Espaço do Leitor: Pode haver vida além da zona habitável de uma estrela?

Tempo de leitura: 3 min.

Pode haver vida além da zona habitável na órbita de uma estrela?  Veja abaixo a opinião de nosso leitor Rafael dos Santos Ribeiro:

Hoje muitos cientistas e astrônomos procuram formas de vida na chamada “zona habitável” de uma estrela. Para os que não estão familiarizados com a expressão, a zona habitável de uma estrela varia de tamanho e distância e seria a distância da estrela e o planeta onde a água estaria em estado líquido e as temperaturas seriam amenas e propícias para a vida. Caso o planeta fique muito próxima à estrela a água evaporaria e a temperatura seria extrema para formas de vida como conhecemos e caso o planeta esteja além da zona habitável a água congelaria e as temperaturas seriam muito frias para que ocorram qualquer química que possa ocasionar em formas de vida. A questão é: só pode haver vida em planetas dentro das zonas habitáveis?

Vamos analisar a zona habitável do Sol que abrange Vênus, Terra e Marte. Destes três planetas, aparentemente, apenas a Terra possui vida. Por quê? De acordo com a zona habitável do nosso Sol tanto Vênus como Marte também teriam condições para água em estado líquido e a proliferação de formas de vida.

Peguemos primeiro Vênus que já foi considerado o “irmão” da Terra. Um efeito estufa avassalador cobre todo planeta, elevando a sua temperatura a quase 500 graus! O motivo desse efeito estufa se da pela falta de um campo magnético no planeta, mas o que ocasionou esta perda ainda é um mistério (fotos de sua superfície mostram que pode ter havido água liquida que foi evaporando conforme a temperatura do planeta aumentava, criando um efeito cascata onde a evaporação da água aumentava o efeito estufa que acelerava a evaporação da água). O que antigamente seria um planeta com grandes pântanos e umidade é considerado a versão astronômica do inferno (além das altas temperaturas, chove ácido e as altas pressões do planeta impedem que qualquer objeto enviado ao planeta sobreviva tempo suficiente para um estudo aprofundado de seu solo).

Agora vejamos Marte que por muito tempo foi considerado o lugar mais provável para encontrarmos nossos primos do espaço. Marte é basicamente, em sua superfície, um enorme deserto. Por ser menor que a Terra seu núcleo se esfriou rapidamente destruindo seu campo magnético e expulsando sua atmosfera. Assim como Vênus, o planeta parece ter apresentado água líquida em um passado remoto assim como apresenta água congelada em seus pólos.

O que esses dois planetas falharam e o nosso não? A resposta ainda é um mistério, mas a perda de seus campos magnéticos pode ser a causa primária (pesquisas indicam que o campo magnético se dissipou pelo fato dos planetas serem menores que a Terra e por isso seus núcleos esfriaram rapidamente, ou o fato dos dois planetas não possuírem placas tectônicas). Olhando em nosso próprio sistema solar temos apenas 1/3 dos planetas na considerada zona habitável com condições reais de habitação para as formas de vida complexas conhecidas por nós. Seria esta zona habitável o melhor local para a procura de uma “Terra 2”?  Será que a vida não pode existir fora das chamadas zonas habitáveis? A reposta pode estar em uma lua do nosso sistema solar.

Júpiter pode ser considerado um “mini sistema solar” com suas infindáveis luas, mas uma em especial chama a atenção: Europa. Este satélite está muito longe da chamada zona habitável, mas possui água líquida por baixo de uma crosta de gelo. Rachaduras em sua superfície mostram que o gelo esta constantemente em movimento e há troca de material entre a superfície da lua e seu interior. Como isso é possível? Júpiter é tão grande que seu campo gravitacional afeta suas luas fazendo-as “esticarem” e contraírem conforme dão voltas no planeta gasoso. Esse movimento de maré cria atrito e calor suficiente para que água possa existir sobre a forma líquida.

Já foram descobertos planetas maiores que Júpiter orbitando outras estrelas. Mesmo que nossa tecnologia atual não permita verificar, é possível que estes gigantes possuam luas. E se uma dessas luas possuísse as condições ideais para vida mesmo não estando na chamada zona habitável da estrela? Não seria hora de criarmos uma “zona habitável de planetas gasosos”? Será que não estamos nos concentrando demais nessas zonas habitáveis e nos esquecemos de que a vida pode surgir nos lugares mais inóspitos, como nas redondezas de gigantes gasosos?

