web analytics

InSight da NASA detecta terremotos consideráveis ​​em Marte

Tempo de leitura: 2 min.
InSight da NASA detecta terremotos consideráveis ​​em Marte
Sismômetro da sonda Insight na superfície de Marte. Crédito: NASA

A sonda InSight da NASA detectou dois terremotos consideráveis e claros originados em um local de Marte chamado Cerberus Fossae – o mesmo lugar onde dois fortes terremotos foram vistos no início da missão. Os novos terremotos têm magnitudes de 3,3 e 3,1; os terremotos anteriores foram de magnitude 3,6 e 3,5. A InSight registrou mais de 500 terremotos até o momento, mas por causa de seus sinais claros, esses são quatro dos melhores registros de terremotos para sondar o interior do planeta.

Estudar marsquakes (martemotos) é uma maneira pela qual a equipe de ciência da InSight busca desenvolver uma melhor compreensão do manto e do núcleo de Marte. O planeta não tem placas tectônicas como a Terra, mas tem regiões vulcanicamente ativas que podem causar estrondos. Os terremotos de 7 e 18 de março reforçam a ideia de que Cerberus Fossae é um centro de atividade sísmica.

Taichi Kawamura, do Institut de Physique du Globe de Paris, da França, que ajudou a fornecer o sismômetro da InSight e distribui seus dados junto com a universidade de pesquisa suíça ETH Zurich, informou:

“Ao longo da missão, vimos dois tipos diferentes de marsquakes: um que é mais ‘parecido com os da Lua’ e o outro, mais ‘parecido com os da Terra’”.

As ondas de terremotos viajam mais diretamente pelo planeta, enquanto as de moonquakes (luamotos) tendem a ser muito dispersas; marsquakes se encaixam em algum lugar no meio.

Kawamura continuou:

“Curiosamente, todos os quatro terremotos maiores, que vêm de Cerberus Fossae, são ‘semelhantes aos da Terra’”.

Os novos terremotos têm algo mais em comum com os principais eventos sísmicos anteriores da InSight, que ocorreram quase um ano marciano completo (dois anos terrestres) atrás: eles ocorreram no verão do norte de Marte. Os cientistas previram que este seria novamente o momento ideal para ouvir os terremotos, porque os ventos ficariam mais calmos.

O sismômetro, chamado de Experimento Sísmico para Estrutura Interior (de sigla em inglês, SEIS), é sensível o suficiente para que, mesmo quando coberto por um escudo em forma de cúpula para bloqueá-lo do vento e evitar que fique muito frio, o vento ainda causa vibração suficiente para obscurecer alguns marsquakes. Durante a última temporada de inverno do norte, a InSight não conseguiu detectar nenhum terremoto.

John Clinton, um sismólogo que lidera o Serviço Marsquake da InSight na ETH Zurich, disse?

“É maravilhoso observar marsquakes novamente após um longo período de registro do ruído do vento. Passado um ano marciano, agora somos muito mais rápidos na caracterização da atividade sísmica no Planeta Vermelho.”

Melhor Detecção

Os ventos podem ter se acalmado, mas os cientistas ainda esperam melhorar ainda mais sua capacidade de “escuta”. As temperaturas perto do módulo de aterrissagem InSight podem oscilar de quase 100 graus Celsius negativos à noite a 0 graus Celsius durante o dia. Essas variações extremas de temperatura podem estar fazendo com que o cabo que conecta o sismômetro ao módulo de pouso se expanda e se contraia, resultando em sons de estouro e picos nos dados.

Portanto, a equipe da missão começou a tentar isolar parcialmente o cabo do clima. Eles começaram usando a concha na extremidade do braço robótico da InSight para soltar o solo em cima da cúpula de vento e blindagem térmica, permitindo que escorra para o cabo. Isso permite que o solo chegue o mais próximo possível da blindagem, sem interferir com a vedação da blindagem com o solo. Enterrar a corda sísmica é de fato um dos objetivos da próxima fase da missão, que a NASA estendeu recentemente por dois anos, até dezembro de 2022.

Apesar dos ventos que têm sacudido o sismômetro, os painéis solares do InSight permanecem cobertos de poeira e a energia diminui à medida que Marte se afasta do Sol. Os níveis de energia devem melhorar depois de julho, quando o planeta começa a se aproximar do Sol novamente. Até então, a missão desligará sucessivamente os instrumentos da sonda para que a InSight possa hibernar, acordando periodicamente para verificar sua saúde e se comunicar com a Terra. A equipe espera manter o sismômetro ligado por mais um mês ou dois antes de ter que ser temporariamente desligado.

(Fonte)


– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol