Cientistas podem ter provado a existência de um universo paralelo

Tempo de leitura: 2 min.

Pesquisadores que tentam explicar a expansão cósmica do nosso Universo dizem ter encontrado uma solução simples e elegante: a existência de um universo espelho.

Seria real a existência de um universo paralelo.

A ideia foi lançada no passado para explicar a discrepância entre matéria e antimatéria que sobrou após o Big Bang. Ainda assim, essa solução também pode explicar as inconsistências encontradas por pesquisadores que tentam medir a expansão do universo.

Universo espelho: Não é apenas ficção científica?

Na ficção científica, os personagens costumam encontrar dublês de si mesmos e de outros que vêm de um universo paralelo. Um exemplo é o episódio original de Star Trek intitulado “Mirror, Mirror”, onde um mau funcionamento no transportador da nave troca os membros da tripulação com seus gêmeos “malvados” de um universo espelho.

Cientistas do mundo real usaram esse conceito para explicar porque nosso universo tem matéria quando a matemática diz que toda a matéria deveria ter sido aniquilada por seu próprio gêmeo de antimatéria assim que surgiu.

Agora, um novo trabalho de pesquisa dá outra olhada no conceito do universo espelho, só que desta vez eles estão tentando explicar as diferentes medidas para a expansão constante do universo conhecida como teoria da tensão cósmica. E com base em seus resultados iniciais, o suporte renovado para a existência do universo espelho pode mais uma vez estar ganhando força.

A solução sugere a simetria cósmica subjacente

Ao estudarem a expansão do nosso universo, os cosmólogos geralmente observam duas medidas-chave. A primeira envolve mudanças no fundo cósmico de micro-ondas, enquanto a segunda envolve a medição de objetos extremamente distantes como supernovas. Infelizmente, quanto mais precisas se tornam as capacidades de medição, mais as duas figuras não se alinham. Essa discrepância às vezes é chamada de problema da tensão cósmica.

Ao tentarem corrigir essa inconsistência, pesquisadores da Universidade do Novo México e da Universidade da Califórnia, em Davis, fizeram vários modelos matemáticos. Publicado na revista Physics Review Letters, seu artigo, “Symetry of Cosmological Observables, a Mirror World Dark Sector, and the Hubble Constant” (“Simetria de Observáveis ​​Cosmológicos, um Setor Escuro do Mundo dos Espelhos e a Constante de Hubble”), envolveu ajustes nos modelos cosmológicos existentes para tentar alinhar as duas medidas de expansão cósmica.

Trata-se de um material matemático complexo, mas de acordo com uma análise do site Universe Today:

“A equipe descobriu que quando você ajusta os modelos cosmológicos para corresponder às taxas de expansão observadas, vários parâmetros sem unidade permanecem os mesmos, o que sugere uma simetria cósmica subjacente.”

Parâmetros sem unidade (pense em constante de estrutura fina) são constantes observadas ou medidas (como a velocidade da luz) que totalizam zero quando somadas. Encontrar simetria nessas medidas é de particular importância para os teóricos quando tentam explicar a inconsistência entre as duas taxas de expansão universal.

Depois de executar seus cálculos, a equipe de pesquisa por trás da descoberta mais recente diz que existe um modelo que explica essa discrepância perfeitamente sem violar nenhuma lei da física: um universo espelho.

Os pesquisadores escrevem no resumo de seu estudo:

“Descobrimos que uma escala uniforme das taxas de queda livre gravitacional e taxa de dispersão de fótons e elétrons deixa a maioria dos observáveis ​​cosmológicos adimensionais quase invariantes.”

Eles acrescentam:

“Um setor escuro do ‘mundo espelho’ permite o dimensionamento efetivo das taxas de queda livre gravitacional, respeitando a densidade média de fótons medida hoje.”

Com efeito, a equipe de pesquisa descobriu que a ideia de outra realidade que espelha perfeitamente a nossa realidade explica perfeitamente muitas das discrepâncias.

Um universo espelho afetaria o nosso através a tração gravitacional

Em seu artigo, a equipe de pesquisa observa que este é simplesmente um modelo matemático e que alguns problemas ainda precisam ser resolvidos. Como eles explicam:

“Mais construção de modelos pode trazer consistência com as duas restrições ainda não satisfeitas: as abundâncias primordiais inferidas de deutério e hélio.”

Claro, se eles são capazes de resolver esses problemas e a invariância observada é real, Universe Today observa:

“Isso implica a existência de um universo espelho. Um que afetaria nosso universo através de uma fraca atração gravitacional.”

No que diz respeito aos conceitos matemáticos, é uma solução relativamente elegante para um problema observado há muito tempo, mesmo que a ideia por trás disso possa estar muito distante para alguns cientistas…

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO… e (importante) se puder, ajude na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo:

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!