Mais uma vez a arte se transforma em realidade

Tempo de leitura: < 1 min.

De acordo com notícias vindas da Universidade de Harvard e MIT, enquanto um grupo de físicos estavam ‘brincando’ com lasers e fótons, descobriram que quando disparavam múltiplos fótons através de um grupo de átomos rubicon, as partículas se agruparam para criar um novo tipo de molécula que se comportava como um sabre de luz, daqueles usados por Luke Skywalker e Darth Vader no filme ‘Guerra nas Estrelas’.

Este efeito é conhecido em termos científicos como a obstrução Rydberg, onde uma única partícula ‘excitada’ prevê a excitação de outras partículas vizinhas a um grau maior do que a si mesma.  Quando este efeito ocorre em um grupo de átomos, é criado um efeito conflitante, o qual cria novas moléculas e as une.

Os cientistas que descobriram este efeito foram os professores de física Mikhail Lukin, da Havard e Vladan Vuletic da MIT.

Não é uma analogia inapropriada comparar isto com sabres de luz“, disse Lukin em uma liberação de imprensa. “Quando estes fótons interagem entre si, eles estão empurrando e desviando uns dos outros.  A física do que está ocorrendo com estas moléculas é similar ao que vemos nos filmes.

Os cientistas pretendem utilizar a nova forma de matéria para ajudar a construir computadores quânticos avançados, mas o potencial existe e podemos agora justificadamente adicionar os ‘sabres de luz’ à lista de tecnologias do estilo ‘Guerra nas Estrelas’ que conseguimos duplicar .

Os filmes icônicos têm inspirado uma geração de cientistas a irem com ousadia onde nenhum cientista foi antes. A ficção científica está rapidamente se tornando realidade…

…A raça humana tem feito saltos tecnológicos tão grandes nas últimas décadas, que é difícil acreditar que não estamos tendo algum auxílio de outros locais na galáxia.  Seja qual for a razão para nossos avanços espetaculares, devemos sempre nos manter humildes para não nos tornamos vítimas de nosso próprio sucesso científico… (texto extraído do artigo original)

n3m3

Fonte das informações: http://www.unknowncountry.com/news/science-fiction-becomes-science-fact-light-sabers-are-now-reality#ixzz2hEq9luPN

Darth Vaderficção científicaguerra nas estrelasHarvardLuke SkywalkerMITOVNI Hojesabre de luzstar wars
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (30)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • DARKBIRD

    Da qui a pouco haverá sabres de luz nas nossas guerras…………….

    Que a força esteja com vocês….

    • Cetico(etico)ateque...

      Será que até as guerras serão ”copiadas”?

      • Cetico(etico)ateque...

        Essa daí é eterna.

  • DARKBIRD

    Correção.
    Daqui é o correto.

  • fran

    E, esses cientistas podem acreditar que a vítima dessa tecnologia será a própria humanidade.
    E, depois aparecem os que culpam outras civilizações.
    O próprio homem, quando descobre alguma coisa, logo procura analisar como pode ser usado para lhe garantir poder.

    • Hannah

      Isto porque se parte da premissa de que “o ataque é a melhor defesa”: quem ataca primeiro se defende melhor, levando vantagem e prosperando na frente dos demais. Daí a corrida armamentista que nunca deixou de existir em nossa “civilização”.

    • adeir

      Eu espero que vc não tenha falado isso sério.

    • Valdeci

      A verdade é que Hollywwod possui a sua disposição para grandes produções, suporte do governo,exercito e de cientistas,ou seja Hollywood não inventa ou imagina totalmente o que produz,até mesmo em seriados,como por exemplo o do The Big Bang Theory.Todos os roteiros do seriado passam pelas mãos do físico David Saltzberg. Ele revisa e corrige os erros que podem aparecer nas falas dos personagens. Às vezes, é ele quem dá o toque científico às cenas.

      • Valdeci

        Ops! Correção “hollywood”.
        Melhor ir dormir!!!

      • Hannah

        Verdade, Annunnaki.

        Que eu saiba desde o seriado Jornada nas Estrelas, série dos anos 60, se toma este “cuidado” para dar mais veracidade aos roteiros. E desde então os produtores de filmes de ficção científica jamais deixaram de consultar os que sabem a respeito de como seriam as reações físicas perante certos ambientes que comumente desconhecemos.

        • Hannah

          Desculpe-me, Valdecir! Pensei que tivesse respondendo ao Annunaki! o.O

          • Hannah

            Ops! Vadelci*

          • Hannah

            Seus respectivos avatares são parecidos, daí a confusão que fiz. 😉

  • adeir

    show de bola.
    a tecnologia avança rapido.
    eu acredito que até 2100 teremos oficialmente naves interestelares.
    só queria ta vivo pra ver isso.

    • Rhaegar

      Quem disse que você não pode estar?

      Até 2100 pode ser que descobertas científicas e os avanços da medicina façam com que a expectativa de vida do ser humano aumente muito.

      • Hannah

        Concordo. Mas para alcançar tamanha longevidade, quanto mais se referindo aos que são adultos hj, tudo depende de como está o organismo de quem a busca, como o acesso a esta medicina, cada vez mais cara e sofisticada…

        Estar vivo e lúcido em 2100, para usufruir da tecnologia deste tempo é mais para os que ainda estão por nascer… Sinceramente!

        A começar que “para morrer basta estar vivo” [podem chamar de ‘filosofia de boteco’, mas é verdade]. Tem gente que nem chegou aos 50 de idade e já foi embora!

    • Hannah

      A reencarnação está aí para que possamos, em outro corpo novo, estarmos presentes até mesmo para além de 2100. 🙂

  • emsj

    O fato de um dos cientistas se chamar “Lukin” é pura coincidência?

    Considero que o sabre de luz como mostrado nos filmes é impossível de ser construído porque seria necessário concentrar muita energia num objeto muito pequeno. Mas fico na torcida para conseguirem (ou não).

  • gjunior

    “Mas não vai dar para sair lutando por aí.

    O ambiente onde os fótons agem como se tivessem massa para formar moléculas de luz é uma atmosfera de átomos de rubídio criada no interior de uma câmara de vácuo, tudo resfriado a algumas frações de grau acima do zero absoluto.”

    retirado de : inovacaotecnologica

  • A n u n n a k i

    Os filmes, principalmente os sci-fi, são os que possuem mais mensagens subliminares. Star Wars e Star Trek, são disparados os mais influentes.

  • Dan Galante

    Aos poucos a ficção científica vai se tornando realidade (é claro, nem tudo, mas algumas coisas). A grande dúvida é se esses contos espaciais fantásticos que tanto nos agradam (eu sou fã de “Star Trek”, “Star Wars”, “Battlestar Galactica”, “V – The Final Battle”, etc) são frutos de uma imaginação criativa e recente ou se são lembranças de um passado remoto, presenciado pelos nossos ancestrais que conviviam com os “deuses” (teoria dos antigos astronautas).
    Toda descoberta científica começou primeiro com a imaginação. A partir daí é que o homem vai desenvolver a ideia e verificar se é factível ou ilusória. Como disse certa vez o físico Albert Einstein: “A imaginação é mais importante do que o conhecimento. O conhecimento é limitado. A imaginação dá a volta ao mundo”.
    Hoje em dia, a minha imaginação chega até os Multiversos 😉 !

  • mario martin

    Sempre achei o George Lucas suspeito, enquanto Spielberg é o suspeito número 1

    • Valdeci

      Então mario martin, veja o que os dois disseram em uma entrevista!
      “De acordo com o criador da franquia Star Wars, os implantes cerebrais serão realidade em um futuro próximo, em uma função diferente do que apenas funcional: eles dominarão a indústria do entretenimento. “O próximo passo é ser capaz de controlar seus sonhos. Você vai apenas tocar uma parte diferente do seu cérebro. Vai apenas colocar um boné ou conectar algo no computador e criar seu próprio mundo… Você será capaz de sonhar algo dos próximos 10, 15 anos. E isto não é apenas um sonho futurista”.
      .
      http://www.cinemaemcena.com.br/plus/modulos/noticias/ler.php?cdnoticia=50006
      .
      Pela certeza com que dizem, eles sabem o que vem por ai!

      • Hannah

        Eu não preciso de nenhum chip para sonhar meus próprios sonhos.

        Esta “gana” de querer dominar o outro, subjugando-o, é a maior doença de nossa espécie. Aliás isto é nojento, de uma baixeza sem precedentes!

          • Hannah

            Lembro-me de quando fui à Disney (e isto faz muito tempo) houve um sistema de identificação que era uma espécie de carimbo em uma de nossas mãos, a princípio invisível cuja imagem deste porém era detectável perante o facho de uma determinada fonte de luz, para a entrada a certos eventos.

            Enquanto a identificação for uma pulseira removível para entrar nos parques, não vejo nada demais, pois que substitui os antigos cartões de acesso aos mesmos. Apenas não concordo nem um pouco em incluir dados como cartão de crédito, assim como outros dados pessoais.

            Mas noto cada vez mais a intenção de associar o consumo e demais atividades nossas, com identificação constantes, atrelada aos nossos corpos… É assim que daqui há pouco haverá o consentimento de implantes (mesmo que “temporários”) substituindo essas pulseiras.

            Digamos que a pessoa compra o pacote (sempre caro) de uma viagem dessas: ao chegar lá descobre-se que a condição para usufruir do que se pagou previamente é submeter-se ao implante “inocente” desses. É ruim, heim?! 🙁

            • serlon

              sabre de luz????? o luke era bom nisso,KKKKKKKKKK