web analytics

Casos enigmáticos de embarcações desaparecendo no mar

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 4 min.
Ouça este artigo...

Ao longo de séculos de história marítima, o Oceano Mundial serviu como refúgio final para numerosos marinheiros, deixando para trás histórias de “navios fantasmas” e enigmas não resolvidos.

Casos enigmáticos de embarcações desaparecendo no mar
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/Copilot

Mesmo com avanços significativos nas tecnologias de comunicação e radar que auxiliam na busca e resgate de navios em perigo, desaparecimentos misteriosos ainda ocorrem na era moderna. Ocasionalmente, navios desaparecidos só são descobertos depois de muitos anos, contribuindo com mais um capítulo para a enigmática história do mar.

“Maria Celeste”

O Mary Celeste, um bergantim mercante anglo-americano, ficou famoso depois de ser encontrado deserto no Oceano Atlântico. Foi descoberto em 4 de dezembro de 1872, pelo bergantim canadense Dei Gratia, cerca de 650 quilômetros a leste dos Açores.

Casos enigmáticos de embarcações desaparecendo no mar

O enigmático desaparecimento da tripulação do Mary Celeste continua a ser um dos maiores enigmas do mar. O navio não tinha bote salva-vidas e os únicos danos aparentes foram nas portas da escotilha de proa, que foram arrancadas, e no porão, que foi parcialmente inundado. Os pertences pessoais e objetos de valor da tripulação não foram perturbados.

O paradeiro do capitão Benjamin Briggs, de sua família e dos sete tripulantes permanece um mistério. As teorias que tentam desvendar o seu desaparecimento vão desde uma colisão com um objeto flutuante não identificado até suspeitas de fraude de seguros por parte de marinheiros que poderiam ter encenado o seu próprio desaparecimento para reclamar o dinheiro do seguro.

Kaz II

Em 2007, a 88 milhas náuticas da costa de Queensland, perto da Grande Barreira de Corais, foi encontrado um navio fantasma. Era um catamarã de dez metros pertencente ao australiano Derek Batten, de 56 anos. Batten e dois amigos partiram de Airlie Beach com destino a Townsville em 15 de abril e, três dias depois, o Kaz II foi descoberto à deriva, assustadoramente vazio.

Casos enigmáticos de embarcações desaparecendo no mar

Ao inspecionar o catamarã, a polícia notou diversas peculiaridades: o motor estava funcionando, as velas levantadas – sugerindo atividade recente. Os pertences pessoais da tripulação, como dinheiro, documentos, um laptop e até mesmo comida cozida não consumida, permaneceram a bordo. No entanto, a tripulação não foi encontrada em lugar nenhum.

Ourang Medan

A história do SS Ourang Medan, um cargueiro holandês, permanece envolta em mistério, cativando aqueles fascinados por fenômenos inexplicáveis. Em 1947, foi relatado que vários navios que navegavam no Estreito de Malaca receberam sinais de socorro afirmando: “Eles estão na cabine e na ponte. Estou morrendo“. Um silêncio assustador seguiu essas mensagens.

Casos enigmáticos de embarcações desaparecendo no mar

Um navio americano que respondia a um pedido de socorro encontrou uma cena horrível: toda a tripulação estava morta, inclusive o cão, com expressões de terror gravadas nos seus rostos. Os esforços para rebocar o navio foram abandonados quando a fumaça emergiu de seu interior e o Ourang Medan finalmente explodiu e afundou.

Numerosas teorias surgiram sobre a causa do desastre, desde vazamentos químicos e envenenamento por gás até especulações sobre OVNIs e atividades paranormais. No entanto, a ausência de provas sólidas ou de registos oficiais da existência do navio levou à crença generalizada de que a história do SS Ourang Medan nada mais é do que folclore marítimo ou uma invenção.

Copenhagen

O enigmático desaparecimento do navio dinamarquês de cinco mastros, Copenhagen, em 1928, continua a ser um dos numerosos enigmas marítimos não resolvidos. Construído em 1921 por ordem da East Asia Company, este veleiro foi utilizado principalmente para o transporte de grãos e era notável por suas características técnicas avançadas, incluindo um motor diesel contemporâneo e guinchos elétricos.

Casos enigmáticos de embarcações desaparecendo no mar

O FC Copenhagen partiu de Buenos Aires em dezembro de 1928, com destino à Austrália, transportando uma tripulação de 15 marinheiros e 44 cadetes do Copenhagen Seafarer. Tragicamente, a viagem do navio foi interrompida abruptamente: apenas uma semana após o início da viagem, o navio desapareceu.

O destino da tripulação e a causa do desaparecimento do navio permanecem um mistério. Uma hipótese sugere que a barca pode ter chegado ao fim entre o estuário do rio La Plata e as ilhas Tristão da Cunha, potencialmente colidindo com um iceberg, uma reminiscência do destino do Titanic.

Lyubov Orlova

O navio de cruzeiro soviético de dois andares emergiu como um “Holandês Voador” moderno. Construído na Iugoslávia em 1976 por ordem de Leonid Brezhnev, o navio foi batizado em homenagem a uma renomada atriz soviética e inicialmente serviu na Far Eastern Shipping Company. No final da década de 1990, com datas que vão de 1996 a 1999, foi adquirido por operadores internacionais e embarcou em viagens pelas regiões Ártica e Antártica.

Os anos subsequentes do transatlântico foram marcados por infortúnios. No Canadá, foi apreendido no porto de St. John’s devido à falência e dívidas do armador e, em 2013, o navio já danificado foi vendido para sucata e despachado para a República Dominicana para desmantelamento. No caminho, o cabo de reboque quebrou, deixando o Lyubov Orlova à deriva no Oceano Atlântico.

Nos anos posteriores, houve relatos na mídia de que o navio foi avistado na costa da Irlanda do Norte e, em 2017, o tabloide inglês The Sun informou que um naufrágio, supostamente infestado de ratos canibais, havia sido descoberto em uma praia na Califórnia.

San Juan

O submarino argentino ARA San Juan (S-42), construído na Alemanha e comissionado em 1985, fazia parte da classe TR-1700. Apesar de estar entre os submarinos diesel-elétricos mais rápidos do mundo, as suas características técnicas avançadas não foram capazes de evitar o desastre.

Em 15 de novembro de 2017, o submarino San Juan, durante uma missão de patrulha no Atlântico Sul, enviou um sinal informando um mau funcionamento do sistema de fornecimento de energia. A transmissão final revelou entrada de água do mar e curto-circuito. Um som detectado posteriormente pode sugerir uma explosão. Desde então, os 44 tripulantes desapareceram, sem mais contato da embarcação.

O esforço de busca internacional revelou-se infrutífero. Em 30 de novembro, a Marinha Argentina declarou a suposta perda de vidas de todos a bordo. Quase um ano depois, em novembro de 2018, os restos mortais do San Juan foram localizados a aproximadamente 800 metros de profundidade, perto da Península Valdez.

(Fonte)


ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Apoie o OVNI Hoje: Cada Doação é Essencial!

Agradecimentos aos colaboradores do mês: ❤️Eneias Vieira ❤️Silas Raposo ❤️Leopoldo Della Rocca ❤️Cristina Vilas Boas

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code