Pesquisadores descobrem traços de metano em meteoritos marcianos

Tempo de leitura: 2 min.

Um grupo multinacional de cientistas, liderado pelo Dr. Nigel Blamey, da Universidade Brock e da Universidade de Aberdeen no Reino Unido, descobriram metano em fragmentos de meteoritos marcianos, o que pode ser uma pista na procura por vida em Marte.

Um fragmento do meteorito Nakhla. Múltiplos fragmentos deste meteorito foram vistos caindo como uma chuva ao redor da aldeia de El-Nakhla no Egito, em 28 de junho de 1911. Crédito: NASA

O Dr. Blamey e seus colegas da Canadá e do Reino Unido examinaram amostras de seis meteoritos de rocha vulcânica que originaram no ‘Planeta Vermelho: Os nakhlites NWA 5790, Nakhla, Y 000749, e MIL 03346, o os shergottites Zagami e LA002.

As amostras continham gases na mesma proporção e com a mesma composição isotópica da atmosfera marciana.

Todas as amostras também continham metano (CH4), que foi mensurado pelo esmagamento de rochas e passando o gás emergente através de um espectrômetro de massa.

Os gases liberados foram denominados como sendo CH4, CO2, H2, N2, com traços de O2 and Ar. Os produtores mais altos vieram do Nakhla e do LA 002, e os mais baixos do NWA 5790 e do MIL 03346”, escreveram o Dr. Blamey e os co-autores, num trabalho publicado no Nature Communications.

As taxas de CH4/CO2 variaram de 3 (LA002, NWA 5790, MIL 03346) para 23 (Zagami). A taxa de H2/CO2 variava de 0.5 para 7. Estes valores estão na mesma gama daqueles dos basaltos terrestres.

Os pesquisadores também examinaram amostras de dois meteoritos não marcianos, os quais continham menores quantidades de metano.

A descoberta sugere a possibilidade de que metano poderia ser usado como uma fonte de alimento por formas rudimentares de vida abaixo da superfície marciana.  No nosso planeta, as bactérias fazem isto em vários ambientes.

Um dos desenvolvimentos mais empolgantes na exploração de Marte tem sido a sugestão de metano na atmosfera marciana“, disse o co-autor, Prof. John Parnell, da Universidade de Aberdeen.

Missões recentes e vindouras pela NASA e ESA, respectivamente, estão examinando isto; porém, não está muito claro de onde o metano vem, e nem mesmo se realmente está lá.  Porém, nossa pesquisa fornece uma indicação forte de que rochas em Marte contêm um grande reservatório de metano.

O Dr. Sean McMahon, da Universidade de Yale, um co-autor do estudo, adicionou: “outros pesquisadores estarão ansiosos para replicar estas descobertas, usando ferramentas e técnicas alternativas.  Nossas descobertas provavelmente serão usadas pelos astrobiólogos e em experimentos almejados à compreensão se hoje a vida poderia sobreviver abaixo da superfície de Marte“.

Agora, os cientistas planejam expandir suas pesquisas através da análise de outros meteoritos.

n3m3

Fontewww.sci-news.com

Colaboração: Osnir Carlos Stremel Jr

featuredMartemetanometeoritoOVNI Hojevida extraterrestre
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (19)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Doidim2011

    Archaea (do https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_grega_antiga: antigo, velhohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Archaea#cite_note-1 ; em https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_portuguesa: arqueahttps://pt.wikipedia.org/wiki/Archaea#cite_note-2 https://pt.wikipedia.org/wiki/Archaea#cite_note-3 , arquéiahttps://pt.wikipedia.org/wiki/Archaea#cite_note-ciberd.C3.BAvidas-4 , arqueiahttps://pt.wikipedia.org/wiki/AO_1990https://pt.wikipedia.org/wiki/Archaea#cite_note-ciberd.C3.BAvidas-4 , arquaiahttps://pt.wikipedia.org/wiki/Archaea#cite_note-ciberd.C3.BAvidas-4 ) é a designação de um dos domínios de https://pt.wikipedia.org/wiki/Organismo, relacionados com as https://pt.wikipedia.org/wiki/Bact%C3%A9ria. Trata-se de organismos https://pt.wikipedia.org/wiki/Procariota, geralmente https://pt.wikipedia.org/wiki/Quimiotr%C3%B3fico, muitos dos quais sobrevivem em lugares extremos (https://pt.wikipedia.org/wiki/Extrem%C3%B3filo) como https://pt.wikipedia.org/wiki/Fonte de https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81gua quente, lagos ou mares muito salinos, https://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A2ntano (onde produzem https://pt.wikipedia.org/wiki/Metano) e ambientes ricos em https://pt.wikipedia.org/wiki/Sulfeto_de_hidrog%C3%AAnio e com altas https://pt.wikipedia.org/wiki/Temperatura.

  • Okan Orum

    “Onde ha fumaça, há fogo!”

  • fran01

    Seria interessante se eles explicassem como distinguiram…….uma pedra de Marte de uma pedra como não sendo de Marte.

    A estimativa atual é de que o cinturão de asteroides (entre Marte e Júpiter) tenha milhões de objetos sendo que, segundo pesquisas, essas pedras apresentam cores variadas.
    Acinzentada (compostos de argila e silicato), verde e avermelhada (compostos de silicatos e ferro-níquel) e, avermelhada (metálicos) além de outros tipos que apresentam crosta basáltica vulcânica.

    Então, é uma questão de curiosidade: como esses caras afirmam que o meteorito de Nakhla veio de Marte?
    Isso caiu aqui em 1911, quando não existiam possibilidade de rastrear essa pedras (nem hoje em dia conseguem fazer isso com segurança absoluta). Elas caim e vinham do espaço….quem será que deu a ideia de que é de Marte?
    Por acaso já estudaram pedras verdadeiramente pertencentes a Marte para afirmar que esta estava em solo marciano?

  • Eduardo Lbm

    fran01
    BINGO! 
    Os humanos acreditam em qualquer ‘estória’ que se conte, então não teria problema nenhum dizer que veio de Marte, já que o Planeta Vermelho exerce um enorme fascínio sobre todos nos, mesmo naqueles idos tempos (1911).

  • Ferrnando Ramos

    Onde há metano, há vida…

  • joaohsampaio

    Para de treta e mostra os ETs logo!

  • fran01

    Eduardo Lbm fran01

    É admirável alguém que se diz cientista ou pesquisador aceitar isso de olhos fechados.
    Nem a N$SA tem como corroborar isso (se é que corroborou).
    Ora, o Opportunity pousou em Marte em 2003. 
    O Spirit em 2004.
    O Curiosity em 2012…..e, ao que se saiba nada nem ninguém antes disso esteve em Marte para fazer análise de solo.
    Mas, em 1911 houve uma chuva de meteoritos (como ainda hoje ocorrem) e já designaram a origem dos meteoritos.
    Isso me parece um tanto infantil e irresponsável.

  • Victorppt

    fran01 (sussurrando…Fran, não contes a ninguém, é segredo…tenho em minha posse a prova da origem…xiuuuu!!! )  🙂

  • fran01

    Victorppt fran01

    Eu ia até colocar….
    a não ser que as pedras, agora, venham com etiqueta…..
    made in Mars, made in Asteroid Belt….etc e tal

  • luiz alexandre

    Marte tem vida !!!
    Isso é flato…

  • Victorppt

    fran01 Victorppt Já agora…Made in Rins, made in vesícula. eheheh

  • luiz alexandre

    fran01 Além disso, poderiam explicar ¨as leis universais do física¨, universais? Quem cantou a bola pra os físicos sobre todo o universo?

  • Eduardo Lbm

    luiz alexandre
    Isso é ‘flato’? Flato de flatulência por causa do metano? hehe

  • joaohsampaio

    luiz alexandre Algo não cheira bem…

  • Marujo

    fran01 
    Certa vez, perguntei isso pra G33K …
    Ela, sempre solícita, me explicou no capricho …
    Na hora, juro que entendi …

  • Ferrnando Ramos

    luiz alexandre joaohsampaio Não.
    É o transporte de um avião sem piloto (UAV)

  • drandetuto

    Ferrnando Ramos Se   a    tal  pedra é  de  Marte ou  não,  é  uma parte da estória,  a  outra  é que se  era  um  meteorito,  então  se há  metano há vida,  falou  tudo,  em  algum orbe   há  vida.