Essas respostas somente o tempo (e a tecnologia) dirá.

Rafael dos Santos Ribeiro

astronomiaestrelaOVNI Hojeplanetavida extraterrestrezona habitável
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (15)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Tony D. Lucena

    com certeza… não é preciso haver Oxigênio nem a camada de Ozônio para a existência de vidas extra terrestres. eles podem respirar outros tipos de gases bem melhor que o Oxigênio que é um gás altamente oxidante. O que nos leva a oxidação das células e posteriormente a nossa morte.

  • Marlon F Moreira

    Claro que tem, aqui na terra só tem animal, chamados de humanos

  • viniciusjf

    Excelente ponto de vista. O problema é solucionar a questão tecnológica. Pois abre uma infinidade de possibilidades para encontrarmos planetas habitados em zonas não habitáveis de estrelas.
    Será que conseguiremos em pouco tempo tecnologia suficiente para detectarmos luas (em outros sistemas) e podermos avaliar a ocorrencia de agua na forma liquida junto com atmosfera agradável?
    Não sei dizer, mas o mais interessante neste universo seria encontrarmos seres inteligentes de outros planetas. E para isso, a melhor maneira no curto prazo é enviarmos mensagens via radio ou coisas do tipo, para planetas ja detectados na zona habitável e esperarmos alguma resposta ou comunicação.
    Falta muito para conseguirmos tal feito.

  • Chester_Thrash

    Esse negócio de buscar por vida apenas na zona habitável soa, para mim, como uma grande besteira. Principalmente se concluírem que estamos sozinhos no Universo, após analisarem dois planetas…

    Em minha opinião, corrijam-me se eu estiver falando besteira, se estão buscando VIDA EXTRATERRESTRE, por que diabos esses extraterrestres precisam respirar poluição e comer Big Mac como os terráqueos?
    Por que não podem ser uma raça adaptada para condições inóspitas para nós?

    Assim como na própria Terra existem espécies que sobrevivem a condições bizarras como o fundo do fundo do mar, no pé do vulcão, no deserto, em São Paulo, no meio do gelo, embaixo do gelo, no meio do mato, em montanhas, imagina no Universo, que não temos a menor ideia do que está rolando!

    “A vida é muito complexa
    Para existir só um padrão
    Por que procurar por outra Terra
    Se o Universo é imensidão?

    Porque querem colonizar
    Outro planeta pra morar
    Pra lutar e guerrear
    E mais um colapsar”

    Chester

  • G33k

    Chester_Thrash 
    Mas amigo Chester, essa formas de vidas adaptadas a situações extremas, os extremófilos, são antes de tudo fruto de um processo evolutivo similar aos demais organismos.
    É isso que se busca. Condições básicas para o ínicio da vida.
    Não está se colocando como parâmetro a vida humana. Mas sim condições mínimas para que haja a quimiossíntese, a oxidação de minerais para a produção de matéria orgânica.
    É o mínimo do mínimo.

  • Chester_Thrash

    G33k
    Obrigado pela elucidação, caríssima G33k.

    Mas isso é algo que conhecemos.
    Eu quis fazer referência a algo novo, entende?

    E se pensássemos no desconhecido MESMO.
    O inimaginável, o novo, o surpreendente.
    Aquele que não temos a mínima ideia onde inicia e muito menos até onde vai o ciclo.

    É esse meu ponto.
    Quem pesquisa está pensando apenas no óbvio, considerando apenas o ser vivo como conhecemos em todas as nuances, considerando impossível existir qualquer outro tipo de vida nos lugares não visitados e não conhecidos.

    Chester!
    Calaboca!
    Um ser vivo brotar no vácuo, assim? Do nada? Com um click?
    Eu não conheço nem minha cidade inteira, que dirá o Universo para pautar verdade absoluta em algo.
    =p

    “O desconhecido
    O impensável
    O esquecido
    O ignorável

    O que habita esse Universo?
    Será bípede ou alado?
    Anda pelado ou de terno?
    Veio do pó ou do macaco?”

    Chester

  • walter loo

    …Esta informação sobre o planeta Vênus , é literalmente o “RAIO X DO INFERNO ” , vejam bem temos conhecimentos e exemplo do fim catastrófico destes planetas totalmente inóspitos a vida e insistimos em maltratar o nosso planeta TERRA, que nos oferece as condições necessárias  para vivermos e só pede o mínimo, que vivamos em harmonia com ele sem polui e fazemos exatamente o CONTRÁRIO !!!!!

