A Física Quântica explicada de forma simples

Tempo de leitura: < 1 min.

Para aqueles que acham que a física quântica seja algo somente para cientistas, aqui estão dois vídeos muito elucidativos. 

O primeiro vídeo apresenta, de forma muito didática, um experimento chamado ‘Experimento da Fenda Dupla‘, o qual demonstra como a matéria pode reagir de forma inexplicavelmente inesperada. O vídeo, que é apresentado pelo personagem Dr. Quantum, e é um trecho do filme “Quem Somos Nós? Uma Nova Evolução“, serve de base para o que é coberto no final do segundo vídeo.

Já o segundo vídeo é uma palestra intitulada ‘Simplifísica – Física Quântica no seu dia-a-dia‘, ministrada pela Professora Sandra Denise Prado, no Instituto de Física da UFRGS, Brasil. Como descrito junto ao vídeo postado no YouTube, “a descoberta da Física Quântica é uma das mais importantes realizações humanas nos últimos séculos. Ela nos permite manipular o microscopicamente pequeno e possibilita uma revolução tecnológica. Entretanto, essa teoria também nos deslocou do mundo das certezas absolutas“.

Embora o assunto pareça não estar diretamente relacionado ao nosso tema principal, há sim uma ligação muito intrínseca e especial entre os dois.  A descoberta da física quântica é mais uma indicação de que ainda temos uma caminhada muito longa para começarmos a compreender os mistérios do nosso estranho Universo.  E a física quântica é o caminho para tal compreensão, podendo potencialmente e eventualmente nos explicar até mesmo fenômenos paranormais.

Assista os dois vídeos:

Quem somos nós? Uma Nova Evolução – ‘Experimento da Fenda Dupla‘:

Fonte do vídeo: Lamartiny Sales Santos

 

Simplifísica – Física Quântica no seu dia-a-dia:

Fonte do vídeo: ufrgstv

n3m3

Colaboração: Gobatto

ciênciafísica quanticaOVNI Hoje
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (95)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Ob.servi

    Eu trabalho com informatica , e sempre tive uma vontade enorme de produzir esses tipow de videos educativos sobre varias matérias .
    È impressionante como tem professores em faculdades que não sabe de expressar corretamente , fica brincando , fica tentando chamar a ateção da turma sendo extrovertido etc .
    E no final vc sai da aula sem saber nada , ou 10min ja esqueceu de tudo .

    Um video desses sobre primeiro e segunda grau , com uma sessão de games também pra entreter a galera mais jovem , seria sensacional .

    Mais pelo que eu percebo é que eles querem amarrar o conhecimento , tornando o assunto chato , perceba o assunto politca , é um assunto extremamente chato , mais se for explicado de forma correta e facil , qualquer pessoa fica expert em politica .
    Mais eles não querem que revindicamos nosso direitos , querem deixar a população burra , enfiando cervejas , tornando cantorzinho de merda em astro pop , vendendo cigarros , comida com bastante conservantes etc …

    Enfim , tamos lascados passado o recebi .
    Se eu tivesse grana eu iria viver em um sitio proximo a cidade , com agua comida energia tudo por meios naturais .

    ( desabafei ) , rsrs

    • Samsara

      Sério que tu acha que os professores estão conspirando para manter o gado controlado?

      Olha… como professor, só posso te dizer que no nosso país lecionamos por paixão. Não há outra razão.

      Reflita e seja útil.

      • Ob.servi

        Meu querido , nada contra a professores , nada mesmo ! E eu tenho até uma grande vontade de ensinar . Porém o assunto não se atualiza , o que é programado pelo estado , o cronograma é o mesmo a décadas , e outra é tudo manipulado sim !
        Historia , geografia etc são assuntos ultrapassados , que não condiz com a realidade …

        Sem falar a qualidade dos professores que não se atualiza , não programa um método mais interativo pra prender o aluno ao tema !
        Com tanta tecnologia existente …

        Bom essa é a minha opinião … !

        • Samsara

          Concordo, amigo Ob.servi.

          O nosso sistema de ensino parou no tempo. Eu poderia discorrer sobre o nosso atual sistema de ensino por muitas e muitas linhas… Mas, do meu ponto de vista, eu resumiria a situação atual em uma palavra: desinteresse.

          Façamos cada um a sua parte e, tenho certeza, viramos esse jogo.

          Abç.

      • Edison Junior

        Samsara, os professores nesta bioada, são o gado no final da boiada, ou seja, os mais manipulados.

        • Marcelino

          O ensino de Matemática e Física neste páis é um M…. bem grande mas não acho que a culpa seja dos professores mas do sistema!

          • Edison Junior

            Culpa? Depois de tanto tempo procurando os culpados não faço a menor ideia, será que alguém faz? Abraço…..

        • Hannah

          Mesmo porque as “normalistas” ou o que seria o tempo de cursar segundo grau (“ensino médio” nos dias de hj) é totalmente voltado à formação de professores.

          Soube que a formação de professores tem um currículo distinto do ensino médio/segundo grau.

          Já estive ¬ sem a princípio saber ¬ em um curso voltado para “professoras”, sendo que pensei este se direcionar a qualquer um que estivesse interessado. Fui a única “não professora” do grupo. E fiquei impressionada ao verificar certa “alienação” quanto às questões cotidianas. Observei que as referidas professoras têm uma conduta que segue nitidamente a uma disciplina de obediência, por exemplo, a ponto de acreditarem piamente na palestrante do curso, tanto quanto no que os telejornais e jornais exibem, acreditando serem estas “informações fidedignas”, sem muito senso crítico por detrás de tudo o que lhes é mostrado e do que lhes acontece à volta.

          Passaram-me a impressão de aceitarem o que lêem e a acatar o que lhes é dito como sendo verdade, como se todos fossem “professores ensinando-lhes algo útil”. Obedientes, esperam a mesma obediência de seus alunos. Surpreendi-me ao observar-lhes tal conduta. Juro que jamais teria este “pré- conceito”.

          • Edison Junior

            Pois é,
            é mais fácil receitar Ritalina para as crianças, alegando falta de atenção ou concentração, e esquecem que a realidade destas crianças de hoje esta nos videogames, celulares, tv a cabo etc, quando a verdade é que elas não tem nenhum interesse no que lhes é apresentado e da maneira que é apresentado…
            O conteúdo? este nem se fala…
            Abraço….

        • Samsara

          Edison,

          A boiada não está dividida por classe trabalhista, classe social, raça, religião, etnia…

          Esta está dividia por níveis de consciência. A expansão desta consciência, por sua vez, é suprimida ao máximo pelo sistema que controla a matrix.

          Todos, de uma forma ou de outra, fazemos parte da boiada. Na minha opinião, eu só acho que, ao invés de ficar reclamando ou apontando culpados, precisamos agir, fazer algo que contribua para a evolução da consciência da humanidade como um todo.

          Eu escolhi ensinar. Cada um pode contribuir de alguma forma.

          Abç.

      • Hannah

        Sua atividade é muito nobre, Samsara. Costumo dizer que “um professor nasce”, no sentido de vir a ser predestinado a esta atividade.

        Mas acredito que o Ob.servi quis dizer que o ensino no Brasil, assim como tantos outros assuntos importantes e fundamentais quanto, não tem sido levado a sério por décadas a fio. E por falar em “décadas”, por este mesmo período já havia notado que o ensino neste país acabou.

        Há mais de 20 anos lembro-me de uma professora universitária, tendo recém chegado de Paris, contou que crianças estavam aprendendo matemática o que ainda não estavam lecionando em universidades daqui… Isto há mais de 20 anos. Se já era difícil de concatenar como seria um ensino desses, imagina nos dias de hj, o quanto já não está há anos luz à frente do nosso!

        Em outras e poucas palavras: comparado aos países desenvolvidos, o Brasil perdeu o bonde da história e ficou para trás. Na educação principalmente.

        • Samsara

          Hannah,

          Concordo! O sistema de ensino está tão defasado que fica difícil não acreditar que o propósito deste seja justamente formar cidadãos alienados.

          Contudo, como respondi ao nosso amigo Edison Junior, cada um de nós, dentro do seu nível de consciência, pode fazer algo pela expansão da consciência coletiva.

          Aliás, esta, na minha opinião, é a única forma de, um dia, podermos fazer contato com civilizações mais avançadas.

          Abç.

    • Facepalm

      ‘Não julgarás, principalmente quando se escreve “mais” no sentido de “porém”.’ (Prof. Pasquale)

      Ensino depende de professor, conteúdo e aluno. Mesmo quando existem ótimos professores e o conteúdo é passado por ótimo material, se o aluno não tiver interesse, não se aprende.

      Aliás, quando há interesse, o “professor” é o próprio material.

      Se os alunos quisessem mudar, de fato, os “rolezinhos” seriam em frente à Esplanada dos Ministérios ou na casa do governador…

      Então, não se pode culpar os professores, que não são bem recompensados em terras tupiniquins, onde os médicos são deuses e os professores uns “peões”.

      O assunto é deveras complexo e foge do assunto em tela.

      Mas entendi o seu ponto de vista. O que percebo é que novas turmas de alunos estão adotando tablets para se usar em sala de aula, quero ver até que ponto isto será benéfico aos alunos.

      • mago53

        Facepalm, concordo com vc quando analisa essa situação professor, ensino e aluno, é bem por aí mesmo. Quanto ao rolezinho , tenho q acrescentar ainda: Rede Globo, STF, Firjan, Frebaban…e principalmente que se vote certo! Agora bagunçar p aparecer nessa mídia q ajuda a te escravizar é que não pode. Mas vc está certo, culpar professores não é certo, afinal todos nós passamos por essas mãos dadivosas, mas os caminhos a serem seguidos depois são nossas escolhas.

  • Jaci

    Pra quem ainda faz conta no dedo, isso é um mar de conhecimento.

  • geekgata

    Excelente! Sério, tem como não gostar disso?

    • Marcelino

      Mas como esse tal de elétron é falso um FDP dissimulado! Tu não oia o bichin ele é onda, tu vai oia o bichin ele vira partícula? O probrema ta em quem ta oiando o trem sô isso é miopia! kkkk;`)

        • Marcelino

          Bem por aí! kkk Enterra de cego que tem um olho, acaba num hospício! 😉 As implicações do experimento de dupla-fenda são infinitas!

          • Hannah

            Marcelino, vc realmente quis dizer o que escreveu “Enterra de cego”… Não seria: “Em terra de cego…” Tadinho do cego! Foi “Enterrado” rsrsr… Sorte é que ele mesmo “não viu” (mas sentiu! Ui!) Hehehe

            • Marcelino

              kkkk digitar fazendo os Crtl C Ctrl V dá nisso! Pense num catador de milho o teclado ! 😉

              • mago53

                Por isso q as estatísticas de deficiente visual aí em CB é quase zero! Fogem da cidade quando são assediados pelo Marcelino ! Sobrinho esse seu fetich é raro ! kkkkkkkkkk

  • Almeida

    Muito interessante!
    Mas chega a ser cômico tentarem ensinar física quântica a leigos, quando no meio acadêmico ainda é uma incógnita longe de ser resolvida.
    Como diria Richard Feynman:
    -“Se você acha que entendeu alguma coisa sobre mecânica quântica, então é porque você não entendeu nada.”
    citado em “Armageddon now: the end of the world A to Z‎” – Página 337, Jim Willis, Barbara Willis

    • Jaci

      Pra isso existem os Iluminatis. Para esconder o conhecimento da ralé. Afinal, gentinha não tem porque ter conhecimento, não vai saber usar mesmo… Fala sério, Almeida, cômico é um país sem educação e com um ensino tosco.

      • Almeida

        Iluminatis?! Isso é mera invenção do tio Brown. Não o leve a sério, sim?

          • Jaci

            Muito obrigada, Facepalm. Já ia responde a este senhor sobre isso. Mas estou com preguiça de falar sobre as necropsias na Idade Média e sobre as invenções do Leonardo da Vinci. E o Brown é uma ótima leitura. Adoro! Principalmente porque você lê um ou dois livros e já sabe o que acontece nos demais.

    • geekgata

      O senhor esta brincando né? É um chiste?
      Que meio acadêmico e esse aí? Que medo, francamente!

      Eu desejo do fundo do meu coração imaginar que o senhor esta de brincadeira, que o senhor sabe que a frase foi dita em tom jocoso por aquele que era considerado um pândego entre os físicos.
      Mas que ajudou a tornar a quântica uma ferramenta sólida e eficiente para o uso de físicos e químicos hoje no mundo todo. Principalmente no que tange eletrodinâmica quântica.

      Afinal como o senhor deve saber a quântica é tão eficaz, consolidada e comum que é parte do currículo do ensino médio no Brasil. Conteúdos amplamente cobrados em qualquer vestibular, ensinadas no ensino médio e cursinho.
      Só de exemplo: O senhor não recorda o conteúdo de “Teoria de ligação de valência”? (inclusive sendo a primeira teoria de ligação química baseada na mecânica quântica).E Teoria dos orbitais moleculares?

      Ou o senhor é muito esquecido ou está fazendo graça.

      • mago53

        Geek isso é SPN – Síndrome de Personalidade Narcisista ! Ignorar sobrinha!

        • geekgata

          Não acho sábio rir dos leigos.
          Ninguém é expert em todas as coisas.
          Em um outro momento o leigo pode ser você.

          Né tio Mago? 🙂

          • mago53

            Eu sei Gatinha Geek, te conheço e te admiro por ser Leal, ou vc ignora, ou mande para o Rio. Tenho um método muito bom p lidar com SPN. Boto o paciente no táxi e levo-o até uma comunidade mais pacífica, mas que tenha alguns chapados! deixo o paciente expor suas sabedorias, será aplaudido de pé. Então levo o enfermo até ao IME, onde encontrará mentes geniais. Bom ali ele vê q não é tão fera assim, mais o tempo de explanação ali é curto, apenas 15 minutos. Então levo o doente por um passeio pela floresta da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes,etc…Se ele se comportar, volto p o aeroporto, lhe pago um café, aperto sua mão e desejo boa viagem! Mas se não se comportar legal, ou notar q ele tem sequelas, dali mesmo vou até Botafogo e o levo para uma consulta na Clínica Dr Eiras. Tio tem vasta experiência no ramo!kkkkkkk

            • geekgata

              😉

            • Hannah

              Tio mago, quero um tratamento desses tb, só para dar aquele rolezinho de carro, pela cidade! 🙂

              • mago53

                Vc não tem SPN ! Quanto ao passeio, será um prazer, sem duplo sentido! uiuiuiuiui

                • Hannah

                  Eu ainda vou te “catar” numa corrida, sem que vc saiba! rsrsr. É bom pra não quebrar o encanto da sua imaginação a meu respeito (hehehe)! 🙂

                  • mago53

                    Estou esperando. Aí depois vc publica aqui dando provas que viajou comigo. kkkkkk

                    • Hannah

                      Posso citar aqui a marca do seu carro?! (a placa não, mesmo porque acho que não a memorizaria)…

                      Deixe-me adivinhá-la: vc dirige um Toyota Corolla! 🙂

                    • mago53

                      Renault Megane Grand Tour ! Corolla é meu sonho de consumo, 2.0 Kit multimídia ! É flutuar no asfalto! kkkkk

                    • Hannah

                      O meu tb! Sempre quando tenho a oportunidade pego este táxi [Corolla]. É um avião! E quando as ruas estão deserta então, o carro desliza no asfalto, dando a impressão de que está voando, a cada arranque! 🙂

                    • Hannah

                      Mas o seu carro tb é muito bom! Aliás supus que fosse de boa qualidade por causa do ponto (aeroporto internacional). Nunca andei neste, eu acho. Mas sei que vou gostar! 🙂

                    • mago53

                      Muito bom carro, conforto, estabilidade, e não me dá dor de cabeça, mas é 1.6 e muito econômico dá para o gasto, pena q saiu de linha, o último é esse do ano 2012. A noite vazio para chegar na fila de espera, o pau rola do rebouças até o galeão, os Pratas tem grandes pilotos, são os melhores, viagens longas fora do estado, pode contratar os Silver’s, são cavalos do Zorro!

                    • LuaPequena

                      Boa tarde Mago !
                      Caro amigo,você trabalha com o táxi azulzinho?
                      Aquele de cooperativa?
                      É por que tenho um vizinho que trabalha com um desses,no Aeroporto Internacional,a muitos anos!
                      De repente,até se conhecem !
                      Abração!

          • Jaci

            Pois é, leigo é tão relativo. E pra variar, você tirou palavras da minha boca. Qualquer pessoa aqui que tenha feito o 2º grau, não é leigo em Física. Bom, eu sou…mas só um pouquinho… é que tinha muita dificuldade… conta no dedo… paradoxo… Parei nos vetor, mas estou tentando recuperar.

            • geekgata

              Nunca desista, o conhecimento não acaba e a cada coisa nova a gente abre mais e mais as possibilidades da gente entender as coisas de forma mais ampla!

              😀

    • Senhor Spock

      Eis um verdadeiro nó Górdio difícil de desatar! A não ser que se use o “método” de Alexandre da Macedônia… Haja pensamento lateral!!!!
      .
      A integridade RELATIVA da matéria seria então assegurada pelo fato de que a energia pode apenas ser absorvida e liberada naquelas quantidades exatas a que os nossos cientistas denominaram de quanta??? Ora, ora… até parece uma espécie de providência sábia neste nosso mundo material que serve para manter os universos ou o universo em funcionamento contínuo!!

      Pelo meu reles entendimento vulcano de baixa categoria; então a quantidade de energia absorvida ou liberada, quando as posições eletrônicas ou outras se alternam, é sempre um “quantum” ou algum múltiplo do mesmo, mas o comportamento vibratório, ou ondulatório, dessas unidades de energia é determinado, integralmente, pelas dimensões das estruturas materiais envolvidas?? Essas manifestações da energia, sob a forma de ondas, teriam o quê? Umas 860 vezes os diâmetros das menores partículas a se descobrirem além dos elétrons dos átomos, ou das outras unidades que lhes dão origem?
      .
      A confusão interminável que acompanha a observação da mecânica, das ondas de comportamento quântico, é devido à superposição de ondas de energia: duas cristas podem combinar-se, para formar uma crista de altura dupla, enquanto uma crista e um vão podem combinar-se, ocasionando assim um cancelamento mútuo???????
      .
      Saudações Quânticas.

      • geekgata

        Não penso que seja um górdio, mas o experimento de dupla fenda tem várias interpretações.
        Sim, cada um desses pacotes tem uma energia que é proporcional à frequência da onda de luz. E cada pacote carrega uma energia exata dada por E = h f, onde h é a chamada “constante de Planck” e vale 6,63 x 10^-34 j. s^-1.
        Então sempre será um quantum ou um múltiplo dele.
        Verdade é como se houvesse uma quantificação específica e cuidadosamente calculada.

        E sim novamente, quando um elétron “salta” de um nível eletrônico para outro mais externo ou quando ele volta ao seu estado ele libera um fóton, um pacote de energia ou seja um quantum . O famosíssimo salto quântico, tão mal entendido no mundo místico.

        Aí que mora o problema A OBSERVAÇÃO dessa energia em determinados experimentos pode sofrer diversas interpretações, pois ora o fóton se comporta como onda ora como partícula.
        No experimento de dupla fenda que é o que mais falamos por aqui hoje poderia sugerir uma explicação sem recorrer à dedução de formulas ou derivações de equações. Generalizando essa interpretação (embora hajam mais pensamentos) de que, vamos tratar o objeto como um ponto, com um valor discreto e não contínuo e que enquanto o objeto está se propagando (sem ser medido/observado), ele o faz como uma onda.
        Nessa interpretação dualista realista vai dizer que a partícula segue uma trajetória em zigue-zague, mas não que se superporia ou se anularia, mas teria uma velocidade altíssima nas regiões escuras, de forma a reduzir a praticamente zero as chances de ser detectado nestas regiões.
        Mas poderia sim de fato também ter uma interpretação dualista positivista que diria que essas ondas propagariam independentemente uma da outra e interfeririam entre si.
        As ondas se encontrariam, crista com crista, ou vale com vale, elas somariam luminosidade formando interferência construtiva, gerando uma faixa clara, onde as ondas se encontravam crista com vale, elas provocariam uma interferência destrutiva( eu não usaria o termo cancelamento, deu pra notar que to torcendo pela interpretação anterior?), resultando uma faixa escura no anteparo.

        Um mesmo objeto, não pode ser uma onda e uma partícula ao mesmo tempo, mas o objeto quântico se propaga como onda, e depois, em outro instante do tempo, ele é detectado como uma partícula.
        Está vendo, não é difícil, é confuso, mas depende o que você quer explicar ou OBSERVAR.

        Perdão pelo longo comentário.

        🙂

        • Marujo

          É por ai que eu empaco (porque não entendo). O que aconteceu com o fóton lançado? Desde o “disparo” era o que era (partícula/onda)? Ou era ambas as coisas? O observador alterou a realidade?
          E, concluindo (o questionário, não a dúvida, obviamente), Geek, como isso se relaciona com os “temperos” mais utilizados na “receita universal”: matéria e a energia escura?
          Abração do Marujo.

          • geekgata

            Eis o problema, quando observamos interferimos no estado do objeto observado. Por isso tantas interpretações diferentes.

            Sobre o universo…Como nós saberemos se o universo é isso mesmo que definimos ou se isso é o que nós observamos do universo?

            • Marujo

              Quântica resposta!
              Hammmm! Acho que tá mais para a parte final da tua resposta.
              (como imaginei)
              – Tu criaste ou interferiste no meu universo. Tudo se altera.
              (como poderia ter sido)
              – Sem esta influência (tua/minha), seguimos, sabe-se lá para onde.
              (o que ainda não consigo harmonizar)
              – As duas coisas ocorrem, simultaneamente.

              Vai um pouco de “transmaionese” aí?

              Não? Compreensível.

              • geekgata

                Eu não posso interferir na sua “realidade”, mas eu vendo de fora sua vida, não vejo o que realmente acontece, eu só tenho minha OBSERVAÇÃO do que acontece.

                Tem que viajar na maionese mesmo, só não pode é sair do pote! 😉

  • Observador

    Assim como é o comportamento dos indivíduos no Multiverso.

    A ciência não concebe a existência de entidades imateriais segundo os conceitos básicos da Física, mas com o advento e aprofundamento da Física Quântica, milagres, fé e Deus poderão ser definidos com base em elementos científicos.

    No fim os loucos serão adulados, e teremos que reimaginar a Matrix.

    Será?

    Excelente semana aos confrades!

  • Aiolyos

    Eu ja tentei, eu juro, ja tentei entender mas nao dá, sou muito burro pra isso.
    Prefiro ententer de Contabilidade mesmo, hehehe.

    • silvio

      Paul Ehrenfest, grande amigo de Einstein se suicidou por não conseguir entender com melhor precisão a Física Quântica. De certa forma, física quântica é realmente muito complicado, mas também é magnífico entender a sua complexidade.

    • Marujo

      Facinho, facinho, Aiolyos …
      É como ocorre nos “balanços ou nos fluxos dos parques”, lembra?
      Às vezes, os “profi$$ionai$ mai$ requi$itados” são exatamente aqueles que conseguem “transmutar” cifras (elas deixam de existir neste mundo, e reaparecem em outros, ou, o mais impressionante ainda, não reaparecem em mundo algum, pelo menos por algum tempo).
      Impressionante, né?
      Marujo.

  • Hannah

    A física quântica só “interessa” ao mundo corporativo (cientistas e físicos incluídos) quando se trata desta servir ao comércio, ao consumo e ao controle, como as telecomunicações (e seus respectivos chips em todos os aparelhos eletrônicos portáteis).

    No entanto, a física quântica como um princípio natural descoberto, certamente vai muito mais além da matéria que vemos e tocamos. E quando isto for compreendido de fato posto em prática pelos que aprenderem ir além das aparências, muita coisa vai mudar. É por isso que os físicos que se atrevem ir “além” contando o que sabem, são banidos da classe científica. Resta-lhes esperar pela aposentadoria para somente então divulgarem os outros aspectos e recursos da física quântica.

    Vide Amit Goswami. Enquanto trabalhou veio a ser um físico “dentro das normas acadêmicas”, pois que conhece “o mundo em que vive”. E deve ter sido um profissional muito competente e bem pago, pois que viveu disto nos EUA. Já aposentado e autor de livros dissertando aspectos da vida sob a ótica da física quântica, agora há quem diga que ele é um pseudocientista que “escreve livros para complementar a aposentadoria”.

    Quando se tem má vontade em, e ojeriza a certos assuntos, sempre se encontra motivos para crítica e reprovação.

    http://www.youtube.com/watch?v=e-aDYAezrps

    • Marujo

      Mas este é o cara, Hannah …

  • veluz

    Alguem dise neste vide uma frase para pensarmos. Os átomos não são objetos, são tendências. Ao invés de pensar em objetos, você deve pensar em possibilidades.
    https://www.youtube.com/watch?v=SycV-qsWYLY

    • Hannah

      Jesus disse a palavra “átomo”?! Naquela época?! ‘Brincadeira’!… o.O

      • Almeida

        Hannah,

        Considerando o fato de Leucipo e Demócrito serem filósofos atomistas e estes viveram muito antes de Jesus é provável que o Cristo sabia sobre os átomos.
        Aliás, nos evangelhos de Pedro (apócrifo) mostra jesus versado em astrologia dando uma surra nos doutores que o confrontava. Se esse Jesus bíblico realmente existiu (coisa que eu duvido muito) ele era O cara!

        • Hannah

          Eu NÃO me referi ao princípio mas à PALAVRA, o “verbete”, que até hj muita gente nem sabe que existe.

          • geekgata

            E a grande maioria que conhece o verbete não sabe o que é ou como é. verdade Hannah.

        • Marcelino

          O problema é que o grande sábio Galileu foi um revolucionário substituido por um mito de um Deus Vivo como era de praxe nos mitos do paganismo e seus semideuses! O cara é pois um ilustre desconhecido. Aliás, gosto do que ouvi sobre a obra Um Judeu Marginal, vou procurá-la pois que as fontes oficiais sobre ele, os quatro evangelhos são questionáveis!

  • JAGLI

    A TAL DA FÍSICA DO TAO

    A ciência tem evoluído no sentido de retornar aos mesmos conceitos e elementos das doutrinas místicas do passado, que diziam que o TODO é NADA, que a origem é o PONTO e o OVO ao redor do Ponto, e que o Ponto é o centro da RODA, e o giro da Roda cíclica é o tempo, e que o PONTO é o Ser, o Espírito que vibra e que, vibrando, pulsa, e que pulsando, vive e emite ao redor unidades fundamentais de energia, ou Quanta. Um novo nome para um conceito ancestral, relacionado à mística pitagórica dos números inteiros.

    Dessas unidades/pulso do Ser-Self-Centro (PONTO, mônada, unidade elementar) formam-se agregados que se tornam unidades maiores, partículas, átomos, moléculas, seres, mundos, e a sabedoria antiga determina que toda a matéria/energia em seus sistemas de espaço/tempo se organizam ao redor desse PONTO primitivo e inteligente, criando assim, por efeito de pura Grade Harmônica de cordas sobre o tecido do espaço-tempo, dimensões e padrões de geometrias de campo e, sobre eles, formas com estruturas harmonicamente dispostas segundo a Física da Música, o que evoca novamente a Pitágoras, um dos maiores sábios do mundo.
    O próprio Universo foi chamado de Maya, ou rede de teias de ilusão, e hoje a ciência o chama de Holograma, que é a mesma coisa.
    O universo gira ao redor do PONTO, e o Ponto gira ao redor de si mesmo, porque chegar ao Ponto é chegar ao TODO, diziam os antigos. O Ponto não somente está no TODO, porém o PONTO é o TODO, declaração que perturba os acadêmicos até hoje, no entanto, bem compreendida, ela desvenda o Big Bang e o restante da cosmologia.

    Tudo isso foi dito no passado com outra linguagem, não científico-tecnológica, embora muito verdadeira. A Física Quântica é, por assim dizer, a vida orgânica do Espírito-Ponto,
    e o que a ciência hoje encara como atividade de núcleos puntuais se desdobrando ao redor, o Religare chamava de atividade agregante do PONTO e que, combinados a outros pontos, trazia todas as coisas à existência, de dentro para fora, mas o movimento ensinado pelo Religare também revelava o curso inverso, de fora para dentro.

    Se o Espírito-Ponto é o coração do Sistema, o Universo é seu organismo completo,e a Física Quântica é parte de toda uma Biologia que descreve esse vasto e complexo sistema funcional, explorando seus mecanismos e catalogando-os segundo leis determináveis. Mas devo dizer que não existe e nunca existiu INCERTEZA nesse organismo, a Incerteza está no olho do observador. E isto também é relativo, o que nos faz tornar a Einstein, que não aceitava Incertezas na ciência pura, apenas nos cientistas, também sujeitos a fantasias teoricas como os místicos e religiosos que eles tanto atacam. Porque não importa o estilo do homem, se ele é do tipo místico ou científico, intuitivo ou racional, inspirado ou lógico: o homem sempre está sujeito àquela rede de ilusões ou holograma de miragens chamado MAYA, sempre que direcionar a sua consciência de fora para dentro, e não o inverso. E mais uma vez, Pitágoras deve ser evocado, já que a série áurea é a que determina o movimento da Onda espiral de energia deste corpo do Espírito-Ponto em todas as dimensões e setores que o seu raio abarca. FI É A TRILHA QUÂNTICA DA NATUREZA.

    O Tal do PONTO é o TAO DA FÍSICA. O PONTO está por trás do Quanta e de todos os fenômenos quânticos, o ponto que vibra e emite pulso regular, inventando o número e a corda harmônica, e o faz num estado adimensional, atemporal e imaterial que nunca será possível à ciência localizar, daí a inclinação ao ateísmo. Porque se há uma definição mais exata para este PONTO em sua natureza mais pura, ela é, seguramente, DEUS, para além dos telescópios e medidores. O que não significa que Ele não esteja lá, apenas não pode ser observado. Negar uma coisa que não se pode ver é sempre ato temerário, que põe em cheque a credibilidade da Inteligência humana, com todos os potenciais para crescer AD INFINITUM. O PONTO, origem do QUANTA, não pode ser situado, porque ELE é que situa tudo ao seu redor. Integrar-se á Biologia do Corpo Místico da Física é realizar a peregrinação ao centro, ao PONTO. E buscando o Bóson ou partícula de Deus, a ciência está procurando fazer o mesmo que faziam os antigos, em busca do Centro, do TAO, do Nirvana. Só está errando ao julgar que possa fazer isso com tecnologia. Porque esse PONTO só é sensível ao Campo do Amor, essa gravidade universal que procura impedir a Separatividade eterna, loucura da indiferença impensável e impossível ao entendimento do PONTO. E mais uma vez, as doutrinas do passado acertaram, porque localizaram no PONTO A ÚNICA CERTEZA INFALÍVEL, o que é bastante simples de entender e aceitar a partir do momento em que o Ponto fecundou, incubou e parturejou o Universo inteiro. Voltar para esse PONTO pela força do AMOR é o caminho simples e direto para conquistar a chave da integridade cósmica. Não basta nos tornarmos seres de consciência científico-tecnológica, precisamos da consciência do PONTO, além muito além do campo das estrelas e dos QUANTUM, lá nos domínios onde (embora o termo ONDE não se encaixe) a Fisica Quântica e a Astrofísica se enlaçam, desaparecendo o sentido de todas as coordenadas que mapeiam o infinitamente grande e o infinitamente pequeno, para dar lugar a uma única coordenada: O ESTADO PLENO DE SER QUE, DO PONTO, ABARCA O TODO,
    algo que os místicos antigos definiam como estado abrasado de amor e comunhão com Deus e com toda vida, forma e existência. A ciência que procura a verdade através da tecnologia ainda demonstra uma patologia grave, aquela que a torna insana ao ponto de acreditar que robos possam se reproduzir, e que a existência do PONTO possa ser capturada artificialmente, de um modo frio, puramente analítico e sem participação do amor no processo. O verbo amar não cai bem somente aos poetas, mas ele é a chave da reintegração com o Todo pela ponte com o Centro. E se o órgão do amor está no centro do nosso peito, a analogia dos caminhos revela a sua legitimidade.
    Se o Ponto-Mônada é a origem, o universo quântico ao seu redor é a roupa íntima que cobre o espírito nú, enquanto que o universo das grandes massas, os seus vestidos e ornamentos de maior proporção. Tudo retorna ao espírito nu, que se despe para mergulhar nas águas que os antigos chamaram de Brahman, e que a ciência moderna chama de caos primordial.

    Inutil é estudar Física Quântica, Astrofísica e qualquer outra modalidade científica se o HUMANO ENTE não puder encontrar em tudo isso um sentido prático e aplicável direcionado ao próprio crescimento e evolução pessoais. Chega a cair no inútil.

    Para a ciência basta consultar os livros da sabedoria antiga e mudar os termos.
    Vai lhe poupar muitos discursos vãos debruçados em teorias fantasiosas.
    Chegou a hora de a ciência descer do pedestal e dar razão à sabedoria dos Iluminados, ao invés de colocar rótulo novo em conceitos milenares e dizer que foi ela quem descobriu tudo isso, e apresentar como coisa nova.

    Porque mentir não lhe cai bem.

    PS: quando Jesus se referiu ao poder da fé menor que um grão de mostrada e que, ativa no coração, era capaz de mover montanhas e fazer prodígios, falou do átomo, falou do ponto, espírito nú, encravado na origem dos tempos e no coração do universo, prodigioso em poder dada a sua conexão com o Todo.

    Mais uma vez, conceito antigo com terminologias modernas.

    • geekgata

      Porque nunca lembram da Química?

      • Senhor Spock

        Pois, é…
        Por isso redescobri Isaac Asimov… Eu escrevi REdescobri!
        1- Químico Profissional.
        2- Físico Amador.
        3- Matemático de Ocasião.
        .
        Saudações \\//_

        • geekgata

          Nunca tinha relacionado Asimov e a minha área de estudo. Interessante! 🙂

          Ao longo da minha vida venho colecionando muitas perguntas e até o momento uma única resposta: “Dados insuficientes para uma resposta significativa!”

      • Hannah

        Porque química é complicada pra carai! “Intão a gente sisquece”! 🙂

        • Marujo

          (kkkkkkkkkkk, … carai, …. kkkkkkkkk. Agora faz cara de quem entendeu, óóóó … kkkkkkkkkk).

          De quem?
          – Rindo de mim, ora …
          – Não posso?

          (kkkkkkk)

    • JAGLI

      Qual o único lugar da Roda que sente a tração de todos os pontos orbitantes por igual? O centro. A ciência crê que encontrou no centro da matéria o Bóson de Higgs, o que não é correto. Este bóson, com todos os outros hadrons, leptons e demais entidades são parte da roupagem íntima do espírito nú, aquele cujo centro só pode ser alcançado na escala vibracional, anterior à escala material atomística.
      Cordas, como se queira chamar isso.
      Este é um princípio que serve de argumento para balizar tanto a pesquisa científica como a busca religiosa.

      Afinal, a Lira era o símbolo da vasta Cosmologia Harmônica que Pitágoras chamou de MÚSICA DAS ESFERAS, na qual ele reconheceu que a proporção mágica e única do Pentagrama fornecia a chave harmônica da espiral cósmica predominante em todos os setores da Criação, espiral essa cuja culminação é alcançada ao solucionar o próprio mistério da Vida na matéria.
      E foi com tal base que ele converteu o Pentagrama no símbolo da ciência maior, ciência divina advinda das estrelas e de inteligências comunicantes acêrca da Cosmologia dos espíritos.

      Pessoalmente, eu considero Pitágoras o maior sábio da humanidade, proporcionalmente à sua época, e crendo que ele seja a encarnação direta de Hermes, isso reforça o seu vínculo com o Egito Secreto, possuidor da chave áurea, ou o número secreto e guia do mergulho na espiral em busca do Centro ou Espírito nú que permanece no TODO, e nunca o abandona.

      PS: A Química é a Física Quântica organizada, cósmica, ordenada.
      A Física Quântica é o estado da energia e partículas tentando se organizar
      e um tanto confusas para a observação, sem padrões determinísticos
      como ocorre na Química dos sistemas organizados, estáveis ou em transformação.

  • JAGLI

    Em tempo
    não estou negando as modernas teorias da Química
    somente desejando ver além delas
    mundo da música, das cordas
    dos orbitais eletrônicos de onda estacionária
    com identidade harmônica
    válida também para sistemas maiores, fechados
    como planetas e estrelas em órbitas regulares
    órbitas que são ondas estacionárias no espaço
    e se convertem em música criadora.

    Só quero ouvir o espírito nu tocando esta Lira
    como ouvira Pitágoras em sua contemplação.

    Tudo já foi ensinado no passado
    mas com terminologia diferente da atual.

  • JAGLI

    Eu falo de cientistas como Hawkings, que declarou que o Universo não precisa de Deus para existir, e ele certamente lucraria muito mais se aprendesse como acionar aquele átomo de fé no coração e dizer: LEVANTE E ANDE! ao invés de tantos maquinários sofisticados que só lhe estendem o suplício de uma vida vegetativa sem sanar sua enfermidade.
    Na maioria das vezes a solução está nos caminhos simples e que levam ao ponto, a grande chave da Criação, e ao número áureo, a identidade da Vida.

    Mas a arrogancia prefere complicar e construir labirintos para trilhar ao inves de admitir o caminho mais simples e curto à verdade. Há uma certa idéia errônea em voga que tende a crer que os caminhos da ciência tem que ser necessariamente os mais complexos ou complicados para serem os corretos. Muitas vezes leituras complexas de sistemas apenas empalidecem sua essência extremamente simples.
    Agora, quem puder ler a complexidade da casca sem perder de vista a essência interior simples, que o faça, porque o fará bem.

    Ter fé, levantar-se do leito de enfermidade e andar não é somente uma questão religiosa, já que a a própria ciência neurológica é que publica estudos sobre os poderes ocultos do cérebro em termos de auto-sugestão de cura e de muito mais.

    E quando Jesus disse: EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA,
    declarou um grande enunciado cosmológico e quântico, ou o termo que cada qual mais apreciar, porque disse EU (o Espírito, o Ponto, EU DIVINO) sou o CAMINHO (todos os caminhos e percursos da matéria saíram do Espírito e nele voltam), a VERDADE (bem como todas as leis, conhecimentos e teorias que os regulam) e a VIDA (a resultante final de todas essas potencialidades do Espírito intangivel na dimensão concreta).

    Mas não haverá como mudar o destino da ciência moderna, já selado, e que a obriga a procurar no passado as fontes da Verdade e nelas tentar beber um pouco antes que morra de sede com a boca aberta diante dos seus mananciais.
    E na verdade, ela já está bebendo, mas ainda não bebeu o suficiente para despertar.

    A ciência se multiplicou em torno do desconhecido, mas a sabedoria essencial permaneceu lacrada pelo símbolo, conforme disse o profeta Daniel. E no final do grande ciclo, ela seria reaberta para o exame da humanidade.
    Isso já está acontecendo. Cabe à humanidade decidir o que fazer com ela, quando tiver a certeza de que Deus sempre existiu e É, e que os profetas do passado falaram em nome Dele, numa linguagem própria da época e que, bem compreendida, não nega em nada os valores da ciência moderna em seu próprio e rebuscado estilo de retórica.

    UM Deus que se rende muito mais ao amor dos seus filhos do que à sua erudição.
    Porque a erudição também é casca, e se ela tem um propósito
    é o de nos levar ao centro e sentir o amor de Deus, e daí entender como é que se pode viver para sempre quando a integração com o TODO é alcançada via centro pela gravidade do amor.

    E descobrir que o que os modernos chamam hoje de UTOPIA
    os antigos tinham como a mais pura e acessível VERDADE.
    Porque discutir sobre a Verdade é uma coisa
    mas vivê-la é outra inteiramente diferente.
    Discutir a Verdade é afiar a erudição mental
    mas viver a Verdade é conquistar a legítima Sabedoria do coração.
    E mais que isso, pelo testemunho dos mesmos antigos, como Jesus Cristo
    viver a Verdade era o mesmo que viver para sempre.
    E ele realmente vive,
    pode ser que muitos não acreditem que ele ressuscitou, acionando os poderes do PONTO em níveis desconhecidos de uma biologia que se reeduca e reestrutura pelo comando da mente consciente
    mas ao menos vive presente até hoje em todos os fóruns e debates do mundo, como um enigma perturbador, desafiador, assustador, admirável, seja lá o que for,
    mas vive.
    E cumpriu a sua Palavra.

    • geekgata

      Não questiono sua crença Jagli, mas é que nunca se menciona a química pode observar.

      Nós não podemos alcançar a verdade Jagli, apenas ter vislumbres dela, ou quem sabe nos aproximar dela.
      Sempre o que teremos é a perspectiva humana da verdade.

      Ja a parte religiosa ainda conflito muito o que eu sei, vejo no dia a dia, leio e aprendo com o que eu creio. Portanto pouco ou nada poderia comentar.

    • S2

      Eu gostei muito de tudo que você escreveu, mas não acho que seja culpa do Hawking ele não acender a fé dentro dele. Eu acredito em Deus e tenho muita fé no amor, mas não despertei tal forca capaz de fazer andar, inclusive não sofro de enfermidades e talvez por isso não me amargurei e nem deixei de amar, mas talvez o sofrimento do Hawking possa ter o amargurado (ou não, e ele só é ateu e feliz). Ele não vegeta na cadeira de rodas, trás grandes contribuições, gostei muito do livro “o universo numa casca de noz” foi a primeira vez que vi física quântica.
      Falar de amor é fácil, difícil é amar. Você escreve bem gostei muito porem está parecendo o pior garoto propaganda que o amor já teve, tipo “ame ou ardera no fogo do inferno do ódio e da vingança”. Mande amor e recebera amor de volta.
      O pior é que me sinto mal por escrever isto também, não deixa de ser algo bem distante do amor, pois não esta certo a gente brigar. Só achei um outro ponto de vista, numa boa intenção de te dizer que você quer abrir os olhos das pessoas, mas talvez você esteja sendo duro demais.

    • Hannah

      JAGLI, tem muita gente que acredita em Deus e está em situação semelhante a de Hawking… nem por isso elas LEVANTAM E ANDAM…

      E mal comparando a Hawking, elas tb não têm a capacidade intelectual e ainda a disposição em continuar contribuindo para com a humanidade, mesmo no estado de saúde em que ele se encontra.

      • JAGLI

        Não falei de crença, falei de fé.
        Para os que tem conhecimento das Escrituras e conseguiram interpretam o homem-Deus à altura da sua real majestade
        perceberão que ele fala de fé, não de crença e nem de instituições religiosas
        que corrompem a sabedoria antiga e monopolizam os direitos autorais da doutrina que foi entregue gratuitamente ao mundo doente, sem que ela lhes tenha pertencido de fato, tudo em nome de lucros vís.

        Somente repito o do que Jesus falou,
        da fé por inteiro, do amor incondicional, da lógica egocêntrica e materialista que se rende ao apelo do maravilhoso e do fantástico
        e da mente que sabe derrubar todas as barreiras do preconceito e da intransigência com ensinamentos simples,
        e sorver a essência, e fazer brilhar aquela supernova no peito
        e revolucionar a massa inercial de sua escuridão,
        rompendo os fios da tecnologia manipuladora e condicionante
        acreditando que a melhor das tecnologias é aquela aparelhada em seu cérebro
        e nas fibras de seu motor cardiônico,
        fonte de vida e consciência.
        Acredito nesse amor que está morrendo no mundo
        na era das máquinas, amor que se entrega a Deus de corpo e alma
        e faz o milagre acontecer.
        Acredito num tipo de consciência que não se deslumbra com máquinas
        e sim com o milagre de uma flor que desabrocha na manhã
        porque ciente está que máquina alguma jamais fará algo parecido
        e olha que este é dos menores prodígios do Criador.

        Quem tem este poder no coração
        sempre dirá levante e ande para a sua própria enfermidade
        como a enfermidade alheia
        e também para as montanhas que, na parábola cristã
        significa o pior dos males, a indiferença.

        Crença, a ciência também formula um monte delas
        a crença não é sintomática apenas para religiosos;

        Entendendo e sentindo um Deus dessa forma
        e buscando um amor nessa proporção
        é que não posso compreender que serviço ao Espírito humano
        um ateu possa fazer, seja ele quem for.
        Á parte o verniz da erudição,
        mais pode a Cruz do amor que os artefatos da tecnologia
        e em breve veremos um mundo com suas armas depostas ao chão
        junto com toda a sua arrogância
        clamando misericórdia ao Senhor, quando a carne for vencida pela dor
        e a esperança de dias melhores, pela longa espera.

        Não é a tecnologia que vai salvar o mundo
        mas sim o amor consciente capaz de abençoar a fonte da vida
        todos os dias em que existir.
        A arrogância cega o homem
        e o egocentrismo paralisa seus membros,
        confinando-o cada vez mais a um mundo fechado e sombrio de conceitos
        em nada eficientes para resgatá-lo de seus dilemas morais
        que se tornam patológicos e crônicos com o tempo.

        Falo do homem-Deus
        aquele que alcançou todas as maiores alturas das possibilidades do amor divino
        e que hoje é ridicularizado e reputado como mito.

        Falo de uma ciência simples e pura
        que os simples aceitam
        os sábios compreendem
        mas os eruditos rechaçam.
        E se porventura o mal que carregamos dentro nos tornar
        cegos, surdos ou paralíticos
        é porque faltou ciência á fé, e faltou fé à ciência
        e quem disse isso foi um dos gigantes do pensamento moderno.

        Não falo de ética
        falo da felicidade e da possibilidade em se conquistá-la.
        Pra que serve uma idéia que acende uma lâmpada elétrica
        mas apaga uma verdade do Livro da Sabedoria eterna!
        De que vale a ciência que aparentemente está trazendo mais comodidade aos homens
        e ao mesmo tempo, aumentando o espaço de separação entre as pessoas. como a Internet.
        Qual o custo do conforto à carne
        pelo preço do desespero e solidão da alma..

        A questão não é crer ou não crer
        andar ou estar paralitico
        ver ou estar cego
        tanto faz, enquanto a humanidade estiver a parte daquela comunhão de amor mencionada
        colocando sua fé em coisas sem poder real para arcar a demanda de um mundo em crise e corrompido até às raízes,
        todos nós seremos cegos, paralíticos e surdos
        como nossos irmãos deficientes.

        Tem olhos mas não vêem
        tem ouvidos mas não ouvem.
        É isso o que eu queria dizer.
        Quem, por sua arte ou engenho, talento ou inteligência
        aproxima os homens da Verdade Maior
        este presta serviço ao mundo
        mas quem afasta os homens dessa mesma Verdade
        usando talentos e dons concedidos pela fonte
        este não presta serviço nenhum
        pelo contrário, lança sentenças de miséria e caos social
        que o tempo fará aparecer
        como fruto na estação propícia.

        Não basta crer, é preciso dar tudo para Deus
        e ser tudo em Deus
        dentro do que cada um concebe seja Deus
        segundo o seu próprio entendimento.
        Dessa força é que brotará toda luz, cura e felicidade
        mas dessa negativa é que sai tudo o que não presta
        das mentes que um dia pretenderam substituir o Sol
        com lâmpadas elétricas.

        Contudo, o sofrimento sempre traz redenção
        e depois da tempestade que passou devastando
        tudo o que alguém tinha por sólido, concreto e permanente
        esse alguem nunca mais será o mesmo.
        Com toda certeza
        humildade é a primeira coisa que nascerá em seu coração dolorido.

        Às vezes, só as tempestades da dor nos resgatam
        das montanhas da indiferença e da inércia que freiam todo impulso de amor
        que só deseja tornar à fonte.
        Não podemos mais lidar com o conhecimento da forma fria, cética e caçoísta que debocha de tudo o que tenha cheiro e sabor de Sagrado.
        Precisamos de uma ciência humana,
        que não se devote somente ao consumismo ou ao culto da matéria
        e sim, de uma doutrina, de uma moral e de um modelo
        que traga de volta o homem ao amor original
        e ao humano caridoso, elevado e bom que já foi um dia
        segundo os registros dos antigos.
        Precisamos de uma ciência que jamais se faça isolada do homem
        mas que o acompanhe em cada passo dessa jornada rumo á perfeição
        que somente começa com um bom coração
        e não com uma boa erudição.

        Temos visto eruditos em toda parte, na política
        nas religiões e na ciência,
        e quantos males eles têm trazido.

        Erudição não dá um bom coração
        mas um bom coração dá sabedoria.
        Eis a grande diferença.

        Se ofendi alguém com minhas palavras, aceitem minhas desculpas.

        • Hannah

          Oi, JAGLI!

          Não ofendeu de maneira alguma. Minha resposta inicial ao seu comentário foi apenas uma observação. 🙂

  • JAGLI

    Porque uma coisa é mais do que certa:
    quem não puder identificar ou sentir esse impulso no coração,
    esse vetor-rei de toda a existência e do que há além dela,
    chamando e chamando, dia após dia, cheio de amor e propósito para a vida,
    ciência e mistério, magia e encantamento,
    olho interior capaz de sondar todas as coisas devido a sua Unicidade,
    este segue morto, ainda que ande e respire sob o Sol.

    A erudição discute sobre a possibilidade de voar
    mas o amor voa.

    Essa é a Física que procuro estudar
    não aquela que avalia possibilidades e confronta ideias
    mas aquela que as realiza.

    Se ela é quântica, química ou matemática,
    física ou metafísica,
    isso não importa
    são termos que estendem a discussão e diminuem o tempo hábil para se voar,
    o que importa é que ela dê asas.

    Newton subiu nos ombros dos gigantes
    e eu quero voar nas asas dos sábios
    aqueles que viveram sua sabedoria
    e cintilam para sempre, como as estrelas.

    Em outras palavras
    se essa moderna cultura quântica cheia de conflitos ideológicos entre os seus próprios partidários,
    não for capaz de abrir a mente humana, aperfeiçoando a alma,
    e despertar todos os seus potenciais de integração com o Infinito Ente
    Deus, TAO, a Verdade,
    dando ao homem a verdadeira iluminação da felicidade
    e se ficar reduzida apenas ao melhoramento de tecnologias
    e ao mercantilismo servil,
    negligenciando o centro da vida e do propósito de tudo ser e existir,
    então ela não serve para nada
    pelo menos para mim.

    • Aiolyos

      Otimas colocações JAGLI.
      Leio todos os posts de THEORY e DanGalante que sao feras, agora incluirei os seus tb.

    • Hannah

      Li e reli a sua pergunta (para perceber uma msg além dela) e para mim a resposta é até muito simples.

      É claro que existe o barulho. Só que estando “deserta de humanos”, ninguém escuta. Mas os animais da floresta sim, tanto que há uma revoada de pássaros quando isto acontece, por exemplo. E mesmo se por ventura não existir os animais, o barulho ainda existe porque não depende de testemunha para um fenômeno acústico provocado pela queda de um corpo [tronco] pesado, ao chão, ou colidindo entre outras árvores.

      Tem muita coisa acontecendo neste exato momento e do qual não estamos cientes pelo fato de não estarmos presentes. Mas nem por isso deixam de acontecer.

      • RCa

        Olá Hannah, é bom rever o site e ainda mais com excelentes posts como este.

        Sobre a questão acima, ela é usada justamente para aguçar a mente, reiniciando-a por assim dizer, como um exercício.

        Vou deixar alguns links que explicam melhor esse conceituo de pensamento:

        http://www.astroxaman.com/se-uma-arvore-cai-na-floresta-mas-nao-ha-ninguem-por-perto-ela-faz-barulho/

        O estranho paradoxo do Gato de Schrödinger,
        http://pt.wikipedia.org/wiki/Gato_de_Schr%C3%B6dinger

        Digamos que o tempo é como a “vibração sonora”, moléculas chacoalhando em um ambiente. “Barulho” sendo a interpretação que o cérebro da a estas vibrações. Se o ouvido não capta-las, as vibrações sonoras não serão detectadas pelo cérebro e portanto não haverá a decodificação racional e interpretação em forma do que é chamado “barulho”. Portanto, não existiria “tempo” sem este ser medido conscientemente, a não ser para o (α e o Ω) que “quanticamente”, É.

        http://www.youtube.com/watch?v=r1X6mVavohM

  • JAGLI

    A TRANSCIÊNCIA

    Talvez eu esteja enganado,
    talvez esse tipo de ciência tenha alguma serventia
    quem sabe, para aqueles robos que se reproduzem
    afinal, é para isso que ela conspira
    transformar o ser humano em máquina, em autômato sem alma.
    Como é possível existirem pessoas que acham mais fácil acreditar nesse disparate
    do que acreditar num Deus Onipresente, Consciência Universal Operante!

    Alguns cientistas sabem ser extremamente idiotas de vez em quando.
    Mas falando ainda um pouco sobre a Física Quântica
    e o dogma da Incerteza,
    é preciso usar outro tipo de ciência e método de observação
    para exorcizar aquele dogma para sempre.

    Observando uma partícula isolada, como elétrons em órbita
    ela não apresenta um comportamento padronizável,
    mais parece uma entidade caprichosa que se posiciona em redor do átomo ao sabor das suas vontades mutantes
    e não um objeto dotado de massa, carga e propriedades mensuráveis.
    Contudo, isso é o que parece para a ótica da ciência que investiga a parte
    mas ignora o funcionamento do CONJUNTO como totalidade.

    Então, vejamos
    se na análise isolada, o elétron parece seguir movimento aleatório
    na análise do conjunto ÁTOMO ele está onde deveria estar
    e sua posição só pode ser conhecida ao se conhecer o padrão do conjunto.
    Outra explicação.
    Suponha-se um aglomerado de partículas aquecidas
    todas pipocando ao calor, altamente caóticas e aleatórias.
    Algoritmos e diferenciais complexos poderiam tentar prever padrões dentro dessa caoticidade
    com pouco sucesso.

    Mas o que é o conjunto ÁTOMO:
    A ciência comum ainda não respondeu, e a cada ano, reavalia todas as suas teorias a respeito.

    Porém,
    se o modelo DO CONJUNTO FOR CONHECIDO
    e se o comportamento do conjunto-sistema desse monte de partículas reunidas for conhecido,
    cada partícula estará onde deve estar
    e o CAOS terá outra leitura, isso se passarmos da análise separatista, a ilusão pregada por Buda (o grande dogma da separatividade)
    para a analise global.

    Algo que funciona também com outros modelos de grupo ou conjuntos,
    por exemplo, comportamentos previstos de massas populacionais
    mas imprevisíveis de indivíduos.
    Porém, se estes indivíduos forem compreendidos como parte influenciável do grupo
    (teorias do Inconsciente Coletivo)
    então comportamentos aparentemente aleatórios de indivíduos podem ser padronizados
    diante dessa outra forma de análise.

    Estou falando da transciência
    aquela que parte do TODO para avaliar a PARTE, O INDIVÍDUO.
    Somente observando do centro, é que se mira o TODO
    e somente observando o TODO, se avalia o conjunto
    e o que parece aleatório para a ciência comum
    será plenamente determinístico para a ciência dos conjuntos
    onde coisas como caos, aleatoriedade, incerteza
    perdem todo o sentido.
    Porque é o TODO que influi sobre a parte
    e não o inverso.

    A religião antiga, dentro de suas próprias terminologias
    falou da Transciência.
    Mas a ciência moderna, negando o TODO OPERANTE INTELIGENTE
    ficou reduzida à análise das partes separadas,
    perdendo o sentido e regra geral do CONJUNTO, que existiu antes do fragmento,
    da parte, partícula, pedaço, indivíduo
    e lhe respondem por igual.

    Se hoje Hawking diz uma coisa
    e amanhã, outra,
    é porque também olhou somente para o buraco negro
    desconsiderando o conjunto UNIVERSO ou Deus
    e qual o propósito de um buraco negro no TODO GALÁXIA
    Somente compreendendo o conjunto GALÁXIA
    SE ENTENDERÁ O FRAGMENTO BURACO NEGRO
    que é como o Bóson de Higgs na escala cósmica
    fundador de matéria e organizador de massa naquele sistema chamado Galáxia.

    (pra mim Hawking é um erudito, não um sábio, que educou o seu cérebro para funcionar unilateralmente, aliás, como a maioria de nós, sempre sobrecarregando o hemisfério esquerdo do cérebro em detrimento do Hemisfério direito. O sábio usa os dois hemisférios, e localiza o conjunto, e depois identifica as partes, e com sucesso elabora as teorias e a compreensão das coisas que deseja saber da maneira mais precisa possível, também dentro de suas próprias capacidades de compreensão).

    A Analogia é o sintoma de um Universo fractal e replicativo sobre si mesmo.

    A TRANSCIÊNCIA OU CIÊNCIA DIVINA
    tem o poder e o discernimento para elucidar as partes isoladas
    e obscurecidas do conhecimento humano.
    Só o conjunto pode explicar o fragmento.
    Só DEUS pode explicar a natureza, fundamento e propósito da existência humana.
    Só o entendimento global do Universo pode explicar o funcionamento das galáxias
    suas estrelas, mundos e buracos negros.
    Só o entendimento destes objetos pode explicar a matéria, suas forças
    e o comportamento das partículas nos sistemas microcósmicos.
    Conjuntos maiores abarcando conjuntos menores, de modo que, diante dessa certeza, não se pode mais falar e estudar fragmentos sem o risco de emitir conclusões erradas ou, ao menos, parciais da verdade.

    Temos que partir do TODO para compreender o detalhe.
    O pintor primeiro teve a inspiração da imagem pronta, depois pintou cada detalhe dela.
    Assim se comporta o Criador, Ele criou o TODO e, a partir dele, isolou as partes, mas sem deixar de comunicá-las entre si por cordas, vibrações, música ressonante num espaço-teia.

    Essa é a Ciência dos deuses estelares, dos Extraterrestres e sábios.
    Quem olha do alto da montanha tem a visão da montanha e da planicie
    mas quem olha da planície mal pode ver a planície
    e nunca verá o que acima dela está.

    A arrogância nos enreda ao egocentrismo
    e tal é a causa de tanta cegueira e obscuridade: a perspectiva que nunca transcende o auto-conceito.
    A Transciência nos ensina humildade
    e nos desperta a percepção de que, isolados, nada somos
    mas em grupo, e reunidos em harmonia
    podemos ser todas as coisas.

    A idéia do organismo funcional e da inteligência coletiva sempre existiu
    mas expressou-se de diversas maneiras ao longo dos séculos e pelas civilizações.

  • JAGLI

    Posso ter sido duro em algumas palavras direcionadas a Hawking
    por certo uma mente brilhante, dotada de grande intelectualidade,
    e com certeza não me estão claras todas as razões daquele cientista
    estar nas condições em que está
    apesar de ser ele um dos responsáveis pelo ateísmo de muitos
    mas pode ter certeza
    mais dura tem sido a ciência ateísta com os valores da religião e da fé.

    E com certeza
    um sábio jamais diria
    DEUS NÃO EXISTE
    Ele sempre vai dizer
    ELE EXISTE
    embora eu não possa vê-lo ou compreende-lo

    Aí está o valor da humildade
    de um coração que se faz sábio
    ao perceber que sua opinião não determina os caminhos da Criação
    porque ela pode estar errada
    e ele virá a mudá-la, como realmente aconteceu
    e tenho esperanças que, no leito da morte, como muitos
    ele reavalie o que disse
    e diga ao mundo
    DEUS EXISTE
    MAS EU NÃO ALCANCEI COMPREENSÃO E GRAÇA
    PARA ENCONTRÁ-LO NESTA VIDA.

    Ás vezes, pessoas de uma compreensão simples das coisas
    conseguem muito mais prodígios no terreno da cura e de outros prodígios da fé
    do que pessoas altamente eruditas e amplamente envernizadas de cultura,
    e isso realmente deveria nos levar a uma reflexão mais profunda de tudo o que se discute em termos de conhecimento mas tendo Deus como coadjuvante ou mesmo ator não escalado do enredo de nossas vidas.

  • JAGLI

    Isso não me parece justo para com Aquele que é o Centro e o TODO que existe.
    O amor é o único poder capaz de migrar diretamente para o centro, sem escalas, e sentir o TODO a lhe atravessar.
    E nesse momento se sente realmente capaz de ser e realizar tudo.
    Até voar, como místicos do passado em estado de êxtase.
    E este seria um bom modelo para estudo à luz da Física Quântica atuando no coração de um devoto, que perde a gravidade de massa por algum tempo.

    Como explicar isso.
    Nem precisa. Seria impossível.

  • Dan

    O vídeo da ufrgstv é uma boa introdução científica básica da física quântica. Mas é claro que a mecânica quântica é bem mais complexa que isso, e ainda está sendo testada nos aceleradores de partículas, como o LHC. E o mais interessante é que ainda não se entende como relacionar a gravidade no “pacote”. Existe uma partícula teórica chamada “Gráviton”, mas que até agora não foi observada. E, por outro lado, novas partículas – Y(4260) e Zc(3900) – foram descobertas pelos chineses em 2013 (sem falar na confirmação do bóson de Higgs em 2012 – ). Ou seja, ainda há muita coisa para se descobrir, e portanto, nem mesmo os melhores físicos teóricos do mundo entendem completamente o mundo quântico, porque o quebra-cabeças das partículas que compõe a matéria ainda está incompleto. Podem existir partículas ainda desconhecidas (como o “Gráviton”) que exerçam um papel fundamental na transmissão de forças e coalizão da matéria. Portanto, se apesar de tudo você ainda tiver dúvidas sobre mecânica quântica, não se preocupe, os físicos também tem. E é isso que faz a coisa divertida, a possibilidade de novas descobertas significativas!
    Acho que a idéia de que a matéria é composta por pequenas cordas (“Teoria das cordas”) é muito mais lógica do que imaginar a matéria formada por pequenas bolinhas de bilhar (como aparece na maioria dos modelos disponíveis).
    E essas partículas pequenas, obviamente, influenciam no comportamento do grande Universo em que vivemos (nesse caso não falo em Multiverso porque as propriedades físicas do nosso universo podem não se repetir em outros). A matéria escura é formada por um tipo de partícula(s) estável que surgiu com o nosso universo, e o melhor candidato teórico para ela são os chamados “neutralinos”. Já a energia escura, responsável pela aceleração da expansão do nosso Universo, é uma grande incógnita (por enquanto os físicos teóricos não tem uma teoria satisfatória que explique o que pode ser a energia escura), mas tentativas e simulações estão sendo feitas.

  • JAGLI

    A Onisciência é um estado de consciência que, inerente a Deus e acessível ao homem, subentende a existència do TODO anterior à unidade, dotado de sua própria dinâmica operacional capaz de prever todos os movimentos de cada parte sua, em qualquer estação de tempo ou dimensão. O que o sábio procura fazer é captar parte dessa dinâmica mas sem a pretensão da onisciência, contudo de um mínimo de consciência capacitada a andar em conformidade com a marcha do conjunto de acordo com o que a religião chama de VONTADE ou Providência Divina.

    Portanto, qualquer evento que aconteça isoladamente num determinado setor de um sistema, seja ele presente, passado ou futuro, é plenamente cognoscível e até manipulável pela Inteligência que opera no TODO, o que explica, à luz da Transciência, prodígios como profecias, milagres e situações “estranhas” de sincronicidade ou atemporalidade que a lógica não consegue situar avaliando as coisas em pedaços e sem a fio de ligação entre as mesmas na entidade maior, ulterior àqueles.

    Qualquer coisa que aconteça nesse sistema, conjunto ou Todo integrado e se nos pareça acidente, fatalidade ou casualidade, seja onde, como e quando for, é evento concebido e localizável não por uma razão, mas por um pressentimento intuitivo que, transcendendo a lógica linear da causa-efeito ponderáveis, entra em ressonância com a onda portadora do mesmo, oscilando em todo o organismo descrito.

    Se o TODO e a existência da dinâmica dos conjuntos é a solução para compreender os mecanismos do Universo, então é preciso investigar não somente os objetos ou sistemas que flutuam nesse meio imponderável chamado espaço, mas o próprio meio nos quais todos os conjuntos funcionam e manifestam suas leis e conexões, um tecido de propriedades não totalmente conhecidas, e Einstein chegou bem perto ao desvendar a sua capacidade de distorção, a qual não é a única. Como uma teia de aranha que, ao mesmo tempo, rígida e flexível, permite que grandes massas se desloquem em sua presença sem romper suas fibras e que partículas diminutas façam ondular seu tecido de grande sensibilidade, o espaço são as águas genesíacas sobre as quais flutuava o universo informe no primeiro instante, e nada existia além da escuridão de fótons ainda ausentes.

    As partículas ondulam nesse espaço rígido mas flexível, que oscila e cria trilhas harmônicas ou dimensões ao redor do núcleo puntual do sistema onde elas se encontram,
    e o observador está pensando, está emitindo onda, está interferindo com o experimento dos elétrons, o próprio pensamento do observador está fazendo o espaço ao redor ondular, e de forma estranha, interage com os elétrons, até porque, antes de serem partes isoladas, observador e objeto também são uma coisa só na consciência do conjunto.
    Planetas e estrelas são macropartículas que também fazem o espaço-teia oscilar, e também estão sujeitas às perturbações estranhas previstas pela Relatividade.
    Na transciência não existem eventos isolados, eles devem ser considerados segundo a dinâmica do grupo onde acontecem.
    O pensamento é uma onda, e quem o produz são elétrons circulando nos condutos neurais do sistema nervoso e cérebro. Não é de se admirar que o pensamento possa interferir aqui,
    e em diversas outras situações aparentemente sem explicação lógica.
    Na dinâmica dos conjuntos, é impossível separar o observador do objeto. Há sempre uma interferência, ainda que discreta e não facilmente mensurável.
    Um simples ato de concentração de cientistas avaliando a experiência poderá gerar ondas mentais que se espalham e alcançam os elétrons em movimento.
    O Pensamento é uma onda eletromagnética gerada no cérebro, capaz de se deslocar até o objeto imaginado, mesmo estando distante. Telepatia, transcomunicação, sincronicidades, uma série de fenômenos inexplicáveis poderiam ser compreendidos por este comportamento quântico da mente.

    E se considerarmos elétrons como entidades dotadas de uma vida e uma mente elementar, entramos em outra vertente, aquela que entende por vida tudo o que vibra e se move no Universo, e não somente aquela que se encaixa nos modelos orgânicos da Biologia convencional.
    Micro e macro-partículas que fazem o espaço-teia dos Vedas oscilar, e oscilando, criam padrões harmônicos que subjazem nas articulações geométricas e padrões regulares do Universo, aqueles que assinam a cosmologia ordenada e a lei determinante.
    Talvez o experimento da fenda dupla só possa ser totalmente compreendido quando duas partes do experimento desprezadas forem consideradas:
    1. as propriedades do espaço-teia, que se dobra sobre si mesmo e produz zonas de concentração e densidade chamadas de matéria escura
    2. as propriedades do pensamento-onda

    Assim estamos perto de encontrar as bases teóricas de uma Cosmologia harmônica em um Universo-Onda, onde o meio (Espaço) é totalmente adaptado a isso, validando as sábias conclusões de Pitágoras.
    Ondas, vibrações, comunicação integrada, interferências desenhando a geometria dos campos e, por efeito, da matéria, etc.

    Isso nos leva de novo ao modelo dos conjuntos-sistemas e suas dinâmicas operantes acima e além das partes constituintes.
    Algo que somente o conceito do PONTO-Centro integrado ao TODO pode explicar devidamente.

    Ou, em outras palavras,
    Deus.

  • JAGLI

    Einstein disse que, se a tecnologia superasse nosso nível de humanismo, essa mesma tecnologia criaria uma geração de completos idiotas, e temos visto o quanto ele tinha razão.

    Antes de Einstein, veio ao mundo o homem-Deus, aquele que abriu para o mundo os portões das mais elevadas realidades e das mais belas possibilidades de realização acessíveis ao ser humano pela via da suprema reintegração com o Todo, ou Religare com Deus, mas hoje a ciência têm gerado céticos, e os céticos levantam a bandeira do ateísmo, debochando, ridicularizando e até mesmo descartando os sábios e a sabedoria antiga como se eles nunca tivessem existido.
    Todos rendendo culto à Tecnologia nos altares da máquina, deslumbrados com ela, como alertou Parravicini e, antes dele, o profeta João.

    O pensamento em voga tem preferido colocar suas esperanças na evolução tecnológica e numa máquina sem coração ao invés de seguir os passos dos gigantes, estes que se fizeram imortais e grandes por suas idéias, encontrando o jeito de explodirem estrelas no peito e renascerem na mística magia da Alquimia que pode reconstruir todo ser, mineral, vegetal e humano. Hoje, a máquina diz que tudo isso é mito, e uma legião crê piamente nas suas palavras. Hoje, a máquina diz que a sagrada Terra dos imortais, a terra dourada que não precisa de lâmpadas, porque a sabedoria deles é a luz do mundo, esta terra nunca existiu, e muitos tomam isso como fato. Hoje em dia a máquina diz: Deus não existe. E o côro repete: amém!

    Por que a ciência sempre tem que ser associada à tecnologia em nossa mente?
    Donde veio essa idéia que tecnologia é que cria ciência?

    Não podemos também pensar nos termos de uma ciência que tenha no coração o seu gerador, e no pensamento desperto, o seu instrumento de busca e pesquisa?
    Enfim, porque não explorar mais a ciência dos antigos, aquela que abria na mente os poderes quânticos alinhados com os sistemas maiores, cósmicos, integrando o homem à vasta Rede? Sábios que não precisavam de máquinas para obter informação, mentes treinadas na meditação, na contemplação pura que sorvia grandes doses de inspiração das estrelas cantando nos profundos céus, impedindo a servidão à máquina?
    Essa ciência existe, foi e ainda é plenamente exercida por sábios e homens como Jesus, Buda, Hermes, Newton e Pitágoras, que renasceram batizados em suas águas.
    Esse graal redentor foi destruído pelas mãos da modernidade, e em seu lugar puseram a tecnologia.

    Mas que máquinas Einstein, Newton, Buda, Hermes ou Pitágoras utilizaram para conceber suas idéias geniais?

    Einstein por exemplo usou apenas a caneta e o poder da imaginação para desvendar o Universo Relativo, e depois veio a tecnologia para provar que ele estava certo.

    A extrema dependência de máquinas com certeza vai atrofiar o cérebro e diminuir os seus potenciais de inspiração, intuição e conexão de iluminação com a Mente Infinita. Somos um neurônio dentro de um cérebro maior, mas se esse neurônio perder sua conectividade com a rede cerebral, se torna célula inútil ao funcionamento do pensamento. A tecnologia não pode sufocar a imaginação. A máquina jamais poderia ocupar o trono da razão e nem direcionar os modelos de estudo. Seu papel é auxiliar a mente inteligente, e não trabalhar em seu lugar. Sua função é dar suporte ao estudo e pesquisa científica, e não ditar as leis que regulam o cosmos: até porque é o homem que está integrado à rede cósmica, não a máquina, e ele, se alinhado com tal rede, é que tem condições de enunciar aquelas leis. Nunca a máquina, porque a experiência da fenda dupla demonstra que nem tudo pode ser como parece atrás das lentes dentro de um universo regido por Relatividade, onde observador e objeto fazem parte de um mesmo evento na cadeia do tempo, o que nos levará sempre a níveis cada vez mais elevados de observação e de considerações possíveis. Pode ser que o elétron, a matéria, as partículas e as forças se comportem de maneira totalmente diferente em outras dimensões, pode ser que as leis que regulam a tridimensionalidade percam toda a sua eficácia numa Quarta ou Quinta Dimensões.

    Isso porque se está mudando o plano de observação. E também um observador, num grau mais elevado de consciência, pode observar muito mais que um observador abaixo deste nível, tudo seguirá por desdobramentos infinitos que vão saindo cada vez mais da análise particular e rígida do auto-conceito, de modo a nos empurrar mais e mais para a percepção do TODO, de Cosmologia integrada e totalmente encadeada dentro da qual não podemos mais observar um feixe de elétrons sem considerar a Terra, o Sol, a Galáxia e mesmo os observadores presentes.
    Isso é a Transciência. Isso é Onisciência de Deus.

    O que eu quero dizer é que a sabedoria dos antigos não precisa de tecnologia para ser exercida, não cria ciência ou desvenda leis olhando atrás de lentes ou captando sonares e sondas. Mas lentes, sonares e sondas é que lhe dão crédito. A sabedoria dos antigos usa o coração como gerador, e a mente (onda-pensamento) como instrumento de busca, desde que saiba como efetuar a conexão com o Todo via centro.

    Que ninguém subestime os poderes e capacidades disponiveis ao homem, já que o Criador lhe deu o melhor dos instrumentos: a mente, que se torna “quântica” quando aprende a fazer ligação com a Rede. Porque senão, deixará de ser a mente usando a máquina, mas o inverso, manipulada por outra rede muito diferente, que adormece ao invés de iluminar.

    O programa é transformar o ser humano em máquina para que ele possa ser mais facilmente manipulado pelo sistema materialista tenebroso que opera a tecnologia alienadora.
    Antigamente a tirania impositora e dominadora era exercida pela espada a serviço dos reis e papas.
    Hoje só mudou a arma.

    Traduzindo em miúdos
    se a tecnologia ou qualquer outra disciplina e atividade intelectual
    não trabalhar em nome daquela comunhão
    ela realmente não servirá para nada
    porque dará muitas coisas ao homem,
    exceto felicidade, plenitude, bondade, iluminação e liberdade.

    CONHECEIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ!

    Isto é o TAO da Física.
    Da Química, da Arte, da Religião, da Vida.

    • JAGLI

      Aqui reside a diferença básica entre o intelectual e o sábio,
      enquanto o primeiro usa apenas o raciocínio, tentando bolar teorias
      para descrever fenômenos segundo sua criatividade pessoal
      e com o reservatório de seus conhecimentos e auto-conceitos
      o sábio se esvazia de tudo isso na mente
      e em estado neutro, se abre para ouvir a voz de Deus,
      Mente Infinita ou Elohim, a lhe sussurrar os segredos do Universo.
      O sábio não faz especulações nem tenta montar teorias
      para explicar as coisas
      ele apenas se esvazia de todo auto-conceito, e num estado de passividade cerebral,
      ele permite que as idéias venham, como raios de inspiração
      caindo sobre sua mente atrativa
      e a revelação aparece.
      Einstein, Newton, Pitágoras, Leonardo da Vinci e muitos outros sábios
      tinham essa técnica de acesso à Matrix, Mente Infinita ou Rede Harmônica
      como se queira chamar
      e não tinham que se corrigir o tempo todo
      apenas aprimorar idéias cujo fundamento era verdadeiro.
      Porque esse fundamento não cabe ao homem inventar
      apenas escutar e compreender.
      Esta é a arrogância da ciência
      já que Deus não existe
      vamos inventar um universo conforme nossos parcos entendimentos
      daí tudo se torna especulação, e um monte de palavras, discursos
      e definições vazias e mirabolantes
      que nada explicam, apenas complicam
      e mostram que as lacunas do entendimento
      ainda estão vazias.

      Ser gênio é ter acesso à Voz da Mente Maior
      mas especular
      isso qualquer acadêmico pode fazer
      ainda mais sobre coisas que não se podem provar
      como buracos negros
      cada um inventa a teoria que quiser
      e fica na mesma
      porque nada se prova em contrário.

      Especulação
      ao invés de Revelação
      eis o labirinto da ciência moderna
      dos que pretendem ser deuses
      cada qual inventando um universo a sua maneira.
      E todas se contradizendo.

      Não se pode inventar a Verdade
      o sábio entende isso
      e nunca reforça o intelecto para inventar teorias
      e propor modelos saídos de seus auto-conceitos
      apenas esvazia a mente e, num estado de passividade,
      se prepara para ouvir o que o Universo tem a dizer.
      Mas isso não é automático
      pois não é todo mundo que o Universo escolhe para responder.

      Muitos entendem aí a Meditação
      o que está correto.

      • JAGLI

        Tentativa e erro faz parte do método especulativo pelo canal do raciocínio
        mas não do processo da revelação pelo canal da Intuição.

        • JAGLI

          Ciência, a busca do conhecimento e não a reinvenção da Verdade que, perfeita, não precisa ser reinventada, apenas redescoberta. E a chave desta descoberta é a Transciência, que considera o TODO e estuda o átomo e a gravidade considerando TUDO, galáxias, estrelas, harmônicos, ondas, vibrações, espíritos, sentimentos, VIDA e CONSCIÊNCIA, porque com toda certeza tudo isso interage na vasta Rede Cósmica formando a Unicidade Múltipla que caracteriza o Universo. E a Física Quântica é a mais profunda das Físicas, aquela que avalia o estado das coisas neste nivel de nudez material, neste plano anterior a toda fragmentação da forma e segmentação dimensional, no qual partículas, campos e forças comungam de uma mesma matriz harmônica que as originou e dispõem por igual no Espaço-Tempo.

          Ou em outras palavras, estado em que o TODO se comporta como Unidade completamente interligada, e o comportamento fractal do Universo é uma das provas disto. As cordas, as matrizes harmônicas ou o Verbo de Deus é o gancho para a construção do elo faltante ao Campo Unificado em busca da TEORIA DE TUDO.
          O exato conceito que as RELIGIÕES pregavam na antiguidade, com suas próprias terminologias e definições, e que hoje são descartadas pelos especuladores do conhecimento, tateando no escuro. Encontrar esse fio harmônico que tece a teia quântica no plano da Unicidade Cósmica fará o papel do Santo Graal redentor da Ciência moderna. Sentenças que declaram que o infinitamente grande e o infinitamente pequeno são uma mesma coisa, entre outros paradoxos contidos no acervo da sabedoria antiga, só podem fazer algum sentido naquele estado nirvânico ou quântico de consciência, como queiram.

          Do lado de dentro de toda essa casca tridimensional complexa, inúmeras definições para uma mesma Realidade: DEUS, Harmonia Cósmica, Mente Infinita, Rede Pensante, Espaço de Memória (o Akasha), Teia Quântica de Informação entrelaçada, Matrix, Supercordas, tudo a mesma coisa, e a chave de acesso e conexão com esta Realidade Maior está na postura de consciência simples, onda alfa mental, meditação, estado de graça, contemplação, zen, yoga, enfim, e outra vez, muitos termos para definir o mesmo estado de espírito dos sábios antigos, os que acionavam a conexão com Deus e voltavam para escrever o que tinham experimentado, ensinando o caminho aos demais.

          E se há um meio universal e um denominador comum de todos os fenômenos que precisa ser mais estudado para se solucionar as perguntas da ciência moderna, este é o Espaço, e suas propriedades transcendentais ainda não totalmente desvendadas, o seu comportamento ondulante, distorcível, propagante, relativístico, dimensional, comunicante e temporizador. Este é o referencial que falta ser desvendado em todos e em qualquer experimento e evento da Física, Química ou Biologia. Ele foi chamado de Éter pelos antigos. Imaterial e vácuo ele não é: como pode ser vazio e nulo um ente que se dobra: é portanto um tecido que detém a propriedade única de manifestar todas as demais propriedades da matéria, energia, forças e campos, as entidades secundárias do Cosmos: a busca do Santo Graal da Teoria da Síntese começa, portanto, com a compreensão do ESPAÇO, o elemento primário da cosmologia, cujas propriedades mal compreendidas estão sendo confundidas, entre outras coisas, com a matéria escura.

          Dentre as religiões, uma das mais belas do mundo antigo, o Budismo, se destaca ao ensinar que através da via do ZEN era possível alcançar o Centro, o TAO, a beatitude e graça do Nirvana, Éter, céu ou Paraíso. Espero com estas palavras exorcizar o preconceito de muitos contra as religiões antigas, sem confundí-las com instituições religiosas sujeitas à corrupção quando caem nas mãos dos canalhas, que aliás, estão em toda parte.
          Até na ciência. Ah, e como tem!

          E enorme ajuda os sagrados livros da sabedoria antiga, testemunho vivo daqueles sábios que se conectaram com esse mesmo Universo quântico em funcionamento, poderão dar a essa busca, a essa saga da mente humana e jornada do espírito a procura da Verdade.

          Estamos em pleno século XXI falando da mesma coisa mas com linguagem adaptada à nossa época bastante tecnológica, porém, sem que isso nada tenha a ver com tecnologia, é preciso compreender que em nosso tempo não estamos acrescentando nada de novo ao conhecimento dos antigos, apenas repetindo-o com definições e conceitos diferentes. O átomo da época deles é o mesmo que o da nossa época, e se alguns não tinham tecnologia para sondá-lo, bem, eles tinham as técnicas de colocar a mente em conexão com a teia cósmica de informação quântica.
          E ao fazer essa conexão com a própria mente, levavam uma larga vantagem sobre nós, porque enquanto a exploração tecnológica é limitada e não conecta ninguém ao Todo, a conexão da mente é ilimitada e nos torna parte real do Todo.

          Assim sendo, esse é o único caminho que resta à ciência doravante seguir, que é redescobrir O CONHECIMENTO DA SÍNTESE, que pode ser reivindicado ao Universo por todo sincero buscador da Verdade. E a percepção dessa identidade similar e origem comum de todo o conhecimento é o primeiro passo dessa busca.

          • JAGLI

            Apenas uma última consideração.

            Se a Verdade é única e eterna, dando base a leis imutáveis no Universo mutável, não pode ser qualificada segundo a época. Passado e futuro certamente distinguem estilos culturais, mas julgar o conhecimento em função destes mesmos estilos (antiguidade soando como antiquada, e modernidade como progressista) também é uma forma de cair nas malhas ilusórias de Maya, que incluem tanto as miragens da matéria como o tempo, ambos sempre mudando.

            Ou seja, ponderar sobre os valores sólidos tendo por referência os aspectos mutáveis me parece um contra-senso. Não podemos ter por parâmetros definitivos nem a aparente solidez da matéria e nem a ilusória passagem do tempo (ciclos).

            A falsa noção de tempo também inclui a separatividade entre o passado e o futuro, e entre o ontem e o amanhã, condicionando a consciência a uma ilusão, já que o real é o momento presente, o “dt” ou instante infinitesimal, brecha ou fenda do tempo para a eternidade.
            A consciência da Síntese deve considerar a Verdade eterna fluindo do passado ao futuro, imutável, e reconhecê-la em todos os estilos culturais em que vier a se manifestar, de Buda a Planck, de Pitágoras a Isaac Newton, de Jesus a Einstein. Canais diferentes da mesma voz de sabedoria que, onipresente, não se posiciona em função do tempo, muito pelo contrário, é ela quem determina as tendências de cada época, povo e cultura, desde o passado mais remoto ao futuro mais distante, porque é soberana em sua morada na eternidade. A consciência da síntese experimenta a atemporalidade (ou eternidade) em um estado descondicionado de matéria (ou infinito).
            Paisagens que miram o além do tempo (eternidade) e o além do espaço (infinito) também são constantes nas Escrituras Sagradas de muitos povos.

            Viver a Verdade realmente significa viver para sempre no infinito em um estado superior de consciência e amor, conforme nos tem ensinado a duradoura lição a Cruz, que representa SOMA, em todos os sentidos, soma e união de tudo o que a mente ilusória e sensorial vem separando e fragmentando diante do seu campo defeituoso de percepção.
            Somar, religar, religião, Yoga, Tao, Comunhão e tudo mais.

            DEUS: Unidade Múltipla original, Amor, Fusão, União, Integração, Recomposição. TODO.
            EU: Isolamento, fragmentação, separação, ruptura, Ilusão, Decomposição.

            É como considerar e exaltar a existência da folha e desprezar a da árvore. Ilusão total.

            Ps: e se a tecnologia é o argumento por muitos usado para exaltar o aparente avanço da modernidade em relação à antiguidade, eis que muitas civilizações antigas possuíam tecnologia, inclusive superior a nossa, certamente trazida das estrelas, daqueles seres que conhecem todas estas coisas muito melhor do que nós, e nunca as negaram, apenas têm esperado que nos preparemos mais para poder recebê-las.

            Obrigado
            e um abraço a todos.

            Jagli

            • JAGLI

              João nos disse que o Verbo era Deus, e depois de muito tempo, Albert Einstein chegou quase a escutar esse Verbo rugindo no Universo, e embora Galileu tenha ouvido as amadas estrelas que Leonardo antes dele contemplava em seus devaneios de artista, Isaac Newton não roubou a magia do mistério ao escrever a Sinfonia da Criação em termos matemáticos, pelo contrário, só aprimorou a beleza do quadro.

              Contudo, ainda precisamos ver nascer aquele ouvido, como o de Pitágoras, que voltará a ouvir o Verbo de Deus, aquela Música das Esferas conforme a visão 15 de João.

              Mas onde estão os sábios? Porque estão em silêncio quando o mundo mais precisa deles?

              Isso porque a sabedoria divina
              tal qual a Esfinge,
              deve se calar,
              não por cansaço ou indignação,
              mas simplesmente porque o mundo não a ouve mais.

        • JAGLI

          Por tudo isso, e muito acertadamente, o Apocalipse nomeia a moderna civilização dos últimos dias na Terra por BABILÔNIA, raiz na palavra BABEL = CONFUSÃO, que corresponde ao inverso da palavra LEBAB (ou Levav, pronúncia) que significa CORAÇÃO.
          A confusão é o inverso do coração, e pelo que foi falado antes, maiores explicações são desnecessárias aqui.

          Antigamente, a ciência era construída por doutrinas sérias de pessoas respeitáveis,
          mas agora, qualquer um pode lançar a tese que quiser, e dizer que o Universo é um cubo mágico, ou é uma tela holográfica, um programa de computador, um balão de gás, um pião girando no espaço, ou qualquer outra coisa que lhe venha à cabeça. Como esses argumentos teóricos não se podem provar, então esses artigos ficam entupindo as revistas científicas e deslumbrando os menos informados.

          Vejo um ringue de lutas entre intelectos competitivos, vaidosos, querendo ter a preferência da melhor idéia, e a maioria delas não fazendo qualquer sentido.
          Duas verdades já levantam, por si só, a total contradição.

          A Voz que revela a Verdade ao mundo não se impressiona com títulos de PhD, mas lhe atrai a modéstia. Contudo, à parte desse fato, a ciência tem se transformado na casa da mãe Joana, onde qualquer um entra e arranja os móveis da sala como bem lhe apraz.
          Há que se ter coerência!

          O método científico da tentativa e erro mais se parece com alguém procurando dar tiros no escuro para acertar um coelho em desesperada fuga. E o termo é esse mesmo, Escuro. Depois que a conexão com a Mente Infinita foi rompida, a razão humana nunca mais saiu desse poço escuro no qual caiu.
          E seu guia não é mais a Sabedoria, mas a Loucura.

          Afinal, só existe um Universo, e não inúmeros modelos à disposição da especulação, e uma única e preexistente Verdade que não pode jamais ser reinventada. Ela precisa ser redescoberta, mas onde mora o canal puro e humilde que a mereça?

          o problema é que o próprio Deus se retira no silêncio ante a ignorância atrevida. Bem que Ele poderia fazer uma luz brilhar sobre as mentes iluminadas e uma sombra cobrir a cabeça dos intelectuais equivocados. E creio que Ele o faça, porém nós não podemos ver.
          E para nós, a única forma de sabê-lo será esperar pela posteridade, que tem a supervisão da Providência Divina distinguindo um do outro.

          Antigamente, o amor pela Verdade caracterizava o sábio na sua busca, vaso eleito de Deus e recipiente de Sua Revelação. Mas hoje, o amor de muitos neste grupo, como em outros, é pelo Status, pelo prestígio, pelo Nobel e pela prata. E por esta razão, os céus se calam e a luz se aparta, deixando as mentes seguirem no escuro, fontes secas de inspiração, copos vazios de intuição, largadas à sorte de quem tenta acertar coelhos saltitantes no escuro, um tiro após o outro.
          “Uma hora eu acerto!” pensam consigo mesmos.
          E sua busca mais parece o espremer de uma pedra até sair água dela do que a espera da chuva abençoada dos céus, esta que mata a sede de verdade da alma de valor que a atraiu das maiores e incompreensíveis alturas.

          E desse modo, seremos reféns perenes da Era das Incertezas, onde todo mundo palpita um pouco sobre tudo, mas ninguém tem absoluta certeza de nada.
          E enquanto estes pavôes de Harvard, que só sabem fazer não Ciencia, mas especulações teóricas atrás de máquinas, ficam exibindo suas teorias inúteis e vagas, o mundo cá embaixo continua pegando fogo, e ninguém apresenta soluções práticas para os reais, os vitais problemas da humanidade.

          Quem entre os sabidos irá resolver a seca, as doenças seculares, a falta de água, a loucura do clima e a onda de violência crescente, por exemplo, saídos de uma dinâmica planetária interna em função de um núcleo que aumentou sua pulsação e intensificou a energia que sobe à superfície?

          Repararam como os problemas mais sérios se avolumam ao lado da ciência especulativa, bem como as incertezas acumuladas sobre todas as coisas?
          Onde está a luz que elimine do dicionário palavras coimo alegadamente, supostamente e hipoteticamente?
          A tecnologia afinal veio para responder ou obscurecer ainda mais a mente humana?
          Para nos dar certezas ou inchar as dúvidas?
          A verdadeira ciência deve ter um critério rígido, que é a verdade por base.
          Só precisamos de uma luz para enxergar. Um único Sol para iluminar a Terra. Auto-conceitos não são esta luz, porque não saíram daquele Sol.
          Mas onde está esta base? Parece que, depois de Einstein, todo mundo quer criar um universo conceitual a sua maneira, seja ele erudito ou leigo, PhD ou curioso.
          Mas é assim mesmo que se constrói CIÊNCIA?
          A Verdade é uma voz que se revela à mente nem do erudito e nem do leigo, nem do PhD ou do curioso, mas somente daquele que lhe tem amor simples, sincero e puro, captando-a de suas dispersas e infinitas fontes, vibrando em todo ar, espaço e mente.

          Especulação não é, nunca foi e nunca será Ciência.
          É jogo de dados, de cartas, tiros aleatórios com bilhões de possibilidades para tentar acertar um único alvo de veracidade.

          É esporte acadêmico. É um hobby ou passatempo especulativo que afronta a verdadeira ciência até o ponto de fazer com que ela desapareça da face da Terra. Ela está se tornando banalizada, vulgarizada, mercantilizada, como a Arte, e como tudo o que o homem tem feito, porque a queda está dentro dele, e tudo o que ele toca, se corrompe pela sua cegueira. Que apoio a máquina pode dar ao espírito decadente? Que adianta o mais potente telescópio ao olho cego e o veículo sofisticado ao discernimento paralisado?

          A modernidade está cegando o homem cada vez mais, embora julgue o contrário, pelo simples fato de lhe estar roubando a visão simples da essência das coisas,
          o legítimo fundamento de Verdade sobre o qual se constrói a ciência real.

          TIRAREI O ENTENDIMENTO DOS ERUDITOS
          E O DAREI AOS SIMPLES!

          Jesus Cristo, O Sábio Maior.

  • Tonny Galletti

    Tudo isso pra dizer que tudo é holograma dentro de sucessivos hologramas?