O Dia Seguinte a Roswell: As alegações de Philip Corso (Dublado em Português)

Tempo de leitura: < 1 min.

Veja abaixo o documentário sobre as alegações fantásticas de Philip Corso sobre seu alegado contato com tecnologia extraterrestre.  Seriam verdadeiras estas alegações, ou estaria o oficial da Inteligência do Exército dos EUA mentindo?

Assista:

Vídeo via: spider79821edu

n3m3

Colaboração: Osnir Carlos Stremel Júnior

AlienígenaCorsoextraterrestreovniOVNI HojeRoswellufo
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (37)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • AleksanderLima

    sim , clássico..wow

  • AntonioCarlosAD

    Corso soube das naves muito tempo depois de ocorrido a queda em Roswell, sabe-se lá, a questão dos ufos tem duplo sentido para a defesa dos Estados Unidos, eles usam muito o assunto como meio de desviar a atenção para assuntos mais sérios, mas, outros países também usam, inclusive o Brasil, no caso Corso, deve ter visto alguma aeronave experimental dos EUA

  • MarceloDF

    Alegações extraordinárias precisam de ao menos uma prova extraordinária… o que ele não possui.

  • jsampaio

    Não vou nem perder meu tempo vendo o vídeo…

  • fran01

    Assisti mas, francamente, não me convenceu.

  • RobertoFelixCorreia

    Eu assisti. Bem interessante esse filme.
    O problema é que, com a explosão da nave em milhares de pedaços que ficaram de um dia para outro na fazenda e ninguém teve o bom senso de pegar um pedacinho pra guardar de lembrança…

  • tmago

    As tecnologias existentes nos EUA hoje, vieram de negociações c as entidades. E realmente aquele material laminado q a pessoa amassa e ele volta a forma normal, foi sim copiado desse acidente e se não me engano, componentes tipo chips de computador. Portanto, acho q esse acidente só serviu p mudar o paradigma dentro das Forças Armadas USA, onde convocaram o Dr Vannevar Bush, p recolher e desenvolver tds as tecnologias dessas entidades. Boa tarde p tds e me desculpem a falta de tempo p comentar aqui. Abraços a Todos !

  • Marujo

    fran01 
    Mas, como em um juri, a questão não é a da certeza da verdade.
    E sim da dúvida razoável!
    Ao assistir (de novo) ao vídeo, alguns fatos (os mesmos) perecem testemunhar a fovor do Tenente-Coronel.
    Resumindo, Fran.
    A carreira militar dele, com toda a sua importância e autoridade, até o início dos anos 60 é rastreável. Ele esteve e fez tudo aquilo que está afirmando.
    A partir de então, a coisa fica, no mínimo, nebulosa e controversa, principalmente por conta dos historiadores científicos e dos sedizentes inventores/desenvolvedores dos equipamento em questão.
    Porém (o que seria da Associação dos Conspiradores Unidos e o Paulinho da Viola sem essa conjunção em especial), continuo levando em consideração as seguintes assertivas, colocadas ao final da reportagem:
    – Os militares, o Pentágono, o Governo Americano, não dão este tipo de autoridade a um maluco quer …
    – Esse homem foi muito considerado, respeitado …
    E, como ele mesmo declarou:
    – O que eu tenho a perder na minha idade … ?
    – Quando eu for, tudo irá comigo!
    Claro, se Corso realmente foi um Oficial de Inteligência, ao tempo da Guerra Fria, estava capacitado para mentir, cinicamente. E, também, para ter acesso a segredos como esse.
    Até prova em contrário, fico com o desacobertamento do “espião”.
    Quem nega, tem pode estar defendendo “outro$ Intere$$e$”.
    Mas posso estar errado (como sempre).
    O abraço? É legítimo, garanto!
    Marujo.

  • Marujo

    Matusquela Eduardo Lbm tmago 
    Dolan, tenho repetido por aqui, como pesquisador, um dos melhores!!!

