediato falaciosa, pois, quando o pedaço de carvão se quebrou, ele separou-se quase que na metade, e a posição circular da corrente colocou as duas extremidades próximas uma da outra, e quando o carvão se separou, o meio da corrente afrouxou-se enquanto cada extremidade permaneceu presa ao carvão. O pedaço de carvão do qual foi extraída esta corrente provém provavelmente das minas Taylorville ou Pana (sul de lllinois), e quase tira o fôlego pelo mistério de se pensar por quantas longas eras a terra vem formando estratos após estratos que ocultaram da visão as correntes douradas. A corrente era de ouro de 8 quilates e pesava 9 gramas.” Segundo o Instituto de Pesquisas Geológicas do Estado de Illinois, o carvão em que foi encontrada a corrente de ouro tem de 260 a 320 milhões de anos. Isto levanta a possibilidade de seres humanos culturalmente avançados terem estado presentes ou visitando a América do Norte durante aquela época. Como esta corrente de ouro veio parar no passado distante da Terra mais de um quarto de bilhão de anos antes dos humanos terem surgido?

Pedra Entalhada perto de Webster, Iowa, 260 – 320 milhões de anos de idade.

A edição de 2 de abril de 1897 do Daily News de Omaha, Nebraska, trazia um artigo intitulado “Pedra Entalhada Enterrada em Mina”, que descrevia um objeto de uma mina perto de Webster City, Iowa. O artigo declarava: “Hoje, enquanto extraía carvão na mina de carvão de Lehigh, a uma profundidade de 42 metros, um dos mineiros deparou com um pedaço de rocha que o intrigou, não sendo ele capaz de explicar a presença dela no fundo da mina.” A pedra é de cor cinza escura e tem cerca de 60 centímetros de comprimento, 30 centímetros de largura e 10 centímetros de espessura. Sobre a superfície da pedra, que é muito dura, existem linhas desenhadas em ângulos que formam diamantes perfeitos. O centro de cada diamante é um rosto bem feito de um homem velho com uma reentrância peculiar na testa, que aparece em cada uma das imagens, todos sendo extraordinariamente parecidos. Dos rostos, todos, exceto dois, estão olhando para a direita. Quem entalhou e deixou esta pedra no passado distante da terra?

Xícara de Ferro da Mina de Carvão em Oklahoma, 312 milhões de anos de idade.

Em 27 de Novembro de 1948 o seguinte comentário foi feito por Frank J. Kenwood, em Sulphur Springs, Arkansas. “Enquanto eu trabalhava na Estação Elétrica Municipal em Thomas, Oklahoma, em 1912, deparei com um naco sólido de carvão que era grande demais para ser usado. Quebrei-o com uma marreta. Esta peça de ferro caiu do centro, deixando a impressão do seu molde no pedaço de carvão. Stall (um empregado da companhia) testemunhou a quebra do carvão e viu a xícara cair. Eu investiguei a fonte do carvão e descobri ser ele oriundo das Minas Wilburton, em Oklahoma”. Segundo Robert O. Fay, do Instituto de Pesquisas Geológicas de Oklahoma, a mina de carvão Wilburton tem cerca de 312 milhões de anos. Que civilização avançada ou visitante estava criando ou usando potes de ferro em nosso passado, mais de 300 milhões de anos atrás?

Parede de Blocos numa Mina em Oklahoma, pelo menos 286 milhões de anos de idade.

W. W. McCormick, de Abilene, Texas, registrou o relato de seu avô de uma parede de blocos de pedra que foi encontrada no fundo de uma mina de carvão: No ano de 1928, eu, Atlas Almon Mathis, trabalhava na mina de carvão número 5, localizada a 3 quilômetros ao norte de Heavener, Oklahoma. Esta era uma mina de poço, e nos disseram que ela tinha 3 quilômetros de profundidade. A mina era tão profunda que descíamos nela de elevador … Bombeavam ar para nós lá embaixo, de tão profunda que ela era. Certa noite, Mathis estava dinamitando carvão com explosivos no “recinto 24″ desta mina. “Na manhã seguinte”, disse Mathis, “havia diversos blocos de concreto estirados no recinto. Estes blocos eram cubos de 30 centímetros e eram tão lisos e polidos por fora que todos os seis lados podiam ser usados como espelhos. Todavia, estavam cheios de cascalho, porque lasquei um deles com minha picareta, e era concreto maciço por dentro.” Mathis acrescentou: “Quando eu começava a colocar vigas de madeira no recinto, ele desmoronou, e eu escapei por pouco. Quando regressei após o desmoronamento, vi que ficara exposta uma parede sólida desses blocos polidos. Cerca de 90 a 140 metros mais abaixo do nosso núcleo de ar, outro mineiro deparou com esta mesma parede, ou outra muito parecida.” O carvão na mina era do Carbonífero, o que significaria que a parede tinha pelo menos 286 milhões de anos de idade. Segundo Mathis, os funcionários da empresa de mineração imediatamente tiraram os homens da mina e proibiram eles de falar sobre o que haviam visto. Mathis disse que os mineiros de Wilburton também contaram sobre a descoberta de “um bloco sólido de prata na forma de um barril … com as marcas das aduelas nele” numa área do carvão datada entre 280 e 320 milhões de anos atrás. Que civilização avançada construiu esta parede?… Por que a verdade, como em tantos outros casos, foi protegida e escondida?… Qual a verdade sobre a presença de visitantes humanos modernos e tecnologia moderna em nosso passado?

Hieróglifos numa Mina de Carvão em Ohio, 260 milhões de anos de idade.

Foi relatado que James Parsons e seus dois filhos exumaram uma parede de ardósia numa mina de carvão em Hammondville, Ohio, em 1868. Era uma parede grande e lisa, revelada quando uma grande massa de carvão destacou-se dela, e em sua superfície, entalhadas em alto-relevo, havia diversas linhas de hieróglifos. Quem entalhou estes hieróglifos mais de 250 milhões de anos antes dos humanos caminharem pela terra?

Descobertas do período Devoniano

Prego em Arenito Devoniano, entre 360 e 408 milhões de anos de idade.

Em 1844, Sir David Brewster relatou a descoberta de um prego firmemente incrustado num bloco de arenito da Pedreira Kingoodie (Mylnfield), na Escócia. O Dr. A. W. Medd, do Instituto Britânico de Pesquisas Geológicas, indicou recentemente que este arenito é da “idade Inferior do Antigo Arenito Vermelho” (Devoniano, entre 360 e 408 milhões de anos de idade). Em seu relatório à Associação Britânica para o Avanço da Ciência, Brewster declarou: “O bloco em particular no qual o prego foi encontrado tinha 23 centímetros de espessura, e no processo de preparar o bloco bruto para polimento, a ponta do prego foi encontrada projetando-se cerca de 1,5 centímetros (bastante corroída pela ferrugem) para dentro do ’till’ (argila depositada por geleiras), e o restante do prego jazendo ao longo da superfície da pedra numa extensão de 2,5 centímetros até a cabeça, que penetrava o corpo da pedra.” O fato da cabeça do prego estar enterrada no bloco de arenito pareceria descartar a possibilidade do prego ter sido martelado no bloco após este ter sido extraído. Esta era uma época em que os anfíbios e insetos eram as únicas formas de vida dominantes no nosso planeta. Então quem derrubou este prego que acabou sendo preservado em pedra numa época há mais de 350 milhões de anos antes dos humanos aparecerem?

Descobertas do período Cambriano

Impressão de Sapato no Xisto de Utah, 505 a 590 milhões de anos de idade.

Em 1968, William J. Meister, desenhista e colecionador amador de trilobita, registrou a descoberta de uma impressão de sapato em Wheeler Shale, perto de Antelope Spring, Utah. Esta reentrância em forma de sapato e seu feitio foram revelados quando Meister abriu um bloco de argila xistosa. Claramente visíveis dentro da impressão, estavam os restos de trilobitas, artrópodes marinhos extintos. A argila xistosa portadora da impressão e dos fósseis de trilobita é do Período Cambriano, e deste modo, teria de 505 a 590 milhões de anos de idade. Meister descreveu a antiga impressão em forma de sapato num artigo publicado na Creation Research Society Quarterly: A impressão do calcanhar estava afundada na rocha cerca de um quarto de centímetro a mais do que a sola. A pegada era nitidamente aquela do pé direito, porque a sandália estava bem gasta do lado direito do calcanhar de forma característica. Nesta época da história do nosso planeta não havia planta ou vida animal em terra, mesmo os mais antigos tipos de peixes nadando nos oceanos não haviam evoluído. Deve ter sido uma paisagem estéril que este visitante do passado viu ao caminhar pela terra. Como ele chegou numa época tão distante do nosso passado?

Descobertas do período Pré-Cambriano

Vaso Metálico em Rocha Pré-Cambriana, mais de 600 milhões de anos de idade.

O seguinte relatório, intitulado “Relíquia de uma Era Antiga”, foi publicado na revista Scientific American (5 de junho de 1852): Poucos dias atrás, foi dinamitada a rocha em Meeting House Hill, em Dorchester, uns 15 metros ao sul da casa de reuniões do Reverendo Hall. A explosão lançou uma imensa massa de rocha, com alguns dos pedaços pesando algumas toneladas, e espalhou fragmentos em todas as direções. Entre esses fragmentos foi encontrado um vaso metálico em duas partes, separadas pela explosão. Ao juntar as duas partes, formou-se um vaso campanular, com 12,7 centímetros de altura, 17,7 centímetros na base, 7,6 centímetros no topo, e cerca de 0,3 centímetros de espessura. O corpo deste vaso tem cor parecida com a do zinco, ou de um metal composto, havendo nele uma considerável porção de prata. Na lateral há seis figuras de uma flor, ou buquê, com uma bela decoração em pura prata, e contornando a parte inferior do vaso há uma vinha, ou grinalda, também com decoração em prata. A gravação, o entalhe, e a decoração, são feitos com o requinte da arte de algum hábil artesão. Este vaso curioso e desconhecido foi extraído pela dinamitação da massa sólida de pedra, 4,5 metros abaixo da superfície.

Segundo um recente mapa norte-americano de levantamento geológico da área de Boston-Dorchester, a massa de pedra, hoje chamada o conglomerado de Roxbury, é de idade Pré-cambriana, com mais de 600 milhões de anos. Pelos relatos convencionais, a vida apenas começava a se formar neste planeta durante o Pré-Cambriano. Contudo, a julgar pelo vaso de Dorchester, temos evidência indicando a presença de artesãos em metal na América do Norte mais de 600 milhões de anos antes de Leif Erikson. Nesta época da história do nosso planeta não havia vida em terra, vegetal ou animal. As formas de vida mais avançadas nesta época estéril da história do nosso planeta eram algas simples, flutuando nos oceanos. No entanto, de algum modo esta bela peça de arte foi trazida e deixada para trás, e finalmente enterrada e preservada na rocha antiga.

Esfera Sulcada da África do Sul, 2.8 bilhões de anos de idade.

Nas últimas décadas, mineiros sul-africanos encontraram centenas de esferas metálicas, e pelo menos uma delas tem três sulcos paralelos girando em torno de seu equador. As esferas são de dois tipos ­ “uma de metal sólido azulado com manchas brancas, e outra que é uma bola oca recheada com um centro esponjoso branco”. Roelf Marx, curador do museu de Klerksdorp, África do Sul, onde estão guardadas algumas das esferas, disse: “As esferas são um mistério completo. Elas parecem feitas pelo homem, todavia, na época da história da Terra em que vieram descansar nesta rocha, não existia vida inteligente. Os globos são encontrados em pirofilita, que é extraída perto da pequena cidade de Ottosdal, no Transvaal Ocidental. Esta pirofilita é um mineral secundário bastante macio, com uma contagem de apenas três na escala de Mohs, e foi formada por sedimentação cerca de 2,8 bilhões de anos atrás. Porém, os globos são muito duros e não podem ser arranhados, nem sequer com aço”. A esfera com os três sulcos paralelos a contornando são perfeitos demais para serem qualquer outra coisa senão feitos pelo homem. O depósito mineral Pré-cambriano onde os globos foram encontrados é datado em pelo menos 2.8 bilhões de anos de idade. Nesta época, células microscópicas simples eram as únicas coisas vivas na terra – mas isto obviamente não é verdade. Quem criou ou deixou para trás estas esferas magníficas? Obviamente feitas pelo homem, e mais resistentes do que aço. Qual era a finalidade delas para as pessoas que visitaram e deixaram elas perdidas no tempo?

