Sonda Cassini detecta ingrediente plástico em um das luas de Saturno

Tempo de leitura: 2 min.
Titã, a maior lua de Saturno.

Pela primeira vez, um químico essencial para a criação de plástico na Terra foi encontrado em um lugar distante em nosso sistema solar: a Lua Titã, de Saturno.

A descoberta, feita pela sonda Cassini da NASA que está atualmente orbitando Saturno, descobriu que a atmosfera de Titã contém propileno, um ingrediente chave de recipientes plásticos, para-choques automotivos e outros itens utilizados diariamente na Terra.  Os cientistas da NASA anunciaram a descoberta com um vídeo descrevendo a descoberta de propileno em Titã.

Este químico está por toda a nossa volta em nosso dia-a-dia, em longas cadeias que formam um plástico chamado de polipropileno“, disse Conor Nixon, cientista planetário da NASA.

Os cientistas usaram o espectrómetro infravermelho composto (CIRS), que mede a luz infravermelha emitida por Saturno e suas luas, para fazer a descoberta.

O novo estudo ajuda a resolver um mistério de longa data sobre a atmosfera de Titã.  Quando a sonda Voyager 1 conduziu o primeiro voo próximo dessa lua em 1980, ela reconheceu gases na atmosfera marrom da lua como sendo hidrocarbonetos.

Os cientistas descobriram que hidrocarbonetos – que constituem os combustíveis fósseis na Terra – se formam em Titã após a luz solar quebrar as moléculas de metano e os químicos reagruparem em cadeias de dois ou mais carbonos.  A Voyager encontrou evidências dos pesados hidrocarboneto e propano, e também do mais leve da família, propino.

Os químicos de peso médio, tais como o propileno, estavam faltando nos dados do Voyager.

Titã tem aproximadamente metade do tamanho da Terra e é a segunda maior lua do sistema solar, perdendo somente para Ganimedes, de Júpiter.  Titã é também a única lua do sistema solar que possui nuvens e uma atmosfera similar à de um planeta, a qual é composta principalmente de nitrogênio e metano.

Cassini foi lançada ao espaço em 1997 e chegou na órbita de Saturno em julho de 2004.  A missão deve continuar até 2017, quando a sonda será lançada contra a atmosfera de Saturno.

n3m3

Fonte: space.com

Colaboração: M3NIS, Nair Formighieri

astronomiaNASAOVNI HojeSaturnoTitãVoyager
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (27)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • DARKBIRD

    Interessante a descoberta.
    Mas Titã tem muito a revelar.

  • serlon

    propileno? sacolinha plastica,garrafa pet ????????

    • Geek

      Não, ushuahuhsauhsuahua já pensou? Por um segundo eu imaginei o cenário. 🙂

      A garrafa PET é de poli-etileno tereftalato e a sacolinha de mercado é feita de polietileno.

      O que encontraram foi o propeno, que tb é chamado de propileno, é um gás incolor e altamente inflamável.

      O interessante é que lá (aparentemente) se formam hidrocarbonetos naturais na superfície enquanto aqui na Terra somente a mais de 150 km de profundidade e em alta pressão, só depois são trazidos para zonas de menor pressão ou pra superfície mesmo, através de processos geológicos

      • serlon

        kkkkkkkkk boa noite GEEK ! que mico, eu embolei as troca tudo ?????? ou troquei as bolas????????????nem sei mais? fuiiiiiiiiiiiii

        • Geek

          uhsuhaushauhusa mas não deixaria de ser interessante! 🙂

  • cbazani

    Olha só que interessante, como dito no texto acima a atmosfera de Titã é composta por gaz metano, pelo que li em vários artigos, este gaz é produzido por seres vivos através da decomposição de matéria, ou o conhecido PUM.
    Muitos cientistas hoje em dia defendem que este deve ser um dos métodos para detectar possíveis formas de vida em outros planetas, pois se um planeta tem este gaz provavelmente tem vida para produzi-lo.
    Em uma outra matéria publica hoje aqui mesmo no site, tem um trecho que fala exatamente isso.
    Copiei o trecho abaixo não sei se é permitido.

