5 fatos indicando que vivemos num Universo vivo

Tempo de leitura: 3 min.

Embora muitas pessoas se considerem o centro do Universo, de forma geral até mesmo o ser humano mais desligado de toda informação que flui na sociedade hoje pode chegar à conclusão de que fazemos parte de algo maior, muito mais poderoso do que nossos egos.  Mas seríamos peças independentes dentro deste grande complexo, ou estaríamos ligados a ele de maneiras que ainda não compreendemos completamente?

Há quem diga que, assim como nossos corpos são constituídos por inúmeras células, e estas por átomos e assim por diante, também nós, nosso planetas e todos os outros corpos celestes, somos análogos a essa hierarquia em relação ao próprio Universo. E será que o Universo que conhecemos também é um componente de algo maior ainda?

Talvez não seja nem aconselhável pensar muito nisso, para não danificarmos nossos pequenos cérebros. Porém, para lhe dar um bom começo para pensar a respeito dessas coisas para as quais não temos respostas, abaixo estão 5 possíveis indicações que podem significar que estamos vivendo num Universo vivo:

1. As galáxias são semelhantes a um cérebro humano

Em um estudo divulgado em 2012 no periódico Nature’s Scientific Reports, o físico Dmitri Krioukov, da Universidade de San Diego, na Califórnia, descobriu que, de acordo com uma simulação computacional, o Universo pode crescer como um cérebro.

Ele explica:

A dinâmica de crescimento natural é a mesma para diferentes redes reais, como a Internet ou o cérebro, ou as redes sociais.

O estudo sugeriu que leis fundamentais podem governar o crescimento de sistemas grandes e pequenos, desde a queima elétrica entre células cerebrais e crescimento das redes sociais, até a expansão das galáxias.

 

2. Códigos binários

Enquanto trabalhava nas equações relativas à teoria das supercordas – uma teoria científica que visa explicar todas as forças na natureza através da vibração de cordas teóricas – o físico teórico James Gate Jr., da Universidade de Maryland, descobriu algo muito interessante: código de computador.

Sim, de acordo com Gates, havia áreas de 0’s (desligado) e 1’s (ligado) incorporadas nas equações – uma espécie de código binário pulsante que administra nossos computadores. O que é interessante é que isso nos leva a entender que o aquilo que experimentamos pode ser apenas o produto de sinais de uma rede virtual de geração de realidade virtual, transmitida por uma entidade a partir do limite do espaço.

Pao Chang, um espiritualista, pensa que nossa realidade é, de fato, uma mera ilusão. Em seu livro, intitulado Staradigm, ele apresenta uma visão interessante sobre como a realidade funciona:

As estruturas principais da realidade funcionam de forma semelhante às de um computador. Um computador comunica e opera através do uso de códigos binários, que são códigos que consistem um (ligado) e zero (desligado). Os códigos binários são muito simples, mas com as combinações corretas eles podem ajudar os computadores a criarem coisas magníficas.

 

3. Proporção Áurea

A Proporção Áurea foi encontrada em cones de pinho, conchas e até mesmo nas pinturas de Leonardo DaVinci, mas em uma emocionante descoberta de pesquisadores da Universidade do Havaí, em Manoa, padrões de fração e pulsos da Proporção Áurea foram encontrados nas estrelas. Eles fizeram a descoberta usando o Telescópio Espacial Kepler. Os pesquisadores estavam estudando um tipo específico de estrela conhecida como variáveis ​​de RR Lyrae que são diferentes das estrelas normais na medida em que se expandem e se contraem. Com cada expansão e contração, o brilho da estrela aumenta e diminui drasticamente, um processo conhecido como pulsação.

O que os pesquisadores descobriram em seguida foi o mais surpreendente. Verificou-se que as estrelas do estudo pulsavam de acordo com a média áurea. Esta descoberta é a primeira vez que a Proporção Áurea foi identificada no espaço. Embora a amostra de estrelas neste estudo tenha sido bastante pequena, os pesquisadores perceberam um padrão intrigante entre as quatro estrelas com frequências de pulsação próximas à Proporção Áurea. Cada uma dessas estrelas exibiu comportamento fractal em um padrão sem fim, que se repete em escalas continuamente menores.

 

4. Tempo e espaço são uma ilusão

Simplesmente falando: a teoria da relatividade de Albert Einstein.

O espaço e o tempo não são variáveis ​​independentes no nosso Universo, mas sim aglomeram-se no continuo espaço-tempo. Em essência, o espaço depende do tempo e do tempo depende do espaço, um conceito que rompe totalmente nossa ideia de uma realidade definitiva e da universalidade do tempo. Então, tanto o espaço quanto o tempo, de fato, acabam por ser meras ilusões dependentes da localização espacial e do movimento de nada além do observador. O passado, o presente e o futuro não são corrigidos, mas são apenas um acúmulo de variáveis ​​espaciais.

 

5. Mecânica quântica e experiência da fenda dupla

No experimento, um feixe de elétrons disparou através de uma fenda e em uma tela replicou um padrão semelhante à uma onda, em vez de um concentrar material.

No entanto, mais interessante, quando este mesmo feixe de elétrons foi observado, ele se comportou como algo similar aos sólidos, o que significa que o elétron já teve vários eventos quânticos prováveis ​​antes da observação ter ocorrido. Ele poderia ter saltado da tela, passado por qualquer fenda, passado por ambas as fendas, ou simplesmente foi até a tela. Essas probabilidades foram representadas pela onda. No entanto, quando ocorreu uma observação, a onda entrou em colapso para uma realidade material – o que significa que qualquer evento físico é produto de nada além de observação! (Confuso? Clique aqui para um vídeo bem didático sobre essa questão.)

De acordo com Erwin Schrödinger, todos os resultados possíveis de um evento existem como forma de onda combinatória antes que esta onda entre em colapso em uma manifestação material após a observação. O tipo de manifestação depende da sua probabilidade e do ponto no continuo espaço-tempo em que a observação é feita.

(Fonte das informações acima)

Estes cinco fatos são indicações fortes de que não vivemos num ambiente morto e que a vida é um acaso. Parece haver algo mais por detrás de tudo isso.

Possivelmente irá demorar muitas gerações para conseguirmos desvendar o mistério que é o nosso Universo…  Talvez nunca conseguiremos.

Mas as pistas já estão sendo expostas para, mesmo sem conseguirmos desvendar estes segredos, maravilharmos sobre esta grande incógnita que é a nossa vida, dentro deste assombroso Universo.

Mas sobre esta questão:

O Universo é consciente, acreditam alguns cientistas

n3m3

cosmologiaUniverso vivovida
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (12)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Kaczmarczik

    o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o Bom Dia a Todos !!!! o o o o o o o o o o o o o o o o
    _________________ De fato são considerações científicas, isso mesmo, científicas, que levam a crer que há algo ainda maior que interage com o Universo, inclusive com os ExTras, se bem que há outros Universos também que também interagem entre si… Tudo isso pode apontar para uma Inteligência Superior – superior até aos ExTras, porque eles também estão contidos no Universo e no Multiverso!.Só discordo na teoria de que tudo seja uma ilusão, afinal, o que vivemos é real (dor, alegria, medo, objetos, alimentos, etc) e também discordo de que tudo só exista porque observamos as coisas… Enfim, é animador saber que o Universo e os Multiversos possuem algum propósito e não foram apenas obra do acaso!!!
    o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o

  • Alex Vieira

    Tempo e espaço sempre foram uma ilusão criada pelo homem para dominação, na verdade nunca existiu, me admira que cientistas renomados como Albert Einstein acreditavam nisso, é a tentativa de padronizar algo para se faça sentido, não há sentido nenhum no universo.

  • aland_55

    Se olharmos de outra perspectiva, tudo pode mudar. Se não estamos nos sentindo bem, olhamos a natureza e vemos só os elementos e não achamos nada, mas quando estamos felizes achamos tudo maravilhoso. E se tivéssemos alguns “gatilhos” como parte natural e integrante da evolução que automaticamente disparariam com o aumento de nossa frequência nos possibilitando uma total compreensão de tudo. Acho que o segredo de tudo está dentro de nós mesmos.

    • Grizzy

      Sim, nós somos o segredo tão procurado.
      “Se não encontras dentro de ti mesmo aquilo que buscas, tampouco o encontrarás fora.”

      • RadicalLivre

        “O que está em cima é igual ao que está embaixo”; “O macrocosmo é igual ao microcosmo”.

        • Grizzy

          “…para as maravilhas da Coisa Única…” (Hermes Três Vezes Grande, Ibis de Thoth)

          • RadicalLivre

            Pois é. Está tudo aí para quem sabe onde buscar. O GADU nos deu a centelha. Só temos que mantê-la acesa.

            • Grizzy

              Isso! Se der, ajudar a iluminar um pouquinho a rota dos que estão meio parados. Uma faísca aqui, uma referência ali… 🙂

  • Grizzy

    Que maravilha… Amei… É uma elegia às coisas simples e à feminilidade… Vídeo muito delicado e sensível. Obrigada por este belo presente, vou dormir feliz. Boa noite.

  • Joao Paulo Jesus Flores

    Imaginem si nos fossemos parte de um cérebro de um ser vivo em outro universo, e em nosso próprio cérebro exista também um universo?, realmente Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que sonha a nossa vã filosofia

  • Orion

    Os inúmeros relatos de avistamentos em bases nucleares, seguidos das inutilizações dos mísseis nucleares por parte dos UFOS, só vem a corroborar o fato de que o Universo funciona como uma teia de aranha. Qualquer ação danosa que venhamos a causar a nós mesmos, utilizando arma tão destrutiva, causará desequilíbrio no todo à níveis inconcebíveis. A interferência deles em nossas bases nucleares não visa a nossa proteção, e sim a manutenção do equilíbrio de algo que a nossa mais fértil imaginação ainda não consegue conceber.

  • sergio_ntl@hotmail.com

    Eu sempre tive a ideia que fazemos parte um corpo realmente vivo. Podemos até usar o nosso corpo como exemplo. Quem sabe que parte do corpo cosmos fazemos parte. parece loucura, talvez até seja.
    nossas ações pedem desencadear um desiquilíbrio do cosmos da mesma forma que uma célula defeituosa pode gerar mutações maléficas ao nosso organismo. Talvez estes seres que nos cercam sejam responsáveis por zelar pelo equilíbrio cósmico. podemos de fato destruir o universo.