*Mais informações podem ser encontradas no livro A História Secreta da Raça Humana, por Michael Cremo e Richard Thompson

Radical Livre

arqueologia proibidaoopartsTerra
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (78)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • italo.souza09

    Com certeza na época em que cientistas dizem que no deveria ter vida na terra “inteligente”, já deveria ter pessoas fazendo suas casinhas e forjando coisas com metais que atualmente é complicado de se trabalhar.

  • n3m3

    Obrigado por apontar o lapso. Realmente um erro de grafia.

  • Ze pintado

    Obaaaaaa. Tem russas no pedaço..

    • ledenovo

      Acho que, exceto por você, ninguém clica nestes anúncios….Se é que você clica kkkkkkkkk

      • T.Burt Yllumn

        Cá entre nois, bem na miúda mesmo, vou falar bem baixinho para que os outros não nos ouçam: estes anún…cios são um triemnda furada. Só tem treco exxtranho!
        Este comentário se auto destruirá assim q vc ler a msg. Fuiiii.

        • PALEOSETI

          Kkkkkkk
          Concordo.
          Só deixo eles aparecerem, para ajudar o OH.
          Eu tinha formatado a máquina e instalado uBock Origin (o primeiro programa que instalo após a formatação) e esqueci de liberar para o OH.
          Só percebi, depois do comentário do Zé pintado. Aí liberei o OH..

          • T.Burt Yllumn

            Ok. Eu não bloqueio, inclusive, por curiosidade, entrei em quase todos e fique atordoado com tanta picaretagem.

            • PALEOSETI

              Verdade.
              Só pelo anúncio já dar pra ver que é picaretagem:
              Esse truque me rende 40.000 por mês.
              Quem tiver um truque desse não passa pra ninguém. hehehe

              • ledenovo

                Agora fiquei inculcado, basta a exibição para render uns caraminguás? Juro que pensei que era necessário clickar.

                O problema , para mim, é que não queria dar mole pra gata(minha patroa) pensar que estou de olho nessas russas ou ucranianas ou seja lá de onde elas são. Tipo assim, a exibição fica poluída e da até vergonha de assessor o site em público.
                Por isso uso bloqueador de propagandas ( maliciosas).

                • T.Burt Yllumn

                  Será q seremos censurados por este bate papo meio ‘subversivo’ kkkkmk

                  • PALEOSETI

                    Pois é. PAREI.
                    Vamos nos precaver. kkkkkk

                    • T.Burt Yllumn

                      Prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém…..

                    • ledenovo

                      E a galinha não conta kkkkkkkk

                    • T.Burt Yllumn

                      Kkkkkkkkk
                      Estou vendo q qualquer hora vão dar um alerta geral no blo…:
                      ALERTA GERAL, os ETs acabam de invadir a Casa Branca…. Eles estão destruindo o congresso Nacional….invadiram tudo….

                    • ledenovo

                      Kkkkkkkkkkkk

                  • ledenovo

                    Tudo é possível….Mas ao meu ver, enquanto usuários do sistema ,temos que emitir nossa opinião também.

                    O que me intriga é que exatamente estas propagandas estão espalhadas pelo universo kkkkkkkkkk Onde vou lá estão elas (com raras exceções).

                    Houve tempos que sempre pintava umas enquetes pra saber nossa opinião.

                • PALEOSETI

                  Vou pesquisar pra ver se descubro como realmente esses anúncios funciona.
                  Me falaram que funciona mais ou menos como um vídeo no Youtube. Se for só visto, tem um valor e se for visto e curtido, um valor maior.
                  Mas não tenho certeza se funciona assim.

                  • ledenovo

                    Falô!

              • T.Burt Yllumn

                Eu entrei num anúncio ” o livro negro das loterias”,
                500 reais e vc tem a garantia de ganhar altos prêmios na quina, mega sena etc…. O pior q tem desavisados q caem…

                • ledenovo

                  Ô livrinho caso sô!!!

                • T.Burt Yllumn

                  Claro q é lorota…

                • Flavio Toledo

                  existe toupeira pra tudo…

              • ledenovo

                A Empiricus passa mas cobra!

                • T.Burt Yllumn

                  Ganhe 8 mil trabalhando em suas horas de folga, enviando mal direta….aí te obrigam a comprar um kit de 800 reais….
                  Danger!

                  • ledenovo

                    Ainda bem que fora esses “pega trouxas” existem algumas propagandas que dão pra clickar sem medo e contribuir com o sustento do OH. (Propagandas de carros, apartamentos, viagens, faculdade, concursos,etc).

          • ledenovo

            Paleoseti lendo denovo seu comentário…vejo que ficou meio esquisito você ter liberado o OH kklkkkklkkll

            • PALEOSETI

              kkkkkkkkkkkk

    • PALEOSETI

      Aqui só tava aparecendo artefatos. hehe

      • T.Burt Yllumn

        Boa noite amigo paleoseti, leia o q eu escrevi loga abaixo e diga se concorda ou não.

  • Minirott

    Algum dos métodos de datação está errado. E pq diabos datam ossos pelos sedimentos nos quais foram encontrados?

    • RadicalLivre

      Os periodos de datação estão corretos. Este material é de um livro escrito por dois cientistas renomados (referencia ao final da segunda pagina do artigo).
      Datam ossos pelos sedimentos porque o carbono 14 não consegue datar além de 70 mil anos. Os ossos estavam incrustrados na camada geológica correspondente, a varios metros enterrados no solo, e intocados desde a formação da camada.

      • Minirott

        Ah é, e centenas de cientistas renomados confirmam as datas que o livro questiona. Haha

        • RadicalLivre

          …e milhares de cientistas renomados dizem que OVNIS não existem…

          • Minirott

            Por isso q não se pode usar opinião de cientistas renomados como argumento. Mas quem começou foi tu.

            • RadicalLivre

              …nem todos os “renomados” são defensores do status quo mentiroso que nos empurram há centenas de anos…

      • Eduardo Silva

        Para saber se devemos ou não acreditar na palavra dos tais “cientistas renomados”, há uma regra simples: o tal “cientista renomado” ou os tais “cientistas renomados” estão sempre em evidência nas mídias de massas, fazendo papel de fantoches do sistema, para dar mais credibilidade a conceitos “renomados” que acabam se transformando em dogmas científicos? Se a resposta for não, há grande chance de serem credíveis suas afirmações.

        • ledenovo

          Sito um destes fantoches em terreno tupiniquim…DR. Marcelo Glaiser. Seria ou é um ótimo integrante para a equipe “livro azul”

  • ledenovo

    Aguardando comentários da Geek…a gata rsrsrsrsrs.

    • T.Burt Yllumn

      Rsrsrsrsrs! Estou a aguardar A Cat, Lua, N.Crazy e Preda com respectivos conhecimentos.

      • ledenovo

        Que assim seja porque de artefatos fora do lugar só conheço os de casa durante a faxina geral do Sábado, daqui a pouco começa rsrsrsrsrs
        Fui….

        • T.Burt Yllumn

          Kkkkkkkkk, ” tá tudo fora do lugar, café sem açúcar, dança sem par”(Cazuza)

          • ledenovo

            Grande Cazuza….”transformam o País inteiro num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro”

        • LuaPequena

          Oi ledenovo !
          Não sei o que aconteceu mas, ela desapareceu do Blog !
          Há muito que não comenta !
          Abração !

          • ledenovo

            Não sabia, brigado Lua.
            Abraço pra você também.

  • T.Burt Yllumn

    Parabéns ao OH pela disponibilidade do espaço, e parabéns ao Radical Livre pelo excelente texto. As colaborações revigoram o blog e trazem novas perspectivas aos leitores.

  • Alex Vieira

    Me deem uma pá e eu faço um iphone ter mais de 50 milhões de anos ao enterrá-lo em sedimentos deste período.

    • PALEOSETI

      É mais fácil você enterrar seu iphone agora, rezar para que o tempo mantenha ele intacto e você estará escrevendo a história para daqui a 50 milhões de anos. hehe

      • José Carlos Gouvêa

        E com créditos…

    • Lênio™

      Me deem um iPhone e eu enterro uma pá (chinesa) e faço ela ter mais de 50 milhões de anos…

      • T.Burt Yllumn

        Dê-me uma pá cheia de iPhone eu te devolvo daqui 50 milhões de anos…

        • Lênio™

          Kkkkkk, melhor ainda.

          • ledenovo

            Kkkkkkkkk

  • Roberlane Godoi

    Prezados
    Lendo os proveitosos comentários dos colegas, chego a conclusão que a história do homem na face da Terra é muito mais complicada e misteriosa do que afirma a Arqueologia.

  • Joao Paulo Jesus Flores

    Simples, a verdadeira historia não é a que estamos acostumados

  • Jonas

    Gosto muito desse tema, um dos ooparts que mais acho interessante é o Martelo de Kingoodie, que sempre aparece novas teorias, ou como farsa ou como mistério.

  • T.Burt Yllumn

    Podemos também concluir : os viajantes do tempo q visitaram a terra antiga gostavam de ostentar usando cordões de ouro. E nestas excursões era comum perder os cordões e sapatos pelo caminho….
    Mas eu acho q temos q reescrever a história da humanidade. São muitas coisas obscuras a ser dada à luz!

    • RadicalLivre

      A começar pela ciencia admitir que houveram civilizações humanas anteriores, em um periodo contemporãneo dos dinossauros, e mesmo muito antes. O darwinismo devia parar de ser ensinado às crianças na escola; seria muito mais honesto ensinar que não sabemos nada de consistente de alguns milhares de anos para trás.
      Estas evidencias colocam um grande prego na tampa do caixão da teoria da evolução:
      Uma esfera manufaturada com mais de 2 bilhoes de anos pode ser admitido como algo deixado pelos aliens em visita à terra nesse passado quase impensavelmente distante; mas que aliens usariam pilões, há 55 milhões de anos atrás? Evidentemente é produto de uma civilização terráquea.

    • Adriane Costa

      Acho q ja ta passando da hora de admitirem q a inteligencia humana é antiquíssima, o ego dos cientistas em se acharem o apogeu da inteligencia humana.

  • ledenovo

    Sou completamente leigo sobre este assunto e várias dúvidas me vem à cabeça, uma delas é esta: Poderiam os tais objetos e até mesmos estes seres humanos terem caído nestes nestas profundezas? Digo por meio de vãos ou buracos, tipo esses que se abre do nada e engolem tipo o que há em seu redor.
    Ex: buraco da Guatemala ou da Rússia, entre tantos outros.

    • RadicalLivre

      Não, as profundidades onde foram encontrados eram a superfície na época.

      • ledenovo

        Valeu!

  • LuaPequena

    Boa noite O. H. !
    Apenas teorizando !
    Toda a história contada sobre a evolução darwiniana e inclusive a criacionista está ” furada” e as duas correntes nunca souberam de nada, apenas inventaram teorias para satisfazerem a curiosidade humana, que tem a necessidade de conhecer suas origens e acabou por dar a cada uma das ” correntes ” o direito de ” puxar a brasa pra sua sardinha “.
    Creio que haja duas explicações para tudo isso :
    O ser humano moderno já existia há milhões de anos, convivendo com outras espécies de hominídeos menos evoluídos, vivendo em sociedades bem organizadas e possuidores de tecnologias..
    Essas civilizações foram desaparecendo e surgindo novas, mais evoluídas a cada uma das Eras.
    Ou, como tenho dito algumas vezes aqui, o homem do futuro descobriu como viajar no tempo e muitos podem não ter conseguido retornar à casa, ficando presos para sempre na época errada.
    Uns podem ter sofrido acidentes, outros podem ter tido problemas com o artefato para a viagem temporal .
    Os que tiveram contratempos e por algum motivo não conseguiram retornar a sua época, podem ter lançado mão da construção de objetos simples para sua sobrevivência, como o pilão para amassar folhas ou grãos encontrados .
    Outros elaborado utensílios usados na construção de alguma espécie de abrigo, como martelos e pregos, que ficaram encrostados no terreno ou rocha.
    Podem ter, também, trazido consigo pertences pessoas, como moedas, jóias, etc, que caíram e se perderam nas profundezas do solo !
    E agora, todos esses objetos estão sendo encontrados e por ainda não possuíres condições para a viagem no tempo, pelo menos que saibamos, inventam todo tipo de ” historinhas ” sobre o surgimento do Homem !
    Só viajando nas ondas do tempo !
    Abraços a todos !

