Bracelete de 40.000 anos abala a história contada pelos estudiosos de tendência predominante

Tempo de leitura: 2 min.

Muitos daqueles considerados teóricos da conspiração, frequentemente zombados e menosprezados, têm insistido que há muito mais na história deste nosso planeta do que tem sido alegado pelos historiadores.

Contudo, é com certa frequência que partes da história que nos foram contadas pelos estudiosos de tendência predominante são derrubadas após a descoberta de provas que sugerem o contrário.

Esta é somente mais uma dessas provas:

Localizada na Cordilheira Bashelaksky, das montanhas Altai na Sibéria, Rússia, está a caverna Denisova. A região é bem conhecida por seus vários fósseis de animais extremamente bem preservados que agora estão extintos. A temperatura daquela região é ideal para preservar biomaterial por milhares de anos.

Zona polida sob intenso contato, com algum material orgânico. Reconstrução geral da vista do bracelete e comparação com os braceletes modernos. Fotos: Anatoly Derevyanko e Mikhail Shunkov, Anastasia Abdulmanova

O misterioso bracelete em questão pertence a um grupo de humanos que não se encaixam (por mais de 200 marcadores genéticos) com o DNA dos neandertais, nem dos humanos modernos.  Eles são chamados de Denisovanos ou Denisova hominins. O misterioso grupo de pessoas viveu 600.000 anos atrás e, de acordo com os estudiosos de tendência predominante, eram povos nômades e subdesenvolvidos.  Porém, evidências sugerem o contrário, já que um bracelete que foi encontrado dentro da caverna fez com que vários pesquisadores agora acreditem que estes povos eram extremamente engenhosos.

Na vizinhança do antigo bracelete, os pesquisadores descobriram o osso de um dedo de uma menina denisovana que tinha sete anos de idade. Embora os restos ofereçam numerosos detalhes sobre a espécie antiga, foi a incrível habilidade artesanal do bracelete que capturou o interesse de vários pesquisadores. De acordo com testes, a precisão e o nível de corte e polimento do bracelete estão a, pelo menos, milhares de anos à frente de seu tempo. O mais interessante é que a pedra da qual o bracelete foi feito é encontrada a 24 quilômetros da caverna.

Sinais de reparos nas rachaduras. O bracelete havia sofrido danos, inclusive arranhões visíveis. Fotos: Anatoly Derevyanko e Mikhail Shunkov

De acordo com cientistas, o bracelete foi polido por métodos desconhecidos. Surpreendentemente, a pedra ainda estava brilhante quando os pesquisadores a descobriram. Os fragmentos do bracelete foram encontrados, e os pesquisadores foram capazes de recriar visualmente a obra prima da antiguidade. Acredita-se que o bracelete tenha sido usado ao redor do pulso. Uma tira, supõe-se, teria sido enrolada ao redor do buraco da pedra. O mistério ainda maior é o buraco que atravessa o bracelete, já que a precisão é também de milhares de anos à frente de seu tempo.

Atualmente, o bracelete está em exposição no Museu de História e Cultura dos Povos da Sibéria. Ele é a mais recente evidência de que os pesquisadores estavam errados quando disseram que há milhares de anos o nosso planeta era somente habitado por povos primitivos. Acontece que os Denisova homnins eram artistas incríveis e tinham em sua posse uma tecnologia muito além de seu tempo.

O Siberian Times cita o Dr. Derevyanko, o qual escreveu para a revista russa, ‘Ciência em Primeira Mão’ que quando eles estudaram o diâmetro do bracelete, descobriram que a velocidade de rotação da broca deveria ter sido muito alta, com flutuações mínimas. Isto aponta para o fato de que seja lá quem foi que fez esta incrível jóia, provavelmente tinha algum tipo de tecnologia similar à furadeira moderna.

O “mestre da antiguidade”, disse o Dr. Derevyanko, “era habilidoso nas técnicas anteriormente consideradas não características do Período Paleolítico, tal como furadeira de alta velocidade, ferramentas de broqueamento, polimento e pulverização, com couro e peles de vários graus de curtição.

E o que mais da nossa história nos foi contado de forma errada ou equivocada?

n3m3

Fonte

arqueologiabraceletedenisovanoshistória
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (20)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • DeeJay

    E mais uma vez a estória nos dita se permanece intacta….

  • Edson Silva

    E o Genesis? Adão e Eva sendo o início a +- 4000 anos? Estão nos escondendo algo, e ta difícil segurar a verdade.

  • Elias Roth

    Tenho certeza que tudo começou aos pés da Esfinge…
    Quero dizer que a primeira grande descoberta arqueológica que começou a abalar o edifício da História Oficial foi a datação e análise da Esfinge de Gizé conforme os alinhamentos das Pirâmides… quando aqueles “quarenta séculos vos contemplam” de Napoleão Bonaparte, não funcionaram mais.
    Desde então, desde a discrepância da Esfinge e os alinhamentos estelares a nos lançar para uns 10.000 ou 11.000 aC, a época estimada do Grande Dilúvio (embora a Esfinge pareça ser muito mais antiga que as próprias pirâmides), vários e vários objetos e outros artefatos desafiando os estimados modelos tecnológicos dos povos do passado, bem como monumentos (as misteriosas edificações do Altiplano!), documentos e mesmo fragmentos da própria História, estudados com critérios menos rígidos e ortodoxos, vem nutrindo o terremoto conceitual que promete reescrever toda essa história muito mal contada nas escolas desde quando escolas foram inventadas…e cada vez mais, nos levando de encontro com a verdadeira história da humanidade, quando os deuses eram astronautas, e os homens, todos eles, contactados!
    https://uploads.disquscdn.com/images/092acd4a29ccda079b0306e26a44ef34c0a207c8e70a21c8b00e3f6401517fe8.jpg

  • WJunior

    Resumindo tem 40 mil anos que fazemos o inacreditável pra agradar as mulheres.

    • Elias Roth

      boa essa… kkkkk…

    • Abel Aureliano Seraphin Junior

      KKKkk esta é boa.

    • cyrocs

      Muito boa!!!!!!!!!!!

  • 666Dark

    Pela foto, não está parecendo bracelete nenhum. Esse “bracelete” pode ter sido colocado pelo programador prá confundir os humanos, como muitas outras coisas.
    Gente, isso tudo não é realmente real e pode ser parte do jogo !
    Como já escrevi, esse jogo pode ser bem mais novo do que parece programando as mentes para parecer velho e colocaram na Terra coisas inexistentes prá incrementar e endoidar a turma. Nóis merece…

  • HGWELLSS

    Acredito , no achado , pois como já mencionado aqui , arqueólogos tem tropeçado nestas evidências e elas tem sido ocultadas do resto da população , podem crer que nossa terra , foi berço de outra civilização , e a mesma foi dizimada , ou parte dela atingida por um ARMAGEDOM CÍCLICO , e que devido terem tecnologia avançada , podiam viajar no espaço , o que deu chance parte desta civilização de povoar outro planeta , creio que seja no cinturão de ÓRION !
    E mais sendo confirmada a veracidade de ruínas na lua , elas seriam um espaço porto desta civilização , e este discos voadores ou parte deles , poderiam ser esta mesma civilização visitando seu planeta natal , e possivelmente seríamos obra de sua intervenção na intenção de repovoar o planeta !!

    Um fraternal abraço , do amigo de sempre !!

    Walter Loo !!

    • Elias Roth

      A teoria da Lua como porto entre a Terra e os planetas para as naves se encaixa em praticamente todas as misteriosas descobertas e projeções da Lua com possível utilização por extraterrestres no passado (e no presente!)
      E os poderes do mundo já perceberam o quanto ela é estratégica neste sentido, o sentido de se tornar um mirante (base) para acesso aos planetas mais próximos, como Marte.
      Uma espécie de Pit Stop das naves humanas (se um dia, chegarem lá, o que eu duvido).
      Até mesmo refúgio nos tempos de Armagedon cíclico, como voce menciona.
      Abraço!

      • HGWELLSS

        Caro amigo Elias Roth , PERFEITO , como todas as respostas que temos a respeito das pesquisas dirigidas pela NASA , estamos sempre com um pé atrás , realmente muita informação em torno da lua deveria ser revista , pois até o momento temos pontos falhos em torno da real descida do homem a LUA , portanto realmente teremos que ter várias confirmações para que possamos encaixar este enorme quebra cabeças !!
        No mais um fraternal abraço , do amigo de sempre !!

        Walter Loo !!

