web analytics
Tempo de leitura: 4 min.

Documento hebraico medieval pode revelar porque os Pergaminhos do Mar Morto foram encontrados em Qumran

Tempo de leitura: 4 min.

Um antigo documento hebraico criado há mais de 1.000 anos e guardado no Cairo pode desvendar um segredo dos Pergaminhos do Mar Morto.

Documento hebraico medieval pode revelar porque os Pergaminhos do Mar Morto foram encontrados em Qumran
Crédito: depositphotos

Estudiosos dos pergaminhos há muito se perguntam porque tantos fragmentos dos misteriosos manuscritos – mais de 15.000 pedaços de mais de 900 documentos originais – foram escondidos em cavernas ao redor de Qumran, nas colinas do Deserto da Judeia, a oeste do Mar Morto em Israel, Aparentemente longe de quaisquer grandes assentamentos.

O próprio sítio arqueológico de Qumran, nas proximidades, também apresenta mistérios semelhantes. Por exemplo, por que sua despensa estava tão bem abastecida, com mais de mil recipientes de cerâmica para armazenamento e centenas de tigelas, pratos e xícaras – mas as escavações mostram que muito poucas pessoas viveram lá? Qual era o propósito de um grande terraço ao ar livre chamado de “esplanada do sul” em Qumran, e por que ele está isolado de um cemitério próximo? E por que os muitos banhos rituais de Qumran, ou “miqva’ot“, eram tão grandes?

Agora, pesquisas sugerem que Qumran era de fato o local de uma grande cerimônia anual da seita judaica mística dos essênios, na qual seus membros se reuniam de cidades e comunidades rurais de todo Israel para observar um ritual importante conhecido como Pacto da Renovação. A construção peculiar de Qumran, sugerem os pesquisadores, reflete essa função cerimonial. Fragmentos dos Pergaminhos do Mar Morto também mencionam um festival que parece se referir à mesma reunião dos essênios, disse o pesquisador.

De acordo com a nova teoria, muitos dos próprios Pergaminhos do Mar Morto poderiam ter sido escritos por comunidades essênias em todo o país e trazidos para Qumran na época do festival anual para serem estudados e armazenados lá.

Daniel Vainstub, arqueólogo da Universidade Ben-Gurion de O Negev, disse ao Live Science:

“A reunião nacional em Sivan [o terceiro mês do calendário judaico, que cai em maio ou junho] foi um evento grande e bem regulamentado para o qual foram estabelecidas regras claras e detalhadas. Tudo isso se encaixa nos vestígios arqueológicos do local.”

Encontro do Mar Morto

Em um novo estudo, publicado online no final de julho na revista Religions, Vainstub argumenta que Qumran foi o local desse encontro anual baseado em uma versão das regras da comunidade religiosa contidas no que é chamado de Documento de Damasco ou Pacto de Damasco.

O Documento de Damasco – assim chamado por suas numerosas referências à cidade na Síria, possivelmente porque Damasco já foi governado pelo Rei Davi de Israel – foi copiado de uma fonte hebraica anterior por volta do século X D.C. Ele acabou sendo armazenado no Cairo Genizah, um depósito ao lado de uma sinagoga judaica em Fustat, a capital árabe original do Egito que acabou se tornando um bairro ao sul da cidade do Cairo.

Destruir qualquer texto que contenha o nome de Deus é proibido na lei religiosa judaica, mesmo acidentalmente, e todos os documentos da comunidade judaica do Cairo foram armazenados na genizá por precaução, pelo menos até que pudessem ser formalmente enterrados.

Como resultado, os escritos acumularam-se ao longo de muitos séculos no Cairo Genizah; e na década de 1890, o estudioso da Universidade de Cambridge, Solomon Schechter, visitou o local e encontrou um tesouro de centenas de milhares de manuscritos antigos, incluindo textos religiosos hebraicos, bem como trabalhos em várias línguas sobre arte, literatura, filosofia e ciência.