  • Marujo

    ” … mas, as ordens vinham de cima, e nós tínhamos de obedecer.”
    Imaginem quanto tempo esse soldado levou, por cumprimento do que lhe parecia ser um dever, para esclarecer fatos que presenciou, e que interessavam, muito mais do que à sua corporação militar ou, até mesmo aos seu país, à humanidade.
    Vou duvidar de suas “últimas declarações”? Não!
    Até prova em contrário, o veterano revelou a verdade, como a conheceu.

  • Hannah_Cat

    @tmago E ainda há quem duvide da chamada engenharia reversa alienígena.  É nítido o contraste da tecnologia do início do século com o avanço desta no pós segunda guerra mundial, quando os UFOs começaram a aparecer com muito mais frequência.  A humanidade certamente teve e tem inteligência para compreender uma boa parte desta tecnologia bem mais avançada, mas nem por isso prescindiu de tal “ajuda” dos ETs.

  • cmtetony

    Vamos pensar, para que ou por que alguem com o historico deste militar mentiria?  Acredito que inteligência extraterrestre não é o caso de se acreditar ou não, mas sim de estar informado ou não.

  • cmtetony

    Vamos pensar.  Em seus últimos momentos de vida uma pessoa mentiria para a sua filha?
    Acredito que as pessoas que visitam este site sabem que existe muita coisa lá fora.

  • MarceloDF

    cmtetony Ele mentiria para obter o que obteve fama, algo que ele imaginava obter em vida e não conseguiu. Não subestime o ego humano.

  • PREDADOR

    MarceloDF   Tigre cético atacando….

  • PREDADOR

    Matusquela  Concordo com tudo, a tese de que somos nos do futuro explica porque evitam ontato nao podem interferir nessa linha do tempo evitando repercussões para o futuro, e o interesse por nos pode ser para recuperar algo que perderemos no futuro – seja geneticamente ou no domínio das emoções – porque os grays não demonstram terem emoções, seriam como criaturas biomecanicas, além do fato de ser notorio seu interesse por essa nossa característica básica com relatos de observação de pessoas em ato sexual e também em aparições sobre espetáculos de massa, como estádios de futebol e eventos.

  • PREDADOR

    MarceloDF Refutações extraordinárias necessitam de uma prova extraordinária… coisa que vc não tem… então até vc oferecer a prova não se pode afirmar categoricamente que se trata de uma mentira…. vcs céticos defendem a necessidade da objetividade cientifica para tratar do fenomeno ovni ou de outras questões mas não a usam para provar o que dizem – dizer por dizer não é ciência e nao serve para negar algo como inveridico ou inexistente… assim faz o idiota do Kentaro Mori  – ataca o fenomeno ovni mas nao vai a campo investigar e estudar para poder mostrar as provas e dizer isso não existe… assim é fácil ser cético…

  • PREDADOR

    Matusquela
    Quanto a esse assunto 
    qual a sua opiniao Matusquela

    verdade ou invenção??

    Ahistoria tem tudo para parecer fake
    porém… tem pontos muito interessantes e familiares a outros casos utologicos e a hipotese de viajantes do futuro

    https://www.youtube.com/watch?v=1LDz9yVzavw&spfreload=10

  • Crazycrim

    cmtetony “Em seus últimos momentos de vida uma pessoa mentiria para a sua filha?” Claro que sim, se eu estivesse velho e percebesse que minha vida estaria limitada a um pouco periodo de tempo, eu chamaria minha namorada e inventaria uma mentira nervosa para ela, sabe porq? 
    vc sabe q o outro vai passar o resto da vida acreditando em algo que vc inventou, é como se estivesse por cima de tudo; vc se sente poderoso vc sobe um degrau acima da outra pessoa pq só vc sabe que aquilo é uma mentira…
    Eu tenho certeza absoluta que assim como eu, muito mais gente em diferentes lugares e posições (oq inclui oficiais do exército e funcionários da NASA) mentiriam apenas para sentir prazer em ver a outra criatura acreditando fielmente em algo q vc inventou.
    Sem contar que muita gente quer simplesmente mentir para fama mesmo, ainda sabendo que morreria, o cara poderia mentir para “ser lembrado e respeitado” por aquilo. Enfim, “mentir para sua filha no leito da morte” não é impossível, portanto seu argumento é descartado.