    “De acordo com Grinspoon, a chave de reconhecer a vida irreconhecível poderia ser procurar “por anomalias químicas – químicos que não deveriam estar lá – porque você tem que calcular que a vida está perturbando seu meio ambiente de alguma forma, reorganizando a matéria, e ela sempre deixará algum traço químico de si mesma“. O melhor exemplo disso é a Terra: o oxigênio e o metano em nossa atmosfera estão aqui somente devido a vida, e logo desapareceriam se a vida sumisse. “Alienígenas que estivessem olhando para nós como um exoplaneta, com instrumentos um pouco mais poderosos do que os nossos, olhariam para a atmosfera da Terra e diriam, ‘Puxa vida, o que está acontecendo com este planeta? Algo está ativamente perturbando esta atmosfera’ .””

    Acabamos de encontrar um grande indicio de vida fora da terra, e muito mais perto do que esperamos, vida em nosso próprio sistema solar, isso é incrível, muito empolgante e exitante.

    • Aeronauta

      Na verdade, Titã tem lagos de metano. Será que existe vida marinha que solta pum por lá? rsrs

      Só sei de uma coisa, imagina o fedor que é chegar perto desses lagos? Deve ser pior que esgoto.

    • Geek

      Não Cbazani, lá se formam de outra forma.

      Existe por lá um ciclo parecido com o nosso da água sabe, só que é o “ciclo do metano”. Evapora, chove, acumula, evapora de novo, só que é com o metano.

      A origem do metano lá também não é de decomposição de matéria nem de pum, mas de fenômenos de superfície e de criovulcões.

      • M3NIS

        Somos uns privilegiados por ter vc aqui !! Bjão Geek

        • Geek

          Gentileza sua N3mis! 🙂

      • cbazani

        Bom Geek, não sou especialista e sei que este fenômeno descrito por vc, PODE acontecer em Titã, mas isso ainda não foi provado, e a origem de metano na atmosfera de Titã ainda é motivo de amplos debates entre a comunidade cientifica, a explicação dada por vc é uma entre as milhares de explicações possíveis, fico indignado como uma pessoa possa fazer tal afirmação, de que o processo de produção do gaz metano é dado de outra forma se nem mesmo os cientistas que tem acessos aos dados e fotos tiradas pelas sonda cassini não a faz. Basta colocar no google e procurar por sites de confiança que vc encontra uma enorme quantidade de sites onde todos os que estudam este fenômeno, por fim, remetem a existência de formação biológica para produção do gaz e isso acontece devido o metano ser composto por CH4, um átomo de carbono (C) e quatro átomos de hidrogênio (H), o problema é que quando o gaz metano é exposto a luz ele perder com extrema facilidade 2 ou 3 átomos de hidrogênio, as moléculas de CH ou CH2 restantes, por seu lado, facilmente reagem (entre si) formando C2H4 (etileno), C2H6 (etano) ou C2H2 (acetileno), e libertando mais hidrogênio. Estas reações são irreversíveis, pois o hidrogênio uma vez perdido já não volta a ser recuperado para formar CH4, pois como o hidrogênio é muito mais leve, facilmente escapa para fora da atmosfera, fazendo com que o gaz seja instinto.
        Pense nisso!!!!!

        • Geek

          O que comentei é o paradigma atual, para tudo existem várias e várias explicações.
          Ninguém aqui é funcionário da NASA ou pesquisador de projetos ligados á sonda Cassini, Huygens ou qualquer outra, ao menos que eu saiba. Mas como todos aqui busco colaborar para ampliar o diálogo, já que todos aqui somos amigos e curiosos/entusiastas do assunto.

          Mesmo podendo estar equivocada eis o porque comentei…

          Partindo do princípio.
          Eu desconheço esse amplo debate por um único motivo.
          Não há dúvida em identificação de espécies químicas feita por espectroscopia de infravermelho.
          A radiação infravermelha quando absorvida por uma molécula orgânica se converte em energia de vibração molecular. O espectro reflete o movimento vibracional e aparece em forma de bandas. A intensidade da banda é medida pela transmitância que é definida pela razão entre a energia transmitida e a energia incidente na amostra analisada.
          Então a possibilidade de dois compostos diferentes terem o mesmo espectro no infravermelho é improvável.
          A Cassini, que é a fonte de dados possui 10 de instrumentos de analise de espectro eletromagnético , campos, ondas e partículas( CIRS, ISS,UVIS, VIMS, CAPS, CDA, INMS, MAG, MIMI, RPWS,) tipos.
          Esse da matéria, o CIRS é um espectrômetro com 3 espectrofotômetros, que geram cada um o seu interferograma de Michleson, o sinal é processado por uma operação matemática chamada Transformada de Fourier, através do algoritmo de Cooley-Tuckey.
          Logo. Penso que não há dúvidas sobre os compostos identificado pela análise de dados espectroscópicos de absorção de infravermelho, haja feito que foi uma análise qualitativa e já que essa pode identificar com clareza através de uma equivalência exata entre um composto de estrutura conhecida, comparando-a com o espectro do analito de forma concreta (com exceção de algumas poucas moléculas homonucleares como o O2, N2, e Cl2 e moléculas quirais no estado cristalino). Ou sobre qualquer dado apresentado pela sonda.

          —–
          Outra coisa, o ciclo do metano…
          Experimentalmente foi detectado que o metano compõe lagos, rios e forma chuva, como o lago o observado na região polar sul que tem de cerca de 235 quilômetros (sonda Cassini da NASA). Ou então como quando VIMS (sonda Huygens da Agência Espacial Europeia) observou o lago Ontário Lacus com cerca de 200.000 quilômetros quadrados e detectou etano em solução líquida com metano e outros hidrocarbonetos. Sendo esse último o mais especial, pois as observações também sugeriam que o lago estava evaporando.
          As câmeras da Cassini, mais os dados o radar e a câmera UA-built a bordo da sonda Huygens da Agência Espacial Europeia, que pousou em Titã em janeiro de 2005 em meio a chuva e forte neblina, demonstraram que o metano satura e drena da atmosfera de Titã, possibilitando a criação de recursos como rios e lagos na superfície. Afirmando assim a existência lá um equivalente aos ciclos da água, através do regime hidrológico na Terra, ciclos de metano através de um “Methane cycle” em Titã.

          O artigo foi publicado na revista Nature em 2005 e é aberto á leitura: http://www.nature.com/nature/journal/v438/n7069/full/nature04126.html
          Esse é o melhor artigo que já li sobre o tema, pois as imagens da superfície de Titã, são incríveis! Vale a pena guardar pra ler! 

          Deixo os links de mais alguns artigos sobre o ciclo do metano em Titã para sua apreciação:
          http://www.nature.com/ngeo/journal/v1/n3/full/ngeo125.html
          http://www.nature.com/nature/journal/v481/n7379/full/nature10666.html
          http://www.nature.com/nature/journal/v442/n7101/full/nature04933.html
          http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S001910350196659X

          Mas como eu disse no inicio, esse é o paradigma de hoje, o futuro é outra história.

          Grande abraço!

          • Cau

            Parabéns Geek, adorei a sua exposição! Aprendi muito!!!!

            • Marujo

              (2)

    • Paulo Q

      Se levarmos em conta que aqui mesmo na terra organismos extremófilos conseguem se alimentar de arsênio ou petróleo, propileno pode ser muito apetitoso.

  • Dan Galante

    Titã é uma lua muito interessante. A temperatura média é absurdamente congelante (-178º C ou 94 K, ou seja, apenas 94 graus acima do “zero absoluto”). A pressão atmosférica é 60 x maior do que na Terra (equivalente à pressão existente num mergulho de 570 m). A gravidade na superfície é de 1,354 m/s² (alguém com 70 Kg na Terra pesaria só 10 Kg em Titã).
    Se na Terra a presença de metano é um indicativo de vida biológica (~90% do metano daqui), o que dizer de Titã? Se existirem micróbios lá, teremos uma prova de que a vida pode se desenvolver em condições de temperatura extremas!
    Existe também a possibilidade da existência de base(s) alienígena(s) na segunda maior lua do sistema solar, segundo alguns ufólogos.

    • Marcelino

      Pesquisas encontraram variações na quantidade de alguns gases na atmosfera de Titã principlamente acetileno e hidrogênio algo na superfície pode estar consumindo hidrogênio e outros gases! Eu (zé ninguém) e os pesquisadores que descobriram esse sumiço desses gases perto da superfície acreditamos que formas de vida que acredito ser mais do que apenas “micróbios” estão consumindo esses gases!

      • Marcelino

        Dan tem uns “malucos” que acham que o verdadeiro quartel general dos Greys seria nas luas de Saturno, as suas naves-mães se concentrariam por lá bem longe dos nossos olhos embora a Cassini teria fotografado algumas delas! Se isso for verdade,talvez Titã sirva como um armazém vasto de compostos orgânicos interessante para eles. Nas terra eles teriam base pequenas.

        • Dan Galante

          Olá Marcelino! É possível que existam muitas bases extraterrestres em vários locais do sistema solar (não só dos “Greys”, mas das outras espécies extraterrestres também). Com a tecnologia que os aliens exibem, imagino que não é difícil construir tais bases, nos mais variados ambientes (submersas, subterrâneas, “flutuantes”). Existem relatos de perfuratrizes nucleares que foram usadas para construir as “supostas” bases em Dulce, Archuleta Mesa, etc (segundo Phil Schneider e cia). E o meio-ambiente externo deve fazer pouca diferença, já que com certeza o ambiente interno das bases é isolado e controlado (composição do ar, pressão, etc), como aliás, até nós, humanos atrasados tecnologicamente, fazemos com as nossas bases (na Antártida, por exemplo). Os episódios de OVNIs que parecem entrar no vulcão “Popocatepetl” são mais um indício de que condições extremas do meio ao redor não representam um grande obstáculo para a tecnologia deles.
          Existe pelo menos um caso de abduzido que, ao perguntar para seus raptores onde se encontravam, foi informado que estava em uma das luas de Saturno (os raptores não disseram qual).
          Com certeza, os ETs devem explorar os recursos naturais dos planetas e luas ao redor do Sol de todas as formas possíveis (principalmente aqueles que estão aqui de forma permanente).
          Talvez possamos detectar da Terra essas “pistas” (ou o “estrago” que eles fazem) através dessas alterações inesperadas na composição da atmosfera de Titã, por exemplo (como você mencionou).

      • Morgana

        Boa noite, Marcelino
        Gostaria de dizer que você não é um “Zé ninguém” como se auto nomeou, você contribuiu e contribui bastante com o Blog e já nos apresentou excelentes pesquisas!
        Abraços,

        • Marcelino

          obrigado Morgana ,pelas consideração!

          • LuaPequena

            Bom dia Marcelino !
            Se você é um ” Zé Ninguém “, eu então sou uma
            ” Maria Ninguém, ninguém , ninguém,…………………ninguém” !
            Grande abraço irmão !

    • thiagvncs

      Uai a falta de gravidade ñ conpensa a preçao alta do mini planeta.

      • Dan Galante

        Olá thiagvncs! Não, porque as duas coisas não estão diretamente relacionadas. Mesmo tendo uma gravidade baixa, se fosse possível um humano ir para lá, e não usar traje espacial, ele sentiria sim a forte pressão atmosférica sobre o corpo. Outro exemplo são os oceanos. A gravidade da Terra varia um pouco (em função da latitude e da altitude), porém a variação da pressão da água no fundo do mar é muito maior. Quando os humanos pescam um peixe de regiões profundas do oceano e trazem para a superfície o que acontece? Ele “explode” (fica todo inchado e disforme) por causa da diferença de pressão.

  • Facepalm

    Humanos poluindo o universo.

  • magneto

    Papai sempre falou quem procura acha.

  • mario martin

    Enquanto isso….