web analytics
Tempo de leitura: 5 min.

Relatórios recém descobertos da NASA revelam encontros com OVNIs

Tempo de leitura: 5 min.
(Chris Leipelt/Unsplash.)

A partir de 3.500 pés (aprox. 1.000 metros) a clara tarde de agosto ofereceu uma vista excepcional das montanhas Catskill de Nova Iorque (estado). A leve brisa sobre o condado de Greene fora ideal para um voo à tarde, e um piloto particular operando um pequeno planador sobre East Windham decidiu tirar o máximo proveito dela.

Acompanhado por um amigo passageiro (sua primeira vez no ar), o aviador e seu companheiro faziam sua subida constante. Os picos das montanhas rolavam abaixo deles ao longe, o mais próximo deles – Pico Windham High – erguia-se da paisagem a apenas alguns quilômetros de distância, a sudoeste.

O voo foi casual e permaneceu assim mesmo depois que a atenção do piloto foi desviada da vista e para baixo em direção a um objeto brilhante que chamou sua atenção perto da copa das árvores abaixo. Em vez de ser um dispositivo fixo no solo, esse objeto parecia ser algum tipo de aeronave pequena, movendo-se em alta velocidade.

O piloto posteriormente em um relatório detalhando o incidente:

“Assistimos ele deslizando sobre as copas das árvores abaixo e à direita de nossa rota de voo. Ele estava se movendo em alta velocidade para sudoeste em direção ao Pico Windham High. Ele tinha uma aparência muito brilhante, como o Sol brilhando em um espelho com as cores do arco-íris.”

O piloto e seu passageiro continuaram a observar o objeto, que não conseguiram identificar, embora acreditassem ser algum tipo de veículo aéreo não tripulado. O objeto, por outro lado, parecia mostrar pouca consideração pelos pilotos acima, que agora o observavam há vários segundos.

Isso, no entanto, estava prestes a mudar.

O piloto afirmou em seu relatório, observando que no meio do caminho para completar sua curva e agora avançando em direção ao pico de Windham:

“Enquanto observávamos o UAV (sigla em inglês para Veículo Aéreo Não Tripulado), virei para a esquerda. O UAV deu meia-volta e veio em nossa direção em alta velocidade.”

O objeto, que já havia ultrapassado seu avião ao passar por baixo, agora estava se arremessando diretamente na direção deles.

O UAV, se aproximando rapidamente e agora em uma possível rota de colisão com sua aeronave, surpreendeu os dois observadores com sua velocidade, fechando uma distância que o piloto julgou ser de cinco milhas (8 km) “em apenas alguns segundos”:

“Quando consegui 3/4 da curva [o objeto] estava a 50 jardas (±50 metros) da minha asa direita, [e] rapidamente ficou na minha frente e me seguiu na curva cada vez mais perto até sair da minha asa esquerda, provavelmente não mais do que 25-30 jardas de distância.”

Tivemos uma visão muito boa dele”, afirmou o relatório do piloto, que descreveu o objeto como tendo aproximadamente 1,80 m de altura e entre 60 e 90 cm de largura. O topo da nave “estava extremamente radiante” com uma aparência cintilante que o piloto comparou ao “Sol brilhando em um espelho com as cores do arco-íris“. Abaixo da parte superior, o UAV possuía uma “meia esfera preta sob o topo radiante e o que parecia ser uma antena sob a meia esfera“, de acordo com a declaração do piloto.

Seja lá o que tenha sido esse objeto, rapidamente ficou evidente para o piloto e seu passageiro que o estranho UAV não estava viajando sozinho.

O relato do piloto informa:

“Quando saiu da minha asa esquerda, meu passageiro olhou para cima e viu mais dois UAVs saindo da nuvem diretamente sobre nós. Naquele momento, disse ao meu passageiro que voltaríamos imediatamente para o aeroporto, [e] abaixei o nariz e ganhei velocidade. Os UAVs seguiram para o oeste em alta velocidade.

Não vimos nenhum tipo de asas, rotores ou forma de propulsão.”

O impressionante relato acima é uma entre várias narrativas semelhantes registradas em um banco de dados de relatórios de incidentes de aviação mantidos por uma das agências independentes mais conhecidas do governo federal dos EUA: The National Aeronautics and Space Administration (NASA).

Em uma investigação do Debrief, vários relatórios de incidentes que obtivemos arquivados no Sistema de Relatórios de Segurança de Aviação mantido pela NASA revelam encontros imediatos de pilotos com fenômenos aéreos não identificados, mais comumente conhecidos como OVNIs, abrangendo várias décadas. Uma série de incidentes envolve observações por pilotos e membros da tripulação do que pareciam ser veículos aéreos não tripulados não reconhecidos (UAVs) ou outros objetos voadores não identificados operando a distâncias inseguras de suas aeronaves, levantando preocupações sobre os riscos que podem representar para a segurança da aviação.

O Aviation Safety Reporting System (ASRS – sigla em inglês para Sistema de Relatórios de Segurança da Aviação) funciona como a rede de relatórios de situação e incidentes de segurança de aviação voluntária e confidencial da Administração Federal de Aviação (de sigla em inglês, FAA). De acordo com um resumo do programa apresentado em seu site, o ASRS é “uma faceta importante do esforço contínuo do governo, da indústria e de indivíduos para manter e melhorar a segurança da aviação”.

Projetado para coletar e analisar relatórios de incidentes de segurança relacionados a todos os aspectos da aviação, o ASRS mantém um banco de dados online descrito como “um repositório público que atende às necessidades da FAA e da NASA e de outras organizações em todo o mundo que estão envolvidas na pesquisa e na promoção de um voo seguro”.

O programa tem sua origem em um incidente fatal ocorrido em 1º de dezembro de 1974, envolvendo a queda do voo 514 da TWA. O voo estava voltando para o Aeroporto de Dulles em condições turbulentas e nubladas quando o avião acidentalmente desceu abaixo da altitude mínima segura, e caiu no topo de uma montanha da Virgínia. O acidente resultou de uma leitura incorreta de uma carta de aproximação, que a tripulação a bordo do voo 514 da TWA interpretou de forma diferente dos controladores de voo em Dulles nas proximidades.

Uma investigação subsequente mostrou que um acidente semelhante havia ocorrido quase semanas antes na mesma vizinhança. Apesar das medidas para estabelecer um sistema de relatórios para registrar tais ameaças potenciais à aviação, a FAA foi criticada por não ter sido capaz de coletar dados de uma comunidade da aviação com sucesso, temendo as possíveis consequências legais que poderiam resultar do preenchimento de relatórios de incidentes…

A chamada de acompanhamento, indicando que o objeto estava mais perto quando foi observado pela primeira vez do que a estimativa inicial do piloto de cinco milhas de distância, conforme indicado em seu relatório original, observou:

“A testemunha estimou que no primeiro contato visual do UAV estava a aproximadamente 3,5 milhas descendo a colina. Ele subiu a colina até a aeronave da testemunha em uma velocidade muito maior do que a da aeronave. A testemunha estimou que o fechamento levou menos de um minuto e conforme ele acelerou sua aeronave para longe, a aeronave o seguiu, manobrando a uma velocidade muito [maior] do que a dele.”

O relatório de retorno de chamada conclui observando pequenas diferenças na coloração entre os três UAVs que o piloto e seu passageiro observaram:

“Dois outros UAVs de formato semelhante também tinham topos brilhantes, mas cores um tanto diferentes do primeiro, que era uma luz cintilante do tipo arco-íris.”

O incidente foi registrado sob o número de relatório (ACN) 1287246 no banco de dados ASRS…

A identidade da aeronave ou objetos descritos neste relatório permanece obscura, apesar de mais detalhes coletados do piloto durante o retorno de chamada do ASRS. Dadas as descrições de sua aparência, velocidade estimada, capacidade de manobra e falta de sistema de propulsão visível, pouco sobre sua operação parece corresponder às características de qualquer sistema UAV amplamente conhecido, militar ou não.

O relatório transmite, no entanto, que a aparência dos objetos tinha sido incomum o suficiente para que o piloto tivesse tentado fotografá-los, se houvesse a oportunidade de fazê-lo com segurança.

O relatório afirma:

“Infelizmente, minha câmera ficou presa no bolso sob cintos de segurança apertados e eu não consegui tirá-la enquanto pilotava o avião, tentando evitar bater nessa coisa.”

Apesar da incapacidade do piloto de documentar o incidente com sua câmera, o relatório transmite que o piloto estava claramente preocupado com uma possível colisão no ar com um objeto voador não identificado.

O Debrief entrou em contato com o Diretor do Sistema de Relatórios de Segurança da Aviação (ASRS) e Sistema de Relatórios de Chamadas Confidenciais, Becky Hooey, Ph.D., solicitando detalhes adicionais sobre o programa e suas operações em relação a encontros com possíveis UAVs ou outras aeronaves não reconhecidas. Em vez de uma resposta direta da NASA, Hooey nos ajudou a providenciar comunicação adicional com a FAA sobre o ASRS e seus protocolos relativos a quase colisões no ar e outros incidentes envolvendo drones ou aeronaves não reconhecidas…

Em relação aos relatórios mais incomuns descobertos durante nossa investigação, o Debrief também questionou sobre a posição da FAA e da NASA em relatórios enviados ao ASRS que descrevem aeronaves não reconhecidas ou outros fenômenos aéreos não identificados (UAP) encontrados pelos pilotos.

A FAA ao The Debrief em resposta à nossa solicitação:

“Um relatório do ASRS coleta informações sobre o que o piloto viu ou testemunhou. A menos que um perigo seja relatado, as informações em um relatório ASRS não são investigadas e a precisão das informações não é verificada.”

A FAA não forneceu mais detalhes ou avaliações sobre observações de aeronaves não reconhecidas, nem outros tipos de incidentes inexplicáveis ​​descritos em relatórios arquivados com o sistema ASRS, incluindo aqueles em que foram feitas chamadas de retorno, como o incidente no condado de Greene, Nova Iorque…

A FAA disse ao The Debrief que quaisquer relatórios recebidos pelo ASRS podem ajudar a identificar futuros problemas de segurança em potencial. No entanto, apesar da cooperação anterior entre o ASRS e o NARCAP, atualmente a NASA e a FAA não têm nenhum sistema especial de relatórios ou outros critérios para coletar e processar encontros de piloto com OVNIs.

Em resposta às nossas perguntas, a FAA também não comentou especificamente sobre incidentes envolvendo aeronaves não reconhecidas ou outros fenômenos aéreos, nem forneceu detalhes sobre como os dados coletados poderiam ajudar a mitigar os riscos potenciais para a aviação apresentados pela UAP.

A FAA disse:

“Embora as informações relatadas ao ASRS possam ser eficazes para identificar perigos, precursores de acidentes e questões de segurança para análises posteriores, não são usadas para determinar a distribuição ou tendência.”

Na opinião de Roe, melhorar as maneiras como as agências governamentais lidam com o tópico OVNI/UAP pode realmente começar com uma consciência mais ampla dos incidentes relacionados com UAPs na comunidade da aviação.

Roe disse ao The Debrief:

“Se pudermos mudar a comunidade da aviação sobre este assunto, podemos mudar como lidamos com isto. Podemos mudar a forma como isso é tratado.

Uma vez que eles levam isso a sério, a ciência tem que seguir em frente.”

(Fonte)

O artigo acima é uma versão resumida do original, mas mostra que há algum registro governamental nos EUA também mantido pela NASA para relatos sobre OVNIs avistados por pilotos. Mas a questão é que muitos pilotos não informam seus encontros com objetos não identificados devido ao medo de sofrerem algum tipo de retaliação em suas vidas profissionais. Infelizmente, ainda vivemos num mundo em que aqueles que ousam relatar “anormalidades” podem ser “pseudo-julgados” declarados “bruxos/bruxas” e “sacrificados na fogueira”.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é produtos-OVNI-Hoje-1.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Loja-Nerd.jpg

Leitores OVNI Hoje ganham 10% de desconto em todos os produtos da Loja Nerd, inclusive nos produtos OVNI Hoje. (Use o cupom OVH10)


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Plugin Kapsule Corp