Pesquisa patrocinada pela NASA descobre vida construída por elemento tóxico

Tempo de leitura: 2 min.
Micróbio GFAJ-1. Cadeia evolucionária paralela?

A geóloga Felisa Wolfe-Simon e outros pesquisadores que conduziam testes no ambiente tóxico do Lago Mono, na Califórnia, EUA, descobriram o primeiro microorganismo conhecido na Terra capaz de viver e reproduzir usando arsênio, também conhecido como arsênico.  Este organismo usa o arsênio em seus componentes celulares ao invés de fósforo. O arsênio é um elemento considerado altamente tóxico para a maioria dos seres vivos.

O fósforo era um elemento até então considerado vital para todas as formas de vida na Terra, as quais compartilha os seguintes elementos básicos: carbono, hidrogênio, oxigênio, enxofre e fósforo, este último sendo considerado o componente central de moléculas que carregam energia em todas as células.

A cientista sugeriu anteriormente à conferência que a vida no Lago Mono poderia ter iniciado em uma tangente evolucionária dos outros seres vivos, incluindo nós humanos, pois difere drasticamente do que era conhecido anteriormente.

A definição de vida acabou de ser expandida“, disse Ed Weiler, administrador do Doutorado de Missão Científica da NASA. “À medida que continuamos com nossos esforços para a procura de sinais de vida em nosso sistema solar, teremos que pensar mais amplamente e de forma mais diversa, do que somente considerar a vida como conhecíamos até hoje“.

Lago Mono na Califórnia. Estranha bactéria encontrada.

Esta descoberta de uma constituição bioquímica alternativa irá alterar os livros de biologia e expandir o escopo da procura por vida extraterrestre“, comentou o site da NASA.

Sabíamos que alguns micróbios podiam respirar arsênio, mas o que encontramos é um micróbio que faz algo novo: constroem partes de si mesmo com este elemento“, disse Felisa Wolfe-Simon, que continuou: “se um microorganismo aqui na Terra pode fazer algo tão diferente, o que mais que a vida pode fazer que ainda não vimos?”

O micróbio GFAJ-1, recém descoberto, é um membro do grupo comum de bactérias Gammaproteobacteria.

OVNI Hoje! – n3m3

………

Editorial: Não era exatamente o que queríamos escutar, mas é exatamente o que se esperava: a NASA não anunciou que encontrou vida extraterrestre, mas admitiu a possibilidade que sempre foi contestada pelos cientistas, de que a vida pode se desenvolver de forma diferente do que conhecíamos até hoje.

Antes desta descoberta de vida parcialmente composta de arsênio, os astrobiólogos acreditavam que o fósforo tinha que estar presente na atmosfera de um planeta para que a vida pudesse existir.  Esta recente descoberta nos mostra que isto está longe da verdade , mesmo em nosso próprio planeta.

O significado de tudo isto é de que não devemos nos prender à idéia de que a vida lá fora deva ser exatamente como conhecíamos até pouco aqui.  A possibilidade de haver formas de vida que dependam de um processo químico totalmente diferente, até mesmo do que foi descoberto agora, simplesmente se abriu.

Vale comentar que mesmo durante a vídeo conferência da NASA, um dos convidados, James Elser, professor da Universidade Estadual do Arizona, chegou a contestar a descoberta, dizendo que é muito cedo para que se chegue à conclusões.  Eu, particularmente penso que, como um de nossos leitores já mencionou, o real cientista é aquele que age como a Felisa Wolfe-Simon, ou seja, sai em busca do conhecimento e não somente regurgita aquilo que aprendeu na universidade.

Mesmo estando novamente desapontado com este anúncio da nossa querida NASA, reconheço a grande importância que esta notícia tem em relação ao que será para todos nós a maior notícia de todos os tempos: Não estamos sozinhos no universo.

n3m3

NÃO DEIXE DE VISITAR NOSSA PÁGINA PRINCIPAL: OVNIHOJE.COM

EditoriaisFotosNotícias
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (12)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.
  • Alan

    como sempre a nasa esta atrasada revelou o que todos ja sabe caramba chega a dar raiva

  • O observador

    ai galera, a bactéria foi pro brejo… kkkkk. Caras, quando li a reportagem uma coisa me deixou intrigado, o número atômico do arsênio é 33 e o do fósforo é 15, significa que o arsenio pode ter o dobro de elétrons da camada de valência (camada onde estão os elétrons compartilháveis do átomo), isso tornaria o composto obtido instável demais para integrar uma molécula complexa como o DNA. Ocorre que um renomado cientista acaba de admitir que houve algum erro no trabalho publicado. Logo, os gringos terão que se explicar… na minha opinião a delcaração não era pra ser esta estória de bacteria e eles mudaram o tema da conferência em cima da hora pra essa conversinha de bactéria que come arsênico. O que estão com medo de nos contar?

    • n3m3

      Na verdade já se cogitava sobre estas bactérias desde 2003. Se você assistiu a conferência, talvez pode notar o clima de inimizade entre a geóloga e o professor da Universidade do Arizona. Algo aconteceu nos bastidores, mas não se sabe o que foi.

      Esta é a NASA: Never A Straight Answer, ou Nunca Uma Resposta Direta

      • Alan

        como disseram aki no site os militares deve ter falado com a nasa pra nao conta o que eles iriam conta pode ser isso

  • Alan

    pode ser que o assunto era pra ser outro e mesmo que seja estavel esse tipo de bacteria é um formato de vida diferente a vida pode se mostr de qualquer jeito só pq achamos que é impossivel aki na terra e em outros planetas a vida pode ser de qualquer modo

    • Fernando Ramos

      Alan, a ser assim, a arranjar constantemente desculpas deste tipo para quando as coisas não ocorrem como nós gostaríamos, nunca chegaremos a lado nenhum.

      Nem sempre os militares e os governos estão por detrás de tudo.

      Quem sabe se não era de facto este o assunto a ser revelado?

      Claro que para nós, os que se interessam pelo fenómeno OVNI, um anúncio destes não diz nada demais.

      Mas conheci hoje pessoas que quando lhe disse isto acharam fenomenal a noticia.

      Vamos dar algum crédito aos militares (pelos vistos a personificação do mal)…

  • Alan

    mais o clima que tava la tava meio estranho vcs não acham pode ser nada de mais, mas seila la néh

  • Fernando Ramos

    Eu simplesmente acho que ninguém responsável, ainda mais à altura da resposabilidade de alguém da NASA, anuncia uma conferencia de imprensa sem antes informar quem, de direito (chefes, director da NASA, e mesmo o Estado) sobre o tema do anuncio a fazer na conferencia.

    Só depois de pedida a autorização é que se faz o anuncio… (digo eu).

    Por isso é que acho que não houve mudança de última hora.

  • Alan

    não duvido de mais nada depois dos circo quase sem motivo as coisas que aocntece rum vai saber néh