web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

Esses cientistas querem encontrar lixo alienígena em órbita da Terra

Tempo de leitura: 3 min.

Em 5 de setembro de 1977, a sonda espacial Voyager 1 foi lançada ao espaço. Como a missão iria para fora do Sistema Solar, a NASA embalou a Voyager 1 (e sua companheira, a Voyager 2) com um registro fonográfico dourado que continha sons e imagens da Terra que exibiam a diversidade da vida em nosso planeta.

Esses cientistas querem encontrar lixo alienígena em órbita da Terra
Crédito da imagem ilustrativa: depositphotos

O registro incluía sons de pássaros e outros animais, vento e trovão, saudações ditas em 55 idiomas diferentes, um levantamento de músicas da Terra, uma foto do trânsito nas ruas da Tailândia e uma mulher amamentando, entre diferentes manifestações da sociedade humana.

Agora, uma equipe de cientistas sugere que a Terra deve procurar sondas semelhantes em órbita ao redor de nosso planeta – ou pelo menos o que sobrou delas. Um estudo recente no servidor de pré-impressão arXiv sugere procurar por detritos espaciais que tenham ficado por sondas alienígenas enviadas para visitar a Terra.

Os cientistas recentemente aumentaram sua busca por vida além da Terra, procurando por assinaturas que sobraram de uma civilização extraterrestre avançada.

O SETI (Search for ExtraTerrestrial Intelligence/Busca por Inteligência Extraterrestre) é uma série de programas inter-relacionados em busca de vida inteligente além do nosso sistema solar, examinando os céus em busca de sinais de rádio ou tecnossinaturas – sinais emitidos por qualquer tipo de tecnologia de uma civilização alienígena.

O novo estudo propõe uma forma adicional de conduzir o trabalho do SETI.

Onde você pode ocultar uma sonda alienígena?

A equipe de pesquisadores por trás do novo estudo sugere que uma civilização alienígena avançada pode ter enviado uma sonda espacial para observar a Terra nos últimos 100.000 anos ou mais.

Algumas dessas sondas alienígenas podem ter permanecido em órbitas de grande altitude ao redor da Terra, ou seja, as órbitas geossíncronas da Terra (GEOs).

A GEO é uma órbita centrada na Terra que corresponde à rotação do planeta em seu eixo. É uma órbita baixa ao redor da Terra, com um período de cerca de 23 horas e 56 minutos.

A sonda espacial GEO permaneceria acima da Terra em uma longitude constante, quase no mesmo local. O novo estudo sugere que essa órbita pode ter sido ideal para monitorar humanos.

Assim que a sonda parar de funcionar, ela se desintegrará em detritos espaciais. No entanto, esses pedaços de destroços podem permanecer em órbita por milhões de anos antes de serem esmagados em pequenos fragmentos por quaisquer colisões futuras.

Se a luz do Sol atingir esses fragmentos, eles emitirão um brilho rápido e transitório. Quando a superfície reflexiva do lixo espacial alienígena se alinha com o Sol da perspectiva do observador, os telescópios podem observar esse brilho de curta duração.

Como encontrar naves alienígenas perto da Terra

Os autores do estudo recente sugerem o uso do projeto de ciência cidadã VASCO, que visa identificar estrelas desaparecidas por meio de pesquisas astronômicas que abrangem um intervalo de tempo de 70 anos. O artigo sugere procurar por reflexos repetidos ao longo de uma linha reta, ou reflexos triplos que podem indicar um prato giratório.

O projeto VASCO seria ideal para essa pesquisa porque contém imagens de arquivo anteriores a 1957, quando a primeira sonda espacial, o Sputnik, foi lançada ao espaço. Essas imagens do céu estarão livres de quaisquer detritos espaciais provenientes da civilização humana.

Em vez disso, quaisquer detritos artificiais detectados antes de 1957 podem ser restos de uma espaçonave alienígena que visitou a Terra no passado.

Os autores escreveram:

“Enquanto o programa VASCO visa a busca por estrelas desaparecidas, sua metodologia é capaz de descobrir outras características inesperadas nos dados. Pegando carona nas classificações de ‘estrela em desaparecimento’ do projeto VASCO, você tem ampla oportunidade de coletar reflexos de objetos artificiais.”

Resumo: Uma civilização extraterrestre avançada que descobriu a Terra pode ter enviado sondas aqui. Neste artigo, apresentamos uma estratégia simples para identificar artefatos não terrestres (NTAs) em órbitas terrestres geossíncronas (GEOs). Mostramos que mesmo os pequenos pedaços de detritos reflexivos em órbita ao redor da Terra podem ser identificados por meio de pesquisas por vários transientes em material de placa fotográfica antigo exposto antes do lançamento do primeiro satélite humano em 1957. Para separar entre possíveis fontes pontuais falsas em chapas fotográficas de reflexos reais, incluímos cálculos para mostrar que pelo menos quatro ou cinco fontes pontuais ao longo de uma linha dentro de uma caixa de imagem de 10 ∗ 10 arcmin2 são um bom indicador de NTAs, correspondendo a níveis de significância de 2,5 e 3,9σ. A metodologia dada será usada para definir um limite superior para a prevalência de NTAs com superfícies reflexivas em órbitas geossíncronas.

(Fonte)


A minha opinião é que será outro exercício em futilidade, por várias razões. Mas deixa para lá, afinal sempre é bom exercitar os cientistas.

Em tempo, piadas futebolísticas chegando em 3… 2… 1… 😄

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

USE O CUPOM OVH10 E GANHE 10% DE DESCONTO!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Plugin Kapsule Corp