web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

Engenheiro alemão descreve sua experiência com a tecnologia do “Disco voador”

Tempo de leitura: 3 min.

Não faltam documentos estranhos na sala de leitura eletrônica da Lei de Liberdade de Informação (de sigla em inglês, FOIA) da CIA. Muitos revelam os esforços da agência para acompanhar os desenvolvimentos tecnológicos de outros países, especialmente durante e após a Segunda Guerra Mundial.

Engenheiro alemão descreve sua experiência com a tecnologia do "Disco voador"
Crédito da imagem ilustrativa: CoolCatGameStudio/Pixabay

Um documento traz um famoso engenheiro alemão chamado Georg Klein. Ele expressou que “embora muitas pessoas acreditem que os ‘discos voadores’ sejam um desenvolvimento do pós-guerra, eles estavam na verdade no estágio de planejamento nas fábricas de aeronaves alemãs já em 1941“.

O documento explica como um jornal alemão publicou uma entrevista com Klein, descrevendo a construção experimental de discos voadores realizada por ele de 1941 a 1945.

O “disco voador” atingiu uma altitude de 12.400 metros em 3 minutos e uma velocidade de 2.200 quilômetros por hora. Klein destacou que, de acordo com os planos alemães, a velocidade desses “discos” alcançaria 4.000 quilômetros por hora. Uma dificuldade, segundo Klein, era o problema de obtenção dos materiais a serem usados ​​na construção dos “discos”, mas mesmo isso havia sido resolvido por engenheiros alemães no final de 1945, e a construção dos objetos estava programada para começar, Klein acrescentou.

De acordo com Klein, em 1944 os alemães já haviam construído três discos para teste. Eram esses os “foo fighters” que todos esses pilotos americanos estavam relatando na época? O documento descreve os três discos:

Um tipo, na verdade, tinha a forma de um disco, com uma cabine interna, e foi construído nas fábricas (não identificadas), que também haviam construído os foguetes V2. Este modelo tinha 42 metros de diâmetro. O outro modelo tinha a forma de um anel, com as laterais elevadas e uma cabine do piloto em formato esférico colocada na parte externa, no centro do anel … (e) ambos os modelos tinham a capacidade de decolar verticalmente e pousar em áreas extremamente restritas, como helicópteros.

Os engenheiros receberam ordens para destruir esses discos, incluindo todos os planos para eles.

Os engenheiros das fábricas de Mite, em Breslau, no entanto, não foram avisados ​​a tempo da aproximação soviética, e os soviéticos, portanto, conseguiram apreender seu material. Os planos, assim como o pessoal especializado, foram imediatamente enviados diretamente ao Sindicato da Sociedade sob forte guarda.

O escritor de aviação, Nick Cook, é um dos muitos que investigaram este tópico e, em 2002, chegou à conclusão de que os nazistas haviam alcançado “uma forma de ciência que o resto do mundo nunca havia considerado remotamente” e que esta continua a ser suprimida hoje.

Isso faz você se perguntar o que os Estados Unidos receberam, visto que, por meio da Operação Paperclip, vários cientistas alemães importantes foram transportados para os Estados Unidos.

De acordo com o pesquisador e OVNIs, Richard Dolan:

“[O pesquisador italiano] Renato Vesco argumentou que os alemães desenvolveram a antigravidade. Naves em forma de disco e tubulares foram construídas e testadas perto do final da Segunda Guerra Mundial, o que, ele argumentou, era a explicação adequada para os foo fighters. Esses conceitos, afirmou ele, foram desenvolvidos pelos americanos e soviéticos e levaram diretamente aos discos voadores.”

O Dr. David Clarke é jornalista investigativo, leitor e palestrante na Sheffield Hallam University, na Inglaterra. Ele também foi o curador do projeto OVNI dos Arquivos Nacionais de 2008–2013, e regularmente comenta na mídia nacional e internacional sobre OVNIs.

Dr. Clarke disse ao The Daily Mail:

“Mesmo que eles tenham sido parcialmente censurados, eles não podem esconder o fato de que os militares do Reino Unido estavam interessados ​​em capturar a tecnologia de OVNIs ou o que eles timidamente chamam de ‘nova tecnologia de armas’ … E os arquivos revelam que eles estavam desesperados para capturar esta tecnologia – de onde quer que ela veio – antes que os russos ou os chineses a pegassem primeiro … Embora estivéssemos em 1997, a Rússia ainda era considerada um inimigo invicto com um programa de armas considerado uma ameaça para o Ocidente.”

Então, talvez essa engenharia reversa tenha começado há muito tempo?

O astronauta da Apollo 13, Dr. Edgar Mitchell, disse uma vez ao mundo que “sim, houve acidentes de naves e corpos recuperados”. Ele é visto fazendo essas declarações no documentário ‘Thrive‘.

Eric W. Davis, um astrofísico renomado que trabalhou com o programa de OVNIs do Pentágono, afirmou que deu um briefing classificado a uma Agência do Departamento de Defesa em março de 2020 sobre recuperações de “veículos de fora do mundo não feitos nesta Terra”.

Christopher Mellon, ex-secretário adjunto da Defesa para Inteligência de 1997 a 2002, confirmou que esteve presente durante o depoimento de Davis. Ele mesmo tem falado abertamente sobre o fenômeno nos últimos anos

É por isso que muitas pessoas na área têm perguntado se alguns desses objetos estranhos são ou não “nossos” ou “deles”. Parece haver várias possibilidades.

A humanidade tem uma história de acreditar em uma coisa e então passar por um momento de quebra de paradigmas que destrói essa crença. Tomemos por exemplo o proeminente físico Lord Kelvin, que afirmou no ano de 1900 que, “Não há nada novo a ser descoberto na física agora. Tudo o que resta é uma medição cada vez mais precisa”. Não demorou muito após essa declaração, quando Einstein publicou seu artigo sobre a relatividade especial. As teorias de Einstein desafiaram a estrutura de conhecimento aceita na época e forçaram a comunidade científica a se abrir para uma visão alternativa da realidade.

O fenômeno OVNI será o mesmo, ou será usado como muitas outras questões globais importantes – para propósitos e respostas que parecem beneficiar os ricos e poderosos? A percepção do fenômeno dada a nós pela corrente dominante será precisa? Podemos continuar contando com a grande mídia e o governo para compartilhar a verdade com os cidadãos?

Há uma razão pela qual tantas pessoas perderam a confiança nessas instituições.

(Fonte)


A resposta para as perguntas colocadas no penúltimo parágrafo do artigo acima pelo seu autor, Arjun Walia, na minha opinião, é um grande e redundante NÃO! Eu não confiaria nessa gente de forma alguma.

Quem tem uma cabeça cujo cérebro é usado além de servir como um separador de orelhas sabe muito bem que tudo deve ser investigado e questionado antes de ser aceito como verdadeiro, mesmo vindo de fontes que se projetam como sendo “donas da verdade”.

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol