web analytics
Tempo de leitura: 2 min.

Até 1803, cientistas não acreditavam que meteoritos vinham do espaço

Tempo de leitura: 2 min.

imagine isto: você mora na cidade de L’Aigle, na Normandia, França. Você está apenas cuidando de seus negócios neste dia de 1803, quando de repente, pedras começam a cair do céu.

Até 1803, cientistas não acreditavam que meteoritos vinham do espaço
Representação artística de um meteoro passando pelas Ilhas Britânicas em 1783. Ao contrário do meteoro L’Aigle algumas décadas depois, os meteoritos desse evento não foram vistos caindo ao solo e, portanto, os meteoritos permaneceram um mistério científico por mais 20 anos. (Imagens Wellcome)

Você notaria, certo? Bem, foi porque ocorreu sobre uma cidade cheia de testemunhas que viram mais de 3.000 pedras caindo do céu que finalmente ajudou os cientistas a confirmarem que os meteoritos vinham do espaço.

Embora escrever sobre meteoritos seja ainda mais antigo do que os romanos, escreve o pesquisador francês Matthieu Gounelle, antes do final dos anos 1700 ninguém pensava neles como algo que precisasse de explicação científica. Como chuvas de substâncias menos prováveis ​​- incluindo “sangue, leite, lã, carne e sangue coagulado”, de acordo com a historiadora Ursula Marvin – os racionalistas do século XVIII, com sua nova perspectiva científica sofisticada, pensaram que as histórias de chuvas de rochas de ferro não eram reais.

Um físico chamado Ernst Chladni publicou um livro em 1794 sugerindo que os meteoritos vinham do espaço. Chladni hesitou em publicar, escreve Marvin, porque sabia que estava “contradizendo 2.000 anos de sabedoria, herdada de Aristóteles e confirmada por Isaac Newton, que não existem pequenos corpos no espaço além da Lua”.

Sua teoria ganhou algum crédito durante a última década de 1700, escreve Gounelle, quando várias quedas importantes de meteoritos aconteceram naquela década. Mas ainda estava longe de ser uma sabedoria aceita. Uma fraqueza do trabalho de Chladni foi que ele não visitou o local da queda de um meteoro e entrevistou testemunhas, escreve Gounelle.

Mas depois que os meteoritos caíram em l’Aigle, Jean-Baptise Biot, um físico, foi analisar o evento. Biot foi um cientista cujo currículo inclui também o primeiro voo científico de balão e trabalhos pioneiros no campo da sacarimetria (forma de analisar soluções de açúcar). Ele também acreditava firmemente no poder da comunicação científica, e seu relato literário e dramático sobre a queda de l’Aigle ganhou destaque na mídia popular, bem como nos círculos científicos, ajudando a dar crédito à sua teoria. Por se basear em evidências de testemunhas reais, tinha valor de interesse humano.

“Biot distinguiu dois tipos de evidência de uma origem extraterrestre das pedras”, escreve Gounelle. Primeiro, o tipo de pedra que caiu era totalmente diferente de qualquer outra disponível localmente, mas era semelhante à pedra da queda do meteoro de Barbotan em 1790.

Biot escreveu:

“As fundições, as fábricas, as minas dos arredores que visitei, nada em seus produtos, nem em sua escória que tenha com essas substâncias qualquer relação.”

Em segundo lugar, ao contrário das quedas anteriores, houve uma série de testemunhas “que viram uma chuva de pedras atiradas pelo meteoro”, escreve Gounelle. Eles eram de diferentes estilos de vida e, escreveu Biot, seria ridículo pensar que todos eles se conformaram em descrever algo que não aconteceu.

Gounelle escreve:

“Pode-se acompanhar o inquérito de Biot, aldeia por aldeia, passo a passo.”

Seu relatório parecia um romance, mas tinha rigor científico. E apenas alguns meses depois de ser publicado, escreve Gounelle, a ideia de que os meteoritos vinham do espaço foi reconhecida na comunidade científica.

(Fonte)


Moral da história: O fato da comunidade científica acreditar que algo não exista não é comprovação de que este algo não seja real.

Em 1803, a ciência finalmente aceitou que havia meteoroides no espaço e estes podiam cair na Terra; agora, em nossos tempos, alguns cientistas já começam a aceitar que os OVNIs são mesmo reais.

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol