Ponte construída há 1,7 milhões de anos pode mudar a história humana

Tempo de leitura: 3 min.

Uma “ponte” de 1,7 milhão de anos é a evidência final de que os humanos estiveram na Terra há muito mais tempo do que especialistas afirmam.

Formação artificial ou natural? Um especialista afirma que esta é a evidência final de que os seres humanos ergueram “estruturas sofisticadas há mais de um milhão de anos.

O ex-diretor da entidade de Pesquisa Geológica da Índia acredita ter encontrado a evidência final de uma ponte artificial de 1,7 milhão de anos, o que indica que a humanidade existia na Terra há milhões de anos e tinha a capacidade de erguer estruturas “sofisticadas” muito antes do que sugerem os especialistas de tendência predominante.

Isso, no entanto, vai contra tudo o que nos disseram desde que, de acordo com os cientistas de tendência predominante, os humanos surgiram na Terra há somente cerca de 200 mil anos, mas a suposta ponte coloca em dúvida tudo o que os cientistas acreditaram ser verdadeiro.

A estrutura – que é supostamente visível mesmo do espaço – ocupa uma área relativamente grande que se estende da Índia até o Sri Lanka.

Curiosamente, as antigas lendas hindus sugerem que o rei Rama, uma divindade hindu, construiu uma ponte de proporções similares há mais de um milhão de anos.

De acordo com a tradição hindu, esta “faixa de terra” é uma ponte construída pelo deus hindu Rama, como foi contado no épico Ramayana. Rama é uma das manifestações mais famosas do Deus Supremo e é reconhecida como a imagem, o espírito e a consciência do hinduísmo, uma das religiões mais antigas do mundo.

Na verdade, desde a antiguidade esta formação é conhecida como a “Ponte de Rama” ou “Rama Setu”.

O épico indiano Ramayana conta a história da ponte terrestre e como foi construída para servir o deus hindu Rama, a fim de ajudá-lo a atravessar a água para chegar à grande ilha e resgatar sua amada das garras do rei demoníaco Ravanna.

É uma história de amor, atos valentes e construções incríveis, como parece.

 

Mas quem foi o cientistas que disse que a ponte era real?

Estamos falando do Dr. S. Badrinarayanan, ex-diretor do Geological Survey of India e ex-coordenador da divisão de pesquisa do Instituto Nacional de Tecnologia Oceânica (NIOT). Ele estudou amostras centrais da ponte e, aparentemente, está convencido de que não estamos olhando para uma formação natural, como sugerem outros cientistas, mas sim uma estrutura artificial e que foi “erguida” há mais de um milhão de anos.

Segundo os relatórios, o Dr. Badrinarayanan realizou um levantamento desta estrutura e concluiu que foi feita pelo homem.

O Dr. Badrinarayanan e sua equipe fizeram 10 furos ao longo do alinhamento de “ponte”. O que ele descobriu foi surpreendente. Cerca de 6 metros abaixo da superfície, ele encontrou uma camada consistente de pedra de areia calcária, corais e materiais como rochas. A equipe dele ficou surpresa quando descobriu uma camada de areia solta, cerca de 4-5 metros mais abaixo e então formações de rocha dura abaixo disso.

Uma equipe de mergulhadores passou a examinar fisicamente a ponte. Os pedregulhos que eles observaram não eram compostos de uma formação marinha típica. Eles foram identificados como tendo vindo de ambos os lados da ponte. O Dr. Badrinarayanan também indica que há evidências de pedreiras antigas nessas áreas. Sua equipe concluiu que os materiais de qualquer uma das orlas foram colocados sobre o fundo arenoso da água para formar a ponte.

Em um painel de discussão especial sobre Rediff, o Dr. Badrinarayanan disse:

Não é uma formação natural; a parte superior parece ser uma estrutura artificial.

Para entender o que estou dizendo do ponto de vista geológico, você tem que conhecer várias coisas.

O que é conhecido como a Ponte de Adão é originalmente uma divisão de grau natural que separa a Baía de Bengala e o Oceano Índico ao sul. Assim, os aspectos geológicos são diferentes em ambos os lados.

Dr. Badrinarayanan ainda acrescentou:

Encontramos areias marinhas em cima e abaixo que era uma montagem mista de corais, pedras de areia calcária e materiais semelhantes a pedregulhos.

Surpreendentemente abaixo de até 4 a 5 metros, novamente encontramos areia solta e depois disso, formações duras estavam lá.

Ele acrescentou que “abaixo dos corais e pedregulhos, estávamos acessando areia solta, o que significa que não é natural”.

No entanto, o Ramayana diz que a ponte foi construída sobre uma base de madeira (que foi colocada no topo de uma elevação natural preexistente) que foi coberta de pedras grandes e pequenas .

Mas, como já era de se esperar, há muitas pessoas que não concordam com o Dr. Badrinarayanan.

Um deles é Suvrat Kher, um geólogo especializado em formações marinhas, que acredita firmemente que não estamos a ver mais do que uma formação natural.

Escrevendo sobre a suposta ponte, o Dr. Kher disse:

Durante a ‘era do gelo’ no período Pleistoceno, o acúmulo glacial e o derretimento o derretimento forçou flutuações no nível do mar em dezenas de metros, estabelecendo as condições para vários episódios de recife de corais e formação de bancos de areia. Durante períodos de grandes quedas do nível do mar no Pleistoceno, haveria uma conexão terrestre entre a Índia e o Sri Lanka. ‘

Mas no final da última glaciação de Wisconsin, o nível do mar começou a aumentar em todo o mundo.

(Fonte)

E assim, o debate continua a respeito de quando a raça humana realmente surgiu neste planeta.

n3m3

história humanaÍndiaSri Lanka
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (45)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • lucville

    como será que calcularam a idade da ponte?

    • italo.souza09

      Fragmentos das rochas

    • Wagner Sechas

      Carbono 14 !

  • italo.souza09

    Daqui a pouco encontram indícios de 200 milhões de anos atrás, já estou até vendo.

  • Grizzy

    Tenho observado

  • paulo joão

    Mas por que tem que ser humanos que fizeram isso(se é que não é natural)?

    • david israel

      Por se tratar supostamente de uma ´´prova“, teriam que concordar que foram humanos pois até o momento não temos ´´prova“ oficial da existência de seres extraterrestres.
      Concordo com você, porque teria que ser humanos os construtores?

  • Rui Oliveira

    Pode ser uma formação natural… Em todo o caso, e levando em conta a teoria dos Anunnakis, os Deuses caídos, abre-se a porta para essa hipótese. Há tantos indícios inexplicáveis de existência de uma civilização muito mais avançada do que a nossa atualmente, que nos remete para possibilidades inimagináveis até para mentes brilhantes, quanto mais para uma comum. Se nós num curto prazo de validade facilmente esquecemos o passado, imagine-se passado milhões de anos!? Não tenho duvidas de que há muitos mistérios para desvendar… Não sei se conhecem o super betão dos Romanos? Há portos marítimos na Itália feitos de concreto que ainda estão de pé depois de milhares de anos. Enquanto isso, uma estrutura moderna de cimento teria sorte em durar 50 anos quando exposta à água salgada. Não digo que aquela estrutura seja desse betão mas, poderá existir uma possibilidade de algo parecido??

    • cyrocs

      Bom dia a todos.

      O notável concreto romano tem sido objeto de muitos estudos. Atualmente supõe-se que o “segredo” esteja no uso de materiais vulcânicos na elaboração da mistura. Veja o link (trocar
      os três “?” por “.”):

      www?conhecimentohoje?com?br/Recentes939.htm

  • Ze pintado

    Faço ideia de quantos milhões foram desviado dessa obra pra pagar propina! Fontes muito segura de disse que foi a Andrade Gutierrez que construiu…

    • LuaPequena

      Oi Zé Pintado !
      Não ???????????????????????????????????????????
      Mas, até lá e há tanto tempo ???????????????????????????????
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!
      Abraços !

  • Francisco Antônio Muniz Gomez

    Ou de outra civilização que não a do homem. Afinal nosso planeta tem 4 bilhões de anos.

    • LuaPequena

      JUSTAMENTE, TONINHO !!!
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!
      Abração !

  • Guerreiro

    A história humana é muito mais fantástica do que imaginamos! Ainda há muito o que ser descoberto.

  • brexpeditionary

    Para variar vemos descuido no uso de nosso vernáculo por aqui: é 1,7 MILHÃO de anos! É só raciocinar: quantos “milhões” vc tem no número 1?

    • Estevan Borges Martins

      Depende, posso ter incontáveis milhões até chegar no numero 1 rsrsrs

  • Joao Paulo Jesus Flores

    ESTA PONTE EXISTIA E NÃO EXISTE MAIS? SI FOI CONSTRUIDA ARTIFICIALMENTE NÃO VEJO NECESSARIAMENTE QUE ESTA SUPOSTA PONTE TENHA SIDO CONSTRUIDA POR HUMAN OS, O PLANETA É MUITO ANTIGO E OUTRAS FORMAS DE VIDA INTELIGENTE PODEM TER HABITADO ESTE MUNDO

  • Igor Medeiros

    Estou muito cansado senão desenharia melhor para vocês, mas as pontas da estrela são as encarnações, e a própria estrela simboliza a involução/evolução do ser

  • Pólux 88

    Ta na hora de alterarmos esse paradigma asqueroso vigente. Estamos sendo soterrados a cada dia por novas informações/evidências. Já tá ficando chato…

  • cyrocs

    Bom dia a todos.

    Este caso é bem mais complicado do que parece a primeira vista, não é uma simples diferença de opiniões entre acadêmicos. Envolve interesses políticos e religiosos, logo no início do segundo artigo, o autor declara que é uma fraude de fundamentalistas hindus. Vejam detalhes nos links a seguir (troque os “?” por “.”):

    Ianchadwick?com/blog/debunking-the-adam-bridge/

    www?delhiscienceforum?net/history-and-philosophy-of-science/60-the-hoax-of-the-nasa-bridge-by-prabir-purkayastha-.html

  • Spock

    Calma lá… Um milhão de anos atrás chega a ser MUITO arriscado.
    Que a epopéia de Rama deve ter um fundo de verdade histórico com certeza que sim!
    Porém… Há um milhão de anos atrás estaríamos ainda nas planícies e savanas e outros lugares.
    Há não ser que se considere que o auxiliar de Rama… conhecido como Hanuman (aquele com aparência de símio) fosse um da nossa espécie – o Australopithecus!!!
    Nesse sentido pode até fazer sentido…
    \//_

    • Joao Alexandre Leite

      Hum, existem estudos de certas ordens com traços religiosos que afirmam ser essa a 5 humanidade a ocupar a terra, e para ir mais longe, “afirmam espíritas que Jesus veio em todas para ensinar o caminho”,; então…. 5 x tempo de vida da humanidade = ?

  • Helio Pereira

    Pra mim, a vida e a evolução ocorrem em ciclos na terra, portanto, não acho muito estranho uma ponte tão antiga. Poderá ser descobertos artefatos até mais antigos.

  • LuaPequena

    Boa tarde !
    A Raça Humana como a conhecemos hoje, deve , realmente ter surgido, entre 400.000 a 200.000 anos atrás , isto é, o HOMO-SAPIENS e o SAPIENS-SAPIENS à cerca de 50.000 anos atrás !
    Mas, isto não quer dizer que, não havia OUTROS TIPOS DE RAÇAS INTELIGENTES NO PLANETA !
    Tipos como os chamados LEMURIANOS ( os gigantes ) , seres fisicamente diferentes de nós !
    Ou os ATLANTES, também altos e fortes, que eram tecnologicamente avançados mas que, ao que parece, não teriam desenvolvido o seu lado espiritual !
    Acredito que, Seres Extra devem ter habitado este planeta há eras incontáveis !
    Isto viria a confirmar as pegadas de seres humanoides nas pedras sedimentares, cuja idade alcança os milhões de anos !
    Os Maias afirmam que já estamos na quinta Raça humana na Terra !
    Donde se conclui que, não há nada que impeça que tenhamos tido diversas raças antes da nossa, por aqui !
    Abraços a todos !

    • RadicalLivre

      Precisamente, estamos às vésperas de iniciar a sexta sub-raça da quinta raça-raiz. Ainda teremos a sexta e sétima sub-raças, antes de iniciar a sexta raça-raiz.
      Cada raça tem sete sub-raças, e o processo todo dura milhoes de anos. Ou seja, esta ponte foi obra atlante, a quarta raça-raiz. No total são sete raças raízes, cada uma com sete sub-raças, totalizando portanto 49 grandes ciclos.
      Estamos neste momento atravessando o maior caos, e piorando, porque entre cada sub-raça, existe um curto período chamado de “Kali Yuga”, onde há uma descida acentuada na materialidade, seguida de grandes catastrofes naturais, para limpar o ambiente terrestre.
      Em seguida, dos remanescentes da sub-raça anterior, surge a proxima.
      Notemos que as escalas de tempo são largas, e o periodo de Kali Yuga pode durar centenas de anos, talvez ainda mais. A Natureza não dá saltos, tudo é gradual.
      Por isso vemos neste momento, habitando o planeta juntos, seres que são o ápice da retrogradação, os ultimos remanescentes rebeldes da sub-raça que finda, e seres altamente evoluidos comparativamente, que são a vanguarda da proxima sub-raça.
      Por enquanto, os retrogrados são a maioria, por isso a civilização atravessa este periodo caotico. Gradativamente, a situação se inverterá, sendo os mais evoluidos maioria.
      Para esta limpeza, contribuirão as catastrofes naturais que ocorrem em toda transição de final de ciclo. Para quem observa sem olhos críticos, é possivel notar que há uma confluencia indicando já o início deste ciclo de destruição e mudanças no planeta, para que possa desenvolver-se a nova fase.

      A quem interessar estudar o assunto, todas estas informações e muitissimas mais estão contidas de forma concisa e ordenada na Teosofia; mas também estão espalhadas em fragmentos, em dezenas de sistemas filosóficos e religiosos, originarios de vários países.

      Antes que venham as eventuais pedradas sobre os comentarios acima, saliento que o lema da Teosofia é: “Não há religião superior à Verdade”, portanto, não se trata de religião, seita, nem nada similar. É um sistema filosofico, baseado no acesso privilegiado a anais esotericos perdidos na noite dos tempos.
      Sugiro sinceramente aos amigos interessados, o aprofundamento no assunto.

  • Diana Artemis

    DESCOBERTA POLÊMICA DA PONTE DE RAMA – UMA ESTRUTURA FEITA PELO HOMEM DE 1.700.000 ANOS DE IDADE

    Ao longo dos anos, uma série de notáveis ​​estruturas subaquáticas foram descobertos. Muitos deles não podem ser explicados pelas visões tradicionais da pré-história, como interpretadas pelos cientistas tradicionais.

    Os mares submersos submergeram a ponte da terra de Bering, que carregou os primeiros americanos da Ásia em America do Norte, aproximadamente 11.000 anos há. A recessão que derreteu a Ponte de Gelo do Estreito de Bering pode ter contribuído para a inundação global, que é descrita entre todas as culturas antigas.

    O Grande Dilúvio não é um mito puro, mas um evento real que ocorreu no passado distante e levou à extinção de quase toda a vida neste planeta. Recentes descobertas arqueológicas e geológicas corroboram as afirmações dos antigos de uma grande catástrofe cósmica que ocorreu há milhares de anos.

    A subida e a queda dos níveis globais do mar expôs e submergiu a ponte de terra em diversas vezes durante a época Pleistocene, entre 1,8 milhões de anos a 11000 anos atrás. Pessoas e animais podiam se mover livremente pelos continentes

    Segundo o Dr. Elias, do Instituto de Pesquisas Árticas e Alpinas da Universidade do Colorado, a Ponte da Terra de Bering foi inundada há cerca de 10.500 anos.

    O nível do Oceano Pacífico subiu para dentro de 40 metros de seu nível atual e derramado através para o Oceano Ártico. A catástrofe levou a que o continente americano fosse cortado da Euroasia
    Nativos americanos estão muito familiarizados com o Grande Dilúvio e muitas vezes têm contas detalhadas descrevendo a catástrofe cósmica. Os índios de Athapascan recordam:

    “Todo dia chovia, toda noite chovia. Todas as pessoas dormiam. O céu caiu, a terra não estava. Para uma distância muito grande não havia terra. As águas dos oceanos se juntaram. Animais de todos os tipos afogaram-se. Onde estavam as águas, não havia árvores. Não havia terra. A água veio, eles dizem. As águas se juntavam por toda parte. Árvores e erva não eram. Não havia peixe, nem terra, nem animais, nem pássaros. Tanto seres humanos como animais haviam sido lavados. O vento não soprava pelos portais do mundo, nem havia neve, nem geada, nem chuva. Não trovejou nem relâmpago. Como não havia árvores a serem atingidas, não trovejou. Não havia nem nuvens nem neblina, nem havia sol. Estava muito escuro.

    Os Chimalpopoca descrevem as condições durante o Grande Dilúvio e relatam como as pessoas tentaram escapar do desastre.

    “O céu se aproximou da Terra e no espaço de um dia tudo foi afogado. As próprias montanhas estavam cobertas de água. … um tremendo furacão que levava árvores, montes, casas e os maiores edifícios, apesar de muitos homens e mulheres fugirem, principalmente em cavernas e lugares onde o grande furacão não poderia alcançá-los. Tudo isso estava na escuridão, sem ver a luz do sol, nem a lua, que o vento os trouxera. ”

    Existem literalmente centenas de mitos de inundação semelhantes em todo o mundo.
    Um bom exemplo mostrando mitos dos antigos que não devem ser descartados facilmente é a ponte de Rama (também chamada Ponte de Adão).

    No início de 2003, os satélites da NASA captaram imagens extraordinárias que causaram muita controvérsia e debate entre os cientistas. As imagens mostram uma ponte antiga e até agora desconhecida no Estreito de Palk que liga a Índia com o Sri Lanka. A ponte foi nomeada Ponte de Rama. Tem aproximadamente 18 quilômetros de comprimento e pode ser feito pelo homem.
    Ponte de Rama (Ponte de Adão)

    Hanuman é um deus hindu, que era um fervoroso devoto de Rama de acordo com as lendas hindus. Ele é um personagem central no épico indiano Ramayana e suas várias versões.
    “… todos os macacos, seguindo as ordens de Nala (macaco), juntaram árvores e pedras e os trouxeram das florestas para a praia, e os colocaram no mar. Alguns carregavam madeira, outros usavam as varas de medição, outros usavam pedras; Enorme foi o tumulto e barulho de penhascos e rochas lançadas para o mar. O primeiro dia foram feitas catorze léguas, e no quinto dia a ponte foi terminada, larga, elegante e firme – como uma linha de separação dos cabelos na cabeça do Oceano. Então o anfitrião do macaco passou sobre, Rama e Lakshman montando em cima de Sugriva e Angada. Alguns macacos foram ao longo da calçada, outros mergulharam no mar, e outros correram pelo ar,

    De acordo com o antigo épico indiano, o Ramayana, o adorado herói, Hanuman era honesto, leal e dedicado a Rama. Ele levou seu grande exército de macacos e ursos para construir a ponte da Índia para a ilha de Lanka.
    O Senhor Rama poderia assim atravessar as águas e resgatar sua esposa seqüestrada.

    Neste ponto, fica muito interessante porque essa ponte é realmente descrita em antigas escrituras hindus.

    No épico é mencionado como Ramayana construiu uma ponte 1.700.000 anos há entre Rameshwaram (India de hoje) e a costa de Sri Lanka.

    Desde que esta descoberta foi feita, tem havido um debate acalorado se a estrutura vista nas imagens de satélite é realmente feita pelo homem ou uma formação natural.
    Durante muito tempo, a cidade de Dwaraka, uma cidade em ouro, uma das sete cidades santas foi considerada como nada além de um mito puro.
    Dwaraka era a cidade de Krishna e dizia: “No mesmo dia em que Krishna partiu da terra, a poderosa Idade Kali de corpo escuro desceu. Os oceanos subiram e submergiram todo o Dwaraka “.
    Os povos de Dwaraka testemunharam a catástrofe se aproximando ea submergence da cidade no mar. Tudo é descrito em detalhes no Mahabaratha.

    “O mar, que vinha batendo contra as costas, rompeu subitamente a fronteira que lhe era imposta pela natureza. O mar correu para a cidade. Percorreu as ruas da bela cidade. O mar cobria tudo na cidade. Vi os belos edifícios submergindo um a um. Em questão de poucos momentos, tudo acabou. O mar tornara-se agora tão calmo como um lago. Não havia vestígios da cidade. Dwaraka era apenas um nome; apenas uma memória”

    Dwaraka foi considerado uma lenda por mais de 5.000 anos até que Dr. RS Rao, um arqueólogo marinho indiano respeitado descobriu estruturas subaquáticas sob o sea-bed fora da costa de Dwaraka em Gujarat. Ele descreveu o achado notável em seu livro A Cidade Perdida de Dwaraka.
    O inundado Dwaraka é incerto, talvez um tsunami. O que é certo, por outro lado, é que os mitos são muitas vezes corroborados por descobertas científicas.

    Os antigos vestígios estruturais encontrados ao largo da costa de Dwaraka demonstram que mitos e lendas antigas não devem ser ignorados sem mais investigação.

    A submersão no mar de Dwaraka, como é descrito no grande Mahabaratha épico não é um mito. Esta cidade existe e seus restos descansam debaixo d’água.

    Quando os povos antigos escreveram da Ponte de Rama é verdade e eles não mentiram. Os restos da ponte também foram descobertos.

    Nossos ancestrais sabiam mais do mundo antigo, então nós fazemos. Se nosso objetivo é aprender mais sobre a história deste planeta, então é essencial levar os mitos e as lendas mais a sério e compará-los com as mais recentes descobertas científicas. No final, muitos mais “mitos” poderão em breve ser confirmados pela ciência.

    Cidade antiga de Dwaraka descoberto debaixo d’água.
    Escrito por Ellen Lloyd – FONTE: AncientPages

    https://uploads.disquscdn.com/images/95ee6f795ec898da0afd72ceda18ee994b7d0eb17f3bcc60d01f5856c712a773.jpg

    • cyrocs

      Bom dia.

      O caso está sendo divulgado de modo totalmente sensacionalista. A “ponte” já era
      conhecida há MUITO tempo (troque o “?” por “.”):

      ianchadwick?com/blog/debunking-the-adam-bridge/

      • Diana Artemis

        Na vdd uma coisa era ser conhecida e outra é ser divulgada afinal mta gente nem sabia de sua existencia e nao acho q seja sensacionaista! Achei interessante mto do q foi abordado, a essencia é esta ai! Agora cabe as pessoas irem pesquisar mais a fundo sobre td!

          • Grizzy

            Intrometendo-me:
            Muito, muito bom. SENSACIONAL!!!
            No começo precisamos crer. Todavia, uma vez alcançada a Compreensão, estamos livres das crenças. Porque a compreensão profunda é condição “sine qua non” para a liberdade da mente e da Alma.

            • Pazifico

              Boa noite!
              Já fui algumas palestras com o “Mestre”, é muito bom!

              • Grizzy

                Hummm, muito bem!

                • Pazifico

                  Boa noite!
                  O “mestre” é (era) canadense, tinha 99, trabalhou uns 40 anos de consultor para a N4S4, viveu no Tibete como monge, e praticava Kung Fu com muita habilidade, tinha (tem) uma energia que dá para sentir,
                  algo fora do comum!
                  Obs.: Hoje se estiver vivo tem +/- 102 anos!
                  Inté!

                  • Grizzy

                    Ter o Dharma de estar na presença de um Mestre está muito além do que imaginamos antes de viver essa experiência. Pelo que você conta, este Mestre mencionado pode viver ainda muito mais tempo. Ah, os conhecimentos tibetanos… ah, se não houvesse tanto materialismo, tanto cientificismo, tanta dúvida, tanta esterilidade intelectual…

  • Nilton Monteiro

    bem,he isto estamos sempre sendo enganados………por isso tenho falado aqui,,,,,estou aqui desde o principio e sei que estou……nao tenho como provar naturalmente e nem cientificamente…..nao recordo tudo que ja passou na istoriae nem comigo…e ainda tenho a felicidade de esquecer o de ontem para fazer o de hoje,,…e aprender o conhecimento ou reciclaro novamente….a possibilidade de estarmo do futuro para o passado,….quem sabe que se alimente……um abraço a todos fui….i……..

    • José Valli

      Rsrsrsrs só.

  • Eduardo AN

    Muito interessante!

  • Thiago chipset Andrey Ferreira

    Legal.
    Merecia um estudo mais profundo.
    Cientistas como Dr. Kher ficam cegos com o que acreditam e não abrem suas mentes para novas possibilidades.

  • Kaczmarczik

    * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * Boa Noite a Todos!!! * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *
    __________ Essa ponte milhenar pode ter sido construída antes ou depois do Grande Dilúvio Universal!!!!!
    * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

  • iDark

    Com uma foto do google earth ele chegou a essa conclusao toda? assim fica facil, 5 minutos rodando pelo google earth se encontra centenas de formacoes estranhas, como sempre…boatos

  • Rogerio Netto

    Só queria saber se no céu tem pão?