Estudo analisa evidências de escavações e estruturas incomuns na Lua

Tempo de leitura: 6 min.
Estudo analisa evidências de escavações e estruturas incomuns na Lua
Lado oculto da Lua com a Terra em segundo plano.

Com tanta informação e desinformação em muitas áreas diferentes hoje em dia, pode ser difícil saber no que acreditar ou no que confiar. Como chegamos nesta posição? Parece que há uma grande divisão em vários tópicos diferentes, e a Lua é sem dúvida um desses tópicos.

É realmente tão difícil olhar para as informações e chegar a algum tipo de verdade? Talvez não, mas o mais importante é ser capaz de discutir informações e ideias de forma transparente, aberta e ao mesmo tempo ter a capacidade de ver de outra perspectiva. Se nos agarrarmos a certas crenças e posições e nos polarizarmos nelas, não estaremos realmente nos abrindo para novas possibilidades que podem mudar a maneira como pensamos e percebemos não apenas nosso mundo, mas nós mesmos.

Estudo analisa evidências de escavações e estruturas incomuns na Lua
Estruturas possivelmente artificiais na superfície lunar.

O que aconteceu: Um estudo publicado no Journal of Space Exploration em 2016 fornece uma análise aprofundada das imagens obtidas pela Apolo 15, bem como do Lunar Reconnaissance Orbiter. De acordo com os autores, parece haver “duas características incomuns na cratera Paracelsus C no outro lado da Lua”, o lado que nunca é visível da Terra. Ao combinar várias imagens, fica claro para eles que o que eles estão olhando são duas paredes “em cada lado de um vale estreito ou passagem”.

Usando a forma de imagem única de sombreamento e visualização 3D do terreno, mostramos em uma vista em perspectiva gerada por computador olhando para o nordeste que a extremidade sudoeste parece ser a entrada para a passagem. Uma visão de ângulo reverso olhando para o sudoeste mostra a passagem terminando em uma elevação de terreno na outra extremidade, possivelmente levando ao subsolo. O terreno que circunda as duas estruturas não é plano, mas parece “escavado” por algum mecanismo desconhecido, natural ou artificial. É mostrado que esses objetos são visualmente diferentes do fundo lunar porque sua estrutura subjacente é diferente.

Estudo analisa evidências de escavações e estruturas incomuns na Lua

O artigo fornece evidências que sustentam a hipótese de que certas características na cratera Paracelsus C no lado oposto da lua podem ser de origem artificial.

A ideia de que essas “passagens” podem levar ao subsolo na Lua se correlaciona com a ideia de que a Lua pode de fato ser oca, ou pelo menos parcialmente. De acordo com Sean C. Solomon do MIT:

Os experimentos da órbita lunar melhoraram muito nosso conhecimento do campo gravitacional da Lua … indicando a possibilidade assustadora de que a Lua pode ser oca.

Isso foi em 1974 e tem sido um tema comum. Ele surge devido ao fato de que sabemos muito pouco sobre a Lua e todas as outras luas em nosso sistema solar. Dito isso, a maioria das evidências científicas aponta para uma Lua sólida, mas isso não significa que os compartimentos construídos artificialmente dentro dela não sejam uma possibilidade.

É mais fácil explicar a inexistência da Lua do que sua existência.

– Cientista da NASA Robin Brett

A melhor explicação para a Lua é o erro de observação – a Lua não existe.

– Irwin Shapiro, Astrofísico de Harvard

O artigo conclui afirmando:

Com base nas evidências apresentadas neste artigo, acreditamos que esta área em Paracelsus C é uma candidata digna de estudo futuro por missões orbitais e jipes sondas de superfície. Ambos os recursos analisados ​​nesta área são estatisticamente diferentes do terreno circundante.

Mark J. Carolotto, um dos autores deste artigo, é um cientista com quase 40 anos de experiência em sensoriamento remoto por satélite, análise de imagens, processamento digital de imagens, imagens de satélite, sensoriamento remoto e reconhecimento de padrões. Ele estudou óptica, processamento de sinais e imagem na Carnegie-Mellon University de 1972-1981, onde recebeu seu Ph.D. em engenharia elétrica, e trabalha na indústria aeroespacial. Aqui estão alguns dos artigos (em inglês) revisados ​​por pares que ele escreveu e foi coautor antes deste.

Em seu canal no YouTube, ele fornece algumas imagens do trabalho em um vídeo intitulado “Unusual Structures On The Far Side of The Moon” (“Estruturas Incomuns no Lado Distante da Lua”).

Relatos e hipóteses sobre estruturas artificiais na Lua são bastante comuns e têm sido um tema comum por algum tempo. Durante os primeiros anos do SETI, em 1963, Carl Sagan falou sobre a possibilidade de visitação extraterrestre, conforme apontado pelo estudo:

Não está fora de questão que ainda existam artefatos dessas visitas, ou mesmo que algum tipo de base seja mantida (possivelmente automática) dentro do sistema solar para dar continuidade a expedições sucessivas. Por causa do intemperismo e da possibilidade de detecção e interferência por parte dos habitantes da Terra, seria preferível não erguer tal base na superfície da Terra. A Lua parece uma alternativa razoável. O próximo reconhecimento fotográfico de alta resolução da Lua a partir de veículos espaciais – particularmente no nado oculto – pode ter essas possibilidades em mente.

Vários livros foram escritos ao longo dos anos contemplando o assunto. O livro de 1976 do astrônomo amador George Leonard, “Somebody Else Is on the Moon” (“Alguém Mais Está na Lua”) é um exemplo. O livro de Fred Steckling de 1981, “We Discovered Alien Bases on The Moon“(“Descobrimos Bases Alienígenas na Lua”) é outro, e há muitos mais.

Avance até hoje e é difícil encontrar evidências sólidas de estruturas na Lua, mas existem alguns vazamentos estranhos e testemunhos de pessoas com origens interessantes que nos fazem refletir. Por exemplo, um documento classificado publicado pelo Wikileaks implica claramente que os Estados Unidos tinham uma base “secreta” na Lua que foi destruída pela Rússia. A ideia de que isso é ou foi uma realidade se fortalece pelo fato do governo dos Estados Unidos ter planos de construir uma base na Lua. Talvez já tenham feito isso? O vazamento do Wikileaks é de 1979, um documento da própria editora do governo de 1966 mostra claramente que um dos objetivos do governo dos Estados Unidos era construir uma base na Lua.

Um memorando que foi endereçado ao diretor da CIA sobre “Pensamento Militar (Top Secret)” pelo Tenente General Korenevskiy destaca este ponto ainda mais. Também parece ser da década de 1960:

Já, o interesse pela Lua não se limita a um estudo de questões e uma discussão das potencialidades descobertas. Estão a ser elaborados projetos específicos que propõem a construção de várias estruturas sob a superfície da Lua a partir dos compartimentos de carga dos mísseis, e também o emprego de várias versões de estruturas pneumáticas. O Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA e também várias empresas americanas (“matin”, “Aeroespacial”, etc), estão realizando um grande trabalho nessa direção.

Outro documento que complementa o do Wikileaks, também da década de 1960, vem da CIA mantendo o controle sobre os planos espaciais soviéticos. Uma parte dele diz o seguinte:

Os soviéticos também declararam sua intenção de estabelecer uma base lunar após o pouso lunar tripulado … Se o pouso lunar tripulado da Sociedade for realizado como uma continuação de extensas operações orbitais terrestres e exploração instrumentada da Lua, é provável que eles obtenham alguma vantagem no estabelecimento de uma base lunar … É possível que um pouso lunar tardio possa ser seguido com bastante rapidez pelo estabelecimento de uma base soviética na Lua.

A ideia de que os humanos possam ter construído estruturas na Lua, bem como talvez extraterrestres inteligentes atualmente ou no passado, é uma hipótese contemplada por muitos, então por que algumas pessoas a consideram ridícula? Esta é uma questão mais profunda para depois.

Rejeitando evidências porque elas entram em conflito com nossas crenças

É interessante que os autores do artigo declararam o seguinte:

Um estabelecimento científico dominante decididamente conservador muitas vezes rejeita anomalias com base no assunto sozinho, ou seja, não pode haver artefatos alienígenas na Lua porque não há artefatos alienígenas na Lua (ou outros planetas). Tal visão é um exemplo de raciocínio circular, baseado na crença de que extraterrestres não existem, ou se eles existem, não poderiam ter viajado para o nosso sistema solar.

O quanto nossas crenças e percepções sobre nosso mundo limitam e atrapalham nossa capacidade de descobrir e reconhecer ideias e resultados que podem “não se encaixar na estrutura”? O quanto limitamos nossa consciência e percepções sobre nosso mundo, quem realmente somos e do que somos capazes como resultado de nossas crenças e nossa determinação de dizer “é assim que as coisas são”?

Cassandra Vieten, Phd e Presidente / CEO do Institute of Noetic Sciences, que foi fundado pelo Dr. Edgar Mitchell da Apolo 14, aborda este ponto em seu artigo, “When Skeptics Face The Evidence” (Quando os “Céticos Enfrentam as Evidências”).

Parece haver uma profunda preocupação de que todo o campo seja manchado pelo estudo de um fenômeno que é manchado por sua associação com superstição, espiritualismo e magia. Proteger contra essa possibilidade às vezes parece mais importante do que encorajar a exploração científica ou proteger a liberdade acadêmica. Mas isso pode estar mudando. A sessão que apresentei teve uma boa participação e descobri que a maioria das pessoas, embora não fosse exatamente de mente aberta, era sincera, atenciosa e disposta a se envolver em discussões respeitosas sobre o assunto.

Por que isso é importante

As implicações de quaisquer descobertas que sugiram uma presença extraterrestre têm enormes implicações e realmente expandem a consciência humana para outro nível. O fenômeno OVNI/Extraterrestre e a prova de sua existência vão muito além do que é fornecido neste artigo.

A maneira como percebemos nosso mundo, tecnologia, história, metafísica, consciência e a própria natureza da realidade mudaria em um instante se isso fosse realizado pelo coletivo. Talvez isso nos inspiraria a questionar a maneira como vivemos aqui na Terra e porque fazemos o que fazemos. As civilizações que viajam pelas estrelas têm tanta dificuldade em implementar soluções em seu planeta? De que tipo de consciência eles operam? Eles colaboram pacificamente ou se dividem por país e etnia?

Se tivéssemos a tecnologia que nos permitisse fornecer abundância para todos, o que muitos acreditam que temos, poderíamos implementar essas soluções, dado o fato de que estamos tão divididos? Estaríamos atualmente presos em um estado de medo, caos, ganância e uma mentalidade egoica para que possamos implementar soluções com sucesso? Seriam as soluções, como tecnologia de energia limpa altamente avançada, inúteis se a consciência da raça humana e a maneira como pensamos não mudar?

Não são as soluções ou a tecnologia que vão mudar nosso planeta, é o lugar de dentro daqueles que operam essas tecnologias que vai determinar se estamos ou não prontos para essas coisas – somos nós.

A mudança começa interiormente, e talvez a humanidade precise de uma nova maneira de pensar e ver o nosso mundo, assim como a nós mesmos, para seguir em frente. Muitas vezes apontamos o dedo e colocamos a culpa em outros como a ‘elite global’, sem nunca percebermos que ‘eles’ também somos nós, e estamos nesta história juntos. Nós perpetuamos nossa própria experiência humana com base em onde estamos mentalmente e espiritualmente. Será difícil enfrentar os desafios que enfrentamos hoje se não sairmos de nós mesmos e observarmos nosso planeta e a maneira como vivemos de uma perspectiva externa. Podemos simplesmente perpetuar nossa experiência humana atual se tentarmos lidar com nossos problemas do mesmo nível de consciência que os criou.

Hoje em dia, não é apenas o conhecimento de informações e fatos que irão criar mudanças, é a mudança de nós mesmos, como fazemos para comunicar e reavaliar as histórias, ideias e crenças subjacentes que formam nosso mundo. Temos que praticar essas coisas se realmente quisermos mudar…

(Fonte)


n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode doar através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.