Estaríamos à beira de uma onda de mania por OVNIs?

Compartilhe esta informação com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.
Estaríamos à beira de uma onda de mania por OVNIs?
Crédito da imagem: depositphotos

Por Lisa Smith Molinari

Enfiei meus sapatos de salto alto em nosso tapete felpudo e me afundei mais em minha poltrona de vinil verde-limão, completamente apavorada, mas incapaz de desviar meus olhos arregalados de nosso console de televisão. A cena de hipnose fascinante do filme para televisão de 1975, “The UFO Incident”, estrelado por James Earl Jones, estava se gravando permanentemente em meu impressionável cérebro de 11 anos de idade.

A memória ainda me dá arrepios, 43 anos depois.

O filme retratou a história da vida real de Betty e Barney Hill, um casal comum de New Hampshire que, enquanto voltava de um feriado nas Cataratas do Niágara em uma estrada escura e solitária, alegou ter sido brevemente abduzido e examinado por um médico por alienígenas. Na cena da hipnose, Barney (interpretado por Jones) grita ao relembrar detalhes terríveis enterrados por amnésia traumática.

Alguns pesquisadores levantam a hipótese de que histórias de abduções alienígenas como Betty e Barney Hill ganharam força na década de 1980 devido à cobertura da mídia de novas tecnologias reprodutivas e controversas experimentações humanas. Outros acreditam que relatos de avistamentos de OVNIs e encontros com alienígenas, que começaram na década de 1950, foram simplesmente “histeria cultural em massa” provocada pelo medo da destruição nuclear da Guerra Fria.

Como outros da minha geração, lembro-me de teorias da conspiração sobre OVNIs caindo em Roswell, Novo México e autópsias alienígenas na Área 51. No cinema, vi “Star Wars”, “Contatos Imediatos do Terceiro Grau”, “Alien” e “ET o Extra Terrestre“. Eu disse “Nanu-nanu” como o personagem alienígena de Robin William em “Mork e Mindy”. Assisti “Os Jetsons” depois da escola e ri quando o pequeno Gazoo verde apareceu em “Os Flintstones”. Eu mordisquei Pillsbury Space Food Sticks e tomei Tang porque era isso que os astronautas faziam.

Quando você considera nossas influências culturais, não é de se admirar que éramos obcecados por alienígenas naquela época. Mas, será que os recentes desenvolvimentos na ciência e tecnologia reconstituirão a atenção da mídia e as suspeitas públicas sobre a vida inteligente fora da Terra? Estaríamos à beira de outra mania por OVNIs?

Este mês, o presidente do Departamento de Astronomia de Harvard, Avi Loeb, publica seu novo livro “Extraterrestrial: The First Sign of Intelligent Life Beyond Earth” (“Extraterrestre: O Primeiro Sinal de Vida Inteligente Além da Terra”), no qual ele levanta a hipótese de que um objeto interestelar chamado Oumuamua, que passou pelo nosso sistema solar em 2017, foi na verdade pedaço de equipamento alienígena.

No mês passado, foi relatado que os astrônomos do Breakthrough Listen Project, que tenta detectar transmissões alienígenas perdidas ou intencionais, descobriram um feixe estreito de ondas de rádio intrigantes (BLC1) vindo da direção de Proxima Centauri, a estrela mais próxima do Sol. A transmissão, que foi captada pelo Telescópio Parkes na Austrália, é o primeiro feixe que NÃO se acredita ter se originado de interferências feitas pelo homem ou de fontes naturais. Em outras palavras, os astrônomos acreditam que pode ter vindo de uma vida inteligente.

Para complicar as coisas, novas tecnologias colocarão mais objetos voadores que podem ser confundidos como OVNIs no céu. Os militares dos Estados Unidos atualmente operam mais de 11.000 Sistemas de Aeronaves Não Tripulados (de sigla em inglês, UAS, ou “drones”) em apoio a eventos de treinamento doméstico e missões de contingência no exterior. Drones militares – realizando vigilância/reconhecimento secreto, consciência situacional, entrega de armas e avaliação de danos em batalha – variam em tamanho desde o RQ-11B Raven portátil ao RQ/MQ-4 Global Hawk/Triton de 32.000 libras e missões de treinamento de voo em espaço aéreo especialmente designado dos EUA.

Além disso, a indústria de drones comerciais limitou a aprovação da Administração Federal de Aviação para desenvolver frotas de drones para agilizar as entregas de pequenos pacotes aos consumidores. Os drones comerciais voam entre 60 e 120 metros acima de nossas cabeças e são equipados com luzes anticolisão à noite. Esta indústria de rápido crescimento tem atualmente 1,7 milhão de drones registrados e 203.000 pilotos remotos certificados pela Federal Aviation Administration (FAA).

Com tantos objetos voadores em nosso espaço aéreo e novas evidências científicas que apoiam a vida inteligente fora da Terra, como os cidadãos comuns podem saber se as luzes que vêem no céu são alienígenas vindo para abduzi-los ou apenas um pacote voador de K-cups da Amazon?

Quanto a mim, não irei procurar discos voadores, porque estarei muito ocupada consumindo a próxima série de televisão com tema alienígena na Netflix, fazendo viagens para o observatório planetário mais próximo e relendo “Uma Breve História do Tempo” de Stephen Hawking. Quem sabe? Talvez a Pillsbury traga de volta os Space Food Sticks.

Ousa sonhar.

(Fonte)


Infelizmente, para os menos avisados, qualquer coisa que não seja um pássaro ou um avião passando pelo céu é considerada uma nave alienígena. Também, muitas pessoas, mesmo após terem sido mostradas de forma incontestável que aquilo que pensavam ser uma manifestação anômala não passava de algo natural, se recusam a acreditar.

Não estou aqui para julgar ninguém, afinal quase todo mundo que visita o OVNI Hoje (inclusive eu) acredita que há muito mais lá fora do que planetas desprovidos de vida e é muito fácil se entusiasmar com este tema.

Porém, temos que manter nossos pés firmemente plantados na Terra enquanto olhamos para o céu.

Embora o fenômeno dos OVNIs seja real, e isso já foi mostrado de forma incontestável para quem acompanha o OVNI Hoje e outros sites informativos, esses objetos não se expõe de forma generalizada. Pense bem, se você fosse uma inteligência alheia a um determinado planeta o qual contém primatas beligerantes que irão atirar primeiro e perguntar depois, você iria se expôr abertamente? Penso que não, principalmente depois desses malucos briguentos terem desenvolvidos armamentos nucleares. Não porque eles poderiam te afetar com esses armamentos, afinal se você está os visitando, você tem uma capacidade tecnológica para evitar isso. Mas a questão é que se você for uma raça responsável não irá querer que eles acidentalmente acabem se machucando com seus próprios armamentos enquanto tentam acertar você. Sabe como é: criança que brinca com fósforos faz xixi na cama.

Mas voltando à questão do artigo acima, fiquemos alertas para essas novas tecnologias e tentemos ser honestos com nós mesmos quando avistarmos algo de aparência anômala no céu. OVNIs não são necessariamente naves alienígenas. Não deixemos nosso entusiasmo pelo assunto confundir nossas mentes.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe esta informação com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.