    OBS: eu deixo claro q não sou mentiroso, e q esse texto serve apenas para figurar o argumento.

  • Crazycrim

    PREDADOR Mas quem precisa provar é quem faz as alegações extraordinárias e não quem as refuta.
    ja ouviu falar em ônus da prova?

  • fran01

    cmtetony

    Existem pessoas que são “treinadas e pagas” para mentir. Corso fez isso durante muito tempo de sua carreira militar.

    Corso transitou pelos mais importantes cargos e serviços durante sua vida militar.
    Acredita que fez isso sendo probo?

    Ademais, toda e qualquer publicação (livros em geral) sempre possuem o tempero da imaginação, do fantasioso, caso contrário não vendem.

    Ora, será que uma pessoa que deixou registro escrito de uma determinada pressuposição iria desmentir nos últimos momentos de vida?

  • Hannah_Cat

    fran01 cmtetony Fran, acho que na proximidade da morte de alguém idoso e/ou doente, segundo relatos que já ouvi de pessoas na mesma situação, diz-se a verdade, pois que o “discurso” [últimas palavras] daqueles pareceram-me muito sinceros.  “Mentir” exige certo esforço (e expectativas dos resultados da mentira contada), no qual o moribundo não se dispõe.  Há muita sensibilidade e senso de despedida nessas horas, onde e quando quem declara não tem mais nada a perder, mas sim tem algo muito importante a dizer a quem está por perto, porque o tempo urge e não haverá nova chance de conversa.
    No entanto é claro que isso depende da índole e da visão de mundo de cada um.  Ainda assim a morte é uma “Imperatriz”, perante a qual já vi ateus se “converterem” na marra, sabendo que se deparariam com algo mais adiante; porque quem realmente acredita que “morreu, acabou e nada mais existe” não tem por que temer a morte, afinal “não há futuro” em meio ao “nada”.

  • Marujo

    fran01 
    Boa tarde, Fran.
    Contando com a ajuda do Seu Google como tradutor juramentado (kkkkk), li os dois trabalhos.
    Mas, fiquei com uma impressão diferente.
    Michael Salla, após detalhado relato, conclui que os detratores de Corso “cruzaram o Rubicão da Crítica Objetiva”. Sai, portanto, em defesa da credibilidade do Coronel (ou Tenente-Coronel).
    Já o Sr. Jan Aldrich limita-se a publicar os dados oficiais da carreira de Corso obtidos junto ao Exército. E também, a partir de seus comentários, parece não ter ficado convencido de que o militar tenha cometido algum “pecado mortal” em relação a seus dados profissionais.
    Agora, se Corso realmente “semeou a tecnologia alienígena” obtida em Roswell, nenhum dos dois se aventurou a especular. Talvez por recomendação médica, como forma de manter a saúde (evitar resfriados, por exemplo).

    Bom findi pra tu.

  • FFernandes

    Nitinol  memoriza  pela  sua  forma  atomica  , transformaçao   reversa  martensítica .

  • 666Dark

    cmtetony Bem, a questão é: Será que a filha mentiria depois prá botar o pai nas alturas ?
    Caso a se pensar né ?

  • PREDADOR

    Crazycrim    Nao é mentiroso…. hum  ja ta falando mentira…..

  • PREDADOR

    Crazycrim PREDADOR Em ciência provas servem tanto para alegar que algo existe como para refutar… SE vc alega que ovnis não existem deve apresentar as provas tanto quanto nos devemos apresentar para alegarmos que existem… portanto sob o ponto de vista cientifico seu discurso não vale nada é zero sobre zero.  Onus da prova…kkkkk isso é coisa de Direito, desculpe mas entendo um pouco da área juridica…. não confunda Direito com Ciência.  Direito é uma ciência carregada de subjetividade, tanto é que ninguem consegue definir objetivamente o que é a justiça…. Ja na ciência é sim ou não… Se sim, prove… Se alega que não, prove…. simples assim.

  • fran01

    Marujo fran01

    Pois é, amigo…..

    sei lá.
    Acho esse assunto (de tecnologia alienígena utilizada por humanos) um assunto bastante controverso…..
    Por um lado, estaríamos colocando a humanidade como uma raça incapaz de evoluir sem ajuda “de fora”…..
    Por outro lado, embora eu creia que não estamos sós no Universo, infelizmente, não há prova física da presença deles aqui na Terra. Há evidências mas, não prova física.
    Se Corso tivesse adicionado ao seu relato algum documento que comprovasse que se tratava de material alienígena……enfim, também, pode ser verdade.
    Talvez eu me baseie no (pouco) conhecimento que tenho da raça humana.
    Para muitos, o que importa é manter-se na cena…..

    Penso, ainda, que se tivéssemos acesso a tecnologia alienígena nosso cenário espacial estaria muito mais avançado.
    Mais de 60 anos (do caso Roswell) já teria ensinado o homem(humanidade) a ir mais que 450 kms.

    Mas, enfim…..

    Bonfindi prá tu também dear Saylor!

  • fran01

    Matusquela fran01

    Muito bem colocado o seu comentário Matusquela….

    como sempre!

    Abs

  • fran01

    Hannah_Cat fran01 cmtetony

    “No entanto é claro que isso depende da índole e da visão de mundo de cada um.”

    Acho que essa sua frase define tudo, Hannah.
    Teria que haver, em cada relato, um estudo profundo da personalidade de cada um que revela algo, principalmente, se essas revelações sejam fontes de ganhos financeiros.

    Abs

  • Marujo

    fran01 Marujo 
    Grato pelo retorno.
    Vamos aos autos …

    1) “sei lá.”
    – Lá é também onde busco o saber.

     2) “Acho esse assunto (de tecnologia alienígena utilizada por humanos) um assunto bastante controverso…..”
    – Concordamos.

    3) “Por um lado, estaríamos colocando a humanidade como uma raça incapaz de evoluir sem ajuda ‘de fora’…..”
    – Acho que nem o Giorgio Tsoukalos, fora do estúdio, acredita nessa bobagem.
    4) “Por
    outro lado, embora eu creia que não estamos sós no Universo,
    infelizmente, não há prova física da presença deles aqui na Terra. Há
    evidências mas, não prova física.”
    – São tantas as evidências, ao longo do tempo, e espalhadas por tantos lugares, que, para mim,  já constituem prova. 

    5) “Se Corso tivesse adicionado ao
    seu relato algum documento que comprovasse que se tratava de material
    alienígena….”
    – Nesse caso, não estaríamos diante de um mero “best seller”, muito embora eu desconfie que, qualquer que fosse o “documento”, ele seria declarado falso pela Oficialidade.
    6) … enfim, também pode ser verdade.”
    – Sim, também pode.
    7) “Talvez eu me baseie no (pouco) conhecimento que tenho da raça humana.”
    – E ela sempre nos surpreende, para o bem e para o mal.

    8) “Para muitos, o que importa é manter-se na cena…..”
    – Para muitos, mas nem todos.
    – Existem aqueles que preferem, ou sabem melhor trabalhar, mantendo-se à sombra. As “eminências pardas”. Um perfil mais adequado para descrever um “agente da inteligência”.

    9) “Penso, ainda, que se tivéssemos acesso a tecnologia alienígena nosso cenário espacial estaria muito mais avançado.”
    – Também pensava assim, mas nosso equívoco pode estar na concepção do “nosso acesso”, “nosso cenário”. Não fomos convidados para a festa. 

    10) “Mais de 60 anos (do caso Roswell) já teria ensinado o homem(humanidade) a ir mais que 450 kms.”
    – Pois é, mas não aconteceu. Ao menos não para a humanidade.
    “Mas, enfim” … Outro abraço.

  • fran01

    Marujo fran01

    Creio que “lá”, onde tentamos buscar o saber, esteja muito longe(de nós) para entendermos.
    Mas, seguramente, tecnologia alienígena, também, precisa ser comprovada.
    Mesmo que, em ultima análise, a evolução da tecnologia humana tenha um significado menos prodigioso, o que 
    Giorgio Tsoukalos define, não pode ser tomado como parâmetro. Tsoukalos é o diretor de Erich von Däniken…..e, 
    depois que li uma entrevista de Daniken onde admitia ter “fantasiado” seus livros (em busca de vendas), Tsoukalos
    e sua retórica ficaram comprometidos (ao meu ver).
    Francamente, não vejo como “bobagem” humanos que se dedicam à ciência.
    No tocante a evidências…..elas podem enganar e, como o bem e o mal, são altamente subjetivas. 

    Corso é autor de um best seller……jamais desmentiria qualquer coisa que ali registrou, mesmo com uma arma apontada na cabeça.
    O antecedente militar dele (agente da inteligencia) é, justamente, o que colocar em dúvida o que escreveu.

    Ainda, ao meu ver, Corso fez uma “sopa”.
    Pegou o caso Roswell (do qual também não se tem nenhuma prova física), acrescentou o testemunho de Jesse Marcel 
    (que podia ter muito bem ter ficado com um pedaço daquela nave mas, não ficou), misturou com apanhados de 
    Stanton Friedman em sua investigação sobre Roswell e respaldou tudo com um histórico militar difícil de ser, efetivamente,  pesquisado devido a natureza de alguns serviços prestados (espionagem, etc e tal) e…….bingo……estava nas bancas o best seller.

    Físicos como Alexander Prochorov, Charles Hard Townes, Theodore Maiman que dedicaram anos de suas vidas para chegar ao  raio laser…ou a química Stephanie Kwolek que inventou o Kevlar deveriam ter conversado com Corso antes….

    Enfim……retorno o abraço.

  • Marujo

    fran01 Marujo 
    (“bobagem” é atribuir todo desenvolvimento tecnológico aos “astronautas do passado”)
    Vai pra lá, abraço, como te mandei!

  • G33k

    Matusquela fran01 Marujo 
    Todo mundo tem uma vida. Inclusive os moderadores.
    Abç!

  • fran01

    Matusquela fran01 Marujo

    Não li o livro de Philip Corso por isso não posso dizer com precisão sobre a descrição que ele fez da espaçonave que caiu(?) em Roswell.

    Mas, já li uma entrevista datada de 1997, onde ele afirmou:  “o próprio piloto extraterrestre, ele mesmo era o sistema de orientação da espaçonave.  Ele fazia parte do sistema, que era simbiótico. Nós nunca havíamos imaginado essa possibilidade” e, ainda, “começamos a perceber que o ser alienígena que era o piloto era parte do sistema de orientação da espaçonave, parte do próprio aparelho em si mesmo (a sua consciência), até porque ele não tinha órgãos sexuais 
    (n.t. todos os nove seres resgatados eram clones, produzidos pelos Greys e chamados de Corts).” 

    http://thoth3126.com.br/roswell-entrevista-com-o-coronel-philip-j-corso/

    Não me pareceu que ele falava sobre viajar no tempo.

    Mas, como já disse não li o livro dele.
    Vou procurar ler……para maiores “conhecimentos”.

    Abs

  • Crazycrim

    PREDADOR kkkkkk nem vem que não vou me sujeitar a ser sua presa!