As versões mais completas do Documento de Damasco foram encontradas na genizá, e fragmentos dela foram encontrados entre os próprios pergaminhos do Mar Morto.

E de acordo com Vainstub, a versão da genizá no Cairo contém uma descrição mais completa de uma cerimônia mencionada nos fragmentos de pergaminho do Mar Morto, que foi mal compreendida até agora. A descrição do Cairo Geniza sugere que Qumran era o local de uma reunião anual no mês de Sivan, quando o feriado de Shavuot é celebrado para marcar a renovação da aliança judaica com Deus.

Vainstub informou ao Live Science por e-mail:

“Eu argumento que o Documento de Damasco contém o estatuto ou regra que regula a reunião anual. Ninguém percebeu isso antes de mim.”

Mistérios de Qumran

A passagem em questão no Documento de Damasco refere-se à Torá – os primeiros cinco livros da Bíblia Hebraica – e diz:

“E todos [os habitantes] dos campos se reunirão no terceiro mês e amaldiçoarão quem se desviar seja para a direita [ou à esquerda da] Torá.”

Vainstub sugere que os ‘acampamentos’ eram grupos religiosos essênios espalhados por Israel, geralmente como comunidades rurais isoladas, mas também dentro de grandes cidades. Ele argumenta que a passagem mostra que uma reunião ocorreu em um momento específico, e que pessoas de diferentes lugares foram chamadas para se reunir em um local.

Evidências arqueológicas descobertas anteriormente sugerem que o antigo complexo em Qumran teria sustentado relativamente poucos membros da seita durante a maior parte do ano, mas o novo texto sugere que ele cresceu para hospedar várias centenas de pessoas na época da reunião anual.

Vainstub escreveu no estudo:

“Algumas dezenas de moradores permanentes de Qumran … tiveram que hospedar muitas centenas de pessoas no local uma vez por ano em números cada vez maiores. O local de Qumran, com suas instalações, cavernas e superfícies, está de acordo com a evidência para a reunião anual que emerge dos pergaminhos.”

Os peregrinos que permaneciam em Qumran apenas por alguns dias não precisavam ser alojados regularmente, escreveu Vainstub; em vez disso, eles podem ter ficado ao ar livre ou em uma das muitas cavernas da área – como as cavernas onde os primeiros fragmentos dos Pergaminhos do Mar Morto foram encontrados em 1947.

A proposta de Vainstub explica porque os prédios públicos em Qumran, como sua despensa cheia de louças e recipientes de armazenamento, eram grandes o suficiente para servir milhares de pessoas, mas nenhuma evidência deles foi encontrada. Ele argumenta que a esplanada sul adjacente era uma área de alimentação externa que teve que ser isolada do cemitério próximo para manter a pureza religiosa; e sua teoria também explica o grande tamanho dos numerosos banhos rituais no local, que eram uma parte essencial do culto judaico naquela época.

A ideia de que os essênios se reuniam em Qumran uma vez por ano também pode explicar a localização dos pergaminhos, já que os membros da seita podem ter deixado seus escritos religiosos nas cavernas em que dormiram, escreveu Vainstub.

Ele disse:

“Minha teoria também é consistente com o fato de que os pergaminhos não se originaram necessariamente de Qumran, mas foram trazidos para as cavernas de todo o país e deixados nas cavernas ao longo das décadas.”

(Fonte)


Trata-se de uma tese plausível, quando se considera os objetos lá encontrados. Vale também mencionar que foi dentre os Pergaminos do Mar Morto que encontraram o Livro dos Gigantes:

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é produtos-OVNI-Hoje-1.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Loja-Nerd.jpg

Leitores OVNI Hoje ganham 10% de desconto em todos os produtos da Loja Nerd, inclusive nos produtos OVNI Hoje. (Use o cupom OVH10)


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Plugin Kapsule Corp