Descoberta de boro reforça possibilidade de vida em Marte

Tempo de leitura: 2 min.
Credito: MSSS/JPL/NASA (PIA18390)

A descoberta de boro em Marte fornece aos cientistas mais pistas sobre se a vida poderia ter existido naquele planeta, de acordo com um artigo publicado na revista Geophysical Research Letters.

Patrick Gasda, pesquisador pós-doutorado  no Laboratório Nacional de Los Alamos, nos EUA, e autor principal no papel, disse:

Devido o fato de que os boratos podem desempenhar um papel importante na criação de RNA – um dos blocos de construção da vida – o boro em Marte abre ainda mais a possibilidade da vida ter surgido naquele planeta.

Os boratos são uma possível ponte de moléculas orgânicas simples para o RNA. Sem o RNA, você não tem vida. A presença de boro nos diz que, se orgânicos estiveram presentes em Marte, essas reações químicas poderiam ter ocorrido.

O RNA (ácido ribonucleico) é um ácido nucleico presente em toda a vida moderna, mas os cientistas têm uma longa hipótese de um “RNA World“, ou Mundo de RNA, onde a primeira proto-vida foi feita de fios de RNA individuais que continham informações genéticas e podiam copiar-se. Um ingrediente chave do RNA é um açúcar chamado ribose. Mas os açúcares são notoriamente instáveis; eles se decompõem rapidamente na água. A ribose precisaria de outro elemento para estabilizá-lo. É aí que entra o boro. Quando o boro é dissolvido na água, tornando-se borato, reage com a ribose e estabiliza por tempo suficiente para produzir RNA.

Gasda disse:

Detectamos boratos em uma cratera em Marte de 3,8 bilhões de anos, mais jovem do que a provável formação da vida na Terra. Essencialmente, isso nos diz que as condições nas quais a vida poderia potencialmente crescer podem ter existido no antigo Marte, independente da Terra.

O boro encontrado em Marte foi descoberto em veios minerais de sulfato de cálcio, o que significa que o boro estava presente na água subterrânea de Marte e fornece outra indicação de que algumas das águas subterrâneas na Cratera Gale eram habitáveis, variando entre 0-60 graus Celsius, e com um pH indo de neutro a alcalino.

O boro foi identificado pelo instrumento ChemCam (Química e Câmera) a laser do jipe-sonda, que foi desenvolvido no Laboratório Nacional de Los Alamos, em conjunto com a agência espacial francesa. O trabalho de Los Alamos em instrumentos de descoberta como o ChemCam decorre da experiência adquirida no laboratório e opera mais de 500 instrumentos espaciais para defesa nacional.

A descoberta de boro é apenas uma das várias descobertas recentes relacionadas à composição das rochas marcianas. O jipe-sonda Curiosity está subindo uma montanha marciana em camadas e encontrando evidências químicas de como os lagos antigos e os ambientes subterrâneos molhados mudaram, há bilhões de anos, de maneiras que afetaram sua potencial favorabilidade para a vida microbiana.

À medida que o jipe-sonda avançou subindo, a tendência é a de encontrar mais boro. Estas e outras variações químicas podem nos informar sobre as condições sob as quais os sedimentos foram inicialmente depositados e sobre como as águas subterrâneas que se deslocam pelas camadas acumuladas alteraram e transportaram elementos dissolvidos, incluindo o boro.

Se a vida marciana já existiu, ainda é algo desconhecido [pela ciência de tendência predominante]. Nenhuma evidência convincente para isso foi encontrada. Quando o jipe-sonda Curiosity desembarcou na Cratera Gale de Marte em 2012, o principal objetivo da missão era determinar se a área sempre ofereceu um ambiente habitável, que desde então foi confirmado. O jipe-sonda Mars 2020 será equipado com um instrumento chamado “SuperCam“, desenvolvido pelo Laboratório Los Alamos, bem como um instrumento chamado SHERLOC, que foi desenvolvido pelo Laboratório de Propulsão a Jato, com participação significativa do Los Alamos. Ambos procurarão por sinais de vida passada no planeta.

(Fonte)

boroCuriosityMartevida em Marte
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (10)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • italo.souza09

    isso me cheira a propaganda de governo

    • EsnerVista

      Certamente…
      E essa “descoberta” é politicagem… e como são politicos, ainda vão enrolar muito tempo até revelar vida inteligente fora da terra, SE revelar…

    • LuaPequena

      Oi Rui !
      Um dia sempre acabaremos por provar de nosso próprio veneno !
      O dia deles ainda vai chegar !
      Abração !

  • Diana Artemis

    “….blocos de construção da vida!” ou seja, vida como nós conhecemos! Qqer outra composiçao pelo jeito é descartada ou não mencionada para não levantar uma hipotese “descabida” que pode “manchar” ou não soar mto bem no meio no qual akele cientista esta inserido. Em resumo, cientistas sendo “politicos” rsss

  • Joao Paulo Jesus Flores

    Que grande novidade vida em Marte, já sabia

  • LuaPequena

    Boa noite O. H. !
    Blá,blá,blá !!!!!!
    Oh, ” papinho furado ” !
    Ah, cansei desses micróbios marcianos !!!
    Só queria saber como é que eles fazem para limpar o Jipinho ” Curioso ” .
    Afinal, micróbio não tem mãos, ou será que os de Marte tem ?
    Eles vão procurar por vidas passadas em Marte.
    Mas, será que terão ajuda dos marcianos do PRESENTE ?
    Abraços a todos !

  • LuaPequena

    Olá Sandro !
    Realmente, Marte já não é tão vermelho quanto diziam ser !
    Eles alteram as cores para nos ludibriar !
    Sandro, esse tradutor que você usou tá TERRÍVEL !
    Abraços !

  • Tmago

    O q precisamos é dar um passo a frente em nossa civilização e sair de 0. Não temos q gastar recursos procurando por respostas em Marte.

  • Claudio

    Bom dia
    No Brazil, fizemos ate musica para essa descoberta:

    boro, num planeta tropical
    abenco por DE
    e boni por nature
    ma que bele
    não tem carna….