    Abraços fraternos!!!!!!!!!!!!!11

  • Alex Cosmos

    Muito bom testo e com um conceito diferente de identificarmos Planetas ou mesmo Luas com uma forma de Vida baseada em H2O ! 

    Mas não esqueçamos que a Vida pode estar em locais mais complexos e em condições mais extraordinárias que jamais imaginaríamos !

    Acho que ainda podemos encontrar vida em nosso sistema Solar, apesar de não ser levado essa questão muito a sério por nossos pesquisadores, eles preferem procurar Vida em sistemas mais longínquos do que concentrar as atenções dos nossos telescópios em nossa vizinhança.

    Será que admitir a existência de Vida em nosso sistema seria admitir que a Vida é mais prosperá no Universo que pensávamos  ser ?

    Abraços…

  • G33k

    Chester_Thrash 
    Eu ri alto aqui desse “cala a boca”.

    Mas temos que começar por alguém lugar né?
    Cuidado heim, não é auspicioso idéias inovadoras de Chesters ás vésperas do Natal! 😉 
    Chester não fazemos léria;
    Tão pouco estamos com graça;
    Falamos de seres de matéria;
    E esquecemos os sem massa. 😀
     

    Grande abraço!

  • santistasom

    Quem procura vida em outros planetas somos nós,os civis simpatizantes,através deste site muito bom,debatemos,mas os governos e os militares do primeiro escalão já sabem tudo,muito além do que imaginamos.Eu na minha inocência,não acredito,tenho CERTEZA.

  • LuaPequena

    santistasom Olá santistasom!
    Então somos dois!
    abraços!

  • AntonioCarlosAD

    Primeiramente está errado em dizer que marte não tem placas tectônicas, ao contrário, quase todos os planetas rochosos tem placas tectônicas, outro também está errado em dizer que o núcleo de marte é frio, isso é uma teoria não provada, até porquê, por não ter oxigênio no planeta,  o núcleo, assim como a lava de marte não são incandescentes, mas, isso não quer dizer que o núcleo é frio, porém, quanto a possibilidade de vida em planetas além da zona habitável estipulada pelos cientistas, depende da adaptação ao ambiente, obedecendo a teoria da adaptação das espécies, não obstante, porém, que a vida necessite de água, na forma que a conhecemos, a vida orgânica, pois, se outra espécie de vida existir, senão espirito e robótico, é desconhecido até em nossa imaginação de como podem ser, acho que pedras não falam e não tem vida, com certeza homem de pedra não existem e quando referem do homem da idade da pedra não é que eles viviam no meio das pedras, mas, que suas ferramentas eram feitas de pedras

  • mm.

    Não é de se estranhar que os estudiosos fazem suas pesquisas em busca de um ou mais planetas habitáveis parecidos com o modelo que nos temos ou seja a terra, algumas poucas vezes paro pra pensar em teorias malucas como a seguinte.

    Será que não existe algum planeta que mesmo estando longe (fora da zona habitável) de sua estrela mais próxima ou unica estrela, porem com varias luas ou satélites orbitando o mesmo provocando um efeito de puxa estica com o núcleo desse planeta fazendo com que tanto o núcleo quanto a temperatura do planeta fique quente o suficiente para se ter algum tipo de vida algo inverso como dito no texto do Rafael sobre Júpiter e suas luas?

    “Júpiter é tão grande que seu campo gravitacional faz com que suas luas venham esticar e contrair criando atrito e calor”.

    Sou mais um que não acredita de forma alguma que um planeta para ter vida, também tem que estar em uma área de zona habitável cenário ideal para nos humanos mesmo tendo a ideia que a chance é grande em milhares de planetas e sistemas estelares ainda não descobertos neste universo mas e as outras possibilidades que fogem do nosso conhecimento e modelos astronímicos e científicos principalmente por que a vida em questão sendo ela inteligente ou não pode nem chegar perto de necessitar de um ambiente como o nosso e sim o oposto?!?

    Um abraço a todos!

  • Brito Beauregard

    Acontece que essas hipóteses não são verificáveis e conclusivas, até agora a terra é o melhor exemplo, nada mais justo que procurar vida seguindo o modelo.