web analytics
Tempo de leitura: 2 min.

Meteoro recente sobre o Brasil pode ter sido um objeto interestelar

Tempo de leitura: 2 min.

Por Jocelyne LeBlanc

Um meteoro visto recentemente sobre o Brasil pode ter sido um objeto interestelar. Isso é incrivelmente significativo, pois apenas dois outros objetos viajando através de nosso Sistema Solar foram identificados como sendo interestelares – o ‘Oumuamua e o Cometa 2I/Borisov.

Meteoro recente sobre o Brasil pode ter sido um objeto interestelar
O meteoro ocorreu em 30 de maio de 2021. Captura de tela, crédito: Bramon.

O ‘Oumuamua foi descoberto em outubro de 2017 viajando a uma velocidade colossal de 315.000 quilômetros por hora e desde então tem sido objeto de inúmeras teorias sobre suas origens. Embora algumas teorias façam mais sentido como se fosse um cometa, asteroide, iceberg de hidrogênio, “coelho” de poeira ou parte de um planeta parecido com Plutão, outras hipóteses são um pouco mais bizarras, como ser de tecnologia alienígena.

O cometa 2I/Borisov foi encontrado em agosto de 2019 e, desde então, os astrônomos ficaram fascinados por ele. Em um relatório recente, os especialistas descreveram o cometa como sendo o objeto espacial mais “primitivo” que já foi observado. Acredita-se que nosso Sol foi a única estrela pela qual o cometa passou de perto. Isso é muito importante porque quando os cometas se aproximam das estrelas, eles podem ser degradados ou alterados pelo calor e radiação solar, mas quando passou pelo nosso Sol, sua composição de poeira e gás era totalmente original e pura.

Além disso, os especialistas acham que o Cometa 2I/Borisov pode ter se formado a partir de diferentes partes de seu sistema – desde perto da estrela hospedeira até locais muito mais distantes. Isso pode ser explicado por um monte de detritos espaciais sendo jogados por aí por fortes forças gravitacionais de grandes exoplanetas.

Quanto ao meteoro visto acima do Brasil, ele foi visto cruzando o céu do Rio Grande do Sul em 30 de maio. Duas câmeras da Meteor Watch Network do Brasil (Bramon) registraram o meteoro viajando pelo céu. Uma vez que o meteoro entrou na atmosfera do nosso planeta em um ângulo raso de 6,1 graus, ele é conhecido como um Earth-grazer (algo como “raspador da Terra”).

O meteoro começou a queimar quando estava a uma altitude de 162,5 quilômetros ao sul de Capão Comprido, RS. Ele estava se movendo a uma velocidade rápida de 230.700 quilômetros por hora. Para ter uma perspectiva melhor, ele percorreu 243 quilômetros em apenas 3,8 segundos antes de desaparecer a leste de Carlos Barbosa, no estado do Rio Grande do Sul.

Em uma declaração fornecida pela Bramon, o meteoro pode realmente ser um objeto interestelar. A declaração dizia em parte:

“Análises preliminares indicam que foi gerado por um meteoroide vindo de fora do sistema solar.”

Se isso estiver correto, este seria apenas o terceiro objeto espacial de origem interestelar a ter sido documentado em nosso Sistema Solar.

Um vídeo do meteoro acima do Brasil pode ser visto abaixo:

(Fonte)


Plugin Kapsule Corp