    • KOALA

      Verdade. Mas eles poderiam ter sido também imigrantes que vieram fugidos de planetas em guerra ou de planetas que sofreram catástrofes naturais.

      • LuaPequena

        Olá Koala !
        Claro que sim !
        Nesse nosso tema, como sempre digo, tudo são suposições.
        Não podemos afirmar nada !
        E, portanto, sua Teoria é tão válida, quanto a minha ou a de outro qualquer, que esteja no mesmo ” barco ” que o nosso !
        Podem ter sido Extras humanoides, com aparência idêntica a nossa, a terem habitado este Planeta ou mesmo o visitado em Eras remotas !
        Tudo pode !
        Abração !

        • KOALA

          Isso. Então suponho que minha suposição possa também ser provável.

          • LuaPequena

            Exatamente , KOALA !
            Abração !

        • douglas wojtowicz lippold

          Acho que tanto quanto a alienígenas exploradores perdidos com naves abatidas, quanto humanos do futuro são possibilidades plausíveis ao meu ver , por que como acabamos de ler pouco sabemos sobre a nossa real historia , portanto pensar no ‘impossível’ fica cada vez mais fácil pra mim

          • LuaPequena

            Boa tarde, Douglas !
            Prazer falar contigo !
            Na minha opinião, o impossível não existe !
            Pois, se ser humano pode imaginar, então pode ou poderá vir a realizar tudo aquilo que imaginou !
            Creio que, deve haver um ” arquivo cósmico “, não entendo dessas coisas, onde toda a memória do Universo está guardada, independente de passado, presente ou futuro.
            Tudo deve estar ali contido e vez por outra alguém passa a ter a capacidade de acessá-lo ou alguma interferência ” ESTRANGEIRA ” vem e nos põem a par dele !
            Sei que às vezes viajo bastante mas, o que seria desse mundo se não houve quem questionasse o ” sistema ” que nos foi imposto !
            Quando tudo vier à tona, teremos que reescrever a história, pois esta, que nos contaram e teimam em continuar contando, não é a realidade a qual fomos e ainda estamos inseridos!
            Abraços !

            • douglas wojtowicz lippold

              Memoria Cache universal , com certeza creio nisso nossas mentes são como aparelhos de radio , basta sabermos sintonizar nas ondas corretas.
              ABRAÇOO

          • RadicalLivre

            Creio que tudo aponta para duas possibilidades juntas: civilizações humanas desde o passado remoto, das quais não restaram traços, e também visitas extraterrestres; o pilão de 55 milhões de anos, certamente não é extraterrestre; já a esfera de 2,8 bilhões de anos na segunda página, provavelmente seja.
            Sobre humanos do futuro visitando o passado, só podemos especular, enquadrariam-se na hipotese da esfera também, mas não na do pilão e outros objetos.
            Eu colocaria da seguinte forma, na escala das probabilidades:
            -Civilizações humanas há muitos milhoes de anos: certeza
            -Visitantes extraterrestres há milhoes e mesmo há bilhões de anos: altamente provavel
            -Visitantes humanos do futuro: possivel.

            De toda forma, a teoria da evolução já era…

    • Alexandre Karam

      Como diz Cortella, “possível, mas pouco provável”.
      Qnd se volta no tempo, vc ” cria” um universo paralelo, isto é, uma realidade alternativa. O “mundo” de onde essa pessoa saiu, não pode ser acessado novamente. E nada que ele fizer nessa nova realidade, vai influenciar a antiga realidade.
      É muito mais provável visitas feitas em nosso planeta por inúmeras civilizações na antiguidade, já que nosso planeta tem mais de 4 bilhões de anos e nossa civilização apenas alguns mil anos….

  • KOALA

    Um artista plástico desempregado faz milagres para sobreviver.

    • ledenovo

      Será que já existia desemprego há 50 milhões de anos atrás!?

      • KOALA

        Pergunta no posto Ipiranga.

        • ledenovo

          Então tá!

          • KOALA

            KKKK

  • KOALA

    Boa. Mandou bem. KKKK

  • dora petris

    Concordo com vc Lua.
    Abração!