web analytics
Tempo de leitura: 4 min.

Como o estudo dos OVNIs pode levar a novos avanços científicos

Tempo de leitura: 4 min.

Este mês, uma força-tarefa do Pentágono publicará um relatório há muito aguardado que se aprofunda em um tópico tipicamente relegado a filmes de ficção científica e tabloides: objetos voadores não identificados ou OVNIs.

Crédito da imagem ilustrativa: depositphotos

É um assunto nostálgico para Carol Cleland, professora do Departamento de Filosofia da Universidade do Colorado, em Boulder (EUA). Quando ela era uma menina crescendo no Arizona, Cleland era fascinada por relatos de OVNIs, que ela recortava de jornais e revistas e mantinha em um álbum de recortes.

Cleland desistiu de seu hobby de OVNIs há muito tempo, mas ela ainda se dedica à busca por vida fora da Terra. Ela passou décadas trabalhando com cientistas no campo da astrobiologia – que lançou as bases para os humanos caçarem organismos vivos (principalmente microbianos) em locais como Marte e as luas geladas Europa e Encélado. Cleland é atualmente uma afiliada do Search for Extraterrestrial Intelligence Institute (SETI), com sede na Califórnia, e dirige o Centro CU Boulder para o Estudo das Origens.

Seu trabalho mais recente se concentra em como a descoberta científica, ao longo da história, circulou ao redor de anomalias – ou fenômenos que “não deveriam estar lá” ou que os pesquisadores não podem explicar em termos de nossa compreensão atual do mundo.

Cleland sentou-se com o CU Boulder Today para falar sobre o próximo relatório de OVNIs e porque os cientistas deveriam levar a sério as observações estranhas e misteriosas:

Como o estudo dos OVNIs pode levar a novos avanços científicos
Professora Carol Cleland

CU Boulder Today: Você pode me falar sobre seu próprio interesse inicial em OVNIs?

Carol Cleland: No ensino fundamental e médio, devorei romances de ficção científica: Isaac Asimov, Ursula K. Le Guin e outros. Isso foi praticamente tudo que li, e eu estava realmente interessada em OVNIs. Eu coletei relatos de OVNIs de jornais e revistas em um álbum de recortes e procurei padrões entre eles. Em muitas noites eu subi no telhado de minha casa em Fênix (Arizona), um par de binóculos pendurado em meu pescoço, e procurava OVNIs nos céus até que um dos meus pais gritou para eu descer do telhado.

Eu estava realmente esperando, é claro, que os OVNIs fossem espaçonaves alienígenas. Pareceu-me plausível que não eramos as únicas criaturas inteligentes no universo.

Ninguém espera que o governo dos EUA diga que fomos visitados por alienígenas. Mas você acha que o relatório atual é um sinal de que as pessoas estão começando a levar essas observações a sério?

Acho que eles deveriam levá-las a sério.

Temos que esperar para ver o que o relatório diz, mas o que as pessoas estão esperando é algo como: “Olha, fizemos todos esses estudos detalhados. Temos dados sobre esses fenômenos de uma diversidade de instrumentos sofisticados. Eles foram vistos por um grande número de pessoas com conhecimento tecnológico e, apesar dos extensos esforços, não podemos explicá-los em termos de fenômenos naturais conhecidos.”

O que isso significa?

Se tudo isso for verdade, então você tem um fenômeno verdadeiramente desconcertante. Pode representar um problema com seus instrumentos, que você deve conhecer porque é o tipo de erro que tem consequências potencialmente sérias, inclusive a guerra.

Alternativamente, pode representar fenômenos naturais que transcendem nosso conhecimento atual dos fenômenos físicos e talvez até mesmo representar um desafio para a teoria física atual. É tão importante investigar isso porque pode levar a grandes mudanças no entendimento científico. Finalmente, e isso é o que eu sonhei quando criança, pode representar tecnologia extraterrestre.

Este parece ser um exemplo perfeito do que você pode chamar de anomalia. Como observações estranhas como essas se encaixam na história da ciência?

Se você realmente olhar para a história das principais descobertas científicas – descobertas que mudam o pensamento científico de maneiras fundamentais – o que você encontra são fenômenos que estavam lá o tempo todo, mas não eram reconhecidos pelo que representam. Eles são ignorados ou mal interpretados até que, finalmente, alguém diz: “Ei, olhe. Nada do que fizemos até agora para explicar isso funcionou. Isso é algo muito estranho. Talvez haja algo muito errado com a maneira como estamos pensando sobre isso.”

Então, em vez de tentar explicá-lo em termos de nosso conhecimento científico atual, as pessoas começam a pensar em possibilidades mais radicais. Isso, por sua vez, pode levar a importantes descobertas científicas, incluindo importantes revisões na teoria científica.

Qual é um exemplo disso?

Um dos grandes incentivos para as pessoas que aceitaram a teoria da relatividade geral de Einstein foi que ela poderia explicar as perturbações na órbita de Mercúrio e a teoria da gravidade de Isaac Newton não. As pessoas vinham tentando explicar os desvios na órbita de Mercúrio em termos da teoria de Newton por centenas de anos. Possibilidades exóticas foram consideradas. Por exemplo, alguns propuseram que existia um planeta, Vulcano, entre Mercúrio e o Sol com a propriedade peculiar de que o Sol estava sempre entre ele e a Terra. Assim, Vulcano não poderia ser observado nem mesmo com um telescópio poderoso.

O que você acha que a comunidade científica deveria fazer com alguns dos relatórios mais confiáveis ​​dessas anomalias aéreas?

Se eles são realmente confiáveis, acho que devem ser investigados como anomalias interessantes que são dignas de investigação científica. Essa é a maneira de resolver o problema. Se os físicos dizem que podem desmascará-lo, que seja desmascarado com explicações explícitas de casos individuais, em vez de apenas afirmar vagamente que têm certeza de que pode ser explicado dessa maneira.

Seja qual for o resultado, ele revelará que há algo importante sobre o mundo que não entendemos.

Se acabarmos encontrando vida fora da Terra, você acha que será mais estranho do que até mesmo autores de ficção científica como Isaac Asimov imaginaram?

Eu acho que isso é provável. Acho que há certas características muito gerais que toda vida deve ter: os seres vivos precisam extrair energia de seu meio ambiente para se manterem e excretar resíduos de volta no meio ambiente. Essa é a ideia por trás do que chamo de “biosfera das sombras” – para procurar formas de vida verdadeiramente novas, você deve procurar por suas sombras, por padrões estranhos deixados para trás que são difíceis de explicar sem vida.

Mas, além disso, a questão de como poderia ser a vida em outro mundo é, eu acho, uma questão em aberto. Além disso, é importante ter em mente que essas características gerais não são suficientes para definir a vida.

(Fonte)


Recentemente, mais e mais cientistas estão criando coragem de divulgar aquilo que sempre pensaram, mas eram intimidados pela comunidade científica.

Os OVNIs fazem sim parte de um fenômeno real e precisam ser investigados com o rigor científico, e não descartados por “achismos” disfarçados de ciência.

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol