web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

Perigo dos OVNIs lembra Pearl Harbor e 11 de setembro, afirma ex-Vice Secretário de Defesa dos EUA

Tempo de leitura: 3 min.

Em um artigo recente publicado em seu site, ex-vice-secretário assistente de Defesa para Inteligência (EUA), Christopher Mellon descreveu a situação de segurança em relação a aeronaves não identificadas operando sobre o espaço aéreo restrito militar dos EUA como uma falha de tirar o fôlego.

O artigo, intitulado “Suggestions for Congress on the UAP Issue” (“Sugestões para o Congresso sobre a questão UAP (OVNI)”) foi escrito após o lançamento de junho de um relatório do governo dos EUA detalhando incidentes recentes envolvendo o Fenômeno Aéreo Não Identificado (de sigla em inglês, UAP) e recursos militares dos EUA.

O relatório só conseguiu identificar um objeto dos 144 casos investigados. O relatório afirmou que alguns UAPs “pareceram exibir características de voo incomuns“.

Após a divulgação do relatório, a vice-secretária de Defesa Kathleen Hicks imediatamente instruiu o subsecretária de Defesa para Inteligência e Segurança a desenvolver um plano para formalizar a missão atualmente realizada pela Força-Tarefa, que empreendeu a investigação.

O memorando de Hicks para a Liderança Sênior do Pentágono declarou: “É fundamental que os Estados Unidos mantenham as operações de segurança e proteção em intervalos do DoD (Departamento de Defesa)”, acrescentando que é “igualmente crítico” que as tripulações militares e funcionários do governo relatem casos em que aeronaves ou “outros dispositivos” interferem com treinamento militar.

Lendo nas entrelinhas, a situação atual é extremamente preocupante. Em essência, as naves não identificadas estão penetrando no espaço aéreo militar restrito, e o governo está preocupado.

Segundo autoridades como Mellon e seu ex-colega Luis Elizondo, isso já ocorre há algum tempo. Por exemplo, o encontro da esqudra de combate USS Nimitz ocorreu em 2004.

Mellon observa:

“Se o sistema de inteligência dos EUA funcionasse corretamente, o Congresso estaria ciente de que aeronaves não identificadas habitualmente penetram no espaço aéreo dos EUA há décadas.”

Sendo uma questão de segurança tão importante, por que as autoridades eleitas responsáveis ​​pela segurança aparentemente estão sendo mantidas no escuro?

Quando uma aeronave com “qualidades de voo incomuns” que não pertence aos EUA (hipótese que foi descartada pelo relatório) sobrevoa seu espaço aéreo militar restrito, os membros graduados do Comitê de Inteligência do Senado têm o direito de saber?

Se não, por quê? E quem realmente manda?

O vice-presidente do Comitê de Inteligência do Senado, Marco Rubio, comentou recentemente:

“Há coisas voando em nosso espaço aéreo e não sabemos quem é e não são nossas. Portanto, devemos saber quem é, especialmente se for um adversário que deu um salto tecnológico.”

Assim, após anos dessas ocorrências, a supervisão democrática em certa medida foi finalmente alcançada, levando a algum progresso devido a políticos como Rubio e o presidente do Comitê, Mark Warner, exercendo pressão sobre o Pentágono.

No entanto, se os UAPs (OVNIs) nem mesmo podem ser identificados (muito menos impedido de penetrar no espaço aéreo restrito), então ainda temos um longo caminho a percorrer.

Isto é sério

Leitor, ontem informamos sobre as tensões entre Taiwan e China. As tensões estão aumentando após a atividade militar chinesa ao longo da fronteira com Taiwan.

Neste momento, os planejadores militares estão se preparando para o pior cenário possível, que pode levar a um conflito global.

Enquanto os olhos do mundo estão na Ásia, por que não estamos nos concentrando em potenciais naves chinesas ou russas (que demonstram um salto tecnológico) que se infiltram no espaço aéreo militar restrito dos EUA, o que parece estar acontecendo em uma ocorrência comum.

Se soubéssemos que elas eram chinesas ou russas, a situação ao longo do estreito de Taiwan empalideceria em comparação. E não deveriam os representantes democráticos ser informados se este for o caso, para que as ações apropriadas possam ser tomadas para proteger vidas?

Independentemente do perpetrador, como Mellon sugere, podemos estar caminhando como um sonâmbulo para o desastre.

E o desastre pode ser inevitável. O único comitê disposto a levar esse tópico a sério parece ser o Comitê de Inteligência do Senado.

Sim, podemos culpar figuras dentro do Pentágono, que podem ter mantido os políticos no escuro. Mas, sem mais pressão política, podemos não encontrar respostas ou ver medidas tomadas.

Muitos políticos não conseguem superar o estigma. Muitos temem falar sobre o assunto. Se esse for o caso, o processo de tomada de decisão pode permanecer penosamente lento quando confrontado com uma questão tão urgente e alarmante.

A coragem política é necessária mais do que nunca nos próximos meses. Para impedir o próximo 11 de setembro ou Pearl Harbor, uma ação drástica é claramente necessária, o que inclui audiências públicas.

Só então os tomadores de decisão podem tomar as medidas necessárias de maneira transparente. É assim que funciona a democracia.

(Fonte)

Colaboração: MaryH


A questão toda é muito complexa, pois envolve diferentes “cabeças” tomadoras de decisões, com diferentes pontos de vista. Este fato embaralha todo o processo, com uma “cabeça” trabalhando contra a outra, assim impedindo o progresso.

Mas, uma coisa está cada vez mais clara: Se esses objetos realmente pertencessem à China, o Taiwan já estaria sendo controlado totalmente por ela, bem como boa parte do mundo. E o mesmo avanço global pode ser dito quanto à Rússia, bem como aos Estados Unidos.

Esses OVNIs não são de ninguém daqui.

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol