Mensagem em templo antigo fala sobre catástrofe que atingiu a Terra – e cientistas alertam que pode ocorrer novamente

Tempo de leitura: 3 min.

Parece que nesses últimos dias os cientistas decidiram falar a respeito do perigo de rochas espaciais atingindo a Terra e causando devastações.

Já foi publicado aqui hoje um artigo a respeito de um estudo de cientistas russos, sobre o que ocorreria na Terra se um asteroide de um quilômetro de diâmetro atingisse a Terra. Agora temos mais uma notícia sobre um evento alarmante que teria ocorrido no passado do nosso planeta. E os cientistas que alegam ter descoberto a ‘prova’ disso alertam que algo similar poderá novamente.

Estariam eles tentando nos preparar psicologicamente para algo que está para acontecer num futuro próximo e poderá mudar nossa realidade? Veja:

Gobekli Tepe – Pilar de pedra conta sobre catástrofe.

Uma equipe de arqueólogos da Universidade de Edinburgo (Escócia), alega ter decodificado a famosa “Pedra do Abutre”, num templo pré-histórico – e suas descobertas são aterrorizantes.

A escultura estaria contando a respeito de um cometa que se chocou com o planeta, causando devastação generalizada, e mudando a vida, tal como era conhecida.

Um círculo feito de enormes blocos de pedra foi descoberto numa colina remota da Turquia, há uma década. O sítio, chamado de Gobekli Tepe, é considerado um dos templos mais antigos do mundo.

A escultura enigmática num enorme bloco de pedra – que inclui um abutre, um lobo, um escorpião e uma cobra – tem confundido os cientistas… Até agora.

Pedra do Abutre, encontrada em Gobekli Tepe.

A equipe do Reino Unido diz que a imagem registra a data em que um cometa atingiu a Terra, causando devastação e mudando o clima, assim causando uma nova Era do Gelo.

O autor principal, Dr. Martin Sweatman, diz que o círculo de pedra – que data de mais de 12.000 anos – foi um tipo de observatório estelar da antiguidade.

Seus sacerdotes pré-históricos eram obcecados pelas chuvas de meteoros, diz ele.

O estudo interpretou as diferentes criaturas como sendo as constelações de Sagitário, Escorpião, Libra, Ofiúco, Peixe, Gêmeos e Virgem. As constelações apareceram no céu em diferentes posições no passado, e suas relativas posições na pedra batem com onde elas teriam aparecido no céu noturno no solstício de verão por volta de 10.950 A.C.

Outros símbolos – inclusive um homem sem cabeça e o que parecem ser ondas de choque no céu – parecem representar um evento cataclísmico.

A Terra foi atingida por uma mini idade do gelo, há aproximadamente 13.000 anos. Os cientistas discordam sobre a causa daquele evento – mas uma teoria é a de que o impacto de um cometa ou asteroide teria mudado o clima da Terra. A data quase que bate com o que está registrado na Rocha do Abutre.

Coincidência?

O Dr. Sweatman disse:

Parece que Gobekli Tepe foi, entre outras coisas, um observatório para monitoramento do céu noturno.

Um de seus pilares parece ter servido como um memorial para este evento devastador – provavelmente o pior dia da história, desde o final da Era do Gelo.

Mas o que mais preocupa, alerta o cientista, é que precisamos nos preparar para outro impacto. No estudo ele escreve:

As implicações de catastrofismo coerente são profundas – tanto para como interpretamos a evidência dos eventos passados, como a potencialidade para como planejamos para o futuro.

Um teórico da conspiração alertou que um enorme planeta irá fazer chove meteoros na Terra este anos, antes de nos atingir, acabando com toda a vida por aqui.

Para quem está ligado no assunto, há de concordar que nos últimos 3 ou 4 anos a incidência de notícias sobre meteoros entrando em nossa atmosfera aumentou substancialmente. A questão que fica é, seria porque as notícias estão chegando a nós com mais velocidade, pela facilidade de troca de informações que a tecnologia nos trouxe, ou estaria mesmo aumentando a incidência de rochas espaciais que atingem a Terra?

Há quem defenda tanto uma quanto a outra tese e, infelizmente, tudo que podemos fazer neste momento é esperar que seja a primeira alternativa, e que essa incidência de rochas chovendo no nosso planeta sempre ocorreu por milhares de anos, pois ainda não estamos preparados para desviar um grande corpo celeste, caso ele viesse em nossa direção.

Se isso vier a ocorrer, só mesmo com a ajuda de forças externas ao nosso planeta para que uma catástrofe seja evitada.

n3m3

Fonte

catástrofecometaGogekli TepeTerra
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (41)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Hannah_Cat

    Este blog poderia trocar o nome (antes que este mundo acabe) para:

    APOCALIPSE NOW!_The End of Beginning and The Beginning of the End!

    • Douglas França Fonseca

      tpm.

    • Spock

      Creio que te reconheci no Facebook… Vou lhe mandar uma mensagem em Off!
      \//_

      • Hannah_Cat

        Esse comentário é para mim, Spock? Ou para o “Douglas França Fonseca”?

        • Spock

          Pra ti minha querida! Já até mandei a mensagem!
          \//_

          • Hannah_Cat

            Ah, desconectei-me por um breve período e só agora apareceu o nome de sua resposta atrelado ao meu.

    • Francisco Antônio Muniz Gomez

      OVNI HOJE é perfeito Hanna, engloba todos esses assuntos. Afinal podem ter sido eles que formataram a terra e criaram os seres Humanos.

      • Hannah_Cat

        Pode parecer crítica de minha parte, mas não é, apenas aproveitei os últimos temas sobre “meteoro atingir a Terra” para dar este tipo de sugestão.
        apenas uma brincadeira, que alguns aqui não perceberam.

  • RadicalLivre

    Existiram, como creio que quase todos sabem, varias civilizações antes da nossa, ao longo de centenas de milhoes de anos; os humanos, sob diferentes formas, sempre estiveram aqui, mesmo antes dos animais. E sempre ao final de cada civilização (ciclo) advém uma destruição geológica, às vezes localizada, ás vezes mais abragente, acabando com quase toda a vida no planeta.
    Pode ser causada pela água, pelo fogo, e até mesmo por um asteroide maior que impacte o planeta.
    É um processo ciclico, que se repete desde sempre. E os dias de nossa atual civilização estão agora chegando ao fim neste ciclo, para que outra, melhor, possa surgir.
    Se levará de fato 1, 10 ou 100 anos para que se conclua o ciclo, na escala cósmica é irrelevante.

  • Spock

    Como já disse… tudo é cíclico! Eventos do espaço sideral sendo transmutados com uso das mitologias bíblicas e… “profetices” e seus profetas! Haja hermenêutica!!!!! Mas não quero mais saber de demonstrar as quadraturas tentando serem encaixadas nas “circulaturas” pelos colegas da insistência!!!!
    Para felicidade de muitos (alguns)…Creio que deva dar um tempo aqui! (?)
    \//_

    • Lênio™

      Lembrei do Odorico Paraguaçú.
      Rsrsrsrs

      • Spock

        É válido! Mas aqui não estou a “papo-furar”!
        Saudações \//_

        • Lênio™

          Eu imagino que não mesmo, relaxa aí e mantenha-se aqui no blog, afinal você já é patrimônio do mesmo.
          Abração.

          • Hannah_Cat

            Exatamente, Lênio: o Spock é nosso! 😛

    • Marujo

      Correndo o risco de errar na decodificação do “(?)” …
      – NÃO!

    • Pazifico

      Não faça isso não, o “gato” já foi, que vai contestar nossos absurdos?
      Inté!

    • Gobineau

      Fraulein, os membros do partido estão de olho em ti!

    • Francisco Antônio Muniz Gomez

      Spock, e a coerência de suas opiniões, e a chamada a razão, que dá um maior equilíbrio essa página. Você é muito bem vindo.

  • Guerreiro

    Na verdade somos seres vivendo em uma grande rocha perambulando pelo espaço, e que a qualquer momento pode ser atingida por um asteroide ou cometa. Inclusive neste exato momento rochas espaciais podem estar vindo de encontro conosco. Mas ainda bem que temos o nosso grande amigo Júpiter que já nos salvou várias vezes! Mas infelizmente ele não irá nos salvar de todos os perigos!

    • Marujo

      Sim, Júpiter tem as “costas-largas”.

    • Francisco Antônio Muniz Gomez

      E nossa Lua também já deu umas ajudinhas.

  • Elias Roth

    “O estudo interpretou as diferentes criaturas como sendo as constelações
    de Sagitário, Escorpião, Libra, Ofiúco, Peixe, Gêmeos e Virgem. As
    constelações apareceram no céu em diferentes posições no passado, e suas
    relativas posições na pedra batem com onde elas teriam aparecido no céu
    noturno no solstício de verão por volta de 10.950 A.C.”

    Interessante… outro estudo cuja data .BATE com a época estimada do DILÚVIO UNIVERSAL por outras fontes, lá por volta de 11.000 aC. Ou há 13000 anos.
    E que novamente bate com o Grande Ciclo da Precessão dos Equinócios, completado em metade do seu eixo:

    A Precessão completa uma volta no Zodíaco em 25.920 anos.
    Metade disso é cerca de 13.000 anos.
    Ou seja… o que estamos atravessando hoje, em termos de aumento exponencial de meteoros e asteróides no céu, aconteceu naquela época sob um ciclo rigorosamente computado e cronometrado (25920/2).
    Isso parece inquestionável.
    Só falta descobrir o AGENTE CAUSADOR DESSA DEBANDADA DE METEOROS NO CÉU. Porque certamente se trata do mesmo naquela época e agora.
    Planeta X? Alinhamento da Galáxia com o núcleo da Terra a cada 13000 anos, conforme o Calendário Maia?
    As duas coisas juntas?
    E outras mais?

    • Francisco Antônio Muniz Gomez

      É algo esta a jogar esses meteoros para dentro de nosso sistema solar. Dizem que a terra tem marcas disso a cada 13.000 anos , se for assim!

  • PALEOSETI

    Já que a história e os eventos são cíclicos, esse deve ser um dos motivos para não sermos imortais e não cair no “Feitiço do Tempo”.

  • FireStorm

    Eu só sei que as pequenas rochas espacias sempre chegam antes da grande!

    • Francisco Antônio Muniz Gomez

      As vezes pode ser o contrario também. Até aqui tivemos sorte. Mas sorte não existe em 100% do jogo.

  • Elias Roth

    “Então saiu Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele.
    Todo o animal, todo o réptil, e toda a ave, e tudo o que se move sobre a
    terra, conforme as suas famílias, saiu para fora da arca.
    E edificou Noé um altar ao Senhor; e tomou de todo o animal limpo e de toda a ave limpa, e ofereceu holocausto sobre o altar.”
    Gênesis 8:18-20

    Eu sempre considerei que este sítio de GOBEKLI TEPE era o ALTAR ou monumento memorial que NOÉ e sua família edificaram ao Senhor, logo que saíram da Arca.
    Todos estes animais impressos nas estelas e colunas seriam em memória dos animais salvos, e há inclusive numa destas colunas a imagem de um Sacerdote, que pode ser muito bem a representação do próprio Noé.
    Porque tal região fica bem na Turquia, perto das áreas estimadas onde a Arca encalhou, no monte Ararat (Turquia).
    Saíram da Arca e encontraram determinado local para erigir o Altar memorial, e todos os animais representados ali, se relacionam as estrelas do céu naquela época e no hemisfério celeste daquela cidade.
    Esse era um costume extremamente comum entre os antigos, isto é, construir memoriais aos deuses com referências astronômicas.
    E adivinha só qual o grupo estelar direcionado ali?
    Ah… sempre elas,,, as Plêiades!
    Desde o começo do nosso mundo e civilização, já eram elas!
    E continuaram sendo…
    https://uploads.disquscdn.com/images/4a05ef31b066b2532d58e44b55e004f473e7dd78ef37292b97e495d24974f1d2.jpg

    https://uploads.disquscdn.com/images/01b20cd4ccb4bb6f6cca06f1dee3ad6ba600fb83d609e346e979871730c3db92.jpg

    • Elias Roth

      O FILHO DE DEUS

      II

      O Filho de Deus que Eu Sou, nas estrelas,
      conhece cidades de reinos distantes,
      domínios de um quântico povo
      em castas de prótons e elétrons, felizes casais,
      e os nêutrons, seus sábios anciões,
      no conselho dos núcleos,
      mas nos jardins e campos externos,
      partículas brincam, infantes que são,
      atrás das muralhas das altas moléculas,
      ainda inocentes dos segredos da matéria mais densa do mundo lá fora,
      urbanas moradas mais tristes pelo cinza que predomina,
      e mais confusas pela surdez que aumenta.
      Felizes espíritos elementares atrás das muralhas,
      muralhas que guardam todas as famílias pequenas
      em suas cirandas de cordas e fantasias pueris…
      e além daqueles muros altos e densos
      de moléculas rodando o perímetro de suas vilas,
      como sentinelas armadas e incansáveis,
      pousadas existem para os pés cansados,
      e que abrem os seus portais para peregrinos como eu,
      estes que somente estão de passagem,
      na eterna viagem em busca do Conhecimento.

    • Grizzy

      Convém estudar mais as Plêiades, a resposta está lá. E também muitas outras coisas, bem explicadinhas. Fica mais tranquilo compreender os crops se estudarmos as Plêiades.

  • Paulo Henrique dos Santos

    Abutre, lobo, escorpião e cobra são os tipos de animais que o homem sempre quis ver bem longe de si. E dependendo da época e do lugar poderiam significar outra coisa, ser outro tipo de simbologia.
    Porque diferentes povos, de origem e cultura distintas, em diferentes épocas separados por séculos senão milenios relacionariam as constelações aos mesmos simbolos?
    Que me perdoe quem acredita, mas eu vejo certo o resultado de certas “pesquisas” da seguinte forma: o cara precisa de grana, de um financiamento para seu trabalho, o que não é errado, é justo que se estude e se dedique a encontrar as respostas, até mesmo para que possamos planejar melhor nosso futuro. Mas aí se pega um assunto misterioso que nós leigos mal temos noção do que se trata, mistura com um tanto de misticismo, crendices e pseudociencia e joga na mídia pra criar polêmica. Não são todos, mas é assim que vejo certas coisas.
    Quando garoto eu trabalhei com equipes de arqueólogos e paleontólogos do Museu Nacional e UFRJ na escavação de alguns sambaquis aqui na região e ouvia eles comentarem esse tipo de coisa, isso bem antes da internet.

    • cyrocs

      Bem observado. Achei a interpretação deles uma viagem na maionese. Curiosamente, o
      Dr. Sweatman não é arqueólogo, ele tem formação em física e química. Veja os dois
      links:
      www?eng?ed?ac?uk/about/people/dr-martin-sweatman
      thermodynamics2017?efconference?co?uk/organising-committee/local-organising-committee/dr-martin-sweatman-co-chair/
      NOTA: Para acessar os artigos, abra uma nova janela em seu navegador, copie e cole o
      link disfarçado, e troque os caracteres “?” por “.” (pontos). Depois é só dar
      .

  • Paulo Henrique dos Santos

    E daí se um dia vamos encerrar nossa aventura tomando uma pedrada na cabeça? Não há nada que possamos fazer. Nem que eu soubesse de tudo, se acertasse a mega sena acumulada ou O Bill Gates me doasse toda sua fortuna, nada vai evitar o impacto de uma pedra espacial. Se sobrevivermos ao impacto aí já começa uma outra história.
    É bom estar ciente disso, mas não é saudável se preocupar com isso.

  • A .Guimarães

    ABUTRE OU URUBU, ESCORPIÃO E LOBO.
    Ta parecendo propaganda eleitoral.

  • Geraldo Magela Lobo

    Excelente
    retrospectiva histórica/científica amigo, valeu…abraço

  • Francisco Antônio Muniz Gomez

    Bem muita calma nessa hora. Que houve aumento de meteoritos entrando e causando um boom sônico, provocando clarões o que nem da para negar. De vez em quando esta acontecendo. Muitas vezes chega a tremer o chão da região ou há deslocamento de ar fazendo tremer porta e janelas . O da Rússia até agora foi o mais perigoso., poderia ter matado muitas pessoas e destruído a cidade, a sorte que caiu a 80 km de distancia mas ocasionou vários estragos só com o deslocamento de ar. Que algo mudou lá em cima não tenho mais dúvidas, tem muito detrito vindo de determinado setor do Espaço. O que está trazendo isso para cá?

    • Elias Roth

      Seja o que for, provou ser cíclico!

  • Hannah_Cat

    A D O R O o Zé Ramalho!

  • Paulo Henrique dos Santos

    Existem incontáveis pedregulhos orbitando o sol assim como a terra também está. Nada mais natural que de tempos em tempos suas orbitas se cruzem, e aí cai algum.
    Se a gente olhar pra quantidade de crateras que existem na Lua e em Marte já dá imaginar que uma quantidade no mínimo igual de meteoros são atraídos pra ca, levando em conta que a superfície terrestre é bem maior. Felizmente a maioria se queima la no alto.

  • sergio_ntl@hotmail.com

    Ai que eu digo. se realmente houver extraterrestres morando em nosso planeta a milênios, será que com a tecnologia que eles possuem permitiriam um impacto aniquilador??? não digo nem por nos humanos, mas pelo que causaria ao planeta pois sendo morada deles eles também sofreriam de alguma forma.

  • Abel Aureliano Seraphin Junior

    Estou lendo um livro intitulado “Sapiens” de Harari e há um capítulo sobre este suposto templo, mas o mais incrível é que fica difícil ler sem pensar em deuses e astronautas apesar do livro fazer parte da ciência oficial, deem uma bisoiada pessoal.