  • Elias Roth

    PLÊIADES e os antigos.
    Uma outra coisa que deixa os estudiosos perplexos é esta concordância incrível entre muitos povos e culturas do passado em relação a constelação das Plêiades e sua relação com ciclos.
    Não somente os maias, os egípcios, os aborígenes, hebreus, os nativos da América do Norte, e muitos outros povos, mas, recentemente, eu fiquei sabendo que a maioria dos índios brasileiros comemora o seu ANO NOVO quando as PLÊIADES nascem antes do Sol (o nascimento helíaco das Plêiades), coisa que acontece em meados de 10 de Junho dos anos.
    Mesmo ao lado de outras constelações formidáveis, como Órion, Cão Maior, Ursas, e tantas outras (que são significativas para eles)… por que essa fixação dos antigos por essa quase apagada constelação de Sete estrelas?
    E, principalmente, por que em todas as concepções deles, as Plêiades tinham o atributo de CENTRO?
    Por que centro do céu? Não é um grupo de estrelas em posição “polar” (o centro fixo da rotação da esfera estrelada) nem traz a estrela mais brilhante do céu (Sirius, no Canis Major).
    O que explica esse atributo de CENTRO?
    Qual a informação em OFF que os seres das estrelas passaram ao povos antigos, praticamente todos eles, sobre a magnitude e importância energética e espiritual do grupo das Plêiades, aquela que os hebreus chamavam de Kimá, o centro?
    Ou ainda, traduzido do verbo Kamá: buscar (ansiosamente)!
    Buscar … o que?

    Talvez a resposta esteja aqui:

    16 E ele tinha na sua mão direita sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda
    espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força
    resplandece. (Apocalipse 1)

    https://uploads.disquscdn.com/images/5eee0413f8969d9185a12a1cc4948c17f844c3fc17126278b9a88efaa3db9385.jpg

    • gauchopf

      Tem links para dar uma

  • cyrocs

    Bom dia a todos.
    Fiz uma pesquisa rápida na web e o Dr. Anatoly Derevyanko é realmente um arqueólogo
    sério, sendo autêntica a descoberta feita. Trata-se portanto de uma descoberta
    revolucionária.
    Não concordo com as críticas recorrentes ao trabalho sério e árduo que centenas de
    arqueólogos vêm fazendo há décadas. A arqueologia também segue a receita do
    método científico e trabalha com evidências. Quando surgem novas evidências, as
    hipóteses até então aceitas podem mudar radicalmente. Se não existiam
    evidências de que os denisovianos dominavam uma tecnologia avançada para
    trabalhar pedras, o quadro até então aceito era o mais razoável.
    Quem quiser saber mais sobre o assunto pode consultar:

    en.wikipedia#org/wiki/Anatoly_Derevyanko

    siberiantimes#com/science/casestudy/features/f0100-stone-bracelet-is-oldest-ever-found-in-the-world

    archaeologyhub#info/40000-year-old-bracelet-made-by-extinct-human-species-found

    NOTA: Para usar os três links fornecidos, abra uma nova janela no seu navegador,
    copie o link desejado e troque os “#” por “.” (ponto).

    • Marcelino Melo

      Acho que o problema é a desconfiança sobre acobertamento de descobertas arqueológicas ou a censura prévia do statos quo científico nesses campo, diante de teses e hipóteses apresentadas por alguns pesquisadores, que contrariam paradigmas estabelecidos. É muito provável que a odisseia da raça humana neste planeta precisará ser reavaliada, pois que povos avançados poderiam ter existido antes de nós. E campos da Ufologia como as teses do Paleocontato, poderão um dia serem confirmados como verdade científica. Quem sabe…
      Quanto ao acobertamento de descobertas, é provável, não impossível.

  • Dias

    Só falta explicar agora, para os fanáticos religiosos. Em função da minha natureza cética da mesma forma como não posso aceitar a idade da Terra preconizada pela Bíblia (6.000 anos, um verdadeiro absurdo).

  • Grizzy

    Muito bem, eis aqui mais um ótimo tema no qual cabem todas as teorias. Desta vez a bola está com os arqueólogos. Mas, desculpem, pode ser qualquer coisa, só não é bracelete. Por que? Ora, porque naquele tempo não existia tanta bijuteria assim. A arqueologia encontrava jóias de verdade, e agora deu pra achar bijuteria, pode uma coisa dessas?

    • Elias Roth

      Hehehe..a opinião correta e precisa que só uma mulher pode dar… !
      .

  • Kaczmarczik

    ———————————————- Boa Tarde a Todos!!!——————————————-
    ___________ A cada dia as diretrizes científicas e educacionais que o sistema impõem estão caindo.. Se de fato haviam povos a tanto tempo assim muitos podem ser descendentes dos extras ou híbridos, mas por que teriam sido destruídos certamente porque os híbridos e descendentes das raças alliens más o capturaram…
    ———————————————————————————————————————